Vida esp rita
This presentation is the property of its rightful owner.
Sponsored Links
1 / 12

Vida Espírita PowerPoint PPT Presentation


  • 95 Views
  • Uploaded on
  • Presentation posted in: General

Vida Espírita. Capítulo 6 L.E. Espíritos Errantes. Latim= vagar, andar, marchar para uma aventura. Estado variável em tempo e grau. Variável em desejo de progresso ou persistência no erro. Nunca perpétuo. Na erraticidade: puros , impuros, encarnados em desdobramento.

Download Presentation

Vida Espírita

An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Presentation Transcript


Vida esp rita

Vida Espírita

Capítulo 6 L.E.


Esp ritos errantes

Espíritos Errantes

  • Latim= vagar, andar, marchar para uma aventura.

  • Estado variável em tempo e grau.

  • Variável em desejo de progresso ou persistência no erro.

  • Nunca perpétuo.

  • Na erraticidade: puros , impuros, encarnados em desdobramento.

  • Progredir para praticar na existência corporal.


Mundos transit rios

Mundos transitórios

  • Acampamentos e campos de repouso.

  • Objetivo: instrução e ascensão.

  • Ex. Calpa II Cte. Armond. Jupiter e Marte.

  • Posição temporária, sem necessidades.

  • Vida em toda a parte.


Vida esp rita

Percepções , Sensações e Sofrimento dos Espíritos

  • Espírito conserva as percepções e adquire outras que o c. f. obliterava.

  • Conhecimento e compreensão é proporcional a elevação do espírito. Mais ou menos perfeito.

  • Ex. tempo, futuro,presença Divina,outros espíritos, e visão de Deus, transporte, pensamento, visão do mundo.

  • Percepções são atributos dos espíritos de seu ser, que percebe pelo perispírito

  • São sensíveis a música e belezas naturais.


Continua o

continuação

Sofrimento= diferente = moral, remorso,

  • angustia da omissão.

  • Fadiga= em razão da inferioridade.

  • Impressões de frio ou calor e dores físicas de que não se livraram.


Ensaio te rico sobre sensa o nos esp ritos

Ensaio teórico sobre sensação nos espíritos

  • Percepção da dor é um efeito, um vago sentimento íntimo, uma lembrança as vazes penosa.

  • Ex. membro amputado.

  • Perispírito= princípio da vida orgânica.

  • Espírito= princípio da vida intelectual, moral e emocional.

  • Destruído o corpo as sensações ficam generalizadas.

  • Libertação: mais ou menos lenta...é a visão do que ocorre

  • Percepções comuns: visão, audição,sensações.

  • Extensão das percepções, futuro, passado depende da elevação do espírito.

  • Sofrimentos resultam dos laços que ainda existem entre espírito e matéria e quanto mais se liberta da influência da matéria mais se desmaterializa e sofre menos as sensações penosas.


Escolha das provas

Escolha das provas

  • Espírito pode escolher o gênero das provas = Livre arbítrio, força das coisas. Deus e Lei.

  • Características de encarnações: prudência, persistência, suportar as dificuldades não necessariamente todas as tentações

  • Desenvolvimento do Livre Arbítrio confere escolhas e responsabilidade

  • Escolha das provas= natureza do aprendizado, simpatia e pendor espiritual.

  • Arrependimento na escolha? Superior às forças ou sem proveito.

  • Limites nas escolhas=superior ou inferior causa desajuste inadaptação.


Rela es al m t mulo

Relações além túmulo

  • Obedecem a hierarquia espiritual.

  • Espíritos de categorias iguais reúnem-se por afinidade. Simpatia ou aversão.

  • Tarefas são proporcionais a elevação...bons, missões.inferiores, as mas tendências

  • Comunicam-se pelo F.C. Via pensamento.

  • Distinguem pelo perispírito.

  • Reencontro com familiares, depende da sua elevação.


Rela es simp ticas e antip ticas

Relações simpáticas e antipáticas

  • Afinidade e amor une-os.

  • Relações de ódio e aversão em esp. Impuros.

  • Perdão?

  • Ressentimento?

  • Afeição?

  • União fatal não existe.Almas gêmeas, não.

  • Afinidade , pensamentos, sentimentos unem os espíritos.


Lembran a da exist ncia corporal

Lembrança da existência corporal

  • Recorda-se pouco a pouco., devido as conseqüências que lhe ocorreram.

  • Compreende a necessidade de purificar-se, e a finalidade da vida.

  • Lembranças de vidas passadas que facilitem sua evolução. Felicidade e desdita.

    Reconhece seus objetos seus ossos quando da importância a eles .

    Lembra dos prazeres e trabalhos não finalizados.

    Missionários: influênciam o progresso da terra.


Lembran as da exist ncia corporal

Lembranças da existência corporal

  • Visam :de as interesse e atenção.

  • Lembra-se : fatos mais marcantes , aqueles ainda ligados a si ,os que mais quiser lembrar,

  • As minúcias que os marcaram,e aqueles com esperança de reparação.

  • Esquecimento do passado é benção, porque não pode e não deve saber tudo( orgulho e humilhação).

  • Passado surge nas tendências instintivas, compulsivas, ilusões, emoções, imaginação e sonhos

  • A cada existência distinguirá melhor o bem do mal..


Comemora o dos mortos funerais

Comemoração dos MortosFunerais

  • Sensibilizados pelo apelo do pensamento

  • .Somente a prece santifica o ato de lembrar.

  • Homenagens e monumentos sensibilizam, aos mais imperfeitos.

  • Assiste freqüentemente seu velório e enterro.

  • Local dos despojos são motivo de satisfação e inferioridade moral.

  • Reunião de herdeiros causa decepção e tristeza.


  • Login