Http://www.cdcc.sc.usp.br/cda
Sponsored Links
This presentation is the property of its rightful owner.
1 / 38

cdcc.scp.br/cda PowerPoint PPT Presentation


  • 51 Views
  • Uploaded on
  • Presentation posted in: General

http://www.cdcc.sc.usp.br/cda. Tempo e Astronomia, Algo em Comum?. A concepção de tempo é indicada por intervalos ou períodos de duração de um determinado evento. Astronomia é a ciência que estuda todos os objetos e fenômenos celestes. Quando não existia o relógio, como era medido o tempo?.

Download Presentation

cdcc.scp.br/cda

An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Presentation Transcript


http://www.cdcc.sc.usp.br/cda


Tempo e Astronomia,

Algo em Comum?


A concepção de tempo é indicada por intervalos ou períodos de duração de um determinado evento.

Astronomia é a ciência que estuda todos os objetos e fenômenos celestes.


Quando não existia o relógio, como era medido o tempo?


Pré-história – 100 mil anos atrás até cerca de 8 mil a.C.


Preocupação com a sobrevivência

Caça, pesca, procura por frutas e raízes, fugir de animais perigosos e

abrigar-se das variações climáticas

Adaptar-se à alternância do claro-escuro e à mudança das estações


OBS: As imagens são apenas de caráter ilustrativo, não seguindo nenhuma

escala de tamanho ou distância.


OBS: As imagens são apenas de caráter ilustrativo, não seguindo nenhuma

escala de tamanho ou distância.


Babilônia – 3500 a.C. – bacias dos rios Tigre e Eufrates

Um dos primeiros povos a registrar a presença dos cinco planetas visíveis

a olho nu.

Deuses, heróis e os animais desse povo eram associados aos astros

observados.

Mais antiga forma de semana → associava cada dia da semana a cada

astro conhecido → Sol, Lua, Marte, Mercúrio, Júpiter, Vênus e Saturno


Ainda na pré-história → agricultura e domesticação de animais

tornaram-se atividades importantes para a sobrevivência do homem

Surgiu a necessidade de “medir” a passagem do tempo

Era necessário saber a época certa para plantar uma determinada cultura,

antecipar as estações de cheia e vazante de um rio e conhecer as datas das

celebrações religiosas.


As primeiras medições de tempo acorreu para períodos longos (meses e

anos) e não para intervalos curtos (dias e horas).

Ano Solar e Lunação


Nascer do Sol

O Sol

não nasce

sempre no

Leste !


Quarto

Crescente

Quarto

Minguante

Cheia

Nova

Nova

Lunação

29,530589 dias ~ 29 d 12 h 44 m 03 s

Fases da Lua


Calendário Babilônico

compreende 12 meses lunares (divididos em quatro semanas) → de 29 ou 30 dias cada um

ano com 354 dias → 11 dias a menos que o ano solar.

Cada 3 anos há uma defasagem de cerca de 1 mês em relação ao ano solar.

Para resolver essa diferença foi acrescentado um mês complementar (13º mês) ao final de cada período de três anos.


Desde a Antiguidade → dificuldades para a criação de um calendário → o ano (duração da revolução aparente do Sol em torno da Terra) não é um múltiplo exato da duração do dia ou da duração do mês.

Não só os Babilônios, mas também os Egípcios, Gregos e Maias já

tinham determinado essa diferença.


Primeiro calendário Romano

Reformulação do calendário

ano tinha 304 dias distribuídos por 10 meses

ano com 354 dias distribuídos por 12 meses

de março a dezembro

janeiro e fevereiro foram adicionados

tratava-se de um calendário sem qualquer base astronômica

um pouco mais coerente com a astronomia

Época do rei Rômulo (1º rei de Roma)

Época do rei Numa Pompílio (2º rei de Roma)

753 a.C. - 716 a.C.

716 a.C. - 673 a.C.


Calendário atual → baseado calendário romano reformulado → muito

parecido com o calendário babilônico

12 meses lunares → de 29 ou 30 dias cada um → ano com 354 dias →

cada 3 anos adicionava-se 1mês


Calendário Juliano

Júlio César (45 a.C.) → adaptou um calendário com 365,25 dias →

mesmo assim era maior que o ano solar em 11min e 14 seg → erro de 3

dias em cada 400 anos


1582 → Papa Gregório XIII → introduziu nova reforma no calendário →

sob orientação do astrônomo jesuíta alemão Christopher Clavius

Deduziu-se que o ano era mais curto do que 365,25 dias (hoje sabemos que tem 365,2422 dias)


o equinócio vernal (início do primavera para o hemisfério norte) já estava ocorrendo em 11 de março, antecipando muito a data da Páscoa

A data da páscoa é o primeiro domingo depois da Lua Cheia que ocorre em ou após o equinócio Vernal, aproximadamente em 21 de março

A Quarta-Feira de Cinzas ocorre 46 dias antes da Páscoa e, portanto, a

Terça-Feira de carnaval ocorre 47 dias antes da Páscoa.


Mudanças feitas do calendário Juliano para o calendário Gregoriano

Tirou-se 10 dias do ano de 1582, para recolocar o Equinócio Vernal em 21 de março. Assim, o dia seguinte a 4 de outubro de 1582 (quinta-feira) passou a ter a data de 15 de outubro de 1582 (sexta-feira).

introduziu a regra de que anos múltiplos de 100 não são bissextos a menos que sejam também múltiplos de 400. Portanto o ano 2000 é bissexto.

365,2422 dias ≈ 365 + 1/4 - 1/100 + 1/400 – 1/3300 dias


o dia extra do ano bissexto passou de 24 de fevereiro (sexto dia antes de

março, portanto bissexto) para o dia 29 de fevereiro e o ano novo passou

a ser o 1o de janeiro.

Os romanos adotavam nomes para os dias. O primeiro dia de um mês chamava-se Calendae. Os últimos dias de um mês eram nomeados em relação a quanto tempo faltava para o primeiro dia do mês seguinte.

O 6º dia antes das Calendae de março, ou seja, o dia 24, era o dia que se duplicava, ocorrendo dois 6º dia antes das Calendae de março, originando-se aí o nome bissexto.


7° dia antes das Calendae de março (ante diem septimum kalendas martias) = 23 de fevereiro

6° dia antes das Calendae de março (ante diem sextum kalendas martias) = 24 de fevereiro

5° dia antes das Calendae de março (ante diem quintum kalendas martias) = 25 de fevereiro

4° dia antes das Calendae de março (ante diem quartum kalendas martias) = 26 de fevereiro

3° dia antes das Calendae de março (ante diem tertium kalendas martias) = 27 de fevereiro

o dia antes das Calendae de março (pridiem kalendas martias) = 28 de fevereiro

Calendae de março (kalendas martias) = 1° de março

Os anos de 366 dias chamam-se bissextos, porque os latinos chamavam o

dia 24 de Fevereiro "bi-sextum kalendas Martias" quando este tinha 29

dias.


Algumas medidas de tempo importantes

Dia Solar

Dia Sideral

Ano sideral

Ano tropical


Eixo de

rotação

O ponto 

Eclítica:trajetória anualaparentedo Sol

PN

W

Eclítica

Sol

O ponto  é o

cruzamento dos

planos daeclítica

e do equador celeste;

atualmente está na

constelação de peixes

g

Equador

Celeste


Dia Sideral: é o intervalo de tempo decorrido entre duas passagens sucessivas do ponto  (cruzamento do equador e eclíptica, onde está o Sol próximo de 21 de março) pelo meridiano do lugar.

Tempo de duração: 23h56m04s


Dia Solar: é o intervalo de tempo decorrido entre duas passagens sucessivas do Sol pelo meridiano do lugar. É 3min e 56s mais longo do que o dia sideral. Essa diferença é devida ao movimento de translação da Terra em torno do Sol.


Sol

Movimento de Revolução


Ano sideral: é o período de revolução da Terra em torno do Sol com relação às estrelas. Sua duração é de 365,2564 dias solares, ou 365d 6h 9min 10s.


Polar

23.5

PN

Precessão

PN

Vega

PN

Hoje

PS

Observe o

bamboleio

do eixo de rotação

Daqui a

13 mil anos


Ano tropical: é o período de revolução da Terra em torno do Sol com relação ao Equinócio Vernal, isto é, com relação ao início da estações. Seu comprimento é 365,2422 dias solares médios, ou 365d 5h 48min 46s. Devido ao movimento de precessão da Terra, o ano tropical é levemente menor do que o ano sideral. O calendário se baseia no ano tropical.


  • Referências

  • Livro:

  • Introdução à Astronomia e Astrofísica, INPE 2003

  • Sites:

  • http://astro.if.ufrgs.br/tempo/tempo.htm

  • http://www.geocities.com/atoleiros/calendario.htm

  • http://pt.wikipedia.org

  • http://www.mat.uc.pt/~helios/Mestre/H01orige.htm

  • http://www.cdcc.sc.usp.br/cda/astro-multi-ifsc/sol-terra-lua.ppt

  • http://www.cdcc.sc.usp.br/cda/astro-multi-ifsc/esfera-celeste.ppt

  • Agradecimento:

  • Prof. Dr. Roberto Boczko (IAG-USP)


FIM


  • Login