Orat ria
This presentation is the property of its rightful owner.
Sponsored Links
1 / 28

Oratória PowerPoint PPT Presentation


  • 78 Views
  • Uploaded on
  • Presentation posted in: General

Oratória. Quando falares, procura que as tuas palavras sejam melhores que o teu silêncio. (Provérbio Indiano). O Ritmo A voz A respiração A dicção Velocidade da fala Intensidade da voz O vocabulário ideal Expressão corporal Comunicação do semblante Entusiasmo Comunicação Visual

Download Presentation

Oratória

An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Presentation Transcript


Orat ria

Oratória

Quando falares, procura que as tuas palavras sejam melhores que o teu silêncio.

(Provérbio Indiano)


Ndice

O Ritmo

A voz

A respiração

A dicção

Velocidade da fala

Intensidade da voz

O vocabulário ideal

Expressão corporal

Comunicação do semblante

Entusiasmo

Comunicação Visual

Não adquira vícios

ÍNDICE


O ritmo

O Ritmo é a musicalidadedafala, é a colocaçãomaisoumenosprolongada das vogais, a pronúnciacorreta das palavras, levandoemconta a suaacentuação, a alternânciadaalturadavoz e davelocidadequeimprimimosàsfrases, oraalta, ora normal, orabaixa; rápidaemcertosmomentos, lentaemoutros,fazendo com queesteconjuntomelodiosoinflua no espírito, e navontadedaplatéia.

O RITMO


A voz

A vozdetermina a própriapersonalidade de quemfala. Se estamosalegres, tristes, apressados, seguros etc.,a primeiraidentificaçãodestescomportamentos é transmitidapelavoz. Porqueseráque a vozreflete com tantanitidez o que se passa no interior das pessoas?

A VOZ


Respira o

O primeirocuidadoque se devetomarparaque a vozadquira a qualidadedesejada é respirarcorretamente.Existenormalmentefalta de sincronismofono-respiratório, o queprejudicasensivelmente a fabricaçãodavozmaisadequada. Algumaspessoasfalamquandoaindaestãoinspirandooucontinuam a falarquando o arpraticamentejáterminou.

RESPIRAÇÃO


A dic o 1

É a pronúncia do sons das palavras, notamosque a suadeficiência é quasesempreprovocadaporproblemas de negligência. É costume quasegeneralizadoomitiros“r”e os“s”finais, como, porexemplo: “levá”, no lugar de levar, “trazê” no lugar de trazer, “fizemo” no lugar de fizermos, damesma forma que se omitemcomumenteos“is” intermediários: “janero” emlugar de janeiro, ...

A DICÇÃO - 1


Dic o 2

Outroserros de dicçãoprovocadospelanegligênciasão a troca do “u”pelo“l” e omissões de sílabas; “Brasiu”no lugar de Brasil, “pcisa” no lugar de precisa etc.

DICÇÃO - 2


Dic o 3

Certosvícios de linguagemoualteraçõesfonéticasprovocamerrosnapronúncia das palavrascomo:

Hipértese – é a transposição de som de umasílabaparaoutradamesmapalavra: trigue(tigre), drento(dentro), e da

Metátese– é a transposição de somdentro de umamesmasílaba: troce(torce), proque(porque).

DICÇÃO - 3


Dic o 4

Rotacismo– É a troca do “l”por“r”; crássico(clássico), Cráudio(Cláudio).

Lambdacismo – É a troca do “r” pelo“l”; talde(tarde), folte(forte).

Um exercícioútilparamelhorar a dicção é fazerleituraemvozalta, colocandoobstáculosnabocacomo o lápis, o dedoouqualqueroutroquepossadificultar a pronúncia das palavrasdurante o treinamento.

DICÇÃO - 4


Velocidade

Outradúvidaque surge com freqüência é quanto à velocidadecorreta a ser empregadanafala:

1 – Rápida

2 – Muitorápida

3 – Lenta

4 – Muitolenta

Cadaorador e cadaassuntoterãosuavelocidadeprópria, dependerãodacapacidade de respiração, daemoção, daclarezadapronúncia e damensagemtransmitida.

VELOCIDADE


Velocidade 2

Alguémdizendo:

Passourápidocomo a luz,

É evidenteque a velocidadeserámaiorque a normal.

Dizendoentretanto:

Desceu lentamente como as sombrasdanoite,

É clarotambémque a pronúncia das palavras se dará com velocidademaislenta.

VELOCIDADE - 2


Intensidade da voz

É precisotambémexercitar e vigiar a intensidadedavoz.Nãopoderemosfalaraosberrospara um pequenoauditório, nemaossussurrosparaumamultidão.

INTENSIDADE DA VOZ


O vocabul rio ideal 1

O vocabulário ideal é aqueleque se adapta a qualquerauditório. Embora simples, traduz as idéiasclaramente, semdivagações. Lembremo-nossempre, entretanto, quepalavras simples nãosãopalavrassemconsistência. O conceito de simples restringe-se à clareza das idéiase à compreensão dos ouvintes.

“O VOCABULÁRIO IDEAL” - 1


O vocabul rio ideal 2

Dê um colorido à sua voz!

Uma palestra tem como característica o fato de ser, em essência, um monólogo, ainda que o conferencista utilize recursos variados, incluindo a participação da platéia. Por isso, durante a exposição, alterne a entonação e a velocidade da voz, ora falando mais alto, ora sussurrando; ora discorrendo pausadamente, ora acelerando as frases.

“O VOCABULÁRIO IDEAL” - 2


Vocabul rio ideal 3 cuidado com o vocabul rio

A linguagemutilizadanacomunicaçãodeveestaralinhadaaoperfil dos participantes. Assim, jargãoprofissional e termostécnicospodem ser utilizados com seus pares, massãoinadequadosparaumaaudiênciaheterogênea. Além disso, tenhaatenção especialemrelaçãoàsregrasgramaticais, conjugação de verbos, concordância, coesão e coerência textual.

“VOCABULÁRIO IDEAL” – 3Cuidado com o vocabulário!


O vocabul rio ideal 4 capriche no encerramento

Umamensagempoderosa e consistenteaotérmino de suaapresentação, poderáganhar a simpatia dos ouvintes, inclusive daquelesqueestiveramreticentesaolongo de toda a explanação. É sugeridofinalizar as palestras:

1 – declamando um poema;

2 – contantoumapassagemprofissional;

3 – contandoumahistóriailustrativa;

O VOCABULÁRIO IDEAL - 4CAPRICHE NO ENCERRAMENTO!


Express o corporal 1

Todo o nossocorpofalaquandonósestamoscomunicando. A posição dos pés e das pernas, o movimento do tronco, dos braços, das mãos e dos dedos, a postura dos ombros, o balançodacabeça, as contrações do semblante e a expressão do olhar, cadagestopossui um significadopróprio, encerraemsiumamensagem.

EXPRESSÃO CORPORAL - 1


Express o corporal 2 a naturalidade do gesto

Recomendamossemprenãofalar:

1 – com osbraçosnascostas;

2 – com osbraçoscruzados;

3 – braçosapoiadosconstantementesobrea mesa outribuna;

4 – indicandoarrogânciaouprepotência;

EXPRESSÃO CORPORAL - 2“ A NATURALIDADE DO GESTO”


Express o corporal 3 use a express o corporal

O Estudoindicaque no processo de comunicação, somente:

1 – 7% do impactodamensagemdecorre de seuconteúdo;

2 – 38% dacomunicação verbal (intensidade e velocidadedavoz);

3 – 55% dalinguagemnão-verbal (gestos, postura, contato visual).

OBS: O sucessodacomunicaçãointerpessoalnãoestánaquiloquevocêdiz, masemcomodiz.

EXPRESSÃO CORPORAL - 3Use a expressão corporal


Express o corporal 4

5 – não se apresentar com a postura do corpoindicandoexcesso de humildade, curvadaparafrente;

6 – levando as mãosaos: olhos, cabelos, nariz, bigode, bolsodacamisa, botõesdacamisa, orelhas, zíperdacalça, óculos etc;

7 – Com a cabeçalevantadaolhandoporcima do auditório.

EXPRESSÃO CORPORAL - 4


Comunica o do semblante 1

Cadasentimentopossuiformasdiferentespara ser apresentadopelosemblante. O queixo, a boca, as faces, o nariz, osolhos, a sobrancelha e a testatrabalhamisoladamente, ouemconjunto, parademonstraridéias e sentimentostransmitidospelaspalavras e muitasvezessem a existênciadelas.

COMUNICAÇÃO DO SEMBLANTE - 1


Comunica o do semblante 2

O semblantetrabalhatambémcomoindicador de coerência e de sinceridadedas palavras. Se falamos de um assuntoquedeveriaprovocartristeza, nãopodemosdemonstrarumafisionomiaalegre e indiferente. Seria o mesmoqueassinar um atestado de falsidade.

COMUNICAÇÃO DO SEMBLANTE - 2


Entusiasmo

Quem se apresentar com o comportamentofrio, insensível, apático, inalterado, provocará o desinteresse dos ouvintes, porqueelemesmoparecerádesinteressadoporaquiloquefala.

O entusiasmo é umaespécie de combustíveldaExpressão Verbal.

ENTUSIASMO


Comunica o visual

COMUNICAÇÃO VISUAL

De todo o semblante, osolhospossuemimportânciamaisevidenciadapara o sucessodaExpressão Verbal.Através dos olhospoderemosobter o retornodamensagemquecolocamospara o auditório. Verificamos com osolhos o comportamentodaplatéia, se todosestãointeressadosnasnossasinformações, se estãoentendendoo quedizemos, se concordam com as nossasafirmações, se apresentamresistência a determinadasidéias.


N o adquira v cios

NÃO ADQUIRA VÍCIOS

1 –Botões do paletó;

2 –bolsos;

3 –lápis;

4 –folha de papel;

5 –livro;

6 –fio do microfone;

Nãopoderãooferecer-lhesegurança. Jáobservouquantosoradoresprocuramacalmar-se, mexendonosbotões do paletóoucolocando as mãosnosbolsos?


Sugest es finais revisando

SUGESTÕES FINAISREVISANDO...

1 – Domine o tema;

2 – Conheça os seus ouvintes;

3 – Conheça o espaço físico;

4 – Cuidado com piadas e desculpas;

5 – Pronuncie bem as palavras;

6 – Cultive o bom humor;

7 – Planeje o discurso;

8 – Capriche no encerramento.


Evite g rias

EVITE GÍRIAS

  • Pô!

  • Peraí!

  • Falô!

  • Tá legal!

  • Tudo em cima!

  • Tipo!

  • Tá limpo!

  • Sem chance!

  • Oi, cara! Tudo Jóia! Tchau, Tchau!


O mais importante aproveitar todas as oportunidades pratique sempre

O mais importante é aproveitar todas as oportunidades!Pratique sempre!!!


  • Login