Qu mica inorg nica cido de br nsted lowry
Download
1 / 16

Qu mica Inorg nica cido de Br nsted-Lowry: - PowerPoint PPT Presentation


  • 98 Views
  • Uploaded on

Química Inorgânica Ácido de Brönsted-Lowry :. Acadêmicos: Luiz Henrique Flávia Romacir Manoel Ana Paula. Teoria de Arrhenius : Toda substância que em meio aquoso libera íons H + e em meio aquoso libera íons OH - .

loader
I am the owner, or an agent authorized to act on behalf of the owner, of the copyrighted work described.
capcha
Download Presentation

PowerPoint Slideshow about 'Qu mica Inorg nica cido de Br nsted-Lowry:' - landis


An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript
Qu mica inorg nica cido de br nsted lowry

Química InorgânicaÁcido de Brönsted-Lowry:

Acadêmicos: Luiz Henrique

Flávia

Romacir

Manoel

Ana Paula


Cidos

  • Teoria de Arrhenius: Toda substância que em meio aquoso libera íons H+ e em meio aquoso libera íons OH-.

  • Teoria de Brönsted-Lowry: Em 1923, Brönsted e Lowery, independentemente, definiram ácidos como sendo doadores de prótons e bases como receptores de prótons.

Ácidos


Br nsted lowry

2H2O ↔ H3O+ + OH-

  • 2H2O: solvente

  • H3O+: ácido

  • OH-: base

    Em solução aquosa, essa definição não difere apreciavelmente daquela da teoria de Arrhenius.

Brönsted-Lowry


Br nsted lowry1

  • A teoria de Brönsted-Lowryé útil, porque estende a aplicabilidade da teoria de ácidos e bases a solventes diferentes da água, como amônia líquida, ácido acético glacial e ácido sulfúrico anidro, bem como a todos os outros solventes contendo hidrogênio. Deve-se frisar que as bases são receptores de prótons, não havendo necessidade nenhuma da presença do íon OH- para que uma substância seja uma base.

Brönsted-Lowry


Br nsted lowry2

NH4Cl + NaNH2 → Na+ Cl- + 2NH3

  • NH4Cl: ácido

  • NaNH2: base

  • Na+ Cl-: sal

  • 2NH3: solvente

    ou simplesmente

    NH4 + NH-2 → 2NH3

Brönsted-Lowry


Br nsted lowry3

Analogamente, em ácido sulfúrico:

H3SO4+ + HSO4- → 2H2SO4

  • H3SO4+: ácido

  • HSO4-: base

  • 2H2SO4: solvente

Brönsted-Lowry


Br nsted lowry4

Brönsted-Lowry


Br nsted lowry5

A↔B um próton são denominadas “pares conjugados”. Portanto, cada ácido possui sua respectiva base conjugada, que se forma quando o ácido doa um próton. Analogamente, cada base possui um ácido conjugado correspondente.– + H+

  • A: ácido

  • B-:base conjugada

    B + H+ ↔ A+

  • B: base

  • A+:ácido conjugado

Brönsted-Lowry


Br nsted lowry6

Em solução aquosa um próton são denominadas “pares conjugados”. Portanto, cada ácido possui sua respectiva base conjugada, que se forma quando o ácido doa um próton. Analogamente, cada base possui um ácido conjugado correspondente.

HCl + H2O↔H3O+ + Cl-

  • HCl: ácido

  • Cl-: base conjugada

  • H2O: base

  • H3O+: ácido conjugada

Brönsted-Lowry


Br nsted lowry7

  • O um próton são denominadas “pares conjugados”. Portanto, cada ácido possui sua respectiva base conjugada, que se forma quando o ácido doa um próton. Analogamente, cada base possui um ácido conjugado correspondente.HCl é um ácido, pois doa prótons. Assim, Cl- é sua base conjugada. Visto que o H2O recebe um próton, ele é uma base e forma H3O+, seu ácido conjugado. A base conjugada de um ácido forte é fraca, e vice-versa.

Brönsted-Lowry


Br nsted lowry8

Em solução de amônia líquida: um próton são denominadas “pares conjugados”. Portanto, cada ácido possui sua respectiva base conjugada, que se forma quando o ácido doa um próton. Analogamente, cada base possui um ácido conjugado correspondente.

NH4+ + S-2 ↔ HS- + NH3

  • NH4+: ácido

  • S-2: base

  • HS-: ácido conjugado

  • NH3: base conjugada

Brönsted-Lowry


Br nsted lowry9

  • Em amônia líquida todos os sais de amônio atuam como ácidos, pois eles podem doar prótons; e os íons sulfeto atuam como base, pois recebem prótons. A reação é reversível e ela ocorre no sentido da formação das espécies que apresentam as menores tendências de se dissociarem, ou seja, HS- e NH3 no presente caso.

Brönsted-Lowry


Br nsted lowry10

  • A teoria de ácidos, pois eles podem doar prótons; e os íons sulfeto atuam como base, pois recebem prótons. A reação é reversível e ela ocorre no sentido da formação das espécies que apresentam as menores tendências de se dissociarem, ou seja, HSBrönste-Lowry apresenta uma limitação, pois o grau em que uma substância dissolvida pode atuar como ácido ou como base depende muito do solvente.

  • Por exemplo, o HClO4 é um doador de prótons extremamente forte. Se HClO4 líquido for utilizado como solvente, o HF dissolvido será forçado a receber prótons e atuar como base.

Brönsted-Lowry


Br nsted lowry11

HClO ácidos, pois eles podem doar prótons; e os íons sulfeto atuam como base, pois recebem prótons. A reação é reversível e ela ocorre no sentido da formação das espécies que apresentam as menores tendências de se dissociarem, ou seja, HS4 + HF ↔ H2F + + ClO4-

Analogamente, o HNO3 é forçado a receber prótons e, portanto, atua como base tanto em HClO4 como em HF líquido como solvente.

Brönsted-Lowry


Br nsted lowry12

  • Solventes diferenciadores, como o ácido acético glacial, enfatizam a diferença de força ácida e muitos ácidos minerais só se ionizam parcialmente neste solvente. Isso acontece porque o próprio ácido acético é um doador de prótons. Portanto, para que uma substância dissolvida em ácido acético se comporte como um ácido, ela deve doar prótons mais facilmente que o ácido acético. O material dissolvido deve forçar o ácido acético a receber prótons (isto é, deve forçar o ácido a comportar-se como base). O solvente ácido tornar mais difícil a dissociação dos ácidos mais comuns, e ao contrário favorecerá a dissociação completa das bases. Logo, conclui-se que um solvente diferenciador para ácidos será solvente um nivelador para bases e vice-versa

Brönsted-Lowry


Pr ximo grupo
Próximo Grupo... enfatizam a diferença de força ácida e muitos ácidos minerais só se ionizam parcialmente neste solvente. Isso acontece porque o próprio ácido acético é um doador de prótons. Portanto, para que uma substância dissolvida em ácido acético se comporte como um ácido, ela deve doar prótons mais facilmente que o ácido acético. O material dissolvido deve forçar o ácido acético a receber prótons (isto é, deve forçar o ácido a comportar-se como base). O solvente ácido tornar mais difícil a dissociação dos ácidos mais comuns, e ao contrário favorecerá a dissociação completa das bases. Logo, conclui-se que um solvente diferenciador para ácidos será solvente um nivelador para bases e vice-versa


ad