Meios de transmiss o item 2 2 tanenbaum cap 3 stallings
Sponsored Links
This presentation is the property of its rightful owner.
1 / 35

MEIOS DE TRANSMISSÃO Item 2.2 – Tanenbaum Cap. 3 – Stallings PowerPoint PPT Presentation


  • 117 Views
  • Uploaded on
  • Presentation posted in: General

MEIOS DE TRANSMISSÃO Item 2.2 – Tanenbaum Cap. 3 – Stallings. Profª Angélica da Silva Nunes. CONCEITOS. qualidade na transmissão: meio de transmissão características do sinal meios de transmissão: guiados: meio sólido - o próprio meio determina o limite da capacidade de transmissão

Download Presentation

MEIOS DE TRANSMISSÃO Item 2.2 – Tanenbaum Cap. 3 – Stallings

An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Presentation Transcript


MEIOS DE TRANSMISSÃOItem 2.2 – TanenbaumCap. 3 – Stallings

Profª Angélica da Silva Nunes


CONCEITOS

  • qualidade na transmissão:

    • meio de transmissão

    • características do sinal

  • meios de transmissão:

    • guiados: meio sólido - o próprio meio determina o limite da capacidade de transmissão

    • não guiados: meio não sólido - largura de banda do sinal emitido pela antena determina o limite da capacidade de transmissão

  • escolha do meio de transmissão:

    • taxa de dados

    • distância física


EXEMPLOS DE MEIOS DE TRANSMISSÃO

  • meios de transmissão guiados (com fio)

    • par trançado

    • cabo coaxial

    • fibra óptica

  • meios de transmissão não guiados (sem fio)

    • microondas terrestres

    • microondas por satélite

    • ondas de rádio

    • infravermelho

    • bluetooth


ESPECTRO ELETROMAGNÉTICO


MEIOS DE TRANSMISSÃO GUIADOS


CABEAMENTO ESTRUTURADO

  • definição: é um sistema aberto que permite a transmissão de qualquer serviço de comunicação através de um único sistema de cabeamento universal

  • primeiros sistemas proprietários:

    • IBM AS400 TWINAX 100 Ohm

    • ARCnet RG 62 Coaxial 93 Ohm

    • IBM3270 RG 62 Coaxial 93 Ohm

    • ETHERNET RG 58 Coaxial 50 Ohm

    • WANG RG 59 Coax Dual 75 Ohm


POR QUECABEAMENTO ESTRUTURADO?

  • flexibilidade

  • suporte a diversos padrões de comunicação

  • melhoria do desempenho

  • mudanças, alterações e ampliações são feitas rapidamente


NORMAS

  • TIA/EIA 568 A: instalação de cabeamento de telecomunicações em edifícios comerciais

  • TIA/EIA 569 A: instalação de infra estrutura em edifícios comerciais

  • TIA/EIA 570-A: instalação de cabeamento de telecomunicações em edifícios residenciais e comerciais de pequeno porte

  • TIA/EIA 606: administração da infra-estrutura em edifícios comerciais

  • TIA/EIA 607: aterramentos e ligações p/ telecomunicações em edifícios comerciais

  • NBR 14565: procedimentos básicos para elaboração de projetos de cabeamento de telecomunicações para rede interna estruturada


CUSTO vs. PERFORMANCE DO CABO NO SISTEMA

  • custo de um projeto

    • 65% hardware

    • 15% software

    • 20% cabeamento estruturado

      • instalação

      • cabo

  • performance do sistema

    • 87% dos problemas existentes nas redes se originam no sistema de cabeamento.

    • problemas nos cabos e conectores

      • instalações deficientes

      • cabos de baixa qualidade


CARACTERÍSTICAS DOS CABOS

  • atenuação: decibéis por quilômetro(dB/km)

  • intervalo de freqüência: hertz (Hz)

  • atraso: microsegundo por kilômetro (s/km)

  • taxa de dados: bits por segundo (bps)

  • distância dos repetidores: quilômetros (km)

  • diafonia (crosstalk) : decibéis (dB)

  • impedância: ohm ()


CABO DE PAR TRANÇADO


CABO DE PAR TRANÇADO

  • mais barato e mais comum

  • dois pares de fios de cobre trançados em espiral

  • o trançamento é usado para evitar diafonia

  • podem conter vários pares de cabos

maior distância do trançamento – mais sujeito a diafonia

menor distância do trançamento – menos sujeito a diafonia


PAR TRANÇADO BLINDADO(STP) E NÃO-BLINDADO (UTP)

  • par trançado não-blindado (UTP)

    • fiação telefônica ordinária

    • baixo custo

    • fácil instalação – flexível

    • sujeito à interferência eletromagnética

  • par trançado blindado (STP)

    • mais caro

    • instalação mais difícil – rígido

    • proteção externa de metal reduz interferência eletromagnética


PAR TRANÇADO BLINDADO(STP) E NÃO-BLINDADO (UTP)


CARACTERÍSTICAS DESEJADAS CABO PAR TRANÇADO

  • desbalanceamento capacitivo:baixo

  • atenuação: baixo

  • NEXT: alto

  • impedância:constante

  • SRL:alto


DESBALANCEAMENTO CAPACITIVO

  • capacitância diferente dos pares – velocidades diferentes

  • falhas de interpretação dos sinais

sinal balanceado

sinal desbalanceado


ATENUAÇÃO


DIAFONIA TERMINAL (NEXT)

  • interferência entre os pares do cabo

  • NEXT (Near-end Crosstalk): método de medição do crosstalk entre os pares

    • injeta-se sinal em um dos pares do cabo e mede-se o efeito que este sinal causa em cada um dos outros pares (em um cabo de 4 pares obtém-se 6 combinações)

    • o crosstalk de todas as combinações é medido e o pior resultado é o NEXT do cabo.


SRL (STRUCTURAL RETURN LOSS) OU PERDA ESTRUTURAL DE RETORNO

  • variação da impedância na seção do cabo

  • falta de uniformidade no espaçamento entre os condutores

  • gera ruído no receptor

impedância uniforme

impedância não uniforme


APLICAÇÕES DO PAR TRANÇADO

  • meio mais comum

    • rede telefônica

    • entre o assinante e a central local (laço do assinante)

  • dentro de edificações

    • centrais de comutação privadas (PABX)

  • redes locais de computadores (LAN)

    • 10 Mbps a 1 Gbps


CARACTERÍSTICAS DE TRANSMISSÃO

  • analógica

    • amplificadores a cada 5km ou 6km

  • digital

    • repetidores a cada 2km ou 3km

  • distâncias limitadas

  • banda passante limitada (poucos MHz)

  • taxa de dados limitada (centenas de MHz)

  • susceptível à interferência e ruído


DESVANTAGENS DO PAR TRANÇADO

  • susceptibilidade a ruídos (interferência eletromagnética)

    • fortes campos eletromagnéticos – motores, quadros de luz, geladeiras, lâmpadas fluorescentes etc.

    • campo eletromagnético impedirá o correto funcionamento naquele trecho da rede

  • solução:

    • cabo STP (blindado)

    • substituição por fibra óptica

  • taxa de dados limitada

  • maior atenuação do sinal


CATEGORIAS DE CABOS DE PAR TRANÇADO UTP

  • especificações passadas (2001):


CATEGORIAS DE CABOS DE PAR TRANÇADO UTP

  • especificações atuais (2001):


CATEGORIAS DE CABOS DE PAR TRANÇADO UTP

  • tendências (2001):


EVOLUÇÃO DOS PADRÕES


DESEMPENHO POR CATEGORIA


CONECTOR RJ 45

  • oito fios (4 pares) – cores diferentes

  • utiliza em suas pontas um conector do tipo RJ-45

  • possui 8 pinos, um para cada fio do cabo


IDENTIFICAÇÃO DOS PINOS


TIPOS DE PINAGEM CABO UTP CAT 5 100 OHMS


PINAGEM CABO UTP CAT 5

  • na maioria dos casos apenas são usados dois pares

    • transmissão(TX): pinos 1 e 2

    • recepção (RX): pinos 3 e 6

  • a figura abaixo ilustra a comunicação entre dois nós

    CRUZAMENTO

    (CROSSOVER)

  • cabos "crossover" raramente são necessários porque os HUBs realizam internamente a troca de pares em cada uma das portas


IDENTIFICAÇÃO DO TIPO DE CABO

  • segure as duas extremidades do cabo

  • verifique a seqüência de cores de cada extremidade

  • direto (straight-through): as cores estão na mesma seqüência nas duas extremidades do cabo

  • cruzado (crossover): a cor do primeiro cabo à esquerda de uma das extremidades é igual à cor do terceiro cabo da outra extremidade


ACESSÓRIOS

CORDÃO RJ 45

TOMADA RJ 45

TAMPÕES

ESPELHOS


CUIDADOS NO MANUSEIO DO PAR TRANÇADO

  • desfaça o trançamento do par: 1/2” (1,25 cm) para cabos de categoria 5

  • separe o condutor do par quando necessário

  • coloque no dispositivo de conexão


CUIDADOS NO MANUSEIO DO PAR TRANÇADO

  • raio de curvatura mínima dos cabos: 4 vezes o diâmetro do cabo (1” = 2,54 cm para par trançado)

  • evitar tensão excessiva no cabo

  • os cabos não devem ser fixados com excessiva pressão (cuidado com braçadeiras)


  • Login