Esquistossomose
This presentation is the property of its rightful owner.
Sponsored Links
1 / 41

Esquistossomose PowerPoint PPT Presentation


  • 290 Views
  • Uploaded on
  • Presentation posted in: General

Esquistossomose. Schistosoma mansoni Schistosoma japonicum Schistosoma hematobium. Paisagem. Lagoa de Abaeté - BA. Ciclo de vida. SISTEMA PORTA. GRANULOMA. FÍGADO. ESQUISTOSSÔMULO. PULMÕES. VEIAS MESENTÉRICAS. FEZES. PENETRAÇÃO ATIVA. PELE. ADULTOS. OVOS. CERCÁRIA. MIRACÍDIO.

Download Presentation

Esquistossomose

An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Presentation Transcript


Esquistossomose

Esquistossomose

Schistosoma mansoni

Schistosoma japonicum

Schistosoma hematobium


Paisagem

Paisagem

Lagoa de Abaeté - BA


Ciclo de vida

Ciclo de vida

SISTEMA PORTA

GRANULOMA

FÍGADO

ESQUISTOSSÔMULO

PULMÕES

VEIAS

MESENTÉRICAS

FEZES

PENETRAÇÃO

ATIVA

PELE

ADULTOS

OVOS

CERCÁRIA

MIRACÍDIO

ÁGUA

ÁGUA

QUIMIOTAXIA

LIBERAÇÃO

ESPOROCISTO

CARAMUJO


Formas de vida

FEZES

Formas de vida

Ovo - forma de resistência,

atravessa a parede vaso e cai na luz intestinal sendo eliminado para o meio pelas fezes.

Ovos

Sua morfologia é característica.


Morfologia

Morfologia

Apresentam uma camada externa esclerotizada.

São lançados na luz intestinal por mecanismo pouco conhecido.

Ao serem excluídos dos vasos não ocorre hemorragia.

No exterior mantêm-se viáveis de 2 a 5 dias.


Formas de vida1

FEZES

Ovos

ÁGUA

Formas de vida

A hipotonicidade do meio é o sinal para eclosão.

Não há relação estabelecida entre eclosão e luz, temperatura e oxigênio.

MIRACÍDIO


Morfologia1

Morfologia

Miracídio - se desloca por batimento ciliar.

Busca a luz por fototropismo.

Tem 24 horas para achar e penetrar no molusco.

Biomphalaria secretam substâncias quimiotácteis, provavelmente glutationa, que formam um gradiente de concentração e orientam o miracídio para o molusco.


Curiosidade

Curiosidade

Os miracídios nadam a uma velocidade de 2 mm/seg.

O comprimento do seu corpo é de cerca de 0,130 mm. Isto significa que ele se desloca por uma distância equivalente a 15X o comprimento de seu corpo por segundo.

Seria o equivalente a uma pessoa de 1,70m atravessar uma piscina de 50 m em dois segundos.


Formas de vida2

FEZES

Ovos

MIRACÍDIO

ÁGUA

CARAMUJO

Formas de vida

Cerca de 5 horas após a penetração no caramujo, e pela ação de secreções glandulares, o miracídio perde o revestimento epitelial ciliado e encontra-se imobilizado como uma estrutura sacular alongada.

Após 8 dias, cresceu bastante e se apresenta como um tubo enovelado, imóvel, cheio de células germinativas em multiplicação - sincício.

QUIMIOTAXIA

ESPOROCISTO


Hospedeiro intermedi rio

Hospedeiro intermediário

Molusco pulmonado, coloniza água doce ou salobra.

Larga distribuição geográfica

Coloniza valas de drenagem ou represamentos .

Não são encontrados em água com pH muito baixo.

Biomphalaria glabata


Curiosidade1

Curiosidade

A vasta distribuição geográfica do hospedeiro intermediário, e sua presença em “águas criadas” pela ação do homem, contribuiu para o estabelecimento da parasitose em locais onde ela não ocorria.

Escravos trouxeram Schistosoma mansoni !


Morfologia2

Morfologia

Redia - aparecimento de maciços celulares no esporocisto primário que irão constituir os esporocistos secundários, terciários...

Localizam-se

na região do hepatopâncreas e/ou ovotestis.


Formas de vida3

FEZES

Ovos

MIRACÍDIO

ÁGUA

ÁGUA

QUIMIOTACTISMO

ESPOROCISTO

LIBERAÇÃO

CARAMUJO

Formas de vida

CERCÁRIA


Morfologia3

Morfologia


Cerc ria

Cercária

Tem 0,5 cm de comprimento, corpo e cauda bifurcada no extremo distal.

O verme adulto irá se desenvolver a partir do corpo cercariano. Há portanto, esboços embrionários como a papila sensorial, ventosa, sistema excretor....

A cercária possui as glândulas de penetração, que quando estimuladas por substâncias lipídicas da superfície dérmica produzem proteases cuja ação lítica permite a penetração na pele do hospedeiro definitivo - penetração ativa.


Formas de vida4

Formas de vida

ESQUISTOSSÔMULO

PULMÕES

FEZES

PENETRAÇÃO

ATIVA

PELE

ADULTOS

OVOS

CERCÁRIA

MIRACÍDIO

ÁGUA

ÁGUA

QUIMIOTAXIA

LIBERAÇÃO

ESPOROCISTO

CARAMUJO


Morfologia4

Morfologia

Esquistossômulo - Após a penetração, as cercárias rapidamente se transformam nos esquistossômulos e estes ganham a circulação. Chegam ao coração e daí ao pulmão onde podem ser retidos ou destruídos, em seguida atingem o fígado, cerca de oito dias após a infeção. Alimentam-se de sangue e depois de cerca de 4 semanas, no sistema porta intra-hepático, se dá o desenvolvimento final dos adultos. O casais se formam nessa ocasião.


Formas de vida5

Formas de vida

ADULTOS

ESQUISTOSSÔMULO

PULMÕES

VEIAS

MESENTÉRICAS

FEZES

PENETRAÇÃO

ATIVA

PELE

OVOS

CERCÁRIA

MIRACÍDIO

ÁGUA

ÁGUA

QUIMIOTAXIA

LIBERAÇÃO

ESPOROCISTO

CARAMUJO


Morfologia5

Morfologia

A fêmea raramente abandona o canal ginecóforo, sendo levada passivamente pela migração do macho. O deslocamento se dá por movimentos de extensão e contração do corpo, fixando-se pelas ventosas e usando os tubérculos tegumentares como apoio.

Em capilares mais finos, a fêmea é capaz de insinuar a extremidade anterior e efetuar aí a ovoposição.


Comportamento

Comportamento

Adultos - a atração entre os sexos se inicia cerca de 3 semanas após a infeção, ainda no fígado.

A fêmea só amadurece sexualmente quando em contacto com o macho - peptídeos produzidos pelo macho atravessam a cutícula e amadurecem a fêmea.


Curiosidade2

Curiosidade

1 ovo 1 miracídio

1 miracídio 1 esporocisto

1 esporocisto 20 a 40 esporocistos filhos

100.000 a 300.000 cercárias

1 cercária 1 esquistossômulo

1 esquistossômulo 1 adulto

1 ovo 100.000 a 300.000

adultos do mesmo sexo


Hospedeiro definitivo

Hospedeiro definitivo

Mamíferos silvestres e domésticos, mas principalmente o homem, devido aos seus hábitos, são os hospedeiros definitivos desta parasitose.

Os adultos vivem nas vênulas do plexo hemorroidário superior e nas ramificações das veias mesentéricas.

Adultos de Schistosoma mansoni podem viver, no homem, por cerca de 30 anos.


Mecanismo de infe o

Mecanismo de infeção


Patologia

Patologia

  • - carga parasitária - dermatite cercariana

  • características do hospedeiro - idade,

  • ocupação, nutrição, hábitos,

  • condições de vida, grau de imunidade.

  • carga parasitária ao longo da vida - curso

  • da doença.


Patologia1

Patologia

Agudo -

Reação à penetração das cercárias

Toxemia - reação de sensibilidade aos vermes - febre, eosinofilia, linfadenopatia, esplenomegalia, urticária.

Esplenomegalia sem relação com a presença de vermes adultos - sem ovos.


Formas de vida6

Formas de vida

SISTEMA PORTA

GRANULOMA

FÍGADO

LARVAS

PULMÕES

VEIAS

MESENTÉRICAS

FEZES

PENETRAÇÃO

ATIVA

PELE

ADULTOS

OVOS

CERCÁRIA

MIRACÍDIO

ÁGUA

ÁGUA

QUIMIOTAXIA

LIBERAÇÃO

ESPOROCISTO

CARAMUJO


Patologia2

Patologia

Crônico - devido à ovoposição intensa,

alguns ovos voltam pela

circulação e caem no fígado.

A lesão fibrótica que se forma em resposta

à presença do ovo no tecido é a mais importante resposta granulomatosa, responsável por efeitos como obstrução venosa, hepatoesplenomegalia e ascite.


Patologia3

Patologia

Granuloma - resposta do organismo hospedeiro à presença do ovo.

Diminui a elasticidade do fígado comprometendo a circulação no órgão.


Resposta imune

Resposta Imune

A resposta imune do hospedeiro pode ser avaliada em termos de imunidade adquirida - que em algumas doenças é responsável pela “cura expontânea” .

No caso da esquistossomose temos um belo exemplo de adaptação no qual os vermes continuam se reproduzindo ao mesmo tempo que o hospedeiro está imune a reinfeções - esse fenômeno é conhecido como imunidade concomitante.


Resposta imune1

Resposta imune

GRANULOMA

SISTEMA PORTA

FÍGADO

LARVAS

PULMÕES

VEIAS

MESENTÉRICAS

FEZES

PELE

ADULTOS

PENETRAÇÃO

ATIVA

OVOS

CERCÁRIA

MIRACÍDIO

ÁGUA

ÁGUA

QUIMIOTAXIA

LIBERAÇÃO

ESPOROCISTO

CARAMUJO


Imunidade concomitante

Imunidade concomitante

A primeira resposta é contra a cercária, evitaria a super infeção em áreas endêmicas, mas não é a única.

A rápida transformação no esquistossômulo e a posterior aquisição de moléculas do hospedeiro

por parte deste.

A presença do casal, mas sobretudo o papel dos ovos. O granuloma provoca uma resposta imune importante no contrôle da reinfeção.

VACINA?


Diagn stico

Diagnóstico

O exame clínico indica o exame o direto - parasitológico de fezes.

No entanto, em infeções recentes a detecção de ovos apresenta baixa sensibilidade.


Diagn stico1

Diagnóstico

Métodos indiretos usam a investigação imunológica.

Os antígenos mais sensíveis são os isolados de extratos de ovo.

Proteínas específicas desses extratos já foram identificadas e seus genes clonados.


Vias metab licas peculiares

Vias Metabólicas Peculiares

Plasmodium, Schistosoma, e Trypanosoma (sanguíneo) usam a via glicolítica para a obtenção de energia.

Antimoniais afetam a fosfofrutoquinase (Schistosoma).

Em Schistosoma, a contração muscular é dependente da tomada de Ca2+ externo. Novamente vemos uma diferença entre nematóides e cestóides, uma vez que nestes últimos a contração muscular é dependente do Ca2+ endógeno.


Tratamento

Tratamento

O tratamento consiste em explorar as vias metabólicas peculiares.

Praziquantel - uma droga efetiva no tratamento de esquistossomose, afeta a contração muscular desses vermes aumentando o influxo de cálcio, uma vez que age em sítios específicos permeáveis ao cálcio no tegumento e na membrana sarcoplasmática do parasita levando a flacidez e paralisia do verme.


Caracter sticas

Características

Ainda é interessante notar que drogas cuja ação consiste num bloqueio de motilidade devem ter ação prolongada a ponto de dar tempo de se eliminar o parasita.

Por exemplo: metrifonato é eficiente para S. hematobium e não para S. mansoni.

O S. hematobium paralisado se solta das veias da bexiga e é carregado para os pulmões e daí são eliminados ou quando cessa o efeito da droga não conseguem voltar à bexiga.

Já S. mansoni solta das veias mesentéricas e é carregado para o fígado. Ao se recuperar da paralisia retorna para as veias mesentéricas.


Distribui o geogr fica

Distribuição geográfica


Controle

Controle

GRANULOMA

SISTEMA PORTA

FÍGADO

LARVAS

PULMÕES

VEIAS

MESENTÉRICAS

FEZES

PELE

ADULTOS

PENETRAÇÃO

ATIVA

OVOS

CERCÁRIA

MIRACÍDIO

ÁGUA

ÁGUA

QUIMIOTAXIA

LIBERAÇÃO

ESPOROCISTO

CARAMUJO


Epidemiologia

Epidemiologia

Do ponto de vista epidemiológico e de controle da doença, as medidas mais efetivas se encaminham para Saúde Pública e desenvolvimento de vacinas, uma vez que o controle do vetor é muito difícil.


Controle sanit rio

Controle sanitário

População:

Educação sanitária - uso de fossas ou rede de esgoto eficaz.

Canalização de água coletora.

Pessoais:

Não usar lagoas contaminadas para banho ou lavagem de roupa.


Leituras recomendadas

Leituras recomendadas

Parasitologia - Rey, L. Terceira edição

capítulos - 31, 32, 33 e 35.

Living together - The biology of animal parasitism -Trager, W. 1986

capítulos 2 e 21


  • Login