VII Seminário Para Interação em Gestão Ambiental
This presentation is the property of its rightful owner.
Sponsored Links
1 / 1

VII Seminário Para Interação em Gestão Ambiental PowerPoint PPT Presentation


  • 62 Views
  • Uploaded on
  • Presentation posted in: General

VII Seminário Para Interação em Gestão Ambiental I SIGA Ciência – Simpósio Científico de Gestão Ambiental ESALQ-USP, Piracicaba – 16 a 18 de abril de 2010.

Download Presentation

VII Seminário Para Interação em Gestão Ambiental

An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Presentation Transcript


Vii semin rio para intera o em gest o ambiental

VII Seminário Para Interação em Gestão Ambiental

I SIGA Ciência – Simpósio Científico de Gestão Ambiental

ESALQ-USP, Piracicaba – 16 a 18 de abril de 2010

Resultados Preliminares da Implantação de um Programa de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos no Instituto Federal do Triângulo Mineiro – Campus Uberaba.

Apoio

VIEIRA, Dinamar Márcia da Silva1; GOMIDES, Júlia Estevam1; SCHENKEL, Cladecir Alberto2; SOUSA, Joyce Silvestre de2.

1 Estudantes do Curso de Tecnologia em Gestão Ambiental, IFTM Campus Uberaba, Bolsistas PIBIC.

2 Professores do IFTM Campus Uberaba, respectivamente, coordenador e colaborador com o projeto,

Introdução

Pequena parte do material orgânico é disposta em um ambiente de compostagem localizado na própria Unidade I do Campus. Os resíduos provenientes do consultório dentário e serviço de enfermagem têm destino comum aos demais tipos de resíduos (Aterro Sanitário). Os resíduos provenientes das embalagens de agrotóxicos são dispostos em locais apropriados e adequadamente destinados.

A partir dos resultados, foi possível afirmar que não havia falta de coletores na instituição. Contudo, os principais problemas decorriam da má conservação dos mesmos, alocação de coletores em locais inadequados, utilização de recipientes inadequados para armazenamento dos resíduos e a falta de um padrão aos coletores, em termos de tamanho e cores.

Em razão desse quadro, o PGIRS propôs: a identificação de todos os coletores da instituição, segundo a sistemática de coleta; treinamento do pessoal responsável pela coleta; e sensibilização da comunidade escolar (funcionários e alunos) para realizar a coleta seletiva. Com relação à logística, o programa estabelece a coleta dos materiais recicláveis (seco e sujo) pela equipe do projeto, em dois dias da semana. No galpão, os materiais foram identificados, separados, pesados e obtidos os volumes, para fins de monitoramento da composição gravimétrica.

Para a destinação adequada dos resíduos, foi acordado com a cooperativa de catadores da cidade de Uberaba, o recolhimento dos resíduos seco e o sujo semanalmente. O lixo orgânico deve ser processado na própria instituição. O rejeito será destinado ao Aterro Sanitário de Uberaba. Para os demais resíduos as alternativas ainda estão sendo estudadas, porém alguns destes já estão sendo recolhidos e armazenados pela equipe do projeto, como exemplo as lâmpadas fluorescentes, enquanto busca-se a melhor logística e destinação final.

O estudo tem como foco de estudo a geração e o destino dado aos resíduos sólidos da Unidade I do Instituto Federal do Triângulo Mineiro – Campus Uberaba, com vistas ao planejamento, implantação e melhoramento contínuo de um Programa de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos – PGIRS adequado às necessidades e particularidades da instituição.

Segundo a NBR 10.004, da Associação Brasileira de Normas Técnicas – ABNT, os resíduos sólidos são definidos como “resíduos nos estados sólido e semisólido, que resultam de atividades da comunidade de origem: industrial, doméstica, hospitalar, comercial, agrícola, de serviços e de varrição [...]” (apud ARRUDA, 2004, p. 38).

A expressão mais usual para representar os resíduos sólidos é a de lixo. A percepção predominante é que os resíduos não têm mais qualquer utilidade para as pessoas ou para o sistema de produção (ARRUDA, 2004). Recentemente essa concepção tem sofrido mudanças profundas, cujas razões se devem a um conjunto de fatores: a matéria prima e a energia, escassas, necessárias para produção de novos produtos; a conversão do lixo em matéria prima para a produção de novos produtos (substituindo os recursos naturais como fonte); a energia contida no lixo e que pode ser reaproveitada; a degradação ambiental ocasionada pela disposição do lixo no ambiente, com conseqüências desastrosas para a saúde pública quando disposta de forma inadequada.

O PGIRS traça as alternativas viáveis para eliminar ou minimizar os problemas decorrentes da disposição inadequada dos resíduos sólidos, indicando as melhores formas de destinação dos mesmos. Envolve a segregação na origem, o controle e a redução dos riscos ao ambiente, a minimização da geração na fonte, o correto manuseio e o destino final.

O objetivo do artigo é apresentar os resultados dos diagnósticos realizados quanto à geração de resíduos na Unidade I do Campus; bem como, apresentar em linhas gerais o PGIRS elaborado com base nesses diagnósticos e os resultados preliminares decorrentes da implantação deste.

A Tabela 2 apresenta os valores médios da composição gravimétrica dos resíduos enviados semanalmente para reciclagem.

Comparando o volume de resíduos gerados semanalmente na Unidade I da Instituição antes da implantação do PGRIS, 18,35m3; com os resultados preliminares da implantação deste, observados na tabela 2, constata-se a redução de 51,5% dos resíduos antes enviados ao aterro sanitário. Ao considerar a composição gravimétrica do resíduo coletado, obtida na fase de diagnóstico, este continha em média 73,3% de material reciclável, sendo assim, estima-se que com a melhoria contínua do PGIRS, seja possível que cerca de 13,45 m3 deixem de ser enviados ao aterro sanitário, ou seja, que a eficiência da segregação e coleta aumente mais 21,8%, colaborando mais ainda para prolongar a vida útil do aterro sanitário, além de contribuir para minimizar a extração de recursos naturais.

Tabela 2 – Valores médios da Composição Gravimétrica , Unidade I do IFTM Campus Uberaba, 2009 (Semanal).

Material e Métodos

A elaboração do PGIRS do Instituto Federal do Triângulo Mineiro – Campus Uberaba, segue as etapas indicadas por Monteiro (2001).

O diagnóstico inicial, com a identificação dos setores geradores e de sua situação, foi realizado com o uso de dois formulários (Identificação e Sugestões), os quais foram preenchidos pelos alunos participantes junto ao responsável por cada um dos setores.

A composição gravimétrica foi realizada com o uso da técnica do balanço de massa e do balanço volumétrico, proposta por Barros e Möller (1995), com a separação dos resíduos na fonte geradora (coleta seletiva), em quatro grupos principais: lixo seco, lixo sujo, material orgânico e rejeito.

Com base nos dados levantados no diagnóstico preliminar e da composição gravimétrica, foi organizado e implantado o PGIRS, bem como, elaborados os materiais para a divulgação das ações e sensibilização da comunidade escolar. Para a implantação do programa, foram realizadas reuniões de sensibilização com docentes, técnico-administrativos e alunos, bem como, com o pessoal terceirizado que presta serviços à instituição, em especial, com o grupo responsável pela limpeza e manutenção.

O material passível de ser reciclado foi armazenado em um galpão cedido temporariamente pela instituição. Para a pesagem, foi utilizada uma balança digital, tipo plataforma, com capacidade para 300 KG e precisão de 100 g. Para a obtenção do volume, utilizaram-se recipientes de volume conhecido, procedendo ao ajuste em função da proporção de material à razão do volume total.

Fonte: Dados da Pesquisa (PGIRS-IFTM Campus Uberaba)

Conclusões

Os dados apresentados permitem concluir que grande parte dos resíduos sólidos gerados na Unidade I do IF Triângulo Mineiro - Campus Uberaba pode ser considerado material reciclável. Com a implantação do programa, 51,5% destes resíduos deixaram de ser enviados ao aterro sanitário de Uberaba, além disso, os resultados referentes à coleta seletiva e à educação ambiental suscitaram uma discussão entre os servidores e alunos do Campus bastante positiva. Pode-se aferir que a implantação do PGIRS foi satisfatória, já que os objetivos gerais do programa estão sendo alcançados gradativamente.

As preocupações agora avançarão no sentido de buscar e implantar alternativas adequadas para a destinação dos resíduos contaminados, eletrônicos e outros. Conclui - se que, com a melhoria contínua do PGIRS e a destinação adequada dos resíduos, é possível reduzir em mais 21,8 % o envio de resíduos ao aterro sanitário de Uberaba. Para o sucesso do programa, é necessário que às ações relativas ao processo de coleta seletiva ganhem autonomia, de forma que não fiquem dependentes da equipe do projeto. Além disso, para que os hábitos de separação e a prática de coleta seletiva sejam continuamente adotados pela comunidade escolar, é fundamental a manutenção do programa de sensibilização e educação ambiental, como componente mobilizador e motivador.

Resultados e Discussão

Foram identificados 46 setores geradores na Unidade I. A distribuição em relação à geração de resíduos é apresentada na Tabela 1, onde os percentuais representam a quantidade de setores em que o respectivo tipo de resíduo é gerado.

Tabela 1 – Resíduos gerados nos setores do IFTM Uberaba, Unidade I, em percentagem de setores

Fonte:Dados da pesquisa (PGIRS-IFTM Campus Uberaba)

Referências

Na fase de diagnóstico, constatou-se que a quantidade total de resíduos gerados semanalmente era de 18,35 m3, equivalente a 3,67 m3/dia e uma geração per capita de 0,17 Kg/hab/dia. Destes, aproximadamente 3% eram destinados para reciclagem e os demais 97% recolhidos pelo serviço de limpeza urbana e dispostos no Aterro Sanitário de Uberaba. Dentre estes, encontravam-se materiais recicláveis que, contudo, eram desperdiçados. Os materiais eram misturados uns com os outros, sujos, limpos, orgânicos e rejeitos, acarretando na perda de qualidade e da possibilidade de reuso ou reciclagem.

ARRUDA, Ana Paula Tonani Matteis de. Responsabilidade civil decorrente da poluição por resíduos sólidos domésticos. São Paulo: Método, 2004.

MONTEIRO, José Henrique Penido et al. Manual de Gerenciamento Integrado de resíduos sólidos. Rio de Janeiro: IBAM, 2001.

BARROS, Raphael Tobias de Vasconcelo; MÖLLER, Leila Margareth. Limpeza Pública. In: BARROS, Raphael Tobias de Vasconcelos et al. Manual de saneamento e proteção ambiental para os municípios. v.2. Belo Horizonte: Escola de Engenharia da UFMG, 1995. cap. 7, p. 181-208.


  • Login