INFLUENZA PANDÊMICA (H1N1)2009
This presentation is the property of its rightful owner.
Sponsored Links
1 / 48

INFLUENZA PANDÊMICA (H1N1)2009 PowerPoint PPT Presentation


  • 65 Views
  • Uploaded on
  • Presentation posted in: General

INFLUENZA PANDÊMICA (H1N1)2009 Diagnóstico Clínico e Laboratorial SEDT-DIP/HC, CPGCS-MTI/FM, UFMG 20/04/2010. INFLUENZA PANDÊMICA (H1N1)2009. sem banalizar nem superestimar OBJETIVO definir parâmetros que caracterizam a gripe humana pandêmica Clínico; Laboratorial; SRAG.

Download Presentation

INFLUENZA PANDÊMICA (H1N1)2009

An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Presentation Transcript


Influenza pand mica h1n1 2009

INFLUENZA PANDÊMICA (H1N1)2009Diagnóstico Clínico e LaboratorialSEDT-DIP/HC, CPGCS-MTI/FM, UFMG20/04/2010


Influenza pand mica h1n1 2009

INFLUENZA PANDÊMICA (H1N1)2009

sem banalizar nem superestimar

OBJETIVO

definir parâmetros que caracterizam a gripe humana pandêmica

  • Clínico;

  • Laboratorial;

  • SRAG.


Influenza pand mica h1n1 20091

INFLUENZA PANDÊMICA (H1N1)2009

O que é:

  • Gripe;

  • Resfriado Comum, Coriza Aguda, Sínd. Gripal;

  • Rinite;

  • Rinite Alérgica;

  • Surto de Síndrome Gripal.


Influenza pand mica h1n1 20092

INFLUENZA PANDÊMICA (H1N1)2009

Gripe

  • Infecção vias aéreas pelo vírus influenza humano, aguda e febril, surtos anuais, inverno, muito contagiosa, gravidade variável, envolve vários membros da família;

  • Manifesta-se como: resfriado comum, faringite, traqueobronquite, pneumonia, complicações, favorece outras infecções.


Influenza pand mica h1n1 20093

INFLUENZA PANDÊMICA (H1N1)2009

Resfriado comum, coriza aguda, síndrome gripal

  • Doença humana mais comum, vias aéreas superiores, aguda, autolimitada, afebril, com rinorréia, obstrução nasal, dor e prurido orofaríngeo e/ou tosse;

  • Associada vírus: rino (50%), corona (10-15%), adeno, influenza, ECHO, coxsackie, parainfluenza, respiratório sincicial.


Influenza pand mica h1n1 20094

INFLUENZA PANDÊMICA (H1N1)2009

Rinite

  • Irritação/inflamação mucosa nasal com aumento secreções, prurido, obstrução, gotejamento posterior;

  • Alérgica; Infecciosa (aguda: vírus, bactéria; crônica: bactéria, fungo, imunodeficiência); Não-alérgica; Outras (Hormonal: gravidez, hipotireoidismo; Fármaco-induzida: AAS, anti-hipertensivos; Alimentar: gustativa, IgE mediada, induzida por conservantes; Atrófica; Mecânica (hipertrofia ossos turbinados, desvio septo, corpo estranho, pólipos).


Influenza pand mica h1n1 20095

INFLUENZA PANDÊMICA (H1N1)2009

Rinite alérgica

  • Paroxismos de: espirros; prurido ocular, nasal e palato; rinorréia e obstrução nasal; frequente gotejamento pós-nasal, tosse, irritabilidade, fadiga; ao inalar antígenos transportados pelo ar, mais frequente na primavera.


Influenza pand mica h1n1 20096

INFLUENZA PANDÊMICA (H1N1)2009

Surto Síndrome Gripal (SG)

  • ≥ 3 casos de SG em ambiente fechado/restrito, até 5 d após inicio dos sintomas;

  • Presença do vírus Influenza em pelo menos 1 de 3 amostras coletadas;

  • Exclusão: ausência do vírus Influenza nas amostras coletadas.


Influenza

INFLUENZA

Epidemiologia

  • Epidemia recorrente, respiratória febril, à cada 1-3 anos, há 400 anos;

  • Com pandemias emergentes de novos vírus em que a população, em geral, não tem imunidade;

  • Desde século 16: 3 pandemias/século, intervalos de 10-50 anos.


Influenza1

INFLUENZA

Biologia

  • Proteína envelope: H (hemaglutinina), N (neuraminidase);

  • Mutante A: origem Humana, Suína, Aviária;

  • Existem:aves 15 H e 9 N; humanos 4 H e 2 N;

  • De 144 combinações, importância humana: H1N1, H2N2, H3N2, H5N1;

  • A H1N1:causa mais comum Gripe humana;

  • Variante H1N1 selvagem: ½ Gripes em 2006, baixa patogenicidade.


Influenza pand mico h1n1 2009

INFLUENZA PANDÊMICO (H1N1)2009

Morfologia


Influenza pand mico h1n1 20091

INFLUENZA PANDÊMICO (H1N1)2009

Sinonímia

Influenza A subtipo H1N1, Gripe Suína, Gripe Porcina, Gripe Mexicana, Gripe Norteamericana, Nova Gripe;


Influenza pand mico h1n1 2009 distribui o geogr fica inicial

INFLUENZA PANDÊMICO (H1N1)2009Distribuição geográfica inicial


Influenza pand mico h1n1 20092

INFLUENZA PANDÊMICO (H1N1)2009

Epidemiologia geral

√Mundo (191 países):

infectados: 318.925, mortes: 3.917,

√ BR:

SRAG: 46.810, confirmados: 10.401, H1N1: 9.249, mort.: 0,01 (BA)–2,08% (PR);


Influenza pand mico h1n1 20093

INFLUENZA PANDÊMICO (H1N1)2009


Influenza pand mico h1n1 20094

INFLUENZA PANDÊMICO (H1N1)2009


Influenza pand mico h1n1 20095

INFLUENZA PANDÊMICO (H1N1)2009

Contaminação

√ Igual humana, AÉREA, CONTATODIRETO com infectado, INDIRETO: mão, objeto contaminado;

√AUSÊNCIA contaminação pelo CONSUMO carne ou produtos suínos cozidos à 70ºC/20min


Influenza pand mico h1n1 20096

INFLUENZA PANDÊMICO (H1N1)2009

Como Identificar

√Incubação: 1-3 d;

√Contágio: 1 d antes, 10 d após queixas;

√Mulheres: 52%;

√Idade: 20-39/60%, 0-19/30%, > 60/10%;

√MG: mortalidade: 0,12%;


Influenza pand mico h1n1 20097

INFLUENZA PANDÊMICO (H1N1)2009

Como Identificar

√Como GRIPE SAZONAL: febre repentina (elevada), fadiga, dor pelo corpo, tosse, cefaléia, hiperemia conjuntival, rinorréia, náusea; CAUSA MAIS: diarréia e vômitos;

√TEMPO diagnóstico laboratorial: 3 d;

√99,6% LEVE-MODERADA; mais grave em portador de doença crônica prévia;


Influenza pand mico h1n1 20098

INFLUENZA PANDÊMICO (H1N1)2009

Caso Suspeito

√ aumento súbito TA > 37,5ºC + tosse ou dor de garganta + ≥ 1: cefaléia, mialgia, artralgia, dispnéia,

até 10 d após

DEIXAR local ou CONTACTAR (cuidou, conviveu, tocou em secreções respiratórias ou fluidos corporais) CASO SUSPEITO;


Influenza pand mico h1n1 20099

INFLUENZA PANDÊMICO (H1N1)2009

Caso Confirmado

√ Infecção (H1N1)2009CONFIRMADAPCR/tempo real: laboratório referência;

√CASO SUSPEITOcom amostra impossível de coletar, ou inviável para diagnóstico laboratorial, e sejaCONTATO PRÓXIMOde CASO CONFIRMADO laboratorialmente;


Influenza pand mico h1n1 200910

INFLUENZA PANDÊMICO (H1N1)2009

Caso Descartado

√CASO SUSPEITO sem confirmação laboratorial de (H1N1)2009 em amostra clínica, Influenza sazonal ou outra doença;

√ Coleta de amostra impossível ou inviável, e CONTATO PRÓXIMO de caso laboratorialmente descartado;


Influenza pand mico h1n1 200911

INFLUENZA PANDÊMICO (H1N1)2009

Contato Próximo de Caso Suspeito ou Confirmado

√ contatou 1 d ANTES, até 7 (adultos)–14 d (crianças) APÓS início da queixa,

alguém que ESTEVE em LOCAL ENDÊMICO, CUIDOU, CONVIVEU, ENCOSTOU em secreção respiratória de

CASO CONFIRMADO ou SUSPEITO.


Influenza pand mico h1n1 200912

INFLUENZA PANDÊMICO (H1N1)2009

Cuidado e risco especial

√ GRAVIDEZ,

√ PNEUMOPATIA,

√ < 2 ANOS, ADULTOS JOVENS,

√ IMUNOSSUPRESSÃO (hematológica; imunomodulador, quimio/corticoterapia; SIDA; neoplasia),

√ CARDIOPATIA,

√DIABETES MELLITUS, METABOLOPATIAS,

√ HEPATOPATIAS, NEFROPATIA,

√ SOBREPESO grau III,

√ DOENÇAS NEUROMUSCULARES


Influenza pand mico h1n1 200913

INFLUENZA PANDÊMICO (H1N1)2009

Complicações mais freqüentes

√ Bronquite aguda, Pneumonia viral e bacteriana (4-5 d após início da gripe);

√ Alterações ECG, Miocardite, Pericardite;

√ Miosite, Mioglobinúria/IRA;

√ Encefalite/encefalopatia (1ª sem da gripe);

√ Mielite transversa, Guillain-Barré;

√ Otite média;

√ Toxemia;

√ Parotidite.


Influenza pand mico h1n1 200914

INFLUENZA PANDÊMICO (H1N1)2009


Influenza pand mico h1n1 200915

INFLUENZA PANDÊMICO (H1N1)2009


Influenza pand mico h1n1 200916

INFLUENZA PANDÊMICO (H1N1)2009


Influenza pand mico h1n1 200917

INFLUENZA PANDÊMICO (H1N1)2009


Influenza pand mico h1n1 200918

INFLUENZA PANDÊMICO (H1N1)2009


Influenza pand mico h1n1 200919

INFLUENZA PANDÊMICO (H1N1)2009

SRAG 2.155 pacientes

√Internação por PNM (38%): 821/2155;

√Óbito (5-58%): 100/821 (devido à IH);

√Faixa etária (87%): 5-59 anos;

√Co-morbidade (50%):HAS, asma, apnéia sono obstrutiva;

√Intervalo início queixas-admissão hospitalar: 4-25 d;


Influenza pand mico h1n1 200920

INFLUENZA PANDÊMICO (H1N1)2009

SRAG

√ Doença respiratória aguda por dist. V/Q;

√ Temperatura corpórea > 38ºC;

√ Tosse e dispnéia, com ou sem dor de garganta ou queixas gastrointestinais;


Influenza pand mico h1n1 200921

INFLUENZA PANDÊMICO (H1N1)2009

SRAG alerta agravamento pelo menos 1

√ Agravamento febre, mialgia, tosse, FR > 25;

√ Altera consciência, sonolência, confusão;

√Desidratação;

√Convulsão;

√ Batimento asa nariz; tiragem, cornagem;

√ PAD < 60 ou PAS < 90; FC > 120;

√ Tax. > 38ºC persistente 3-5 d;

√ Leucocitose, leucopenia ou neutrofilia;

√ Sat. O2 < 94%;

√ Rx tórax: infiltrado intersticial localizado ou difuso ou área de condensação;


Influenza pand mico h1n1 200922

INFLUENZA PANDÊMICO (H1N1)2009

Critério diagnóstico LPA/SRAG criança (4 parâmetros)

√ Início agudo de dificuldade respiratória;

√ Hipoxemia não responsiva O2: SRAG e LPA PaO2/FiO2 ≤ 200 e ≤ 300;

√ Rx tórax: infiltrado bilateral à radiografia;

√ Ausência evidência HA esquerda;

√ FR: até 2 meses: > 60; > 2 meses e < 12 meses: > 50; 1-4 anos: > 40; > 4 anos: > 30;


Influenza pand mico h1n1 200923

INFLUENZA PANDÊMICO (H1N1)2009

SRAG

√Insuficiência respiratória (APACHE II): intubação/VM: 60% - 24 h iniciais após internação; SAT O2: 71% sem O2;

√ VM: PEFP > 16 cmH2O, 7-30 d (sobrevive), 4-17 d (óbito); PNM associada VM: A. baumanii, Achromobacter xylosoxidans, S. aureus meticilina-resistente, E. coli;

√Antibioticoterapia prévia: 66%;


Influenza pand mico h1n1 200924

INFLUENZA PANDÊMICO (H1N1)2009

SRAG

√FOM (33%): norepinefrina (50%), corticoterapia (33%), IRenalA: 90% óbito, SCIVD ou complicações neurológicas: nenhum paciente;

√DHL (50%) creatininaquinase (66%): > 1000 UI/L;

√Linfocitopenia: 61%;


Influenza pand mico h1n1 200925

INFLUENZA PANDÊMICO (H1N1)2009

SRAG

√Rx tórax (100%): opacidades alveolares, predominantemente basais, lineares, reticulares, nodulares;

√Miosite

√Fisiopatologia: lesão alveolar difusa, membrana hialina espessa, proliferação fibroblástica intensa; pelo vírus e superprodução de citocinas


Influenza pand mico h1n1 200926

INFLUENZA PANDÊMICO (H1N1)2009

Evolução Gripe Influenza não-complicada

√ Completo restabelecimento;

√ Sem necessidade de internação hospitalar;

√ Resolução em 7 d;

√ Tosse, mal estar, lassidão podem persistir por semanas;


Influenza pand mico h1n1 200927

INFLUENZA PANDÊMICO (H1N1)2009

Diagnóstico Diferencial

SG

√ Nasofaringite (resfriado comum), faringite, amigdalite, laringite, traqueíte, laringotraqueíte, infecção vias aéreas superiores múltiplas;

SRAG

√ Infecções viróticas (Respiratório Sincisial, Coxsackie, Citomegálico), pneumonia bacteriana, tuberculose, neoplasias pulmonares (primarias ou metastáticas);


Influenza pand mico h1n1 200928

INFLUENZA PANDÊMICO (H1N1)2009

Diagnóstico Laboratorial

√ Indicada na SRAG com internação hospitalar, e surtos de SG em comunidades fechadas;

√ Coletar secreção via aérea alta; de preferência 3-5º d após início queixas;

√ Técnica: RCP


Influenza pand mico h1n1 200929

INFLUENZA PANDÊMICO (H1N1)2009

Diagnóstico gravidade

√ Hemograma;

√ Uremia, creatinemia; TGO, TGP;

√ Rx tórax PA e perfil;

√ Sat. pulso (se < 92%, pH e gás arterial);

√ ECG;

√ Depende gravidade: glicemia, ionograma, DHL, creatininafosfoquinase, lactato (venoso), RNI, TTPa, proteína C reativa; hemo, uro, outras culturas; TC tórax (evitar na gravidez, se possível – RNM na gestação sem risco).


Influenza pand mico h1n1 200930

INFLUENZA PANDÊMICO (H1N1)2009

Diagnóstico gravidade acometimento pulmonar CURB-65

√ Contato: confusão mental (escala mental máximo 8 ou nova desorientação);

√ U: uremia > 7 mmol/L;

√ R: FR ≥ 30;

√ B: PAS e PAD máximo 90 e 60 mmHg;

√ I: mínimo 65 anos.

√ Infiltrado pulmonar Rx: tratar como PNM grave;

√ PNM viral primária ou CURB 65 4-5: tratar em CTI


Influenza pand mico h1n1 200931

INFLUENZA PANDÊMICO (H1N1)2009

Prevenção

IMUNOBIOLÓGICO:

√ Porcino: não PROTEGE humanos;

√ Humano Sazonal: POUCA/SEM proteção;

√Específica: 15 d, 90%;


Influenza pand mico h1n1 200932

INFLUENZA PANDÊMICO (H1N1)2009

Prevenção

CUIDADO COM DOENTE:

√ Permanecer em casa, evitar trabalho, escola, ambientes com muitas pessoas;

√ Cobrir boca/nariz com pano ao falar, tossir, espirrar;

√ Evitar tocar olhos, boca, nariz;

√ Evitar pó, fumaça, substância afeta respiração;

√ Retornar ao normal após 24 h assintomático.


Influenza pand mico h1n1 200933

INFLUENZA PANDÊMICO (H1N1)2009

Prevenção

Higiene regular, controle aerossól:

√ Não compartilhar alimento, copo, prato, cobertor;

√ Manter ambientes arejados, ensolarados;

√ Manter limpos: objetos de uso comum;

√ Procurar médico diante de: febre alta repentina, tosse, cefaléia, mialgia, artralgia;


Influenza pand mico h1n1 200934

INFLUENZA PANDÊMICO (H1N1)2009

Prevenção

Hábito higiene regular, controle aerossól:

√ Evitar exposição mudança brusca temp. e contaminantes ambientais (pó, fumaça);

√ Lavar mãos frequentemente (água e sabão);

√ Não fumar: lugares fechados, próximo de crianças e idosos enfermos;

√ Manter 3 m distância pessoas com infecção aérea;

√ Não saudar com beijos, aperto de mão;


Influenza pand mico h1n1 200935

INFLUENZA PANDÊMICO (H1N1)2009

Tratamento

√ Cuidados gerais,

√ Dieta sem restrições, hipercalórica, normoprotéica,

√ Hidratação vias aéreas, VO, nebulização, vaporização,

√ Antitérmico, analgésico,

√ Antiviral: Oseltamivir e Zanamivir,

√ Suporte ventilatório, metabólico se necessário;


Influenza pand mico h1n1 200936

INFLUENZA PANDÊMICO (H1N1)2009

E PARA 2010?

√ Comportamento de nova onda,

√ Disponibilidade de imunobiológico,

√ Possibilidade de resistência ao antiviral.


  • Login