pr ecl mpsia grave e associa o com trombofilias heredit rias e anticorpos antifosfol pides
Download
Skip this Video
Download Presentation
Pré-eclâmpsia grave e associação com trombofilias hereditárias e anticorpos antifosfolípides

Loading in 2 Seconds...

play fullscreen
1 / 29

Pré-eclâmpsia grave e associação com trombofilias hereditárias e anticorpos antifosfolípides - PowerPoint PPT Presentation


  • 110 Views
  • Uploaded on

Universidade Federal de Mato Grosso do Sul Faculdade de Medicina - FAMED Departamento de Gineco-Obstetrícia. Pré-eclâmpsia grave e associação com trombofilias hereditárias e anticorpos antifosfolípides. Ernesto Antonio Figueiró-Filho. Pré-eclâmpsia. Tríade de sinais – 20 semanas:

loader
I am the owner, or an agent authorized to act on behalf of the owner, of the copyrighted work described.
capcha
Download Presentation

PowerPoint Slideshow about ' Pré-eclâmpsia grave e associação com trombofilias hereditárias e anticorpos antifosfolípides' - pilar


An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript
pr ecl mpsia grave e associa o com trombofilias heredit rias e anticorpos antifosfol pides

Universidade Federal de Mato Grosso do Sul

Faculdade de Medicina - FAMED

Departamento de Gineco-Obstetrícia

Pré-eclâmpsia grave e associação com trombofilias hereditárias e anticorpos antifosfolípides

Ernesto Antonio Figueiró-Filho

pr ecl mpsia
Pré-eclâmpsia
  • Tríade de sinais – 20 semanas:
  • Hipertensão arterial;
  • Edema;
  • Proteinúria;
  • Acomete 2-7% da população obstétrica;
  • Importante causa de morbidade e mortalidade perinatal;

(Pabinger, 2009; Kahn et al., 2009; Facchinetti et al., 2009)

pr ecl mpsia1
Pré-eclâmpsia
  • Fatores de risco
  • Primiparidade;
  • Multiparidade
  • Histórico familiar ou pessoal de pré-eclâmpsia;
  • Alto IMC;
  • Tabagismo;
  • Hipertensão arterial crônica;
  • Diabetes;
  • Trombofilias;
  • SAAF.

(Pabinger, 2009; Kahn et al., 2009; Facchinetti et al., 2009)

trombofilias
Trombofilias
  • Responsável por diversas complicações obstétricas (TEV, abortos de repetição e óbitos fetais)

(Pabinger, 2009)

  • Pré-eclâmpisa e/ou Síndrome HELLP – 1996;

(Brenner et al., 1996; Dizon-Townson, et al., 1996)

trombofilias heredit rias
Trombofilias Hereditárias
  • Deficiências no fatores de coagulação:
  • Antitrombina;
  • ProteínaC;
  • Proteína S;
  • Anormalidades nos fatores pró-coagulantes;
  • Mutações genéticas:
  • Fator V Leiden;
  • Gene G20210A da protrombina
  • Gene C677T da enzima MTHFR;

(Kahn et al., 2009; Dusse et al., 2007; De Santis et al., 2006; Robertson et al., 2006)

anticorpos antifosfol pides
Anticorpos antifosfolípides
  • Principais:
  • Anticorpo anticardiolipina;
  • Anticoagulante lúpico;
  • Hiperhomocisteinemia;
  • Resitência a Proteína C ativada

Derivados de fatores hereditários e adquiridos;

(Robertson et al., 2006; Walker et al., 2001)

mecanismos fisiopatol gicos
Mecanismos Fisiopatológicos
  • Interferência com a diferenciação do trofoblasto;
  • Placentação inadequada;
  • Trombose vascular;

Consequências:

  • Redução da perfusão placentária;
  • Estresse oxidativo;
  • Disfunção endotelial materna;

(Kahn et al., 2009; Facchinetti et al., 2009)

khan et al 2009
Khan et al., 2009.

113 pacientes com pré-eclâmpsia;

443 pacientes controles

Não encontrou evidências de que trombofilias hereditárias aumentem o risco para pré-eclâmpsia.

pabinger 2009
Pabinger, 2009.

109 gestantes com pré-eclâmpsia leve;

134 gestantes com pré-eclâmpsia grave;

57 gestantes com HELLP síndrome;

100 gestantes controles (normotensas)

Os níveis plasmáticos de anticorpo anticardiolipina e anti-β2 Glicoproteína I não estiveram aumentados nas pacientes com pré-eclâmpsia leve, grave e HELLP síndrome, quando comparadas a gestantes controle.

dusse et al 2007
Dusseet al., 2007.

Mulheres Brasileiras;

30 pacientes com pré-eclâmpsia severa – Grupo de estudo;

83 pacientes normais – Grupo de controle;

Sem relação entre mutações no gene do Fator V Leiden, gene da protrombina e metilenotetrahidrofolatoredutase, e a ocorrência de pré-eclâmpsia grave;

kupferminc et al 2000
Kupfermincet al., 2000

63 gestantes com pré-eclâmpsia severa;

126 gestantes controles

Sugere-se a investigação de rotina para trombofilias devido à altas taxas de trombofilias hereditárias;

facchineti et al 2009
Facchinetiet al., 2009.

172 mulheres com pré-eclâmpsia em gestação anterior e gestação atual;

É aconselhável a pesquisa de trombofilias em pacientes com histórico de pré-eclâmpsia grave anterior;

robertson et al 2006
Robertsonet al., 2006.

Metanálise;

25 estudos;

11183 gestantes com pré-eclâmpsia

pesquisa conduzida hu famed ufms

Pesquisa conduzida HU-FAMED-UFMS

Figueiró-Filho et al., 2010 in press

exames realizados
Exames Realizados
  • Pesquisa de anticorpos antifosfolípide;
    • Anticorpo anticardiolipina IgM e IgG;
    • Anticoagulante lúpico;
    • Anti-2 Glicoproteína I;
  • Pesquisa de trombofilias;
    • Dosagem total de Proteína C;
    • Dosagem total de Proteína S;
    • Dosagem total de Antitrombina;
    • Dosagem total de Homocisteína plasmática;
    • Pesquisa de Mutação no Fator V Leiden;
grupos
Grupos

30 pacientes gestantes com pré-eclâmpsia grave em gestação anterior;

30 pacientes com gestação de baixo risco e nenhuma patologia associada;

slide22

Associação entre trombofilias hereditárias e/ou presença de anticorpos antifosfolípides em grávidas normais e com história de pré-eclâmpsia grave em gestação anterior.

  • Teste Qui-Quadrado com correção de Yates: p=0,00003
        • RR: 3,00 (1,83<RR<4,92)
slide23
Associação entre presença de anticorpos antifosfolípides em grávidas normais e com história de pré-eclâmpsia grave em gestação anterior.
  • Teste Qui-Quadrado com correção de Yates: p=0,001
          • RR: 2,50 (1,78 <RR< 3,51)
slide24
Associação entre trombofilias hereditárias em grávidas normais e com história de pré-eclâmpsia grave em gestação anterior.
  • Teste Qui-Quadrado com correção de Yates: p=0,002
  • RR: 2,29 (1,50<RR<3,51)
slide26

Frequencia de trombofilias hereditárias e presença de anticorpos antifosfolípides identificadas de forma isolada em gestantes normais e com história de pré-eclâmpsia grave em gestação anterior.

Grupo PE

Grupo CO

n

%

n

%

0

0

5

0

0

2

1

3

0

0

11/30

-

-

16,7

-

-

6,6

3,3

10,0

-

-

36,7

0

0

0

0

0

1

1

0

0

0

2/30

-

-

-

-

-

3,3

3,3

-

-

-

6,6

aCLIgM

aCLIgG

AL

Anti-β2 GPI

Deficiência de PC

Deficiência de PS

Deficiência de AT

Hipermocisteinemia

Fator V Leiden

heterozigoto

homozigoto

Total

slide27

Frequencia de trombofilias hereditárias e presença de anticorpos antifosfolípides identificadas em conjunto em gestantes normais e com história de pré-eclâmpsia grave em gestação anterior.

Grupo PE

Grupo CO

n

%

n

%

aCLIgG+ Deficiência AT

AL + Deficiência PS

+ Deficiência AT

+ Hiperhomocisteinemia

Anti-β2 GPI + Hiperhomocisteinemia

Deficiência PC + Deficiência PS

Deficiência PS + Deficiência AT

Total

1

1

1

1

1

1

1

7/30

3,3

3,3

3,3

3,3

3,3

3,3

3,3

23,3

0

0

0

0

0

0

0

0/30

-

-

-

-

-

-

-

-

slide29

43º Congresso de Ginecologia e Obstetrícia do

Distrito Federal

4º Congresso Internacional de Ginecologia e

Obstetrícia do Distrito Federal

21º Congresso de Ginecologia e Obstetrícia

do Brasil Central da FEBRASGO

Evento Cadastrado

no CNA para pontuação.

1º Congresso de Ultrassonografia em

Ginecologia e Obstetrícia da FEBRASGO

22 a 24 de setembro de 2010

Centro de Convenções Ulysses Guimarães

Brasília - DF

Informações e Inscrições online: www.sgob.com.br

(61) 3245-3681 / 3245-4530 [email protected]

ad