DESCONTAMINAÇÃO
This presentation is the property of its rightful owner.
Sponsored Links
1 / 59

DESCONTAMINAÇÃO PowerPoint PPT Presentation


  • 64 Views
  • Uploaded on
  • Presentation posted in: General

DESCONTAMINAÇÃO. DESCONTAMINAÇÃO. DESINFETANTES MAIS UTILIZADOS. REVISÃO CONCEITUAL. DESINFECÇÃO: É A ELIMINAÇÃO DE MICROORGANISMOS PATOGÊNICOS NA SUA FORMA VEGETATIVA. DESCONTAMINAÇÃO. IMPORTÂNCIA. PORQUÊ LIMPAR OS ARTIGOS QUE SERÃO ESTERILIZADOS?. LIMPEZA.

Download Presentation

DESCONTAMINAÇÃO

An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Presentation Transcript


Descontamina o

DESCONTAMINAÇÃO


Descontamina o

DESCONTAMINAÇÃO

DESINFETANTES MAIS UTILIZADOS


Revis o conceitual

REVISÃO CONCEITUAL

DESINFECÇÃO:

  • É A ELIMINAÇÃO DE MICROORGANISMOS PATOGÊNICOS NA SUA FORMA VEGETATIVA.


Descontamina o1

DESCONTAMINAÇÃO

  • IMPORTÂNCIA


Descontamina o

  • PORQUÊ LIMPAR OS ARTIGOS QUE SERÃO ESTERILIZADOS?


Limpeza

LIMPEZA

  • É A REMOÇÃO FÍSICA DA SUJIDADE.

    REALIZADA COM ÁGUA E SABÃO OU DETERGENTE.

  • PODE SER MANUAL OU AUTOMÁTICA E POR AÇÃO MECÂNICA.


Limpeza1

LIMPEZA

  • CONSTITUI A 1ª E A MAIS IMPORTANTE ETAPA PARA A EFICÁCIA DOS PROCEDIMENTOS DE DESINFECÇÃO OU ESTERILIZAÇÃO DOS ARTIGOS, POIS, SE NÃO FOR ADEQUADA, A DESINFECÇÃO E A ESTERILIZAÇÃO NÃO SERÃO EFICAZES.


Objetivos

OBJETIVOS

A) REMOÇÃO DA SUJIDADE,

B) REMOÇÃO OU REDUÇÃO DE MICROORGANISMOS,

C) REMOÇÃO OU REDUÇÃO DE SUBSTÂNCIAS PIROGÊNICAS.


Tipos

TIPOS

  • 1) ALTO NÍVEL: MATA TODAS AS FORMAS DE MICROORGANISMOS VEGETATIVOS E UM ALTO NÚMERO DE ESPOROS.


Tipos1

TIPOS

  • 2) NÍVEL INTERMEDIÁRIO: NÃO MATA ESPOROS, INATIVA FORMAS BACTERIANAS VEGETATIVAS, MYCOBACTERIUM TUBERCULOSIS, FUNGOS, V’RUS LIPÍDICOS DE PEQUENO E MÉDIO TAMANHO.


Tipos2

TIPOS

  • 3) BAIXO NÍVEL: NÃO DESTRÓI ESPOROS, MYCOBACTERIUM TUBERCULOSIS, NEM PEQUENOS VÍRUS NÃO LIPÍDICOS.


Epi s

EPI(s)

  • O USO DESSES EQUIPAMENTOS, SE REFERE Á PREVENÇÃO DA TRANSMISSÃO DE INFECÇÕES ATRAVÉS DO CONTATO COM MATERIAL BIOLÓGICO, E É INDISPENSÁVEL PARA A SEGURANÇA OCUPACIONAL.


Epi s1

EPI(s)

EPI(s)

  • GORRO, MÁSCARA ADEQUADA, LUVA DE BORRACHA , BOTA DE BORRACHA, ÓCULOS DE PROTEÇÃO E AVENTAL.


Detergente

DETERGENTE

  • É UM SABÃO. PROMOVE A ELIMINAÇÃO DAS IMPUREZAS OU SUJEIRAS RETIDAS EM UM MEIO SÓLIDO. PODE SER SÓLIDO OU LÍQUIDO.


Desincrostantes

DESINCROSTANTES

  • SÃO DETERGENTES CONCENTRADOS QUE FREQUENTEMENTE ATACAM OS METAIS PROVOCANDO A OXIDAÇÃO.

  • NÃO SÃO DESINFETANTES.


Desinfetante

DESINFETANTE

  • AGENTE OU PRODUTO QUÍMICO PRÓPRIO PARA DESTRUIR OS MICROORGANISMOS.


Tipos de desinfetantes

TIPOS DE DESINFETANTES

  • 1) ÁLCOOL.

  • 2) GLUTARALDEÍDO.

  • 3) HIPOCLORITO.


I lcool

I) ÁLCOOL

  • MECANISMO DE AÇÃO:

  • RUPTURA DA MEMBRANA CELULAR,

  • DESTRUIÇÃO DAS PROTEÍNAS COM SUBSEQUENTE INTERFERÊNCIA NO METABOLISMO E DIVISÃO CELULAR.


Espectro de a o

ESPECTRO DE AÇÃO

  • RÁPIDO E AMPLO ESPECTRO DE AÇÃO EM BACTÉRIAS VEGETATIVAS, VÍRUS E FUNGOS, MAS NÃO É ESPORICIDA.


Observa o

OBSERVAÇÃO:

  • UM MINUTO E FRICÇÃO DAS MÃOS É TÃO EFICAZ QUANTO 4 A 7 MINUTOS DE PREPARAÇÃO DA PELE COM OUTROS ANTI-SÉPTICOS, NA REDUÇÃO DO NÚMERO DE BACTÉRIAS NA PELE.


I lcool1

I) ÁLCOOL

  • É UM ANTI-SÉPTICO CAPAZ DE DESTRUIR MICROORGANISMOS EXISTENTES EM TECIDOS VIVOS.


Tipos3

TIPOS

  • ÁLCOOL – ETÍLICO => 70%

  • ÁLCOOL ISOPROPÍLICO => 92%


Indica es como anti s ptico

INDICAÇÕES COMO ANTI-SÉPTICO

  • 1) DEGERMAÇÃO DAS MÃOS DA EQUIPE ENTRE PROCEDIMENTOS, NA IMPOSSIBILIDADE DA LAVAGEM DAS MÃOS,


Indica es como anti s ptico1

INDICAÇÕES COMO ANTI-SÉPTICO

  • 2) PARA PELE EM PROCEDIMENTOS DE BAIXO E MÉDIO RISCO,

  • 3) ANTES DE COLOCAR LUVAS.


Indica es do lcool 70 como desinfetante

INDICAÇÕES DO ÁLCOOL 70% COMO DESINFETANTE


Compatibilidade com materiais

COMPATIBILIDADE COM MATERIAIS:

  • INDICADO PARA SUPERFÍCIES EXTERNAS DOS MATERIAIS,

  • MATERIAIS DE VIDRO,

  • EQUIPAMENTO ELÉTRICO, A BATERIA E A NITROGÊNIO(serras, motores,etc.).


Observa o1

OBSERVAÇÃO

  • NOS MATERIAIS E EQUIPAMENTOS A FRICÇÃO DEVE SER POR 3 MINUTOS.


Desvantagem

DESVANTAGEM

  • RESSECA PLÁTICO E BORRACHA.


Ii glutaralde do

II) GLUTARALDEÍDO

  • AÇÃO GERMICIDA:

  • ALTERAÇÃO DO RNA, DNA E SÍNTESE PROTEICA.


Aplica o e indica o

APLICAÇÃO E INDICAÇÃO

  • A) DESINFETANTE DE ALTO NÍVEL, MAIS UTILIZADO PARA MATERIAIS TERMO-SENSÍVEIS.


Tempo de exposi o

TEMPO DE EXPOSIÇÃO:

* CONFORME ORIENTAÇÃO DO FABRICANTE.

  • POUCOS MINUTOS: ATIVO CONTRA A MAIOR PARTE DOS VÍRUS.

  • 8 A 10H: AÇÃO MAIOR CONTRA FORMAS ESPORULADAS.


Descontamina o

  • B) ESTERILIZAÇÃO A FRIO: VARIAÇÃO SEGURA DE NO MÍMINO 08 A 10H.


Indica es

INDICAÇÕES:

  • 1) MATERIAIS ENDOSCÓPICOS.

  • 2) MATERIAIS QUE ENTRAM EM CONTATO COM A ÁRVORE TRAQUEOBRÔNQUICA (VAS).


Vantagem

VANTAGEM

  • AMPLO ESPECTRO DE AÇÃO QUE PERMITE A UTILIZAÇÃO SEGURA PARA PACIENTES, INDEPENDENTEMENTE DO TIPO DE PATOLOGIA.


Desvantagem1

DESVANTAGEM

  • TOXICIDADE PARA MANIPULAÇÃO PELOS PROFISSIONAIS DE SAÚDE.

  • IMPREGNA MATÉRIA ORGÂNICA NO MATERIAL.


Tempo de exposi o1

TEMPO DE EXPOSIÇÃO

  • MATERIAL VAS => 30’.

  • VÍRUS HIV => 1 A 2’ [ ] DE 1%.

  • VÍRUS HBV => 5’ A 2%.


Efeitos potenciais sa de

EFEITOS POTENCIAIS Á SAÚDE:

  • INALAÇÃO

    CAUSA IRRITAÇÃO AO TRATO

    RESPIRATÓRIO.

    OS SINTOMAS INCLUEM TOSSE E AUMENTO DA FREQUÊNCIA RESPIRATÓRIA.


2 contato com a pele

2) CONTATO COM A PELE:

PODE CAUSAR:

  • DOR,

  • VERMELHIDÃO,

  • IRRITAÇÃO SEVERA OU QUEIMADURAS.


Descontamina o

3) CONTATO COM OS OLHOS:

  • IRRITAÇÃO,

  • VERMELHIDÃO, E

  • DOR.

    * PODE RESULTAR EM CEGUEIRA TEMPORÁRIA OU PERMANENTE.


Descontamina o

  • EXPOSIÇÃO CRÔNICA:

  • A EXPOSIÇÃO CRÔNICA PODE PREJUDICAR A PELE.


Iii hipoclorito de s dio

III) HIPOCLORITO DE SÓDIO

  • APLICAÇÃO:

    QUANTO MAIOR A CONCENTRAÇÃO E O TEMPO , MAIOR O ESPECTRO DE AÇÃO, PODENDO SER UTILIZADO COMO DESINFETANTE DE BAIXO A ALTO NÍVEL.


Espectro de a o1

ESPECTRO DE AÇÃO

  • TEM AMPLO ESPECTRO DE AÇÃO, CHEGANDO A TER AÇÃO SOBRE ESPOROS DO B. SUBTILLIS.

  • É MAIS UTILIZADO EM CONCENTRAÇÕES DE 10.000 ppm.


Descontamina o

UTILIZAÇÃO

- BORRACHAS E EXTENSÕES.

- MATERIAIS DE TERAPIA RESPIRATÓRIA.


Caracter sticas

CARACTERÍSTICAS

- É O DESINFETANTE MAIS UTILIZADO.

- APRESENTA AÇÃO RÁPIDA

- BAIXO CUSTO.

- É CONSIDERADO PREJUDICIAL AO AMBIENTE.


Preparo da solu o

PREPARO DA SOLUÇÃO

  • * SEMPRE A 1%. (10.000 ppm)

  • OBSERVAR A CONCENTRAÇÃO DE CLORO ATIVO NO RÓTULO DA EMBALAGEM.


F rmula

FÓRMULA

X =PPM x 1000 ML

10 x % DE CLORO ATIVO

X= 10.000 x QUANTIDADE DE SOLUÇÃO QUE QUERO PREPARAR

10 x [ ] DE CLORO ATIVO DA EMBALAGEM.


Descontamina o

ONDE:

X => QUANTIDADE DE HIPOCLORITO EM ML QUE SERÁ NECESSÁRIO PARA PREPARAR A QUANTIDADE DE SOLUÇÃO PREVISTA. NÃO ESQUECER QUE ESTE VALOR TEM QUE SER DESCONTADO DA QUANTIDADE DA SOLUÇÃO PREVISTA, PARA SABER QUAL A QUANTIDADE DE ÁGUA QUE SERÁ COLOCADA.


Exemplo

EXEMPLO

PREPARAR 10 LITROS DE SOLUÇÃO DE HIPOCLORITO A 1% SENDO QUE DISPONHO DE FRASCO DE HIPOCLORITO NA CONCENTRAÇÃO DE 3,2 % DE CLORO ATIVO.


Ent o

ENTÃO:

X = 10.000 x 10

10 x 3,2

X = 100.000 => 3.125 ML

32


Ent o1

ENTÃO:

  • PARA PREPARAR 10 LITROS DE SOLUÇÃO DE HIPOCLORITO DE SÓDIOA 1 % , SÃO NECESSÁRIOS 3.125 ML DE HIPOCLORITO E 6.875 ML DE ÁGUA.


Detergente enzim tico

DETERGENTE ENZIMÁTICO

  • É UM COMPLEXO ENZIMÁTICO. CONTÊM ENZIMAS NA SUA FORMULAÇÃO => TÊM O PODER DE ACELERAR O PROCESSO DE QUEBRA DA DA MATÉRIA ORGÂNICA IMPREGNADA NO MATERIAL.


Enzimas

ENZIMAS

  • SÃO SUBSTÂNCIAS BIOQUÍMICAS DE ESTRUTURA PROTEICA QUE TÊM A PROPRIEDADE DE PROMOVER TRANSFORMAÇÕES ESPECÍFICAS EM OURAS SUBSTÂNCIAS BIOQUÍMICAS, COMO AS PROTEÍNAS, GORDURAS CARBOHIDRATOS E AÇÚCARES.


Descontamina o

- TÊM O PODER DE ACELERAR O PROCESSO DE QUEBRA DA MATÉRIA ORGÂNICA IMPREGNADA NO MATERIAL, FACILITANDO SUA REMOÇÃO E ELIMINAÇÃO COM RAPIDEZ E EFICIÊNCIA.


A o das enzimas

AÇÃO DAS ENZIMAS

  • PROMOVEM A QUEBRA DA MATÉRIA ORGÂNICA (SANGUE, PUS, SUOR, SALIVA, MUCO, ETC) QUE ESTÃO IMPREGNADOS NOS MATERIAIS.


Tipos de enzimas

TIPOS DE ENZIMAS

  • PROTEASES: DECOMPÕEM AS PROTEÍNAS.

  • AMILASES E CARBOHIDRASES: DECOMPÕEM OS POLISSACARÍDEOS (AÇÚCARES COM MOLÉCULAS MUITO GRANDES).

  • LIPASES: DECOMPÕEM AS GORDURAS.


Caracter sticas1

CARACTERÍSTICAS

1- ATÓXICO: NÃO IRRITANTE DA MUCOSA NASAL, DÉRMICO E OCULAR.

2- PRATICIDADE: DILUIÇÃO ÚNICA E ECONÔMICA => FACILITA A PADRONIZAÇÃO E EXECUÇÃO DAS ROTINAS.


Descontamina o

3- CORROSIVIDADE: O PRODUTO NÃO DEVE CAUSAR DANOS AOS EQUIPAMENTOS E MATERIAIS, INCLUSIVE ENDOSCÓPICOS.

4- BIODEGRADÁVEL: DECOMPOSIÇÃO RÁPIDA EM MOLÉCULAS SIMPLES. (NÃO SE ACUMULAM).


Descontamina o

5- BAIXO CUSTO:

FACILITAR A IDENTIFICAÇÃO DO CUSTO POR LITRO DILUÍDO DO PRODUTO.


  • Login