FLO International
Download
1 / 31

FLO International Fairtrade Labelling Organisations Comércio justo Cooperação: DED – GTZ – FLO no Nordeste do Brasil Kurt Damm; Aniceto Queiroz - PowerPoint PPT Presentation


  • 99 Views
  • Uploaded on
  • Presentation posted in: General

FLO International Fairtrade Labelling Organisations Comércio justo Cooperação: DED – GTZ – FLO no Nordeste do Brasil Kurt Damm; Aniceto Queiroz Baseado na apresentação de Beat Grueninger – BSD- 2008. Conteúdo. Porque comércio justo? Como funciona o sistema FLO ? Critérios da FLO

loader
I am the owner, or an agent authorized to act on behalf of the owner, of the copyrighted work described.
capcha

Download Presentation

FLO International Fairtrade Labelling Organisations Comércio justo Cooperação: DED – GTZ – FLO no Nordeste do Brasil Kurt Damm; Aniceto Queiroz

An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Presentation Transcript


FLO International

Fairtrade Labelling Organisations

Comércio justo

Cooperação: DED – GTZ – FLO

no Nordeste do Brasil

Kurt Damm; Aniceto Queiroz

Baseado na apresentação de Beat Grueninger– BSD-

2008


Conteúdo

  • Porque comércio justo?

  • Comofunciona o sistema FLO?

  • Critérios da FLO

  • Impacto do selo internacional do CJ

  • FLO no Brasil


1. Porque Comércio Justo?


  • Quanto deve custar um banana?Por que uma banana da América Latina custa menos, do que uma maça do próprio quintal europeu?


Conceito geral de Comércio Justo

“De um lado é uma forma de comprar bananas fresquinhas, com um ótimo sabor, chá, café e chocolate. Do outro lado, é a maneira de ter certeza que produtores do terceiro mundo consigam um preço justo para os seus produtos.”


“Quem trabalha tem direito

a uma remuneração eqüitativa e satisfatória,

que lhe permita e à sua família

uma existência conforme com a dignidade humana”

Declaração Universal dos Direitos Humanos artigo 23-3


Proposta de FLO

  • - Preço mínimo

  • - Premio

  • - Pré - financiamento

  • - Compromisso a médio e longo prazo


Preço mínimo de café Fairtrade


Preço: Garantia de mais valor para produtores


Fairtrade:Uma alternativa de comercio viável!

  •  Para produtores

    • Um comércio mais justo no mercado globalizado

    • Uma ferramenta efetiva para o desenvolvimento autônomo através do comércio

  •  Para consumidores

    • Uma seleção diferenciada no ato da compra

    • Uma contribuição para consumo consciente


  • 2. Como funciona o sistema FLO?


    FLO e.v.

    Iniciativa Nacional

    Definiçao doscritérios

    Licença

    Controle

    Marketing

    Sensibilização

    Apoio

    Informação

    Facilitação de Negócios

    Preço - Premio

    Produto

    Organização

    Produtora

    Trader

    (Exp. / Imp.)

    Licenciado

    Consumidor

    Inspeção

    Critérios FLO

    Auditoria Comercial

    Critérios Comerciais

    Credibilidade

    FLO Cert.


    FLO cert.

    Fiscalisacao

    Associação dos produtores

    preço

    minimo

    premio

    10 cts

    Selo

    5 cts

    Consumidores:

    pagam prêmio de

    USD 0.15/kg

    Certificador:

    FLO e.v.; Initiativa nacional


    • FLO Cert.Funções

    • Segue a norma ISO 65 para órgãos de certificação

    • Funções

    • Inspeção dos produtores

    • conformidade com critérios FT

      - prêmio usado para o desenvolvimento econômico e social

    • decisão de certificação : sistema dinâmico

    • Auditoria dos comerciantes

    • cruzar dados relatados de vendas e compras

    • conformidade com os critérios comerciais FT


    Funções das iniciativas nacionais

    Objetivo: desenvolver as vendas

    Produtores

    Traders negociantes

    fabricantes

    distribuidores

    consumidores

    Convencer os parceiros econômicos

    da cadeia do comércio justo


    3. Critériosda FLO


    Critérios para produtores:

    • Desenvolvimento social: Membros são Pequenos Produtores Democracia, participação, transparência, não discriminação

    • Desenvolvimento econômico: capacidade para exportar, consolidação da situação econômica da organização

    • Proteção do meio ambiente

    • Condições de trabalho: Trabalho Forçado e Trabalho Infantil não deve existir; Liberdade Sindical & Negociação Coletiva, Saúde e Segurança Ocupacional

    Produção

    Familiar

    Trabalho Contratado

    Critérios Genéricos

    Critérios Específicos

    Requisitos Mínimos

    Requisitos de Progresso


    Café

    Bananas

    Suco de Frutas

    Frutas frescas e desidratadas

    Verduras

    Açúcar

    Chá

    Cacau

    Mel

    Arroz

    Quínoa

    Flores

    Bolas de futebol

    Castanhas

    Temperos

    Algodão

    Vinho, cerveja

    Critérios específicos existentes no sistema FLO

    Em desenvolvimento:

    Óleos, artesanato, soja, pescaria...


    Critérios Genéricos

    • Requerimentos mínimos, que todas as organizações devem cumprir a partir do momento em que se juntam ao Comércio Justo

    • Requerimentos de progresso, que as organizações de produtores devem mostrar melhoria permanente e desenvolver um plano de trabalho


    4. Impacto do selo internacional do Comércio Justo


    O comércio justo (FAIRTRADE):

    Duas dinâmicas complementares

    O selo internacional

    Colaborar com os atores econômicos tradicionais

    • 21 paises consumidores

    • 1 milhão de famílias de produtores

    • 508 organizações de 50 paises

    As lojas especializadas

    Criar uma alternativa ao comércio tradicional

    • 3 000 lojas em Europa

    Valor dos produtos com selo do CJ (M€)


    FLO: federação de associações presentes em 21 paises

    Prévisions

    Criadas desde 1988

    1 logotipointernacional et 3 nomes :

    Max Havelaar/Fairtrade/Transfair


    Impacto

    Um selo para um milhão de produtores e trabalhadores de 51 paises

    508 organizações de produtores

    50 paises

    Produtores

    20 iniciativas nacionais

    21 paises

    Mercado


    As dimensões do FT: mercado certificado vs. não-certificado

    FLO 80%

    • Bananas

    • Café

    • Sucos

    • Cacao

    • Frutas

    Europa

    Outros 20% (artesanato)

    FLO70%

    Café

    Estados Unidos e Canadá

    Artesanato

    Outros 30%


    1997-2005: Evolução das vendas(toneladas)

    Impacto


    Impacto

    2004 unidade 2005 Crescimento %

    Café 24,222t 33,992 +40%

    Chá 1,965 t 2,614 +33%

    Banana 80,641 t 103,877 +29%

    Cacau 4,201t 5,657 +35%

    Açúcar 1,960t 3,613 +84%

    Mel 1,239t 1,331 +7%

    Sucos 4,543 4,856 +7%

    Arroz 1,384t 1,706 +23%

    Frutas 5,156t 8,289 +61%

    Flores 101,610,850un. 113,535,910 +12%

    Algodão -t 1,402 --

    Cerveja 62,934 lit. 123,758 +97%

    Futebol55,219un. 64,144+16%

    Volumes vendidos (MT)Vendas totais 2005:1,151 Mio Euro (+37%)


    4. FLO no Brazil


    Vários termos são utilizados:

    • Para descrever o movimento existem várias traduções:

      • Comércio justo;

      • Comércio ético;

      • Comércio solidário;

      • Comércio ético e solidário.

    • Nós traduzimos aqui o “Fair Trade”, como “comércio justo”, referindo-se à um sistema internacional com critérios definidos, e distinguindo de outros conceitos como por exemplo “economia solidária”.


    Brasil


    Produtores certificados no Brasil: 19, com um total de mais de 8500 produtores e trabalhadores


    www.fairtrade.net

    Kurt Damm; Aniceto Queiroz

    Comerciojusto_juazeiro@yahoo.com.br

    Tel 074-3611.6476


    ad
  • Login