Refra o da luz
This presentation is the property of its rightful owner.
Sponsored Links
1 / 30

Refração da Luz PowerPoint PPT Presentation


  • 111 Views
  • Uploaded on
  • Presentation posted in: General

Refração da Luz. Narciso- Michelangelo Caravaggio - 1598. c → velocidade da luz no vácuo = 3x10 8 m/s v → velocidade da luz no meio em questão. n ar = n vácuo = 1 O índice de refração sempre será maior ou igual a 1 . Nunca menor que 1 !!! Fique atento !. Índice de Refração.

Download Presentation

Refração da Luz

An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Presentation Transcript


Refra o da luz

Refração da Luz

Narciso- Michelangelo Caravaggio- 1598


Ndice de refra o

c → velocidade da luz no vácuo = 3x108m/s

v→ velocidade da luz no meio em questão.

nar = nvácuo = 1

O índice de refração sempre será maior ou igual a 1. Nunca menor que 1!!! Fique atento!

Índice de Refração


Leis da refra o

Leis da Refração


Ndice de refra o1

Índice de Refração

O desvio que a direção de propagação da luz sofre ao passar do meio 1 para o meio 2 depende da velocidade em cada meio.

n12=v1/v2

A velocidade da luz é menor na água ou no vidro, do que no vácuo


Leis da refra o da luz

Leis da Refração da Luz

  • 1ª Lei da Refração:

    “O raio incidente, o raio refratado e a reta normal são coplanares.”

  • 2ª Lei de Refração (Snell-Descartes)

    nA.sen i = nB.sen r


Situa es

Situações

nA < nB

“Incide em um meio mais refringente”


Situa es1

Situações

nA> nB

“Incide em um meio menos refringente”


Sempre sofre desvio

Sempre sofre desvio?

  • Nem sempre!

  • São duas as situações em que isso acontece!

  • Quando os índices de refração são iguais, e quando o raio incide perpendicularmente a superfície!!!


Situa es de desvio do nosso dia

Situações de desvio do nosso dia


Situa es de desvio do nosso dia1

Situações de desvio do nosso dia


Reflex o total ou interna passo a passo n 1

Reflexão Total (ou Interna) (passo a passo) nº 1


Reflex o total ou interna passo a passo n 2

Reflexão Total (ou Interna) (passo a passo) nº 2


Reflex o total ou interna passo a passo propriamente dita

Reflexão Total (ou Interna) (passo a passo) “propriamente dita”


C lculo do ngulo limite l

Cálculo do ângulo limite (L)


Sendo assim

Sendo assim...

  • O fenômeno da Reflexão Total(ou Reflexão Interna) só pode acontecer quando o raio incidir em um meio menos refringente.

  • E só acontece quando o ângulo de incidência for maior que o ângulo limite (L)


Exemplos da presen a da reflex o total ou interna no nosso dia

Exemplos da Presença da Reflexão Total (ou Interna) no Nosso Dia.

comunicação

endoscopia


Exemplos da presen a da reflex o total ou interna no nosso dia1

Exemplos da Presença da Reflexão Total (ou Interna) no Nosso Dia.


L minas de faces paralelas

Lâminas de Faces Paralelas


Di ptro plano 1 caso olhando para a gua

Dióptro Plano1º caso (olhando PARA a água)


Di ptro plano 2 caso olhando da a gua

Dióptro Plano2º caso (olhando DA a água)


Equa o

Equação

  • Uma equação que “funciona qualquer situação”.

  • di→ profundidade ou altura da imagem.

  • do → profundidade ou altura do objeto.

  • npassa → meio no qual a luz incide

  • nprovém → meio na qual a luz “veio”


Prisma ptico

A

i1

i2

r1

r2

A

Prisma Óptico


Vari veis

Variáveis

  • i1 e r1→ ângulo de incidência e refração na primeira face.

  • r2e i2→ ângulo de incidência e refração na segunda face (respectivamente).

  • α → desvio na primeira face.

  • β→ desvio na segunda face.

  • δ→ desvio total.

  • A→ abertura do prisma.


As equa es

As equações

  • Para desvio mínimo


Dispers o da luz branca

Dispersão da Luz Branca

  • Acontece devido cada frequência (entenda “cor”) ter um índice de refração diferente dentro do prisma.


Dispers o da luz branca arco ris

Dispersão da Luz Branca (Arco Íris)


Miragens

Miragens

Miragens acontecem quando os raios de luz que atingem nossos olhos atravessaram um meio não homogêneo (o ar) onde o índice de refração não é constante, devido normalmente à variações de temperatura


Miragens1

Miragens


Miragens2

Miragens

A miragem mais comum é a observada quando a temperatura do ar é mais elevada nas camadas mais próximas da superfície porém, em regiões muito frias, ou no mar, pode ocorrer o contrário, o ar nas camadas mais baixas é mais frio. Essas miragens assustaram muitos navegadores nos séculos passados.


Miragens3

Miragens

Os objetos podem aparecer flutuando no céu, como na figura, ou simplesmente aparecer no horizonte, em uma posição mais alta do que realmente se encontra, como acontece no pôr do sol.


  • Login