I Curso de Nivelamento em Manejo de Sementes Florestais
This presentation is the property of its rightful owner.
Sponsored Links
1 / 24

sementesrsa PowerPoint PPT Presentation


  • 72 Views
  • Uploaded on
  • Presentation posted in: General

I Curso de Nivelamento em Manejo de Sementes Florestais Encontro da Rede de Sementes da Amazônia. www.sementesrsa.org. Rede de Sementes da Amazônia. Selma Ohashi. Universidade Federal Rural da Amazônia. Parceiros Atuais. INPA – Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia- AM

Download Presentation

sementesrsa

An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Presentation Transcript


I Curso de Nivelamento em Manejo de Sementes Florestais

Encontro da Rede de Sementes da Amazônia

www.sementesrsa.org


Rede de Sementes da Amazônia

Selma Ohashi

Universidade Federal Rural da Amazônia


Parceiros Atuais

  • INPA – Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia- AM

  • FUNTAC- Fundação de Tecnologia do Acre –AC

  • UFAC – Universidade Federal do Acre

  • Embrapa – Amazônia Ocidental-EMBRAPA -AM

  • Embrapa – Amazônia Oriental –PA

  • Embrapa-CPAF/RR

  • UEA – Universidade do Estado do Amazonas - AM

  • AIMEX -Associação das Indústrias Exportadoras de Madeiras do Estado do Pará-PA

  • UFAM- Universidade Federal do Amazonas - AM

  • IEPA – Instituto Estadual de Pesquisa do Amapá - AP

  • MAPA – Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento


MISSÃO

  • Fortalecer o setor de sementes e mudas de espécies nativas da Amazônia e integrar atores, a fim de consolidar o mercado e contribuir para o desenvolvimento sócio-ambiental da região.


Objetivo da RSA

  • Reunir informações, pessoas e instituições do setor para subsidiar a implementação de políticas regionais de fomento, como alternativa para a redução dos problemas ambientais, sociais e econômicos, contribuindo, dessa forma, para o desenvolvimento sustentado da Região


Ultima Reunião da Rede Novembro de 2005 - Nova forma de Atuação da RSA


DefiniçõesnaReuniãoGeral da RSA

  • Coordenação da RSA

  • Jacira Moura - Rondonia

  • Selma Ohashi - Pará

  • Coordenação nos estados

  • Acre – Marilene Amazonas – Daniel

  • Pará – Noemi Rondônia – Martins

  • Tocantins – Fábio Amapá – A definir

  • Maranhão – A definir Roraima – A definir


Funções do Conselho Gestor

  • Trabalhar com autonomia e em consonância com a Coordenação da RSA;

  • Identificar e buscar a adesão de novos parceiros para a RSA;

  • Identificar demandas e necessidades para o trabalho da RSA;

  • Estar em permanente contato com a Coordenação;

  • Interagir com outros CG´s locais, conforme necessidade e afinidade de trabalho;

  • Promover, em escala local, eventos que venham a colaborar para a sensibilização da sociedade sobre a missão da Rede;


Grupos de Trabalho

  • GT1 – Grupo de Trabalho de Informação : Coordenadora: Manoella

  • GT2 – Grupo de Trabalho Estratégico: Coordenadora: Cira e Selma

  • GT3 – Grupo de Trabalho de Eventos: Coordenadora: Glória

  • GT4 - Grupo de Trabalho de Captação de Recursos: Coordenador: Manuel

  • GT5 - Grupo de Trabalho de Pesquisa : Coordenadora: Isolde

  • GT6 - Grupo de Trabalho de Capacitação: Coordenadora: Noemi

  • GT7 - Grupo de Trabalho de Publicações Técnicas : Coordenador: Sidney

  • GT8 - Grupo de Trabalho de Legislação : Coordenador: Bahia


AÇÕES ESTRATÉGICAS

  • CURTO PRAZO

  • Elaborar e apresentar projeto institucional

  • Atualizar o Regimento Interno da RSA

  • Concluir relatórios do estudo de mercados

  • Sensibilizar e integrar novos parceiros

  • Atualizar a Planilha Operacional

  • Operacionalizar sistema de monitoramento e avaliação da Rede

  • Definir o comprometimento/contrapartidas dos parceiros


AÇÕES ESTRATÉGICAS

  • MÉDIO PRAZO

  • Sensibilizar e integrar novos parceiros

  • Dar maior visibilidade à Rede, através da difusão de informações

  • Elaborar novos projetos e buscar outros financiadores

  • Promover intercâmbios e trocas de experiências com países amazônicos


AÇÕES ESTRATÉGICAS

  • LONGO PRAZO

  • Consolidar um programa de captação de recursos, através da criação de um banco de dados com informações atualizadas das fontes nacionais e internacionais, e do desenvolvimento de projeto de relacionamento com os agentes financiadore

  • Objetivo: garantir a sustentabilidade financeira às iniciativas da Rede.


GT DE INFORMAÇÃO

  • META 1 – Organizar e realizar treinamento dos parceiros para alimentação do portal.

  • META 2 – Monitorar o aperfeiçoamento do Portal e do Banco de Dados.

  • META 3 – Gerenciar a alimentação do Portal e/ou banco de dados.

  • META 4 – Gerenciar o funcionamento do servidor do Portal, no CPD da UFAM.


GT ESTRATÉGICO

  • META 1 – Acompanhar a formação dos oito núcleos estaduais da Rede.

  • META 2 – Desenvolver e implementar projeto de comunicação em Rede, em articulação com o GT de Informação.

  • META 3 – Operacionalizar um programa de monitoramento e avaliação da RSA.


GT DE EVENTOS

  • META 1 – Promover um evento (workshop) por Estado

  • META 2 – Promover um evento por estado (reuniões) para consolidar os conselhos

  • META 3 – Identificar e disponibilizar informações sobre eventos e editais

  • META 4 – Organizar palestras e/ou reuniões dos Grupos de Trabalhos

  • META 5 – Apoiar as atividades dos GTs com apoio e logística


GT CAPTAÇÃO DE RECURSOS

  • META 1 – Sondagem de instituições financiadoras (Banco da Amazônia, Petrobrás, Fundações, Organizações Internacionais), montagem de banco de dados e divulgação em área restrita do Portal da RSA


GT PESQUISA

  • META 1 – Desenvolver estudos de validação com objetivo de inclusão de pelo menos 06 (seis) espécies nativas na revisão da R.A.S

  • META 2 – Desenvolver estudos básicos para completar lacunas de conhecimentos nas áreas biológicas, fisiológicas e tecnológicas, de pelo menos 12 (doze) espécies selecionadas.

  • META 3 – Desenvolver técnicas de produção de mudas e completar o conhecimento existente para pelo menos 06 (seis) espécies


GT DE CAPACITAÇÃO

  • META 1 – Realizar, no mínimo, 01 (uma) capacitação por Estado

  • META 2 – Oferecer 02 (dois) treinamentos sobre Métodos de Análises de Sementes para os parceiros em macrorregiões

  • META 3 – Realizar oficinas específicas para atender demandas espontâneas

  • META 4 – Nivelar conhecimentos para os executores da Rede


GT DE PUBLICAÇÕES TÉCNICAS

  • META 1 – Editar 19 (dezenove) publicações técnicas


GT LEGISLAÇÃO

  • META 1 – Promover articulação nos estados para reativar as Comissões Estaduais de Sementes e Mudas (CESM) e as Subcomissões Técnicas de Sementes e Mudas Florestais

  • META 2 – Fornecer subsídios Técnicos sobre a Regulamentação de normas e padrões para sementes e mudas florestais

  • META 3 – Estabelecer roteiros técnicos que envolvam atividades e ações da coleta até a comercialização


Situação Atual

  • Coordenação: propostainicialnão se consolidou

  • Parceiroscoesos, porémpoucaatuaçãoemRede,

  • Portal daRedeemfuncionamento, porém com problemasnaalimentação,

  • Poucaarticulação entre osconselhos,


Necessidades

  • Indicação de um novo Coordenador com dedicação integral a Rede e com perfiladequado (facilidade de interagir com osdiferentesatoresinstitucionais, sociais e políticos)

  • Implementação da Gestão descentralizada: implementar a organização da rede com a atuação dos Conselhos Gestores Estaduais que facilitarão a articulação.

  • Mobilização: realizar seminários e workshops para mobilizar os parceiros e a sociedade nos estados..

  • Interatividade: fortalecer os elos das Redes que se formam, estreitando a relação entre pesquisa, extensão, mercado e fomento.

  • NovosParceiroscomprometidos com a integraçãodaRede

  • Elaboração de um novo plano de atuação e de um novo projeto


RSA como Entidade Jurídica???

  • Análise dos pontospositivos e negativos

  • Verificar a situação das Redesnosoutrosbiomas,

  • Queestrutura é necessária?

  • QuaispolíticaspúblicasnecessáriasparaAmazôniaparafomentar o uso de sementesnativas.


Obrigadapelaatenção!!!

[email protected]

www.sementesrsa.org


  • Login