Auditoria nas unidades de terapia renal substitutiva trs
This presentation is the property of its rightful owner.
Sponsored Links
1 / 42

Auditoria nas unidades de Terapia Renal Substitutiva – TRS PowerPoint PPT Presentation


  • 52 Views
  • Uploaded on
  • Presentation posted in: General

Auditoria nas unidades de Terapia Renal Substitutiva – TRS Coordenadoria de Regiões de Saúde - CRS Grupo Normativo de Auditoria e Controle de Saúde – GNACS Novembro - 2007. Metodologia. Verificação dos registros no CNES; Aplicação de questionário de pesquisa de satisfação dos pacientes;

Download Presentation

Auditoria nas unidades de Terapia Renal Substitutiva – TRS

An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Presentation Transcript


Auditoria nas unidades de terapia renal substitutiva trs

Auditoria nas unidades de

Terapia Renal Substitutiva – TRS

Coordenadoria de Regiões de Saúde - CRSGrupo Normativo de Auditoria e Controle de Saúde – GNACS

Novembro - 2007


Metodologia

Metodologia

  • Verificação dos registros no CNES;

  • Aplicação de questionário de pesquisa de satisfação dos pacientes;

  • Verificação de no mínimo 20 prontuários por amostragem de escolha aleatória por serviço, devendo ser no mínimo 7 prontuários por turno de funcionamento;

  • Análise da produção do período de janeiro a dezembro de 2006;

  • Verificação das instalações físicas, quadro de recursos humanos, existência de manuais e rotinas de funcionamento e atendimento e responsabilidade técnica;


Metodologia1

Metodologia

  • Condições de funcionamento e operacionalidade do serviço;

  • Análise dos indicadores institucionais;

  • O cumprimento das recomendações apresentadas na auditoria realizada em 2005 (para as unidades sob gestão estadual);

  • Utilização da fonte de dados Sistema de Autorizações de Procedimentos de Alta Complexidade - APAC, criado pela Portaria GM nº 2043/1996 do Ministério da Saúde.


Pontua o

Pontuação

  • Recursos Humanos 100% adequados = 1 ponto

  • Equipamentos / Materiais 100% adequados = 1 ponto

  • Instalações físicas 100% adequados = 1 ponto

  • Controles (priming/água/ manutenção equipamentos) 100% adequados = 2 pontos

  • Registros em prontuário 100% adequados = 1 ponto

  • Existência de Manuais / Normas = 0,5 ponto

  • Análise de faturamento com 100% de adequação = 0,5 pontos


Pontua o1

Pontuação

  • Adequação quanto as recomendações anteriores = 1 ponto (para os serviços que não possuem recomendações referentes ao ano de 2005 foi atribuído automaticamente 1 ponto para o serviço)

  • Avaliação do Auditor quanto as condições de adequação total das constatações no serviço auditado = 1,5 ponto

  • Entrevista do paciente = 0,5 ponto (conforme classificação maior que 70 % ótimo, bom).


Auditoria nas unidades de terapia renal substitutiva trs

Fonte: DATASUS/MS – S I A 2006 e visita in loco CTAR/ ETAM


Auditoria nas unidades de terapia renal substitutiva trs

Fonte: DATASUS/MS – S I A 2006


Financeiro

Financeiro

  • No Brasil R$ 1.324.596.774,92

  • Repassado ao estado SP

    R$ 346.077.721,24 – 26% do total nacional

  • Faturamento único de produção de duas unidades distintas


Auditoria nas unidades de terapia renal substitutiva trs

Fonte: DATASUS/MS – S I H Ano 2006


Taxa de mortalidade

Taxa de Mortalidade

  • Média nacional 12,65%

  • No estado SP 14,80%

Fonte: DATASUS / MS – S I H 2006 (80300057 Insuficiência renal aguda,80300235 Intercorrência paciente renal crônico (pediatria),80500056 Insuficiência renal aguda , 80500170 Insuficiência renal crônica,80500234 Intercorrência paciente renal crônico (clinica medica)


Auditoria nas unidades de terapia renal substitutiva trs

Fonte: APAC Apresentadas 2006


Auditoria nas unidades de terapia renal substitutiva trs

Fonte: APAC Apresentadas 2006


Auditoria nas unidades de terapia renal substitutiva trs

Fonte: DATASUS / MS S I H


Interna es com transplantes

Internações com Transplantes

  • Total no estado SP = 1.197

  • Doador Vivo = 697 (58,23%)

  • Doador Cadáver = 500 (41,77%)

  • Em relação ao percentual nacional SP = 43,78%

Fonte: DATASUS / MS S I H 2006


Auditoria nas unidades de terapia renal substitutiva trs

Fonte: CNES / MS – dezembro 2006


N mero de profissionais m dicos

Número de Profissionais Médicos

  • No estado SP/2006 = 104.861

  • Especializados em Nefrologia = 833 (0,79%)

  • No Brasil = 629.991

  • Especializados em Nefrologia = 6.964 (11,96%)

Fonte :CNES / MS – dezembro 2006


Auditoria nas unidades de terapia renal substitutiva trs

20.459

17.562

1.415

1.249

233

Fonte: APAC Apresentadas 2006


Pacientes por modalidade de tratamento

Pacientes por modalidade de Tratamento

  • Apresentados 2.268.199 procedimentos

  • HD = 17.562 pacientes (85,83%)

  • DPA = 1.415 pacientes (6,92%)

  • DPI = 233 pacientes (1,14%)

  • DPAC = 1.249 pacientes (6,10%)

Fonte: APAC Apresentadas 2006


Pacientes por faixa et ria

Pacientes por Faixa Etária

  • Menos 18 anos = 350 (1,70%)

  • Mais 18 e menos 30 anos = 1.352 (6,61%)

  • Mais 30 de e menos 59 anos = 10.118 (49,46%)

  • Mais de 59 anos = 8.639 (42,23%)

Fonte: APAC Apresentadas 2006


Pacientes por sexo

Pacientes por Sexo

  • Masculino = 11.628 (56,84%)

  • Feminino =8.831 (43,16%)

Fonte: APAC Apresentadas 2006


Auditoria nas unidades de terapia renal substitutiva trs

Fonte: Relatórios CTAR / ETAM - 2006


Entrevistas realizadas

Entrevistas Realizadas

  • Ótimo = 363 (44,76%)

  • Bom = 397 (48,95%)

  • Regular = 51 (6,29%)

    Total = 811 Entrevistas

Fonte: Relatórios CTAR / ETAM - 2006


Entrevistas

Entrevistas

  • Paciente relata que a consulta mensal é realizada durante a sessão de hemodiálise

  • Falta de realização de entrevistas


Entrevistas1

Entrevistas

  • 811 entrevistas realizadas com relato de um pagamento para biópsia de rim

  • Deficiência na compreensão da pergunta sobre recebimento de orientação nutricional ao paciente , e quanto a alimentação interfere no hábito alimentar do paciente

  • Relato de constantes quebras de equipamentos


Auditoria nas unidades de terapia renal substitutiva trs

45 anos

Fonte: APAC Apresentadas 2006


Auditoria nas unidades de terapia renal substitutiva trs

2.368 verificados

Fonte: Relatórios CTAR / ETAM - 2006


Prontu rios verificados x aprovados

Prontuários Verificados x Aprovados

  • Verificados = 2.368

  • Aprovados = 1.191 (50,30%)

  • Registros nos Prontuários:

    1- Falta de registro de imunização em 30 dias do inicio de tratamento para pacientes não portadores de hepatite B;

    2 - Falta de documentação em prontuário;

    3- Prontuários ilegíveis ou de difícil leitura

    4 - Exames anuais parcialmente preenchidos

Fonte: Visita in loco CTAR/ ETAM 2006


Auditoria nas unidades de terapia renal substitutiva trs

CNES

Atualização

  • Responsável Técnico = 22,43%

  • Número de Máquinas = 72,90%

  • Unidade/CNES com registro de máquinas e faturamento através de outra unidade


Recursos humanos

Recursos Humanos

  • Proposta de adequação / nova análise = 61,68%

  • Recursos Humanos falta de profissionais (assistente social, psicólogo, nutricionista, enfermeiros e auxiliares de enfermagem)


Equipamentos medicamentos

Equipamentos/Medicamentos

  • Proposta de adequação de equipamentos / nova análise = 35,51%

  • Falta de aparelho de pressão, falta de eletrocardiógrafo, aspirador portátil, ambu com reservatório de O2 , falta de carrinho de emergência

  • Falta de medicamentos de emergência/ou com validade vencida


Instala es f sicas

Instalações Físicas

  • Instalações Físicas necessidade de adequação = 44,86%

  • Necessidade de adequação para deficientes físicos, falta de sala para acompanhantes, falta de sala para recuperação de paciente, sala de reprocessamento sem exaustão de ar, metragem entre as poltronas fora do preconizado, falta de sala de treinamento de sala de DPA/DPAC

  • Fluxo de pacientes inadequados

  • Falta de sinalização

  • Utilização da sala de emergência para confecção de fístula-artério-venosa

  • Unidade reformada/ampliada sem a devida regulamentação da VISA


Controles

Controles

  • Controles para adequação = 13,08%

  • Manutenção de equipamentos;

  • Contratos de suporte para remoção de pacientes não atende ao exigido;

  • Falta de apresentação de contrato de retaguarda hospitalar;

  • Inconformidade na armazenagem e controle de produtos químicos;

  • Utilização de reprocessamento semi- automáticos acima de 13 vezes;

  • Capilar sujo de sangue;

  • Água sem registro de monitorização


Exist ncia de manuais protocolos

Existência de Manuais / Protocolos

  • Necessidade de adequação = 9,35%


Faturamento glosa

Faturamento – Glosa

  • Falta de registro de proposta de glosa = 22,43%

  • Número de sessões extraordinárias não justificadas, há citação de glosa e não detalhamento para aplicação da penalidade conforme item 59 do Manual de glosas do DENASUS;

  • Serviço realizando 4º turno não previsto na legislação;

  • Falta de análise de faturamento;


Auditoria nas unidades de terapia renal substitutiva trs

Pontuação atingida pelos Serviços


Constata es

Constatações

  • Deficiência de compreensão da pergunta na entrevista:

    Falta de orientação nutricional dos pacientes

  • Identificados 103 registros de APAC com dados de preenchimento incorreto (ex. data de nascimento ou início de tratamento)

  • No documento de frequência a utilização de corretivo sobre a assinatura do paciente


Encaminhamentos

Encaminhamentos

Foram encaminhados Ofícios para os DRS:

  • Com orientações para instrução de processos com os devidos documentos utilizados na realização das auditorias;

  • Os serviços com constatações de inadequações foram orientados para realização de novo monitoramento para saneamento das inconformidades, com cronograma conforme a gravidade do fato;

  • Para os casos de maior gravidade foi solicitado a instrução em processo especifico;

  • Para os casos de cobranças indevidas conduzir conforme o estabelecido na Instrução Normativa GNACS nº 2/2008


Auditoria@saude sp gov br telefone 11 3066 8630

[email protected] (11) 3066-8630


  • Login