Disciplina de Oceanografia Física
This presentation is the property of its rightful owner.
Sponsored Links
1 / 11

Aluna: Mári Ândrea Feldman Firpo PowerPoint PPT Presentation


  • 55 Views
  • Uploaded on
  • Presentation posted in: General

Disciplina de Oceanografia Física SIMULAÇÃO DO EXPERIMENTO MOM4_DOME PARA CAMPOS DE TEMPERATURA, SALINIDADE E CORRENTE. Aluna: Mári Ândrea Feldman Firpo. INTRODUÇÃO.

Download Presentation

Aluna: Mári Ândrea Feldman Firpo

An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Presentation Transcript


Aluna m ri ndrea feldman firpo

Disciplina de Oceanografia FísicaSIMULAÇÃO DO EXPERIMENTO MOM4_DOME PARA CAMPOS DE TEMPERATURA, SALINIDADE E CORRENTE

Aluna: MáriÂndrea Feldman Firpo


Introdu o

INTRODUÇÃO

  • O Modelo Oceânico Modular (Modular Ocean Model – MOM) é uma representação numérica das equações hidrostáticas primitivas do oceano. Foi desenvolvido pela NOAA’s Geophysical Fluid Dynamics Laboratory (GFDL), inicialmente como uma ferramenta para o estudo do sistema climático oceânico.

  • O experimento mom4_dome é baseado no teste idealizado de overflow para o projeto Dynamics of Overflow, Mixing and Entrainment (DOME). Esse teste fornece uma média para testar várias parametrizações de overflow.

  • Neste teste, inicialmente, a temperatura tem um perfil zonalmente simétrico. A água fria no Norte fica na parte profunda do embaiamento. Ela é injetada para o sul por um transporte imposto pelo contorno norte do embaiamento. A salinidade é inicialmente nula em todos os lugares.


Introdu o1

INTRODUÇÃO

  • Shinichiro (2006) explora a resposta oceânica do overflow usando um modelo isopicnal de duas camadas. De acordo com Shinichiro, overflow são as maiores fontes de águas densas do oceano profundo, originário de poucas margens oceânicas, sendo um mecanismo responsável pela circulação no oceano profundo.

  • Harig et. al. (2003) utilizou o FEOM (Finite Element Ocean Model) aplicado a um cenário idealizado de overflow que corresponde a fase I do projeto DOME. Ele considera o fluxo de uma pena de água densa em um talude com geometria prescrita. A água densa entra no talude através de um longo embaiamento para vários comprimentos do raio de Rossby.


Objetivo

OBJETIVO

  • O objetivo deste trabalho é simular o experimento mom4_dome, a fim de visualizar o efeito do overflow devido a influência da topografia oceânica nas variáveis temperatura, salinidade e correntes.


Metodologia

METODOLOGIA

  • O teste de caso mom4_dome para 12 meses. O passo do modelo era de 1800 segundos, mas o arquivo de saída das variáveis foi definido de 15 em 15 dias, gerando 24 tempos. Foram geradas figuras no grads das variáveis trabalhadas nos tempos 1, 8, 16 e 24. As variáveis escolhidas foram temperatura, salinidade e corrente. As coordenadas do modelo eram de longitude de 0,25° a 24,75°; latitude de 63,25° a 69,75° e nível de superfície a 5.568,51 metros de profundidade.

  • Foram plotadas a temperatura, a salinidade e a corrente na longitude fixa de 20° onde, por tentativas, foi encontrada a região a região de aclive continental. Também foi gerado o perfil vertical da corrente.


Resultados e discuss es

RESULTADOS E DISCUSSÕES


Resultados e discuss es1

RESULTADOS E DISCUSSÕES


Resultados e discuss es2

RESULTADOS E DISCUSSÕES


Resultados e discuss es3

RESULTADOS E DISCUSSÕES


Conclus o

CONCLUSÃO

  • Ao simular o experimento mom4_dome, foram obtidos resultados satisfatórios e esperados quanto ao efeito do overflow nas variáveis temperatura, salinidade e correntes.

  • Foi encontrado um padrão ondulatório para a temperatura e a corrente devido ao efeito de continuidade e conservação de massa, ao encontro do fluxo com a batimetria. Também se observou o acúmulo de salinidade na costa em sua parte mais profunda, com o decorrer do tempo, o que também é esperado. O perfil vertical da corrente veio a confirmar os resultados obtidos na plotagem da corrente meridional.


Refer ncias

REFERÊNCIAS

  • Griffies, Stephen M., Harrison, Matthew J., Pacanowski, Ronald C., Rosati, Anthony. A Technical Guide to MOM4. GFDL Ocean Group Technical Report n.5. Princeton, USA; 2004. 339p.

  • Griffies, Stephen M. Elements of mom4p1. GFDL Ocean Group Technical Report n.6. Princeton, USA; 2007. 371p.

  • Harig, S., Schröter, J. Modelling dense water overflow with a Finite Element Ocean Model (FEOM), 2nd International Workshop on Unstructured Grid Numerical Modelling of Coastal, Shelf and Ocean Flows Delft; 2003. 23.-25p.

  • Shinichiro, Kida. Overflows and Upper Ocean Interaction: A Mechanism for the Azores Current. Tese de doutorado. Woods Hole OCEANOGRAPHIC INSTITUTION MA. Massachusetts; USA 2006, 165p. Disponível em : http://oai.dtic.mil/oai/oai?&verb=getRecord&metadataPrefix=html&identifier=ADA470381


  • Login