G s natural
This presentation is the property of its rightful owner.
Sponsored Links
1 / 56

Gás Natural PowerPoint PPT Presentation


  • 78 Views
  • Uploaded on
  • Presentation posted in: General

Gás Natural. Leandro Puglia Souza Lorran Santos Basílio. ÍNDICE. Introdução Classificação Utilização Transporte Reservas provadas (Brasil e Mundo) Preços do gás natural Produção de gás natural (Brasil e Mundo) Consumo de gás natural (Brasil e Mundo)

Download Presentation

Gás Natural

An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Presentation Transcript


G s natural

Gás Natural

Leandro Puglia Souza

Lorran Santos Basílio


Ndice

ÍNDICE

  • Introdução

  • Classificação

  • Utilização

  • Transporte

  • Reservas provadas (Brasil e Mundo)

  • Preços do gás natural

  • Produção de gás natural (Brasil e Mundo)

  • Consumo de gás natural (Brasil e Mundo)

  • Vantagens da utilização de gás natural

  • Desvantagens na utilização de gás natural


Introdu o

Introdução

  • Combustível fóssilformado a partir do soterramento de animais e vegetais e de suaexposição a calor e pressãoaolongo de milhares de anos.

  • Mistura de hidrocarbonetos leves, onde 70% ou mais é metano em sua composição.

  • Trata-se de um gás inodoro e incolor, não-tóxico e de densidade menor que do ar.

  • O gás natural é uma fonte de energia limpa que pode ser usada nas indústrias, substituindo outros combustíveis mais poluentes como óleos combustíveis, lenha e carvão.


Classifica o do g s natural

Classificação do gás natural

  • Associado (GA): é aquele que, no reservatório, se encontra dissolvido no petróleo ou sob a forma de uma capa de gás. Neste caso, normalmente privilegia-se a produção inicial do óleo, utilizando-se o gás para manter a pressão do reservatório.

  • Não-Associado (GNA): é aquele que está livre, ou com pequena participação do óleo, no reservatório; normalmente privilegia-se a produção inicial do gás.


Classifica o do g s natural1

Classificação do gás natural


Utiliza o

Utilização

  • Geração termelétrica;

  • Veículos automotores;

  • Uso doméstico (alimentação, iluminação, aquecimento etc);

  • Indústria petroquímica (plásticos, tintas, fibras sintéticas e borracha);

  • Indústria de fertilizantes (uréia, amônia e seus derivados).


Transporte do g s natural

Transporte do Gás Natural

  • Dutos

  • Cilindros de alta pressão

  • Gás natural comprimido (GNC) e gás natural liquefeito (GNL):

    • Navios Metaneiros

    • Barcaças

    • Caminhões criogênicos


Transporte do g s natural brasil

Transporte do Gás Natural - Brasil


Reservas provadas

Reservas provadas


Reservas provadas mundo

Reservas provadas - Mundo

  • As reservas globais de gás atingiram 187,29 trilhões de m³ em 2012.

  • Embora tenha ocorrido diminuição de 2011 para 2012, houve aumento de cerca de 60% na quantidade de reservas na última década.

  • As maiores reservas de gás no mundo são de Rússia, Irã e Qatar.


Reservas provadas mundo1

Reservas provadas - Mundo


Distribui o das reservas provadas

Distribuição das reservas provadas


Reservas provadas brasil

Reservas provadas - Brasil

  • As reservas provadas cresceram 800% nos últimos anos, chegando a 450 bilhões de m³ em 2012, onde 78% das reservas provadas nacionais se localizam no mar, e o restante (22%) se localiza em campos terrestres.

  • Entretanto, o Brasil ainda é apenas o 31º em produção de gás natural no mundo.


Reserva nacional por estado

Reserva nacional por estado


Reservas provadas brasil1

Reservas provadas - Brasil


Reservas produ o

Reservas/Produção


Reservas produ o1

Reservas/Produção


Pre os do g s natural

PREÇOS DO GÁS NATURAL


Pre os do g s natural1

Preços do gás natural

  • Europa e Japão: baseado nos preços dos derivados que competem com o gás.

  • EUA: flutuações de curto prazo na oferta e na demanda (principais são spot e Henry Hub).

  • A partir de 2008, o mercado financeiro tem exercido grande influência nos preços.

  • Preços do gás natural por unidade de energia são, substancialmente, inferiores ao preço do petróleo.

  • Preços do gás natural nos EUA tornaram-se inferiores aos da Europa a partir de 2006.

  • Elevada volatilidade do preço do gás natural.


Pre os do g s natural2

Preços do gás natural


Principais movimentos do com rcio de g s bilh es m

Principais movimentos do comércio de gás (bilhões m³)


Principais movimentos perspectivas

Principais movimentos - Perspectivas


Produ o

produção


Produ o de g s natural

Produção de gás natural

  • Aumentou 1,9% de 2011 para 2012.

  • EUA teve o maior aumento (+4,7%) e é o maior produtor.

  • Para Europa e Eurásia, houve queda de produção.


Produ o de g s natural1

Produção de gás natural


Distribui o da produ o

Distribuição da produção


Produ o de g s brasil

Produção de gás - Brasil


Produ o de g s natural perspectivas

Produção de gás natural - perspectivas

  • 40% de toda a produção doméstica de gás nos EUA seja de shale gas.

  • Investimentos maciços em regiões como Polônia, Argentina, China, Reino Unido, Austrália e Brasil.

  • Alterações de marcos regulatórios.


Produ o de g s natural perspectivas1

Produção de gás natural - perspectivas


Produ o de g s natural perspectivas2

Produção de gás natural - perspectivas


Consumo

consumo


Consumo de g s natural

Consumo de gás natural

  • Aumentou 2,2% de 2011 para 2012, abaixo da média histórica de 2,7%.

  • O aumento do consumo foi acima da média nas Américas e na África.

  • Os EUA tiveram o maior crescimento mundial, seguido por China e Japão.

  • Assim como na produção, o consumo da Europa e Eurásia diminuíram.


Consumo de g s natural1

Consumo de gás natural


Consumo de g s natural per capita

Consumo de gás natural per capita


Condicionantes da demanda de g s natural

Condicionantes da demanda de gás natural

  • Crescimento da economia.

  • Preços do gás natural em comparação a outros energéticos concorrentes.

  • Políticas públicas.


Distribui o do consumo

Distribuição do consumo


Consumo de g s brasil

Consumo de gás - Brasil


Consumo de g s expectativas

Consumo de gás - Expectativas

  • Crescimento médio de 1,5% ao ano até 2030, aumentando cerca de 15 trilhões de m³ até 2030.

  • Superior nos países em desenvolvimento.

  • Inferior nos países da OCDE.

  • Sua utilização será em:

    • Setor industrial (40%)

    • Geração de energia elétrica (35%)


Crescimento da demanda de energia

Crescimento da demanda de energia


Reservas produ o e consumo

Reservas, produção e consumo


Vantagens

Vantagens


Vantagens1

Vantagens

  • Baixo impacto ambiental (combustão mais limpa)

  • Pequena exigência de tratamento dos gases de combustão

  • Facilidade de transporte e manuseio

  • Não requer estocagem

  • Dispersão rápida em caso de vazamento (maior segurança)

  • Facilidade de partida a frio em motores

  • Baixo custo


Para o consumidor

Para o consumidor

  • Prolonga vida útil de equipamentos.

  • Eleva o nível de segurança pessoal.

  • Maior eficiência de queima.

  • Fornecimento contínuo.

  • Economiza vapor ou eletricidade para aquecimento.

  • Baixo custo.

  • Combustão facilmente regulável.


Com rcio servi os e resid ncia

Comércio, serviços e residência

  • Menor custo.

  • Maior comodidade e conforto.

  • Fornecimento contínuo.

  • Variedade de aplicações.

  • Maior segurança.

  • Não é tóxico.


Gera o de energia el trica

Geração de energia elétrica

  • Maior flexibilidade.

  • Geração de energia junto aos centros.

  • Ampla disponibilidade.

  • Custo bastante competitivo com outras fontes.

  • Surgimento do mercado de gás interruptível.


Popula o e sociedade

População e sociedade

  • Diversificação da matriz energética.

  • Maior competitividade entre empresas.

  • Substitui a lenha, reduzindo desmatamento.

  • Redução da emissão de poluentes.

  • Maior proteção do ambiente.

  • Desenvolvimento regional.

  • Geração de energia através de fonte limpa.

  • Obter vantagens oferecidas pelo Protocolo de Kyoto.


Combust vel veicular

Combustível veicular

  • Menor custo.

  • Economia nos gastos com o veículo.

  • Não dilui o óleo lubrificante do motor.

  • Não provoca depósitos de carbono no motor.

  • Menor frequência na troca de escapamentos.

  • Maior segurança e versatilidade.

  • Número crescente de postos com GNV.


Impactos sociais

Impactos SOCIAIS

  • Geração de royalties para os municípios de localização das usinas.

  • Incremento de atividades de comércio e serviços.

  • Geração local de empregos.

  • Possibilidade de construção de usinas próximas a centros de consumo.


Desvantagens

DESVANTAGENS


Desvantagens1

desvantagens

  • Não-renovável

  • Necessidade de sistema de resfriamento (indústria)

  • Emissões de gases tóxicos

  • Chuva ácida

  • Risco de explosão em caso de vazamentos

  • Difícil liquefação

  • Riscos de asfixia


Impactos ambientais

Impactos ambientais

  • Composição do gás natural.

  • Processoutilizadonageração de energia e remoçãopós-combustão.

  • Condições de dispersão dos poluentes(altura da chaminé, relevo e meteorologia).

  • Necessidade de captamento de águapararesfriamento do vapor.


Impactos ambientais1

Impactos ambientais

  • Na queima, são gerados os seguintes poluentes:

    • CO2

    • NOx

    • CO e HC de baixo peso molecular (menor escala)


Obrigado

Obrigado!


Refer ncias bibliogr ficas

Referências bibliográficas

  • http://exame.abril.com.br/meio-ambiente-e-energia/noticias/quanto-gas-natural-o-brasil-tem-em-terra-e-mar-por-estado#4

  • http://www.bp.com/en/global/corporate/about-bp/statistical-review-of-world-energy-2013.html

  • http://www.ibp.org.br/

  • http://economia.estadao.com.br/noticias/negocios-geral,petrobras-divulga-reservas-provadas-de-petroleo-e-gas,140313,0.htm

  • http://www.bp.com/en/global/corporate/about-bp/statistical-review-of-world-energy-2013/review-by-energy-type/natural-gas.html

  • http://www.mma.gov.br/clima/energia/fontes-convencionais-de-energia/gas-natural

  • http://br.answers.yahoo.com/question/index?qid=20080604171917AAW0LVT


Refer ncias bibliogr ficas1

Referências bibliográficas

  • http://gasnaturalgnvglp.blogspot.com.br/2011/04/vantagens-e-desvantagens-do-uso-do-gas.html

  • http://ecoeficienciagasnatural.blogspot.com.br/2012/05/fisicagas-natural-caracteristicas.html

  • http://gasoduto.blogspot.com.br/2007/05/vantagens-e-desvantagens.html

  • http://www.brasilescola.com/quimica/gas-natural-combustivel.htm

  • http://www.compagas.com.br/index.php/web/o_que_e_gas_natural/suas_vantagens

  • http://www.potigas.com.br/vantagens

  • http://www.estadao.com.br/brasilcompetitivo/hotsite_gas/pdfs/magda_chambriard.pdf

  • http://agnatural.pt/pt/o-gas-natural/breve-historia-do-gas-natural


Refer ncias bibliogr ficas2

Referências bibliográficas

  • http://pt.wikipedia.org/wiki/Crise_do_petr%C3%B3leo

  • http://www.aneel.gov.br/arquivos/PDF/atlas_par3_cap6.pdf

  • http://pt.wikipedia.org/wiki/Economia_da_Europa

  • http://infopetro.wordpress.com/category/gas-natural/

  • http://infopetro.wordpress.com/2013/06/17/os-novos-desafios-do-mercado-internacional-de-gas-natural-para-a-politica-energetica-russa/#more-4688

  • http://www.aneel.gov.br/aplicacoes/atlas/pdf/09-Gas_Natural(2).pdf


  • Login