Crime preterdoloso
Download
1 / 5

CRIME PRETERDOLOSO - PowerPoint PPT Presentation


  • 310 Views
  • Uploaded on

CRIME PRETERDOLOSO. Conceito. “É uma das quatro espécies de crime qualificado pelo resultado” Fernando Capez. Crime qualificado pelo resultado.

loader
I am the owner, or an agent authorized to act on behalf of the owner, of the copyrighted work described.
capcha
Download Presentation

PowerPoint Slideshow about 'CRIME PRETERDOLOSO' - pascal


An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript

Conceito l.jpg
Conceito

“É uma das quatro espécies de crime qualificado pelo resultado” Fernando Capez


Crime qualificado pelo resultado l.jpg
Crime qualificado pelo resultado

“É aquele em que o legislador, após descrever uma conduta típica, com todos os seus elementos, acrescenta-lhe um resultado, cuja ocorrência acarreta um agravamento da sanção penal”. Fernando Capez.

Prática de um crime completo (fato antecedente) + produção de um resultado agravador (fato conseqüente);


Esp cies de crimes qualificados pelo resultado l.jpg
Espécies de crimes qualificados pelo resultado

  • Dolo no antecedente e dolo no conseqüente;

  • Culpa no antecedente e culpa no conseqüente;

  • Culpa no antecedente e dolo no conseqüente;

  • Dolo no antecedente e culpa no conseqüente (crime preterdoloso ou preterintencional);


Nexo ente a conduta e o resultado agravador l.jpg
Nexo ente a conduta e o resultado agravador

Não basta a existência do nexo causal entre a conduta e o resultado, pois, sem o nexo normativo, o agente não responde pelo excesso não querido. Se o resultado não puder ser atribuído ao agente, ao menos culposamente, não lhe será imputado (CP, art. 19);


ad