semin rio perspectivas para o agroneg cio federa o da agricultura do estado de goi s faeg
Download
Skip this Video
Download Presentation
SEMINÁRIO PERSPECTIVAS PARA O AGRONEGÓCIO FEDERAÇÃO DA AGRICULTURA DO ESTADO DE GOIÁS - FAEG

Loading in 2 Seconds...

play fullscreen
1 / 44

SEMINÁRIO PERSPECTIVAS PARA O AGRONEGÓCIO FEDERAÇÃO DA AGRICULTURA DO ESTADO DE GOIÁS - FAEG - PowerPoint PPT Presentation


  • 103 Views
  • Uploaded on

MERCADO DE FERTILIZANTES GEORGE WAGNER BONIFÁCIO E SOUSA. SEMINÁRIO PERSPECTIVAS PARA O AGRONEGÓCIO FEDERAÇÃO DA AGRICULTURA DO ESTADO DE GOIÁS - FAEG . Goiânia, 6 de Julho de 2009. AMA BRASIL. SUMÁRIO. Introdução Mercado internacional Mercado brasileiro Sugestões. INTRODUÇÃO.

loader
I am the owner, or an agent authorized to act on behalf of the owner, of the copyrighted work described.
capcha
Download Presentation

PowerPoint Slideshow about ' SEMINÁRIO PERSPECTIVAS PARA O AGRONEGÓCIO FEDERAÇÃO DA AGRICULTURA DO ESTADO DE GOIÁS - FAEG ' - ronna


An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript
semin rio perspectivas para o agroneg cio federa o da agricultura do estado de goi s faeg

MERCADO DE FERTILIZANTES

  • GEORGE WAGNER BONIFÁCIO E SOUSA

SEMINÁRIO PERSPECTIVAS PARA O AGRONEGÓCIOFEDERAÇÃO DA AGRICULTURA DO ESTADO DE GOIÁS - FAEG

Goiânia, 6 de Julho de 2009

AMA BRASIL

sum rio
SUMÁRIO
  • Introdução
  • Mercado internacional
  • Mercado brasileiro
  • Sugestões
introdu o
INTRODUÇÃO

DADOS GERAIS DO

MERCADO DE FERTILIZANTES

os dez maiores problemas para a humanidade nos pr ximos 50 anos
OS DEZ MAIORES PROBLEMAS PARA A HUMANIDADE NOS PRÓXIMOS 50 ANOS

AGRICULTURA

Educação

Democracia

População

Doenças

Terrorismo e guerra

  • Energia
  • Água
  • Alimentos
  • Meio Ambiente
  • Pobreza

FONTE: ROBERTO RODRIGUES APUD ALAN G. MACDIARMID (2005).

APRESENTAÇÃO: TENDÊNCIAS DO AGRONEGÓCIO MUNDIAL. RIO DE JANEIRO/RJ, 04 DE FEVEREIRO DE 2009.

ALAN G. MACDIARMID RECEBEU PRÊMIO NOBEL DE QUÍMICA NO ANO 2000.

evolu o e proje o da popula o mundial rural e urbana 1960 a 2030
EVOLUÇÃO E PROJEÇÃO DA POPULAÇÃO MUNDIAL, RURAL E URBANA, 1960 A 2030

67%

60%

51%

33%

49%

40%

FONTE: ONU (THE 2006 REVISION AND WORLD URBANIZATION PROSPECTS).

evolu o e proje o da rea agricult vel per capita no mundo
EVOLUÇÃO E PROJEÇÃO DA ÁREA AGRICULTÁVEL PER CAPITA NO MUNDO

1,1

0,3

0,4

OBS.: Área agricultável total estimada em 3,23 bilhões de hectares.

FONTE: ONU E FAO.

disponibilidade de terras agricult veis no mundo
DISPONIBILIDADE DE TERRAS AGRICULTÁVEIS NO MUNDO

* ESTIMADO

FONTE: BANCO ING, 2007.

modelos agr colas contrastes e diferentes enfoques
MODELOS AGRÍCOLAS: CONTRASTES E DIFERENTES ENFOQUES

MUNDO

BRASIL

Atividade econômica

Tarifas e tributos:

A.F.R.M.M.: 25% sobre o valor do frete de produtos importados;

Alíquota de importação: 6% sobre preço;

I.C.M.S.: 8,4% ou 4,9% sobre operações interestaduais.

  • Segurança alimentar
  • Subsídios - US$ 360 bilhões:
    • E.U.A.: US$ 59 bilhões;
    • China: US$ 50 bilhões;
    • Índia: US$ 22 bilhões;
    • Indonésia: 85% do adubo
    • Bangladesh: 30% do adubo
    • Irã: 80% do adubo
mercado internacional
MERCADO INTERNACIONAL

FERTILIZANTES E AGRICULTURA

PERSPECTIVAS INTERNACIONAIS

evolu o dos pre os
EVOLUÇÃO DOS PREÇOS

URÉIA – (US$ / t-CFR)

JUNHO/08

US$ 680/ t

- 61%

JANEIRO/02

US$ 123/ t

JUNHO/09

US$ 267/ t

117%

Jun/09

FONTE: EMPRESAS DO SETOR – REVISTAS ESPECIALIZADAS – SECEX.

evolu o dos pre os1
EVOLUÇÃO DOS PREÇOS

SUPER TRIPLO – (US$ / t-CFR)

JUNHO/08

US$ 1.125/ t

- 79%

JANEIRO/02

US$ 151/ t

59%

JUNHO/09

US$ 240/ t

Jun/09

FONTE: EMPRESAS DO SETOR – REVISTAS ESPECIALIZADAS – SECEX.

evolu o dos pre os2
EVOLUÇÃO DOS PREÇOS

MAP – (US$ / t-CFR)

JUNHO/08

US$ 1.200 / t

- 75%

JANEIRO/02

US$ 160 / t

88%

JUNHO/09

US$ 300/ t

Jun/09

FONTE: EMPRESAS DO SETOR – REVISTAS ESPECIALIZADAS – SECEX.

evolu o dos pre os3
EVOLUÇÃO DOS PREÇOS

CLORETO DE POTÁSSIO – (US$ / t-CFR)

- 14%

JUNHO/08

US$ 850/ t

429%

JANEIRO/02

US$ 138/ t

JUNHO/09

US$ 730/ t

Jun/09

FONTE: EMPRESAS DO SETOR – REVISTAS ESPECIALIZADAS – SECEX.

produ o agr cola 1992 a 2008
PRODUÇÃO AGRÍCOLA, 1992 a 2008

244,1

60,7

40%

22,4

113%

141%

114,9

9,3

43,4

OBS.: Produção agrícola de 16 produtos: café, soja, laranja, cana-de-açúcar, cacau, fumo, algodão, amendoim, mamona, arroz, feijão, milho,

mandioca, batata, tomate e trigo.

FONTE: ANDA, CONAB E IBGE.

correla o de consumo de fertilizantes e produtividade agr cola 1992 a 2009
CORRELAÇÃO DE CONSUMO DE FERTILIZANTES E PRODUTIVIDADE AGRÍCOLA, 1992 a 2009

4,02

72%

0,369

52%

2,65

0,214

FONTE: ANDA, CONAB E IBGE.

entrega de fertilizantes ao consumidor final 2007 2008 janeiro a dezembro
ENTREGA DE FERTILIZANTES AO CONSUMIDOR FINAL, 2007/2008JANEIRO A DEZEMBRO

Mil toneladas

OBS.: Dados de Janeiro a Dezembro.

FONTE: ANDA. COMITÊ DE ESTATÍSTICAS.

entrega de fertilizantes ao consumidor final 2008 2009 janeiro a maio
ENTREGA DE FERTILIZANTES AO CONSUMIDOR FINAL, 2008/2009JANEIRO A MAIO

Mil toneladas

OBS.: Dados de Janeiro a Maio.

FONTE: ANDA. COMITÊ DE ESTATÍSTICAS.

entrega de fertilizantes ao consumidor final 2008 2009 janeiro a junho
ENTREGA DE FERTILIZANTES AO CONSUMIDOR FINAL, 2008/2009JANEIRO A JUNHO

Mil toneladas

OBS.: Dados de Janeiro a Junho. Dados de Junho são estimados.

FONTE: ANDA. COMITÊ DE ESTATÍSTICAS.

evolu o das entregas de fertilizantes
EVOLUÇÃO DAS ENTREGAS DE FERTILIZANTES

Participação:

1999 – 26% - 2008 – 30%

1999 – 9% - 2008 – 9%

MIL TONELADAS

FONTE: ANDA.

oferta de mat ria prima dom stica importada

(NUTRIENTES)

OFERTA DE MATÉRIA PRIMA DOMÉSTICA / IMPORTADA

10.611

Mil t de NPK

2.590

Mil t de N

3.658

Mil t de P2O5

4.363

Mil t de K2O

351 mil t

3.005 mil t

684 mil t

1.970 mil t

4.012 mil t

1.906 mil t

7.606 mil t

1.688 mil t

OBS.: Dados de Janeiro a Dezembro de 2008.

FONTE: ANDA.

entrega de fertilizantes por cultura 2008
ENTREGA DE FERTILIZANTES POR CULTURA, 2008

Entrega total de 22.429 mil toneladas

OBS.: Dados em mil toneladas.

FONTE: ANDA.

mercado brasileiro1
MERCADO BRASILEIRO

DEPENDÊNCIA EXTERNA

E

CONCENTRAÇÃO

depend ncia externa e concentra o ur ia 45
DEPENDÊNCIA EXTERNA E CONCENTRAÇÃOURÉIA (45%)

TOTAL EM 2008: 3.025,4 mil t

IMPORTADO 2.232,6 mil t (73%)

NACIONAL 792,8 mil t (27%)

945,5

693,9

71,9

74,8

177,5

162,7

106,3

OBS.: Comércio Via Traders.

FONTE: EXPORTADORES SIACESP.

depend ncia externa e concentra o tsp 46
DEPENDÊNCIA EXTERNA E CONCENTRAÇÃOTSP (46%)

TOTAL EM 2008: 1.753,6 mil t

IMPORTADO 993,8 mil t (56%)

NACIONAL 759,8 mil t (44%)

170,9

58,9

71,0

89,0

209,2

500,0

277,3

170,8

206,5

FONTE: EXPORTADORES SIACESP.

depend ncia externa e concentra o map 11 54
DEPENDÊNCIA EXTERNA E CONCENTRAÇÃOMAP (11% - 54%)

TOTAL EM 2008: 2.262 mil t

IMPORTADO 1.132,0 mil t (50%)

NACIONAL 1.130,3 mil t (50%)

(Phosagro

Ameropa)

44,1

142,5

339

403,3

268,1

791

274,0

(Phoschem/

Mosaic)

(MarocPhosphore)

FONTE: EXPORTADORES SIACESP.

depend ncia externa e concentra o cloreto pot ssio 60 k 2 o
DEPENDÊNCIA EXTERNA E CONCENTRAÇÃOCLORETO POTÁSSIO (60%) K2O

TOTAL EM 2008: 7.369,7 mil t

IMPORTADO 6.763,0 mil t (92%)

NACIONAL 606,7 mil t (8%)

(Kali)

143

741

1.956

890

606,7

2.235

798

FONTE: EXPORTADORES SIACESP.

mercado brasileiro2
MERCADO BRASILEIRO

RELAÇÕES DE TROCA

rela es de troca janeiro 2005 a maio 2009
RELAÇÕES DE TROCAJANEIRO 2005 A MAIO 2009

MÉDIA: 22 4425

69,40

54,40

45,39

46,07

34,65

24,85

20,75

33,17

21,18

OBS.: ADUBAÇÃO PARA:

SOJA - 02-20-18 (60%) e 00-20-20 (40%);

MILHO - 08-20-20 (70%), 30-00-20 (10%) e URÉIA (20%); e

CANA-DE-AÇÚCAR - 05-25-25 (20%), 18-00-27 (40%) e 20-00-30 (40%).

FONTE: ANDA.

mercado brasileiro3
MERCADO BRASILEIRO

PRINCIPAIS OBSERVAÇÕES

principais observa es
PRINCIPAIS OBSERVAÇÕES
  • Diferenças de enfoque na política agrícola. No mundo, outros países tratam a agricultura como segurança alimentar (subsídios) e no Brasil é tratado como mais uma atividade econômica (taxas e impostos). Apesar do agronegócio ser a mais importante atividade da economia brasileira:
    • 33% do PIB
    • 34% da mão-de-obra
    • Saldo da Balança Comercial do Agronegócio em 2008 de US$59,9 Bi (Saldo brasileiro de US$24,7 Bi)
principais observa es1
PRINCIPAIS OBSERVAÇÕES
  • Mercado globalizado e grande dependência de suprimento externo. O Brasil é vulnerável às condições de preço e suprimento internacionais.
  • Infra-estruturamulti-modal ineficiente – portos, rodovias (inclusive vicinais), ferrovias e armazéns. (Além de outros custos conhecidos, só com fertilizantes estima-se ter pago U$ 350 milhões em 2008 de demurrage e o agronegócio mais de 2 U$ bilhões).
principais observa es2
PRINCIPAIS OBSERVAÇÕES
  • Ausência significativa de seguros.
    • É segurada, no momento, no Brasil, uma área de 4,76 milhões de ha, sobre a área total colhida de 57,8 milhões de ha (menos de 10% e assim mesmo culturas muito específicas e de alto risco).
    • A importância segurada foi de R$ 7,2 bilhões de reais, enquanto o valor da produção – VBP - atinge R$ 187 bilhões de reais. Prêmio arrecadado de R$ 324,7 milhões e subsídio de R$ 157,5 milhões (0,09% do VBP).
principais observa es3
PRINCIPAIS OBSERVAÇÕES
  • Crédito falta para agricultura e para toda cadeia do agronegócio. Fertilizante não foge a regra. Crédito está praticamente fechado, no mundo todo, por causa da crise. Este é, no momento, o gargalo mais difícil sobre o qual devemos todos nos debruçar para encontrar uma saída viável.
slide41
DEMONSTRATIVO DE RESULTADOS 2007 E 2008CONSOLIDADO EMPRESAS DE FERTILIZANTES MARKET SHARE : 61% EM 2007 E 52% EM 2008

FONTE: CVM E JORNAIS.

sugest es1
SUGESTÕES
  • Alíquota de Importação – Solução definitiva para manter em zero as alíquotas de importação. Em janeiro de 2010 termina o acordo do Mercosul que permite importar com 6% de desconto os principais produtos. Não haverá mais esta permissão que se faz pela inclusãodestes insumos, em uma lista de exceção, que se renova semestralmente. Necessita-se medidas imediatas e definitivas sobre este fator relevante de custo.
  • AFRMM –Adicional de Frete para Renovação da Marinha Mercante - Suporte ao Projeto de Lei da Câmara e ou Emenda em Medida Provisória no Senado, para eliminar AFRMM em fertilizantes e outros insumos agrícolas. Esta proposta tem sido barrada sistematicamente.
  • ICMS – Tratamento Isonômico, para o produtor doméstico, com o similar importado, desde que não onere o agricultor. Permitir total aproveitamento dos créditos nas operações internas entre os Estados.
  • O ICMS tem se tornado um custo para o misturador e portanto para o agricultor.

Construção de um novo modelo para o agronegócio brasileiro que contemple entre outros:

  • Redefinição da política de impostos e taxas sobre fertilizantes
  • Criação imediata de mecanismos que permitam o seguro da atividade agrícola de forma ampla e posteriormente extensão destes mecanismos ao seguro de crédito.
  • Investimento indispensável à infra-estrutura – portos, rodovias (inclusive vicinais), ferrovias e armazéns.
semin rio perspectivas para o agroneg cio federa o da agricultura do estado de goi s faeg1

MERCADO DE FERTILIZANTES

  • GEORGE WAGNER BONIFÁCIO E SOUSA

SEMINÁRIO PERSPECTIVAS PARA O AGRONEGÓCIOFEDERAÇÃO DA AGRICULTURA DO ESTADO DE GOIÁS - FAEG

Goiânia, 6 de Julho de 2009

AMA BRASIL

ad