Clube de correspond ncia
This presentation is the property of its rightful owner.
Sponsored Links
1 / 27

Clube de correspondência PowerPoint PPT Presentation


  • 61 Views
  • Uploaded on
  • Presentation posted in: General

Clube de correspondência. Filme – “Cartas para Julieta”. Ano de produção – 2010 País de origem – Estados Unidos Realização – Gary Winick Elenco: Amanda Seyfried (Sophie) Vanessa Redgrave (Claire) Christopher Egan (Charlie) Gael García Bernal (Victor) Franco Nero (Lorenzo). Sinopse

Download Presentation

Clube de correspondência

An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Presentation Transcript


Clube de correspond ncia

Clube de correspondência


Clube de correspond ncia

Filme – “Cartas para Julieta”

  • Ano de produção – 2010

  • País de origem – Estados Unidos

  • Realização – Gary Winick

  • Elenco:

    • Amanda Seyfried (Sophie)

    • Vanessa Redgrave (Claire)

    • Christopher Egan (Charlie)

    • Gael García Bernal (Victor)

    • Franco Nero (Lorenzo)


Clube de correspond ncia

  • Sinopse

  • Sophie e Victor viajam à Verona, cidade em que se ambienta a história de Romeu e Julieta para uma pré lua-de-mel. Só que Victor está mais interessado em fazer contatos para seu futuro restaurante em Nova York, enquanto Sophie se distrai com um grupo de voluntárias que responde cartas endereçadas à Julieta, procurando conselhos amorosos. Enquanto ajuda as voluntárias, ela encontra uma carta escrita em 1957 de uma senhora chamada Claire. Sophie responde à carta e Claire, acompanhada de seu neto Charlie, vão à Itália, tentar encontrar Lorenzo, o verdadeiro amor de Claire.


Romeu e julieta

Romeu e Julieta

  • Baseada no livro Metamorfoses, do poeta latino Ovídio, Romeu e Julieta é, provavelmente, uma das obras literárias mais conhecidas da literatura universal.

  • Escrita em 1591 por William Shakespeare, trata da trágica história de amor entre dois jovens de duas famílias rivais da cidade de Verona, na Itália.

  • Em Verona, a casa, suposto local onde a tragédia é ambientada, tornou-se ponto turístico e atrai muitos visitantes todos os anos.

  • O enredo do filme é baseado numa história real, e a atividade do grupo de voluntárias que respondem às centenas de cartas recebidas a cada semana é reconhecida como patrimônio imaterial da cidade.

  • Depois do filme, um livro de mesmo nome foi escrito, reunindo algumas das cartas mais belas que as voluntárias já receberam.


Clube de correspond ncia

Algumas imagens de Verona e das regiões, cenário do filme “Cartas a Julieta”

Visão panorâmica

Casa de Julieta (cenário do filme)


Clube de correspond ncia

Verona é uma das cidades mais importantes de uma região ao norte da Itália conhecida como “Vêneto”.

Forma com Veneza, Brescia, Milão e Turim o grupo das mais ricas e industrializadas cidades italianas.

Na época em que se passa a história de Romeu e Julieta, o desenvolvimento do comércio fizera florescer uma rica classe burguesa, que passou a disputar poder com as famílias nobres locais. Nesse pano de fundo de disputa entre famílias nobres e burguesas, ocorre a trágica morte dos jovens amantes.


Algumas cenas do filme

Algumas cenas do filme


Carta que claire escreve a julieta

Carta que Claire escreve a Julieta

Querida Julieta,

Não fui ao encontro de Lorenzo. Em seus olhos havia tanta confiança. Prometi me encontrar com ele para fugirmos porque meus pais não aprovam. Em vez disso, eu o deixei esperando por mim sob nossa árvore. Esperando, perguntando-se onde eu estava. Eu estou em Verona agora. Volto para Londres amanhã cedo. Estou com muito medo agora. Por favor, Julieta, diga-me o que devo fazer. Meu coração está partido e eu não tenho ninguém mais a quem recorrer.

Com carinho,

Claire.


Clube de correspond ncia

  • Trecho da resposta (que é lido no filme)

  • «Querida Claire,

  • [...]

  • “E” e “Se” são duas palavras tão inofensivas quanto qualquer palavra. Mas coloque-as juntas, lado a lado, e elas têm o poder de assombrá-la pelo resto de sua vida.

  • 'E se?'... E se? E se?

  • Não sei como sua história acabou. Mas se o que você sentia na época era amor verdadeiro, então nunca é tarde demais. Se era verdadeiro, então, por que não o seria agora? Você só precisa ter coragem para seguir seu coração.

  • Não sei como é sentir amor como o de Julieta, um amor pelo qual abandonar os entes queridos, um amor pelo qual cruzar os oceanos. Mas gosto de pensar que, se um dia eu o sentisse, eu teria a coragem de agarrá-lo.

  • E se você não o fez, espero que um dia o faça.

  • Com todo o meu amor,

  • Julieta»


Algumas caracter sticas de uma boa resposta completar na hora

Algumas características de uma boa “resposta” (completar na hora)


Um exemplo de carta do clube de correspond ncia

Uberlândia, 13 de março de 2008.

Querida Camila Oliveira

Eu também estou participando do projeto Engeset. Eu estou interessada em trocar correspondência com você.

Eu aceito corresponder as suas cartas.

Eu também quero saber muitas coisas sobre você.

Eu vou perguntar para você coisas que eu quero saber.

Eu estou curiosa para saber quem é você?

Eu estou muito interessada em saber sobre este projeto?

Como este projeto funciona?

Um beijo para você,

[Assinatura da criança]

Um exemplo de carta do clube de correspondência


Algumas caracter sticas de uma boa resposta

Algumas características de uma boa “resposta”

Após os cumprimentos iniciais e saudações:

  • Retomar o assunto da carta recebida, relembrando de forma resumida as perguntas que a criança correspondente fez.

  • Responder a todas as perguntas feitas pela criança, apresentando suas opiniões e o que você acha. Isso é importante para deixar a correspondência mais pessoal.

  • Fazer provocações com algumas perguntas, sobre o mesmo assunto da resposta. Pedir a opinião da criança.

  • Lançar um novo assunto:

    • Contando algo que você fez, algo que viu, pensou, sentiu;

    • Fazendo perguntas sobre um fato de conhecimento público que tem a ver com o assunto;

    • Comentando sobre algo da própria carta da criança.

      5. Encerrar sempre de forma positiva, antes das fórmulas de despedida.


Finaliza o da viv ncia debate com os l deres

Finalização da vivência: debate com os líderes

  • Como responder às cartas das crianças?

  • O que fazer quando a escrita da criança parece insuficiente ou frágil – já que o professor não poderá intervir?


Algumas possibilidades

Algumas possibilidades:

  • Escrever mais cartas;

  • Aceitar a carta da criança como tal;

  • Retomar, na resposta, elementos da carta da criança para ela perceber o problema;

  • Mencionar o problema na carta-resposta;

  • Comentar com o líder social (que poderá levantar se um problema determinado é muito comum e encaminhar essa questão para a direção da escola e/ou o/a professor/a da classe parceira);

  • Simplesmente não fazer nada;


Algumas recomenda es para os volunt rios

Algumas recomendações para os voluntários

  • Elementos característicos das cartas:

    • Local e Data

    • Saudação

    • Corpo do texto

      • Deve haver uma segmentação em três parágrafos de tamanhos mais ou menos aproximados. Esses parágrafos devem conter:

  • 1o. Parágrafo: cumprimentos iniciais (tomada de contato com o interlocutor)

  • 2o. Parágrafo: retomada da carta enviada pelo correspondente, resposta a possíveis perguntas e anúncio das novidades.

  • 3o. Parágrafo: anúncio de novo assunto, com perguntas referentes a ele.

  • 4o. parágrafo: Fecho da carta, com saudações, despedidas, e desejos finais.

    • Assinatura


Clube de correspond ncia

  • Recomendações:

    • Utilizar um papel de carta apropriado, se possível pautado.

    • Utilizar um envelope subscritado (ao menos o nome do destinatário e o do remetente) – Caso o voluntário coloque o endereço, este deve ser o da empresa/comitê.

    • Cuidado especial com a caligrafia, que deve ser legível, afinal, o voluntário está escrevendo para uma criança... Caso o voluntário já não esteja mais acostumado a escrever à mão, e sua letra seja pouco legível, é preferível até digitar a carta no computador e enviar à criança a versão impressa do texto.

    • Cuidado especial com a ortografia e com o uso das regras gramaticais (concordância, regência, colocação, pontuação).

    • Se o voluntário quiser acrescentar desenhos ou ilustrações, que sejam colocados na carta de modo que não ocupem mais espaço do que a escrita e não atrapalhem a leitura.


Clube de correspond ncia

  • Se possível, faça um rascunho de sua carta antes de passá-la a limpo e enviar a versão final para a criança. Isso demonstra um carinho especial para com o interlocutor. (Afinal, todo mundo gosta de receber um texto limpo, legível e bem organizado, não é mesmo? )

  • Ao responder à carta da criança, será mais fácil recuperar os assuntos e dar respostas às questões da criança se tiver em mãos a carta que a criança enviou.

  • Importante: não se esqueça nunca de assinar a carta, mas evite colocar a palavra “assinado” ou “assinatura” antes do seu nome.

  • Voluntário: lembre-se de que você está escrevendo para uma criança. Determinadas palavras ou expressões comuns na linguagem dos adultos podem não ser compreendidas corretamente pela criança.

  • Evitar promessas que não possam ser efetivamente cumpridas e que impliquem responsabilidade por parte do voluntário (saídas, passeios, doações, presentes, encontros, troca de endereços pessoais, etc.). Para isso ocorrer, seria necessário o consentimento dos pais ou responsáveis pela criança.


Clube de leitura

Clube de Leitura


Clube de correspond ncia

O que mobiliza o interesse de crianças ou adultos para determinados tipos de leitura?

Ao se constituir como leitora, cada pessoa desenvolve posturas, estilos e preferências que tornam sua relação com os textos bastante particular.

Propomos a leitura compartilhada do conto “Felicidade Clandestina” escrito por Clarice Lispector, e publicado em 1971. Este conto, redigido em primeira pessoa, retrata momentos da infância da autora em que sua felicidade está subordinada à oportunidade de acesso a um determinado livro. O desenrolar da narrativa apresenta personagens cujas atitudes diante da leitura se mostram bem diferentes e até mesmo antagônicas.


Finaliza o da viv ncia debate com os l deres1

Finalização da vivência: debate com os líderes

  • - Qual o principal objetivo das oficinas de leitura?

  • Como o voluntário deve preparar a condução das oficinas?

  • O que fazer quando as crianças encontram dificuldades na compreensão do texto lido?


Algumas recomenda es para os volunt rios1

  • O principal objetivo das oficinas é estimular nas crianças o prazer pela leitura. Assim, o melhor resultado possível será um interesse maior das crianças pela leitura.

  • As oficinas precisam ser cuidadosamente preparadas:

  • Antes das oficinas...

  • - Combinar previamente com a escola qual oficina será feita e como o trabalho será conduzido por voluntários e professor.

  • - Providenciar exemplares dos textos que serão lidos e outros materiais necessários.

  • - Ler antecipadamente o livro e o detalhamento da oficina.

Algumas recomendações para os voluntários


Algumas recomenda es para os volunt rios2

  • Durante as oficinas...

  • Assegurar clima agradável com as crianças.

  • Apresentar informações sobre o livro e seu autor.

  • Explorar capa, contra-capa e título da obra.

  • Variar a entonação da voz e abusar dos gestos durante a leitura da história, criando clima de suspense e levando as crianças a interagirem com o texto.

  • Conversar com a turma sobre as atitudes dos personagens e o final da história.

  • Propor ao grupo o reconto da história.

  • Ao final das oficinas...

  • Avaliar o trabalho junto com os alunos.

  • Auto-avaliação do voluntário e do professor.

Algumas recomendações para os voluntários


Algumas recomenda es para os volunt rios3

  • Se o voluntário percebe que os alunos tiveram dificuldade para compreender o texto lido poderão ser utilizadas estratégias como: uma conversa sobre o que não foi compreendido; retomar o texto em outro momento, com outra dinâmica de trabalho; trazer um texto semelhante numa próxima oficina, etc.

Algumas recomendações para os voluntários


Agenda dos comit s proposta

Agenda dos comitêsProposta


Plano de trabalho dos l deres a es b sicas dos clubes proposta de agenda de a es

Plano de trabalho dos líderes (ações básicas dos clubes – Proposta de agenda de ações

(*) Escolha da oficina a critério do comitê e da escola. Escolha das turmas – preferencialmente 4º ou 5º ano. Ações realizadas a mais são consideradas resultados não esperados. Poderão ser noticiadas no acompanhamento.


Clube de correspond ncia

Algar Educa

Assessoria Educacional

Criação Consultoria

Av. Santo Amaro, 1817, sala 75

04505-003 – São Paulo – SP

(11) 5093-1997

[email protected]

[email protected]

[email protected]


  • Login