Valorizando e defendendo a nova gera o
This presentation is the property of its rightful owner.
Sponsored Links
1 / 39

VALORIZANDO E DEFENDENDO A NOVA GERAÇÃO PowerPoint PPT Presentation


  • 43 Views
  • Uploaded on
  • Presentation posted in: General

VALORIZANDO E DEFENDENDO A NOVA GERAÇÃO. “Deixem vir a mim as crianças e não as impeçam; pois o Reino dos céus pertence aos que são semelhantes a elas”. Mateus 19: 14. Objetivo da CBB em 2013:.

Download Presentation

VALORIZANDO E DEFENDENDO A NOVA GERAÇÃO

An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Presentation Transcript


Valorizando e defendendo a nova gera o

VALORIZANDO E DEFENDENDO A NOVA GERAÇÃO

“Deixem vir a mim as crianças e não as impeçam; pois o Reino dos céus pertence aos que são semelhantes a elas”. Mateus 19: 14


Objetivo da cbb em 2013

Objetivo da CBB em 2013:

Valorizar as crianças, adolescentes e jovens, com ações educacionais e sociais que possibilitem o desenvolvimento espiritual, físico e mental da NOVA GERAÇÃO, como também promover o combate a violência, pedofilia, prostituição e trabalho infantil


Objetivos do estudo

Objetivos do estudo:

  • Conhecer as leis e os órgãos públicos que protegem crianças e adolescentes

  • Assumir o compromisso de valorizar e defender a NOVA GERAÇÃO

  • Buscar formas de atuar na vida de cada criança e adolescente do seu convívio agindo com afeto e solidariedade.


Quebra gelo

QUEBRA – GELO

Como construir um Brasil melhor e mais justo para a criança e o adolescente?

Técnica do cochicho: Em dupla refletir sobre a pergunta. Convidar dois representantes de duplas para expor seus pensamentos


Leitura b blica

LEITURA BÍBLICA

Naquele momento os discípulos chegaram a Jesus e perguntaram: “Quem é o maior no Reino dos céus?” Chamando uma criança, colocou-a no meio deles, e disse: “Eu lhe asseguro que, a não ser que vocês se convertam e se tornem como crianças, jamais entrarão no Reino dos céus. Portanto, quem se faz humilde como esta criança, este é o maior no Reino dos céus. Quem recebe uma destas crianças em meu nome, está me recebendo. Mateus 18: 1 a 5


1 valorizar conhecer as leis

1- VALORIZAR É CONHECER AS LEIS

Estatuto da Criança e do Adolescente - Artigo 7 - § 4º

A LEI PUNIRÁ SEVERAMENTE O ABUSO, A VIOLÊNCIA E A EXPLORAÇÃO SEXUAL DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE.


Declara o dos direitos da crian a

Declaração dos Direitos da Criança

1. Direito à igualdade, sem distinção de raça, religião ou nacionalidade;

2. Direito à especial proteção para seu desenvolvimento físico, mental e social;

3. Direito a um nome e a uma nacionalidade;

4. Direito a alimentação, moradia e assistência médica adequadas para a criança e a mãe;

5. Direito a educação e a cuidados especiais para a criança física ou mentalmente deficientes;


Valorizando e defendendo a nova gera o

6. Direito ao amor e à compreensão por parte dos pais e da sociedade;

7. Direito à educação gratuita e ao lazer infantil;

8. Direito de ser socorrido em primeiro lugar no caso de catástrofes;

9. Direito de ser protegido contra o abandono e a exploração no trabalho;

10. Direito a crescer dentro de um espírito de solidariedade, compreensão, amizade e justiça entre os povos.


Constitui o da rep blica do brasil

Artigo 227 diz:

“É dever da família, da sociedade e do Estado assegurar à criança e ao adolescente, com absoluta prioridade, o direito à vida, à saúde, à alimentação, à educação, ao lazer, à profissionalização, à cultura, à dignidade, ao respeito, à liberdade e à convivência familiar e comunitária, além de colocá-los a salvo de toda forma de discriminação, exploração, violência, crueldade e opressão”.

Constituição da República do Brasil


Estatuto da crian a e do adolescente eca

Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA)

A Lei Nº 8.069 de 1990 diz:

  • Do Direito à Vida e à Saúde

    Art. 7ºA criança e o adolescente

    têm direito a proteção à vida e à

    saúde, mediante a efetivação

    de políticas sociais públicas que

    permitam o nascimento e o

    desenvolvimento sadio e

    harmonioso, em condições

    dignas de existência

    § 4ºA LEI PUNIRÁ SEVERAMENTE O ABUSO, A VIOLÊNCIA E A EXPLORAÇÃO SEXUAL DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE.


Valorizando e defendendo a nova gera o

INFÂNCIA

CONSIDERA-SE CRIANÇA A PESSOA ATÉ OS

12 ANOS DE IDADE , INCOMPLETOS

E ADOLESCENTES

AQUELAS ENTRE DOZE E DEZOITO ANOS DE IDADE (ECA )


2 valorizar identificar a situa o em que vive

2- VALORIZAR É IDENTIFICAR A SITUAÇÃO EM QUE VIVE


Valorizando e defendendo a nova gera o

Tipos de violência

Violência contra Crianças e Adolescentes

Modalidades

Conseqüências

Física

Psicológica

Negligência

Sexual

Fatal

Não Fatal


Situa o de risco

SITUAÇÃO DE RISCO:


1 conflitos familiares

1- CONFLITOS FAMILIARES

“E vós, pais, não provoqueis à ira a vossos filhos, mas criai-os na doutrina e admoestação do Senhor”. Efésios 6:4


Valorizando e defendendo a nova gera o

2- TURISMO SEXUAL


3 os perigos da internet pedofilia ass dio pornografia

3- OS PERIGOS DA INTERNET: Pedofilia, Assédio, Pornografia


4 trabalho infantil

4-TRABALHO INFANTIL


5 prostitui o infantil

5 - PROSTITUIÇÃO INFANTIL

TIPOS DE VIOLÊNCIA SEXUAL

  • ASSÉDIO

  • ● ESTUPRO

  • ● ATENTADO VIOLENTO AO PUDOR

  • ● PORNOGRAFIA INFANTIL

  • ● EXPLORAÇÃO SEXUAL


6 depend ncia qu mica

6 - DEPENDÊNCIA QUÍMICA


7 viol ncia moral e psicol gica

7 – VIOLÊNCIA MORAL E PSICOLÓGICA


8 neglig ncia

8 - NEGLIGÊNCIA


Alerta aos pais

ALERTA AOS PAIS:

Analisar qualquer mudança na vida do menor, como:

Ansiedade excessiva, presença de pesadelos, dificuldade ou medo de dormir, perda ou excesso de apetite, enurese noturna ou problemas intestinais, comportamento muito agressivo ou de isolamento, falta de concentração, sexualidade aflorada precocemente, relutância em voltar para casa, ausências na escola, desconfiança quanto aos adultos (especialmente os que lhe são próximos), ideias ou tentativas de suicidio, autoflagelação – machucar-se por vontade própria, fugas do lar e hiperatividade,agressão sexual e coerção com outra criança


3 valorizar denunciar o ofensor

3- VALORIZAR É DENUNCIAR O OFENSOR


Estatuto da crian a e do adolescente eca1

ESTATUTO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE (ECA)

  • Art. 5º. Nenhuma criança ou adolescente será objeto de qualquer forma de negligência, discriminação, exploração, violência, crueldade e opressão, punido na forma da lei qualquer atentado por ação ou omissão aos seus direitos fundamentais

  • Art. 13º. Os casos de suspeita ou confirmação de maus-tratos contra criança ou adolescente serão obrigatoriamente comunicados ao Conselho Tutelar da respectiva localidade, sem prejuízo de outras providências legais


A viol ncia pode ser intrafamiliar ou extrafamiliar

A violência pode ser intrafamiliar ou extrafamiliar


Valorizando e defendendo a nova gera o

Fonte da imagem: http://extra.globo.com/fotos/2007/08/27/27_MHG_EXTRA_ABUSO.jpg


Papel da igreja fam lia e outras institui es sociais

Papel da igreja, família e outras instituições sociais

Realizar o acolhimento ao ofendido

Denunciar o ofensor

Restaurar vidas: do ofensor e do ofendido

Agir como uma rede de apoio


4 valorizar acolher o ofendido

4- VALORIZAR É ACOLHER O OFENDIDO

“ Da mesma forma, o Pai de vocês, que está nos céus, não quer que nenhum destes pequeninos se perca”. Mt 18:14


Valorize e defenda a nova gera o

Valorize e defenda a Nova Geração


Den ncia

Denúncia

Por telefone: 

o número 100,do Disque Denúncia Nacional é subordinado à Secretaria de Direitos Humanos do Ministério da Justiça. A ligação é gratuita e o serviço funciona diariamente das 8h às 22h, inclusive nos finais de semana e feriados. As denúncias são analisadas e encaminhadas aos órgãos de defesa num prazo de 24h.Por e-mail: 

para a Secretaria Especial dos Direitos Humanos no e-mail: [email protected]


Institui es de apoio

Instituições de apoio:

Ministério Público

Conselho Tutelar e GPCA

Visão Mundial

Instituto zero a seis

UNICEF

CEIIAS


Aplica o do estudo

Aplicação do estudo:

  • Como a família, a igreja e a escola podem valorizar e proteger a nova geração?

  • Você conhece crianças que vivem em situação de risco? Como você pode ajudar a família dessas crianças?

  • Como a Igreja deve exercer sua função social na vida da Nova Geração?


Valorizando e defendendo a nova gera o

Vídeos sugeridos:

UNICEF e você, juntos pelas as crianças.

Kea – Direitos das crianças. Versão – Revelação da Música Brasileira.

You Tube – Turma da Mônica: Violência Infantil

You Tube - Violência contra crianças Caso Emilly


Valorizando e defendendo a nova gera o

Sites sugeridos:

  • www.visaomundial.org.br/criancas

  • Instituto Zero a Seis, SP - www.zeroaseis.org.br

  • CEIIAS, RJ - www.ceiias.org.br

    Material Complementar:

  • Palestra: Violência - Drª Adriana Wanderley

  • TERAPIA FAMILIAR E OFENSA SEXUAL NA INFÂNCIA E ADOLESCÊNCIA – Lourdes Perez/UFPE


Valorizando e defendendo a nova gera o

UFMBBwww.ufmbb.org.br

MCA

Revista Visão Missionária

Pesquisa: www.imagens.google.com.br

Produção: [email protected]


  • Login