Panorama da infraestrutura log stica no brasil prioridades no estado da bahia
Sponsored Links
This presentation is the property of its rightful owner.
1 / 36

Panorama da Infraestrutura Logística no Brasil Prioridades no Estado da Bahia PowerPoint PPT Presentation


  • 55 Views
  • Uploaded on
  • Presentation posted in: General

Panorama da Infraestrutura Logística no Brasil Prioridades no Estado da Bahia. 5º Encontro Anual de Usuários – USUPORT Salvador/BA – 23 de novembro de 2009. Paulo Sérgio Oliveira Passos Secretário-Executivo. Ambiente Econômico e Desenvolvimento. 2. Brasil. Estados Unidos. China.

Download Presentation

Panorama da Infraestrutura Logística no Brasil Prioridades no Estado da Bahia

An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Presentation Transcript


Panorama da Infraestrutura Logística no Brasil Prioridades no Estado da Bahia

5º Encontro Anual de Usuários – USUPORT

Salvador/BA – 23 de novembro de 2009

Paulo Sérgio Oliveira Passos

Secretário-Executivo


Ambiente Econômico

e Desenvolvimento

2


Brasil

Estados Unidos

China

Crescimento Positivo do PIB para o Brasil e China

Dados atualizados trimestralmente

* Previsões: EUA e China - JP Morgan e Brasil – Ministério da Fazenda

3

Fontes: BEA (EUA), JPMorgan (China) e IBGE (Brasil)Produzido por: Ministério da Fazenda


Crescimento

do PIB

Componente da Demanda Doméstica

PIB e Consumo

Mudança nos últimos 12 meses - %

Fonte: IBGEProduzido por: Ministério da Fazenda


Exportações

Importações

Exportações

Líquidas

Redução da Vulnerabilidade Externa

Fonte: Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior.

Produzido por: Ministério da Fazenda


Dívida Externa Líquida Total

% do PIB

* Previsão – julho de 2009

Fonte: Banco Central do BrasilProduzido por: Ministério da Fazenda


Reservas Internacionais

Estoque em US$ bilhões

Fonte: Banco Central do Brasil

Elaboração: Ministério da Fazenda


Produção Industrial

Índice com ajuste sazonal (Jan 07 = 100)

Fonte: IBGE

Elaboração: Ministério da Fazenda


Taxas de Juros

% ao ano

*Swap pré-di 360 / Expectativas para o IPCA nos próximos 12 meses.

**Em setembro, dados até o dia 25/Set.

Fonte: BM& F e Banco Central do Brasil

Elaboração: Ministério da Fazenda


Evolução da Composição do Crédito

Saldo em Valores Nominais – R$ Bilhões e % PIB

Fonte: Banco Central do Brasil

Elaboração: Ministério da Fazenda

10


Política e Planejamento

de Transportes

11


A matriz de transportes é desbalanceada, considerando as dimensões do Brasil,

ANTT – 2005

12


o que se comprova na comparação com países de porte equivalente.

Rússia

Canadá

Austrália

EUA

China

Brasil

81%

8%

11%

46%

43%

11%

43%

53%

4%

43%

32%

25%

37%

50%

13%

25%

58%

17%

Ferroviário

Rodoviário

Aquaviário,outros


A retomada do Planejamento em Transportes

Plano Nacional de Logística e Transportes – PNLT

  • Instrumento para a organização estratégica, com visão integrada de território e desenvolvimento.

  • Transporte como agente indutor e facilitador do desenvolvimento.

  • Melhor equilíbrio na matriz de transportes do Brasil, com maior participação dos modos ferroviário e hidroviário, mais eficientes em termos econômicos, de consumo de energia e de sustentabilidade ambiental.

  • Prioridade para a elevação do patamar de investimento em infraestrutura, destinando pelo menos 1% do PIB a transportes no período 2008-2023 (excluída a recuperação de rodovias).


O PNLT aponta caminhos para mudança da matriz.

  • Consolidação de uma nova malha ferroviária brasileira (lei 11772/2008), com implantação de 11,8 mil km de novos trechos ferroviários, dos quais cerca de 10,7 mil km em bitola larga.

  • As novas ferrovias vão atender às áreas de expansão da fronteira agrícola e de exploração mineral.

  • Essa nova malha ferroviária básica prepara o País para um novo ciclo de crescimento econômico, atendendo à expansão da demanda interna e à articulação com os portos exportadores.


Desenvolvimento do Setor Hidroviário

  • O Brasil já desenvolve projeto de recuperação e estruturação da malha ferroviária

  • O desafio agora é estruturar um sistema hidroviário que contribua para o maior equilíbrio da matriz de transporte brasileira em termos energéticos e econômico, e de sustentabilidade

  • Esse equacionamento pressupõe uma articulação de governo, no que tange ao múltiplo aproveitamento dos recursos hídricos e ao adequado tratamento ambiental dessa questão

18


20


Matriz de Transporte - Atual e Futura Revisada

%

Fonte: Processamento PNLT, considerando consumo de energia


PAC

Programa de Aceleração do Crescimento


Antecedentes

  • O Brasil passou por extenso período de sub-investimento em infraestrutura logística

  • A melhoria das condições econômicas permitiu:

    • Recuperação da capacidade de investimento público

    • Clima favorável para parcerias com o setor privado

      • Concessões rodoviárias

      • Concessões ferroviárias


PAC

  • Após duas décadas, é a primeira iniciativa de realização de programa robusto de investimentos em transportes

  • Investimentos públicos selecionados a partir do Plano Nacional de Logística e Transportes – PNLT

    • Projetos com forte potencial para gerar retorno econômico e social

    • Sinergia entre projetos

    • Recuperação da infraestrutura existente

    • Novos projetos e conclusão de projetos em andamento


Dimensão do PAC – Ministério dos Transportes

  • Rodovias

    • 96 ações envolvendo pavimentação, duplicação, adequação de capacidade e construção de pontes

    • Manutenção rodoviária

    • Concessão de trechos à iniciativa privada

  • Ferrovias

    • 26 ações envolvendo construção, adequação, remodelação, estudos e subconcessão ferroviária

  • Hidrovias

    • 42 ações, envolvendo melhoramentos para navegação e construção de terminais hidroviários

  • Marinha mercante e construção naval

    • Financiamento de quase 400 empreendimentos para a construção de embarcações e implantação e modernização de estaleiros


Destaques dos Projetos do PAC

Rodovias

  • Construção de novas rodovias – 2.850 km

  • Ampliação de capacidade de rodovias existentes – 1.460 km

  • Recuperação da malha rodoviária atual – 50.000 km

    Ferrovias

  • Aumento de capacidade da malha ferroviária

  • Expansão da malha ferroviária – 4.577 km em obras e 5.759 km em estudos

    Hidrovias

  • Construção de Terminais Hidroviários na Amazônia – 21 terminais em obras e 15 terminais em licitação

  • Construção de Eclusas

    Incentivo à Construção Naval (Financiamento)

  • Construção de embarcações de longo curso, cabotagem, apoio marítimo e navegação fluvial (384 embarcações, 103 já concluídas)

  • Construção e Modernização de estaleiros ( 8 estaleiros)


PAC RODOVIAS

LEGENDA

PAC ORIGINAL

PAC INCLUSÕES

CONCESSÕES

BR-450/DF

BR-156/AP

BR-156/AP-Ponte

BR-230/PA

BR-163/MT/PA

BR-230/PA - Ponte

BR-242/TO

Acesso ao Porto de Itaqui

BR-158/MT

BR-020/CE

BR-020/DF

BR-135/MA

BR-222/CE

BR-080/GO

Acesso ao Porto de Pecém

BR-135-PI/BA

BR-304/CE - Ponte

BR-319/AM/RO

BR-304/RN

BR-070/GO

BR-226/RN

BR-364/RO

BR-116/BA - Construção de Ponte

BR-104/PE

BR-101/NE

BR-242/MT

BR-230/PB

BR-408/PE

BR-364/AC

BR-030/BA Ponte

BR-317/AM

BR-020-135-242-BA

BR-429/RO

Concessão:BR-116-324/BA

Via Portuária de Salvador

BR-319/RO-Ponte

BR-135/MG

BR-364/MT

BR-251/MG

BR-163/MT

BR-262/MG

BR-163-364/MT

BR-040/MG

BR-060/GO

BR-418/MG

BR-153/GO

BR-381/MG

BR-262/MS

BR-153-365/MG

BR-040/BA - Viaduto

BR-262/MS

BR-365/050/MG – Anel Rodoviário

BR-265/MG

BR-364/MG

BR-262/ES

BR-050/MG

BR-101/ES (Inclui Contorno de Vitória)

BR-163/MS

Concessões Rodoviárias

BR-262/MG – Travessia Urbana

Arco Rodoviário RJ

Ponte BR-158-MS/SP

Rodoanel de São Paulo – Trecho Sul

BR-163/PR

BR-146/MG

BR-116/PR – Adequação Contorno Leste Curitiba

BR-376/PR

Via Expressa Porto de Itajaí

2ª Ponte Internacional Foz do Iguaçu-PR

BR-280/SC

BR-470/SC

BR-153/PR

BR-285/RS

BR-282/SC

BR-101 – Sul (SC-RS)

BR-158/RS

BR-116/RS

BR-386/RS

BR-290/RS

BR-392/RS

BR-116/RS


2ª Etapa 3.228 Km

3ª Etapa 3.675 Km

PROGRAMA DE CONCESSÕES DE RODOVIAS FEDERAIS

Na Bahia

2ª etapa – BR-116/324 – 680 km

3ª etapa – BR-101 - 790,7 km

Niterói

1ª Etapa 1.482 Km

29


RR

AP

AM

MA

PA

CE

RN

PI

PB

PE

AC

AL

TO

RO

SE

BA

MT

DF

GO

MG

PAC – Min Transportes

ES

MS

SP

na BAHIA

RJ

PR

SC

RS


PAC Bahia – Rodovias e Ferrovias

  • TOTAL: R$ 1,09 (Rodovias) + 6,08 bilhões (Ferrovias)

    2007-2010: R$ 0,76 + 1,68 bilhão

    Pós 2010: R$ 0,32 + 4,4 bilhões

  • Total de empreendimentos:9

    • 11,0% concluídas

    • 44,5% em obras

    • 44,5% em ação preparatória


PAC na Bahia– Investimentos


PAC na Bahia

Construção de Ponte

BR-116/BA

Adequação e Duplicação

BR-101/BA

101

Variante Ferroviária

Camaçari – Aratu

135

Construção de Contorno Rodoviário

101

Construção Via Expressa

Portuária de Salvador

116

Contorno Ferroviário de

São Félix e Cachoeira

Ferrovia de Integração Oeste-Leste

Alvorada/TO – Ilhéus/BA

Pavimentação

BR-135/BA

Concessão Rodoviária3ª Etapa

Construção de Ponte

BR-030/BA

Concessão Rodoviária2ª Etapa

Obra Rodoviária – PAC

Obra Ferroviária – PAC

Programa de Concessões

Outros Projetos

Construção e Pavimentação

BR-418/BA

418


Programa de Manutenção de Rodovias - Bahia

  • CREMA 1ª ETAPA – extensão contratada em 2009: 3.662 km

    • Investimentos de R$ 653 milhões

  • À medida em que se encerram os contratos vigentes, os trechos correspondentes serão objetos de novos contratos:

  • CREMA – extensão a contratar até 28/04/2010: 2.748 km, com início das obras em 30/05/2010

    • investimentos de R$ 1 bilhão

    • obras de manutenção rodoviária, substituindo os contratos de CREMA 1ª ETAPA e conserva

    • A empresa contratada deve garantir a manutenção por 5 anos de perfeitas condições no trecho


  • 100%

    2

    4

    5

    1

    90%

    OUTRAS

    80%

    38

    41

    CARVÃO

    70%

    60%

    HIDRÁULICA

    85

    12

    50%

    16

    NUCLEAR

    40%

    23

    15

    30%

    GÁS

    20%

    20

    20

    PETRÓLEO

    10%

    3

    3

    6

    4

    3

    0%

    BRASIL 2007

    OECD2006

    MUNDO 2006

    % renováveis

    483 TWh - 89%

    10.460 TWh - 16%

    18.930 TWh - 18%

    Fonte: MME

    A matriz de geração de eletricidade brasileira é limpa, com base em usinas hidrelétricas

    Matriz de Oferta de Eletricidade – Brasil e Mundo (%)


    A matriz energética do Brasil é fortemente renovável


    • www.transportes.gov.br

    • [email protected] com o Ministério


  • Login