Download
1 / 38

Grupo Banco Africano de Desenvolvimento - PowerPoint PPT Presentation


  • 82 Views
  • Uploaded on

Estratégias para o Desenvolvimento de Infra-estruturas de Integração Regional e Crescimento Económico Prof. Mthuli Ncube Vice-Presidente & Economista Chefe Banco Africano de Desenvolvimento. Grupo Banco Africano de Desenvolvimento. AfDB.

loader
I am the owner, or an agent authorized to act on behalf of the owner, of the copyrighted work described.
capcha
Download Presentation

PowerPoint Slideshow about ' Grupo Banco Africano de Desenvolvimento' - moya


An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript

Estratégias para o Desenvolvimento de Infra-estruturas de Integração Regional e Crescimento Económico

Prof. Mthuli Ncube

Vice-Presidente & Economista Chefe

Banco Africano de Desenvolvimento

Grupo Banco Africano de Desenvolvimento

AfDB

Apresentação para o Seminário sobre: “Desafios do Crescimento Económico e Emprego”

Moçambique, 10 de Fevereiro de 2011


Estrutura da apresenta o
Estrutura da apresentação Integração Regional e Crescimento Económico

  • Estágio actual das infra-estruturas em África e implicações para o crescimento económico

  • Financiamento de Infra-estruturas de Desenvolvimento e o papel do BAD

  • Lições aprendidas das intervenções do BAD

  • Estratégias para desenvolvimento de infra-estruturas e futuro envolvimento com o BAD


ESTÁGIO ACTUAL DAS INFRA-ESTRUTURAS EM ÁFRICA E IMPLICAÇÕES PARA O CRESCIMENTO ECONÓMICO


  • Em Moçambiqu, o desenvolvimento da rede global de infra-estruturas encontra-se atrasada quando comparada aos países da região com excepção de duas dimensões (telefonia móvel e internet)

  • Moçambique encontra-se na posição 42 entre 53 países de acordo com o Indice de infra-estruturas do BAD


Aus ncia de liga es regionais das infra estruturas
Ausência de ligações regionais das infra-estruturas infra-estruturas encontra-se atrasada quando comparada aos países da região com excepção de duas dimensões (telefonia móvel e internet)

AICD – Consórcio Africano para Desenvolvimento de Infra-estruturas


Infra- infra-estruturas encontra-se atrasada quando comparada aos países da região com excepção de duas dimensões (telefonia móvel e internet) estruturas de Telecomunicações (TICs): Ligaçõesemfalta

Fonte: AUC, AfDB, WB Apresentação feita na Conferência sobre Objectivos do Milénio das Nações Unidas, Setembro de 2010


Estradas infra-estruturas encontra-se atrasada quando comparada aos países da região com excepção de duas dimensões (telefonia móvel e internet) : ligaçõesemfalta

Fonte: AUC, AfDB, WB Apresentação feita na Conferência sobre Objectivos do Milénio das Nações Unidas, Setembro de 2010


Energia infra-estruturas encontra-se atrasada quando comparada aos países da região com excepção de duas dimensões (telefonia móvel e internet) Eléctrica : Ligaçõesemfalta

Fonte: AUC, AfDB, WB Apresentacao feita na Conferencia sobre Objectivos do do Milenio das Nacoes Unidas, Setembro de 2010


Energia infra-estruturas encontra-se atrasada quando comparada aos países da região com excepção de duas dimensões (telefonia móvel e internet) Eléctrica: PotencialCapacidade para Exportação

Fonte: AUC, AfDB, WB Apresentação feita na Conferência sobre Objectivos do Milénio das Nações Unidas, Setembro de 2010


Porqu investir em infra estruturas
Porquê investir em Infra-estruturas? infra-estruturas encontra-se atrasada quando comparada aos países da região com excepção de duas dimensões (telefonia móvel e internet)

  • As infra-estruturascriam um ambientepropício para o desenvolvimento da actividadeeconómica:

    • Reduzoscustos da realização de negócios

    • Melhora a competitividade global e produção local

    • Promoveparcerias e fluxos de investimentoestrangeiro (IDE)

    • Promoveinvestimento e comércio trans-fronteiriço

      Portanto, investimentoem infra-estruturaspromoveproductividade e crescimento:

    • Umarede de infra-estruturasadequadapoderiaconferirganhos de produtividadenasfirmasAfricanasatéuma magnitude de 40%

    • Ė capaz de garantir um crescimentoeconómico de cerca de 2% porano


  • O crescimento económico de Moçambique não tem sido inclusivo, em parte devido à deficiente rede de infra-estruturas (altos custos de transporte e de energia eléctrica)

  • A competitividade da economia é baixa (encontrando-se na posição 131 entre 139 economias – Indice de Competitividade Global, 2010)


Porqu investir em infra estruturas1
Porquê investir em Infra-estruturas? inclusivo, em parte devido à deficiente rede de infra-estruturas (altos custos de transporte e de energia eléctrica)

  • A crescentepressão para um crescimentoeconómicomaisconsistenteemÁfrica, levou ao surgimento de:

    • Grandes cidades e rápidaurbanização

    • Grandesmercados de consumo

    • Maiorintegração com a economiamundial

      A rede de infraestruturasdeveexpandir para suportarestecrescimento


Porqu investir em infra estruturas2
Porquê investir em infra-estruturas? inclusivo, em parte devido à deficiente rede de infra-estruturas (altos custos de transporte e de energia eléctrica)

  • Infra-estruturaspermitemligações para com a indústria local

    • Desenvolvimento da indústriamanufactureira

    • Desenvolvimento da indústria de Construção

    • Desenvolvimento dos MercadosFinanceiros

    • Fonte de geração de emprego

      Destemodo, investimentos no desenvolvimento de infra-estruturas tem implicaçõesdirectas no crescimento do PIB

    • Espera-se que as infra-estruturas se tornemnaquarta (4ª)maiorfontegeradora de receitasemÁfrica


FINANCIAMENTO DE INFRA-ESTRUTURAS DE DESENVOLVIMENTO E O PAPEL DO BANCO AFRICANO DE DESENVOLVIMENTO


  • Anualmente, PAPEL DO BANCO AFRICANO DE DESENVOLVIMENTOÁfrica necessita de US$ 93 billion para financiar infra-estruturas

  • Investimento actual = US$ 45 biliões

  • Potencial ganho de eficiência e poupanças = US$17 biliões

  • Défice de financiamento = US$ 31 biliões


Instrumentos inovadores de financiamento
Instrumentos inovadores de financiamento PAPEL DO BANCO AFRICANO DE DESENVOLVIMENTO

  • A abordagemtradicional de Concepção-Concurso-Construçãodeulugar a novas abordagens de longo-prazo

  • Estasabordagensresultaramnaatracção de investidoresprivados para provisão de infra-estruturas, e sob diferentesformas: Parcerias Público-Privadas - PPPs (DB, DBOM, DBFO, BOO, BOT, BOOT, Concessão Total ouGestãoporPrograma)

    Vantagens:

  • Permitempoupançanoscustos

  • Serviços ao clientecompletamenteintegrados

  • Trasferência de tecnologia e conhecimento

  • Inovação

  • Melhorgestão dos activos

  • Melhornível e qualidade dos serviços

  • Potencial para criação de parcerias

  • Potencial para desenvolvimento de novas indústrias

  • Benefíciosemtermos de surgimento de economias de escala


Intrumentos inovadores de financiamento
Intrumentos inovadores de financiamento PAPEL DO BANCO AFRICANO DE DESENVOLVIMENTO

  • Embora as abordagens de financiamento de longoprazosejamatractivas, porémelastambémpossuemdesvantagens:

  • Processos de concursoonerosos

  • Períodos de concursobastantelongos

  • Reduçãonosníveis de competição (justiça social), geralmentedirecionados a grandesempreiteiros

  • Incertezasobre as relações de longoprazo

  • Questões de mobilização de recursosdevem ser tomadasemconsideração com antecedência

  • Perda de flexibilidade e controlo

Fonte: PekkaPakkala (2002)


Outras PAPEL DO BANCO AFRICANO DE DESENVOLVIMENTOfontesinovativas de financiamentoincluem:

  • Títulosemmoeda local

  • Títulosassociados a mercadorias

  • Emissão de títulosnadiáspora

  • Títulos de soberaniaexterna

  • Fundos de soberania

  • Entreatanto, estesinstrumentosrequereminstituições fortes e um ambientepolíticocredível

  • Contudopossuembenefícios

    • Prevalência de controlo por parte do Governo

    • Reduzem o risco do stress da dívidasoberana

    • Reduzem a instabilidade dos fluxosfinanceiros

    • Permitem o desenvolvimento dos mercadosfinanceirosdomésticos


  • Mecanismos de apoio do bad ao sector de infra estruturas
    Mecanismos de Apoio do BAD ao sector de infra-estruturas PAPEL DO BANCO AFRICANO DE DESENVOLVIMENTO

    • Empréstimos

      • Fundos de soberania e fundoscomunsregionais para operações

      • Fundosnão-soberanos (empréstimos e participações no capital das empresas)

    • Donativos para assistênciatécnica

      • FAPA (US$ 16 milhõesporano para apoio ao sector privado)

      • IPPF (US$ 15 milhõesporano para apoio a infra-estruturas de integração regional)

      • MIC (US$ 16 milhões para operaçõesemeconomias de rendimentomédio)

    • Instrumentos para cobertura de riscos

      • Garantias

      • Produtos para gestão do risco

    • Coordenação

      • Gestão do Consórcio de Infra-estruturas para África (ICA)

      • Agência de Execução do Programa de Desenvolvimento de Infra-estruturas para África (PIDA)


    Montantes aprovados pelo bad em mo ambique projectos em curso em 31 01 2011
    Montantes aprovados pelo BAD em Moçambique – Projectos em curso em 31.01.2011

    O sector de infra-estruturas continua a absorver maior parte dos recursos (cerca de 46%)


    Empr stimos e donativos para infra estruturas 2009
    Empréstimos e Donativos para Infra-estruturas - 2009 curso em 31.01.2011

    • Principaisprojectosregionaisrecentementefinanciados

    • Auto-estrada Kenya-Ethiopia

    • Auto-estradaMocambique-Malawi-Zambia

    • Auto-estrada Kenya-Tanzania

    • Infra-estrutura de trasmissao de energiaeléctrica Burundi-Rwanda-DRC-Kenya-Uganda

    US$6.05 Biliões para projectos de infra-estruturas

    US$700 Milhões para infra-estruturasregionais

    • Outrosprojectosregionaisfinanciados

    • US$2.3 biliões no projecto de energiaeléctricanaÁfrica do Sul

    • Pojectos de electricidade no Botswana, Kenya, Uganda, Ethiopia, Lesotho

    • Projectos de Transportes, electricidade e águasem Moçambique

    ONRI Presentation to COMESA-EAC-SADC 2010


    Projectos de infra estruturas de integra o regional do bad
    Projectos de infra-estruturas de integração regional do BAD

    • UA 1.17 biliões (equivalente a US$ 1.8 biliões) em 2009, correspondendo a um aumento de 57.9% em relação aos níveis de 2008 que foram de UA 741.10 milhões (US$ 1.1 bilião)

    • 20% dos recursos do Fundo Africano de Desenvolvimento (ADF-12) alocados a fundos para desenvolvimento de projectos regionais

    • Alargamento da base de recursos através de maior participação do sector privado

    • Mas ainda é necessario operar inovações


    Apoio do bad ao sector de infra estruturas em mo ambique
    Apoio do BAD ao sector de infra-estruturas em Moçambique BAD

    *Inclui o projecto multinacional do Corredor de Nacala (UA 102.7 milhões)

    • Historicamente, o sector dos transportes em Moçambique tem sido o maior beneficiário dos fundos do BAD.

    • A proposta de novos projectos indica que as infra-estruturas continuarão a absorver a maior parte dos recursos (43 % das alocações totais)

    MZFO, 2011


    Licoes aprendidas das interven es do bad

    Ganhos BAD de produtividade e eficiêncianosinvestimentosem infra-estruturas

    Custo-eficácia das operaçõesregionais

    Redução dos contrangimentos do investimentospúblicosatravés da iniciativaprivada

    LICOES APRENDIDAS DAS INTERVENÇÕES DO BAD


    Caso 1 parceria p blico privada ppp nas infra estruturas no senegal
    Caso 1: Parceria Público-Privada (PPP) nas infra-estruturas no Senegal

    Objectivos do projecto e seu financiamento:

    • Quatro projectos público-privados aprovados no sector de energia e transporte entre 2009 e 2011

    • Principal objectivo: melhorar acesso e eficiência, e reduzir os custos dos serviços de transporte e electricidade

    • EUR 1.1 bilião: financiamento mobilizado pelo sector privado, instituições de financiamento para desenvolvimento (incluindo o BAD), e sector público


    Caso 2 outros 3 bili es o3b em investimentos multinacionais
    Caso 2: Outros 3 biliões (O3B) em investimentos multinacionais

    Objectivos do projecto e financiamento:

    • O projecto envolveu o seu desenho, construção, lançamento e operacionalização de uma constelação de 8 satélites de órbita média

    • Objectivo: provisão de um serviço acessível, alto comprimento de banda, internet de alta qualidade e acesso a serviços de telefonia móvel celular nos mercados do interior em países em vias de desenvolvimento e economias insulares (Ilhas)

    • Um terço da capacidade destinada a África, incluindo a primeira vaga de utilizadores: Nigéria, DRC, Kenya, Tanzania, Malawi, Zâmbia, Camarões, Serra Leoa, e Ghana

    • Financiado através das instituições financeiras de desenvolvimento e com envolvimento do sector privado (US$1.1 bilião) numa base de recurso limitada


    O3b principais resultados
    O3b: Principais resultados multinacionais

    • Cobertura das ‘áreas brancas’ e ‘estados frágeis’ com infra-estrutura de telecomunicações de alta qualidade

    • Acesso melhorado a telefonia móvel, bandalarga e rede de dados em 9 países Africanos e.g. Ligação de 18 milhões de utentes à rede celular

    • Redução dos custos das telecomunicações no continente.

      • Poupança de custos vs equivalente ao uso de satélites de alta órbita estimada em US$1.3 biliões do valor actual presente líquido (NPV)

    • Integração regional através da expansão dos serviços de internet de bandalarga e acesso à telefonia móvel celular em muitos países Africanos


    Caso 3 programa do corredor norte sul
    Caso 3: Programa do Corredor Norte-Sul multinacionais

    Resultados de impacto:

    • Reduzir custos indirectos no comércio e.g. reduzir tempo de desembaraço aduaneiro de mercadorias de um prazo de 5 dias em 2009 para 37 horas

    • Melhorar a capacidade dos portos e.g. aumentar o volume de carga manuseada no Porto de Nacala de 0.9 milhões de toneladas em 2009 para 1.6 milhões de toneladas em 2015

    • Reduzir custos de transporte e trânsito em 25% em 2015 no corredor de Nacala


    Caso 4 projecto de apoio institucional no abastecimento de gua e saneamento em mo ambique
    Caso multinacionais 4: Projecto de Apoio Institucional no Abastecimento de Água e Saneamentoem Moçambique

    Objectivos do projecto e financiamento:

    • Melhoria no serviço de abastecimento de água e saneamento : Chókwè, Xai-Xai, Inhambane e Maxixe

    • Financiamento de UA 19.06 milhões – (US$ 28.5 milhões) (Crédito ADF + Donativo)

      Resultados de impacto:

    • Melhoria no acesso a água potável e infra-estruturas de saneamento e.g. 284 595 novos beneficiários de água potável

    • Redução nos custos de prestação dos serviços e.g. perdas não-operacionais reduzidas de 55% para cerca de 30%


    Estrat gias para investimento em infra estruturas e envolvimento do bad

    Mobilizar multinacionais recursosdomésticos

    Atrair o sector privado

    Investirem infra-estruturasregionais

    Investiremenergiaslimpas

    ESTRATĖGIAS PARA INVESTIMENTO EM INFRA-ESTRUTURAS E ENVOLVIMENTO DO BAD


    Estrat gias para mocambique
    Estratégias para Mocambique multinacionais

    Desempenhandocadavezmelhor as mesmasfunções:

    • Melhorar a eficiêncianaalocação de recursos

      • Perdasestimadasem 17$ biliões/anocomoresultado de ineficiência do sector de infra-estruturasemÁfrica

    • Aumento da alocação de recursospúblicos para despesas de capital para ambos novosinstrumentos e manutenção

      O papel do Banco Africano de Desenvolvimento

    • Concessão de empréstimosbaseados no desempenho das Políticas, e.g. Programa de reforma do sector da energianaNigéria

    • AssistênciaTécnica, e.g. Donativo para assistênciatécnica do FAPA acompanhado de umaintervenção do sector privado


    Estrat gias para mo ambique
    Estratégias para Moçambique multinacionais

    Mobilização de recursosdomésticos

    • Emissão de títulos da dívida para desenvolvimento de infra-estruturasdenominadosemmoeda local

    • Exemplo – títulos de infra-estruturagovernamental de longoprazo no Kenya

      • Trêsséries de títulos da dívida para infra-estruturasgovernamentaisavaliadasem (US$1 bilião) emitidas com sucessodesde 2009

        O papel do Banco Africano de Desenvolvimento:

    • O Tesouro juntamente com a Iniciativa para o Funcionamento dos MercadosFinanceirosemÁfrica (MFW4A) devemdesenvolverosmercadosfinanceiros no continente e.g. Assistênciatécnicanaemissão de títulos da dívida, planos para investiremmoeda local nostítulosemitidospelospaísesmembros (RMCs)

    • Empréstimosbaseados no desempenho das políticas para apoio ao sector financeiro


    Estrat gias para mo ambique1
    Estratégias para Moçambique multinacionais

    Atrair capital privado (estrangeiro)

    • Modelo das parceriaspúblico-privadas (PPP)

    • Exemplo: Auto-estrada com portagem – Senegal Dakar

      • Custo total - EUR 223 milhões (Instituições de Financiamento para Desenvolvimento, concessionárioestrangeiro, bancocomercial local, governo)

      • Melhorianabancabilidade dos projectosatravés de (i) financiamento de longaduraçãoemmoedaestrangeira (ii) défice de viabilidade do projectosubsidiadopelo Estado

        O papel do Banco Africano de Desenvolvimento:

    • Financiador

    • Papel de lídernaoperação de financiamento e.g. Projecto de Energia Eólica do Lago Turkana no Kenya

    • Papel de intermediáriofiel do Crédito e.g. Plantações de Cana-de-açúcar de Markala no Mali

    • Gestão de riscoatravés da combinação de moedas e prazos de maturidade


    Estrat gias para mo ambique2
    Estratégias para Moçambique multinacionais

    Atarir capital privadoestrangeiro

    • Fundos de comparticipaçãoprivados, títulos de soberaniaexterna, investidores de mercadosemergentes

    • Exemplo: Fundo de Investimento em Infra-estrutura de África 2 (AIIF-2)

      • Fundo de US$ 500 milhões; mobilização de US$5 biliões de financiamentoadicional

      • Investimentos de comparticipação de US$ 10 – 100 milhõesaté um máximo de 15 projectos

      • Alvo: sectores de electricidade e transportesna Africa Subsahariana

        O Papel do Banco Africano de Desenvolvimento:

    • Comparticipaçãonaestrutura de capital oucrédito para financiamento e.g. AIIF-2, Fundo de Infra-estruturas de Argan

    • Influenciar o alcancegeográfico das infra-estruturas PEFs /parceirosemergentes

    • Influenciar as boas práticas e padrões de infra-estruturas PEFs / perceirosemergentes


    Estrat gias para mo ambique3
    Estratégias para Moçambique multinacionais

    Investirem infra-estrutura regional

    • Projectoshidroeléctricosregionaissãoosqueapresentammenorescustos de desenvolvimentoestratégico e Moçambique possui um elevadopotencial

    • Corredores de transporte para capitalizar no acesso ao mar, e.g. Corredor Norte-Sul

      O Papel do Banco Africano de Desenvolvimento:

    • Financiador e.g. cerca de US$ 1 bilião para financiarosprojectos do corredor Norte-Sul. (actualmente o Banco está a financiar o projecto do corredor de Nacala com US$150 milhões)

    • Preparação de projectos e assistênciatécnica, e.g. US$ 11.6 milhõesalocados no âmbito da NEPAD-IPPF para osprojectos do corredor Norte-Sul

    • Intermediáriofiel no acesso ao crédito


    Estrat gias para mo ambique4
    Estratégias para Moçambique multinacionais

    Desenvolvimento de Energias “Limpas”

    • Capitalizar no potencial de recursosemenergias “limpas” e renováveis” (hidrico, vento), potencialem bio-energia

    • Investir no financiamento de tecnologias “limpas”

      O papel do Banco Africano de Desenvolvimento:

    • Experiêncianaconcepção e financiamento de projectos e.g. financiamento do projecto de produção de energiaeólicaem Cabo Verde - Cabeolica, e plantações de cana-de-açúcar de Markala no Mali

    • Financiamento ao sector público e privado

    • Facilidades para gestão do risco


    MUITO OBRIGADO multinacionais

    Gabinete do Economista Chefe

    Banco Africano de Desenvolvimento


    ad