INTRODUÇÃO
Download
1 / 13

INTRODUÇÃO - PowerPoint PPT Presentation


  • 92 Views
  • Uploaded on

INTRODUÇÃO. Lei Federal 9313/96 – Acesso universal a TARV no Brasil Aumento na sobrevida e melhora na qualidade de vida 217.000 pessoas em TARV em 2012 6.000 pessoas em terceira linha no Brasil 30.000 pessoas iniciam tratamento a cada ano. Sobrevida em adultos diagnosticados com aids

loader
I am the owner, or an agent authorized to act on behalf of the owner, of the copyrighted work described.
capcha
Download Presentation

PowerPoint Slideshow about ' INTRODUÇÃO' - nydia


An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript

INTRODUÇÃO

  • Lei Federal 9313/96 – Acesso universal a TARV no Brasil

  • Aumento na sobrevida e melhora na qualidade de vida

  • 217.000 pessoas em TARV em 2012

  • 6.000 pessoas em terceira linha no Brasil

  • 30.000 pessoas iniciam tratamento a cada ano


Sobrevida em adultos diagnosticados com aids

em 1995/96 comparados aos 1998/99

Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais, S/V/S, Ministério da Saúde, Brasil. Boletim epidemiológico, 2009.


Determinantes do aumento de Sobrevida

Política de manejo dos pacientes multiexperimentados em TARV, com a inclusão de medicamentos de terceira linha, especialmente de novas classes

Supressão viral duradoura associada a impacto favorável na mortalidade


2002 - 10 laboratórios

2012 - 23 laboratórios

Metodologia utilizada – Trugene R$ 250,00/teste

Cerca de 8 mil testes distribuídos em 2011

Fonte: SISGENO


SUPRESSÃO VIRAL E FALHA VIROLÓGICA

  • Parâmetros para acompanhamento da eficácia da TARV

    • carga viral, LT-CD4+ e ocorrência de eventos clínicos

  • TARV diminuindo progressivamente a taxa de falha virológica

    • Estudos iniciais: 40-60% supressão viral completa

    • Estudos mais recentes: 80% CV indetectável

    • Estudos de Coorte: redução na taxa de falha virológica, imunológica e clínica

  • Emergência de vírus resistente: intolerância, má adesão ao tratamento, uso prévio de esquemas inadequados, resistência transmitida  ESQUEMAS DE RESGATE

Bartlett JA, Faith MJ, DeMasi R et al. CROI, 2005.

Moore RD, Keruly JC, Gebo KA, Lucas GM. 2005 .

Lima VD, Hogg RS, Harrigan PR, Moore D, Yip B, Wood E, Montaner JS. 2007


Linha do tempo para desenvolvimento de arv
Linha do tempo para desenvolvimento de ARV

DLV

NVP

ETR

TDF

ABC

ddC

d4T

AZT

ddI

EFV

FTC

3TC

93

04

05

87

88

89

90

91

92

94

95

96

97

98

99

00

01

02

03

06

07

08

NFV

LPV/r

SQV

ATV

ITRN

ITRNN

DRV

FPV

APV

TPV

IP

RTV

IE

ENF

MVQ

IDV

IE

RGV

25 medicamentso ARV aprovados pelo FDA


TRATAMENTO COM ARV DE TERCEIRA LINHA

Manejo de pacientes multiexperimentados está inserido no âmbito de uma política baseada nas melhores evidências científicas disponíveis, tendo como princípio uma visão de uso racional e terapia seqüencial, preservando, sempre que possível, alternativas futuras.

  • 2005: Introdução da enfuvirtida (inibidor de fusão)

  • 2008: Darunavir (inibidor de protease)

  • 2009: Raltegravir (inibidor da integrase)

  • 2010: Etravirina ( ITRNN de 2˚ geração)


DIRETRIZES PARA MANEJO DA MULTIRRESISTÊNCIA

  • Uso de ARV de terceira linha:

  • Pacientes multiexperimentados nas 3 classes de ARV

  • (ITRN, ITRNNN e IP)

  • Terapia sequencial: Abordagem Hierarquizada


ARV de terceira linha: 3% dos pacientes em TARV

  • Custo/dia:

  • DRV/r= US$ 12.82

  • RAL= US$ 14,00

  • ETR= US$ 14,60

  • ENF= US$ 35,00


SUPRESSÃO VIRAL COM ESQUEMAS DE TERCEIRA LINHA

Esquemas com DRV/r e RAL: 4267 pacientes


Renageno Novos Alvos

  • 2013 – Incorporação do Maraviroque

  • Seqüenciar a região da alça V3 do HIV-1 através da genotipagem pacientes candidatos a uso de antagonista de CCR5



  • Desafios 2013

  • RENIC 2012

  • Genotipagem pré-tratamento:

    • Gestantes;

    • Casais sorodiscordantes;

  • Ampliação da rede de genotipagem;

  • Perspectiva de retirada do formulário B;

  • Habilitação dos laboratórios de genotipagem em portaria;

  • Constituir a Comissão de Laboratório para HIV


  • ad