REFRAÇÃO DA LUZ
Download
1 / 25

REFRAÇÃO DA LUZ - PowerPoint PPT Presentation


  • 129 Views
  • Uploaded on

REFRAÇÃO DA LUZ. VARIAÇÃO DA VELOCIDADE DA LUZ, AO MUDAR DE MEIO, EM GERAL ALTERANDO A SUA DIREÇÃO DE PROPAGAÇÃO. VELOCIDADE DA LUZ. (vácuo). ÍNDICE DE REFRAÇÃO DA LUZ EM UM MEIO (n). Número que representa quantas vezes em um meio, a velocidade da luz é menor que no vácuo.

loader
I am the owner, or an agent authorized to act on behalf of the owner, of the copyrighted work described.
capcha
Download Presentation

PowerPoint Slideshow about ' REFRAÇÃO DA LUZ' - mya


An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript

VARIAÇÃO DA VELOCIDADE DA LUZ, AO MUDAR DE MEIO, EM GERAL ALTERANDO A SUA DIREÇÃO DE PROPAGAÇÃO.


VELOCIDADE DA LUZ ALTERANDO A SUA DIREÇÃO DE PROPAGAÇÃO.

(vácuo)

ÍNDICE DE REFRAÇÃO DA LUZ EM UM MEIO (n)

Número que representa quantas vezes em um meio, a velocidade da luz é menor que no vácuo



V=225.000km/s sendo n=2 e velocidade v.

V=125.000km/s

V=200.000km/s


Lei de snell

RI sendo n=2 e velocidade v.

N

i

1

2

r

RR

LEI DE SNELL

  • RI: Raio incidente.

  • RR: Raio refratado


Ao passar do meio 1 para o meio 2, se o raio refratado se sendo n=2 e velocidade v.aproxima da normal, a velocidade da luz diminui.

Ao passar do meio 1 para o meio 2, se o raio refratado se afasta da normal, a velocidade da luz aumenta.


1 sendo n=2 e velocidade v.

1

2

2


REFLEXÃO TOTAL sendo n=2 e velocidade v.

Considere a luz passando de um meio mais refringente para um meio menos refringente (n1>n2)

2

1



N sendo n=2 e velocidade v.

L

1

2

CÁLCULO DO ÂNGULO LIMITE


Fibra óptica sendo n=2 e velocidade v.

MIRAGENS


Profundidade aparente
PROFUNDIDADE APARENTE sendo n=2 e velocidade v.


observador sendo n=2 e velocidade v.

2

1

imagem

objeto


AR sendo n=2 e velocidade v.

AGUA

P

I

O


L minas de faces paralelas

i sendo n=2 e velocidade v.

E

r

LÂMINAS DE FACES PARALELAS

D


O ângulo de incidência na primeira face é igual ao ângulo de refração na segunda face. Portanto os raios incidente e refratado sâo paralelos.


DESVIO LATERAL ângulo de refração na segunda face. Portanto os raios incidente e refratado sâo paralelos.


PRISMA ângulo de refração na segunda face. Portanto os raios incidente e refratado sâo paralelos.

A

i1

i2

r2

r1

1

2

2

1

1ª face

2ª face

A: ângulo de abertura do prisma

i1: ângulo de incidência na 1ª face

r1: ângulo de refração na 1ª face

r2: ângulo de incidência na 2ª face

i2: ângulo de refração na 2ª face


EQUAÇÕES DO PRISMA ângulo de refração na segunda face. Portanto os raios incidente e refratado sâo paralelos.


ad