Curso de especializa o em assist ncia e aten o farmac utica
This presentation is the property of its rightful owner.
Sponsored Links
1 / 40

Curso de Especializa o em Assist ncia e Aten o Farmac utica PowerPoint PPT Presentation


  • 72 Views
  • Uploaded on
  • Presentation posted in: General

Problemas Relacionados aos Medicamentos. PRM. Problemas Relacionados aos Medicamentos. PRM. ...qualquer evento indesejvel experimentado pelo paciente que envolve ou suspeito de envolver a farmacoterapia e que interfere, de fato ou potencialmente, com um resultado desejado para o paciente".. Ci

Download Presentation

Curso de Especializa o em Assist ncia e Aten o Farmac utica

An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Presentation Transcript


Curso de especializa o em assist ncia e aten o farmac utica

Curso de Especializao em Assistncia e Ateno Farmacutica

Profa. Msc. Edyane Cardoso Lopes

Parte III

Santa Maria, agosto de 2008


Curso de especializa o em assist ncia e aten o farmac utica

ProblemasRelacionadosaosMedicamentos

PRM


Curso de especializa o em assist ncia e aten o farmac utica

ProblemasRelacionadosaosMedicamentos

PRM

  • ...qualquer evento indesejvel experimentado pelo paciente que envolve ou suspeito de envolver a farmacoterapia e que interfere, de fato ou potencialmente, com um resultado desejado para o paciente.

Cipolle, Strand e Morley. PharmaceuticalCarePractice, 1998


Curso de especializa o em assist ncia e aten o farmac utica

ProblemasRelacionadosaosMedicamentos

A segurana de um medicamento resultante de um balano entre um potencial risco inerente a sua utilizao e seu uso racional, que envolve uma prescrio adequada em termos de escolha teraputica, dose, posologia e durao do tratamento, alm de sua correta administrao e aquisio de produtos de qualidade, somado a estratgias para promover a adeso ao tratamento.

WANNMACHER, L. Obesidade: Evidncias e Fantasias. Uso Racional de Medicamentos, v.1, n. 3, p. 1-6, 2004.


Curso de especializa o em assist ncia e aten o farmac utica

ProblemasRelacionadosaosMedicamentos

Os erros de medicao, embora evitveis, so mundialmente freqentes, possuem causas multifatoriais, que envolvem desde o paciente, profissionais de sade e as polticas de sade de cada pas.

Em muitas situaes, os erros no ocorrem por negligncia ou por um ato deliberado, mas sim pela ausncia de conhecimento ou pela m interpretao de determinada situao.


Curso de especializa o em assist ncia e aten o farmac utica

ProblemasRelacionadosaosMedicamentos

A falta de informao correta e completa aos pacientes tambm condiciona a erros de emprego, submetendo os usurios a riscos potenciais. ..

... Onde no h informao, sobra espao para antigos erros se repetirem

WANNMACHER, L. Erros: evitar o evitvel. Uso Racional de Medicamentos:Temas Selecionados, v.2, n. 7, p. 1-6, 2005.


Curso de especializa o em assist ncia e aten o farmac utica

ProblemasRelacionadosaosMedicamentos

HEPLER & STRAND, 90

1 Indicaes no tratadas

2 Seleo de medicamento inadequado

3 Doses subteraputicas

4 O paciente no recebe o medicamento

5 - Sobredosificao

6 Reaes adversas a medicamentos (RAM)

7 Interaes medicamentosas

8 Emprego de medicamentos sem indicao


Curso de especializa o em assist ncia e aten o farmac utica

ProblemasRelacionadosaosMedicamentos

Em 1998, Cipolle, Strand e Morley ( PharmaceuticalCarePractice), propuseram um alterao na classificao dos PRMs e os categorizaram em:

A - PRM de Indicao

B PRM de efetividade

C PRM de segurana

D PRM de cumprimento


Curso de especializa o em assist ncia e aten o farmac utica

Cipolle, Strand e Morley. PharmaceuticalCarePractice, 1998.

ProblemasRelacionadosaosMedicamentos

INDICAO

1. O paciente tem uma condio mdica que requer o incio de uma farmacoterapia nova ou adicional

2. O paciente est tomando farmacoterapia que desnecessria para sua presente condio.

EFETIVIDADE

3. O paciente tem uma condio mdica para qual o medicamento incorreto est sendo tomado.

4. O paciente tem uma condio mdica para qual muito pouco do medicamento correto est sendo tomado.


Curso de especializa o em assist ncia e aten o farmac utica

Cipolle, Strand e Morley. PharmaceuticalCarePractice, 1998.

ProblemasRelacionadosaosMedicamentos

SEGURANA

5. O paciente tem uma condio mdica resultante de uma reao adversa ao medicamento.

6. O paciente tem uma condio mdica para a qual um excesso de medicamento correto est sendo tomado

ADESAO

7. O paciente tem uma condio mdica resultante de no tomar o medicamento apropriadamente.


Universidade de minnesota

Universidade de Minnesota

Necessidadesfarmacoteraputicas

Categorias de PRM

  • INDICAO

  • EFETIVIDADE

  • SEGURANA

  • ADESO

  • Medicamentos desnecessrios

  • Necessidade de medicamentos

  • Medicamento no efetivo

  • Baixa dosagem

  • Reao adversa

  • Dosagem elevada

  • No adeso


Curso de especializa o em assist ncia e aten o farmac utica

Hepler e Strand, 1990.

ProblemasRelacionadosaosMedicamentos

A resoluo e preveno de PRMs resultado do desenho, execuo e seguimento de um plano teraputico, que na viso do farmacutico, cumprira otimamente o objetivo teraputico.

Para alcanar a estes objetivos, a Ateno Farmacutica deve integrar-se aos outros elementos da assistncia a sade.


Iii consenso de granada 2007

III Consenso de Granada 2007

Resultados negativos da medicao (farmacoterapia)

Categorias de RNM

  • A - NECESIDADE

  • B - EFETIVIDADE

  • C - SEGURANA

  • Problema de sade no tratado

  • Efeito de Medicamento Desnecessrio

  • Inefetividade no quantitativa

  • Inefetividade quantitativa

  • Insegurana no quantitativa

  • Insegurana quantitativa.


Curso de especializa o em assist ncia e aten o farmac utica

III Consenso de Granada 2007


Iii consenso de granada

III Consenso de Granada

A proposta de Resultados negativos da medicao (farmacoterapia), apresenta as seguintes diferenas com relao a classificao de PRM do II Consenso de Granada

  • Desaparece o termo PRM

  • Desaparecem os nmeros que se associam a cada tipo de PRM

  • O enunciado dos resultados negativos associados a farmacoterapia, o termo conseqncia substitudo por associado, para evitar-se uma relao causal direta


Curso de especializa o em assist ncia e aten o farmac utica

Que padresseguir ?

  • Regulamentao pelos rgos de classe

  • Regulamentao sanitria

  • Formao pertinente


Curso de especializa o em assist ncia e aten o farmac utica

Que padresseguir ?

Declarao clara de compromisso com a AtenFar

Ambiente organizacional externo que permita o intercambio entre profissionais

Mtodos adequados para reconhecer e avaliar a AtenFar

Ambiente organizacional interno que permita aos profissionais concentrarem-se nos pacientes individualmente e que permita uma fcil comunicao

Uma aproximao da AtenFar racional e consistente, que integre a dispensao e a tomada de decises.

Hepler e Strand, 1990.


Curso de especializa o em assist ncia e aten o farmac utica

PWDT e DADER


Curso de especializa o em assist ncia e aten o farmac utica

PWDT

Pharmacists Workup of Drug Therapy

Universidade de Minnesota - EUA


Curso de especializa o em assist ncia e aten o farmac utica

PWDT

Pensar como um profissional Pharmacotherapy Workup

Agir como um profissional Prtica padronizada

Falar como um profissional Vocabulrio da prtica


Curso de especializa o em assist ncia e aten o farmac utica

PWDT

Este procedimento, dirige as decises do farmacutico sobre o uso de medicamentos e demonstra como o conceito de Ateno Farmacutica pode realmente ser aplicado a qualquer paciente em qualquer cenrio de pratica.

O PWDT auxilia o farmacutico a avaliar seu xito e a identificar e resolver problemas do paciente relacionados com os medicamentos.

Hepler e Strand, 1990.


Pwdt 7 passos

PWDT 7 passos

Recolher e interpretar a informao relevante do paciente, para determinar se este paciente possui PRM

Identificar PRMs

Descobrir as metas teraputicas desejadas

Descobrir as alternativas teraputicas factveis

Selecionar e individualizar o regime teraputico mais apropriado

Implementar as decises sobre o uso dos medicamentos

Desenhar um plano de seguimento para alcanar as metas teraputicas desejadas

Hepler e Strand, 1990.


Pwdt prm

PWDT PRM

INDICAO: problema de sade

EFETIVIDADE: dose, posologia, uso real, resposta

SEGURANA: RAM, alergias ou sobre dose

ADESO AO TRATAMENTO

Hepler e Strand, 1990.


Curso de especializa o em assist ncia e aten o farmac utica

PHARMACEUTICAL CARE

Escola da Florida

HEPLER e cols.

Escola de Minnesota

STRAND e cols.

uma patologia

de cada vez

um paciente

de cada vez

Objetivo comum: O beneficio do paciente


O programa dader de seguimento farmacoterap utico

O programa DADER de seguimento farmacoteraputico

1990 Grupo de investigao em ateno farmacutica da Universidade de Granada

  • Um novo conceito:

  • Pratica orientada ao paciente

  • Ateno individualizada

  • Pratica documentada


O programa dader de seguimento farmacoterap utico1

O programa DADER de seguimento farmacoteraputico

Metodologia Bsica Pratica

  • DISPENSAO ATIVA

  • INDICAO FARMACUTICA

  • SEGUIMENTO FARMACOTERAPUTICO


O programa dader de seguimento farmacoterap utico sft

O programa DADER de SEGUIMENTO FARMACOTERAPUTICO (SFT)

SFT

Servio profissional que tem como objetivo a deteco de Problemas Relacionados com Medicamentos (PRM), para a preveno e resoluo de Resultados Negativos associados a Medicao (RNM)...

Estes servio implica um compromisso e dever ser fornecido de forma continuada, sistematizada e documentada, em colaborao com o prprio paciente e com os demais profissionais de saude, com o fim de alcaar resultados concretos que melhorem a qualidade de vida do paciente.


O programa dader de seguimento farmacoterap utico sft1

O programa DADER de SEGUIMENTO FARMACOTERAPUTICO (SFT)

  • Pratica profissional

  • Detectar PRM para prevenir e resolver resultados negativos associados a medicao

  • Implica um compromisso

  • De forma continuada, sistematizada e documentada

  • Colaborao com o paciente e o resto da equipe de sade

  • Alcanar resultados concretos que melhorem a qualidade de vida dos pacientes

Tercer Consenso de Granada sobre PRM y RNM. 2007


O programa dader de seguimento farmacoterap utico sft documenta o

O programa DADER de SEGUIMENTO FARMACOTERAPUTICO (SFT) - Documentao

Como qualquer profissional que intervm em uma atividade assistencial, o farmacutico deve cumprir os deveres de informao e documentao clinica.

  • Motivos que levaram o paciente a procurar atendimento

  • Problemas de sade e efeitos ou resultados do uso de medicamentos

  • Farmacoterapia do paciente

  • Historia farmacutica

  • Planificao, evoluo e resultado das intervenes farmacuticas realizadas para melhorar ou preservar os resultados da farmacoterapia

  • Consentimento informado, informes ao mdico ou outros profis.

  • Dados de contato do paciente

Tercer Consenso de Granada sobre PRM y RNM. 2007


O programa dader de seguimento farmacoterap utico sft documenta o1

O programa DADER de SEGUIMENTO FARMACOTERAPUTICO (SFT) - Documentao

  • - Historia farmacoteraputica

  • Folhas de entrevista farmacutica

  • Estado de situao

  • Folhas de plano de ao

  • Folhas de entrevistas sucessivas

  • Folhas de interveno

Tercer Consenso de Granada sobre PRM y RNM. 2007


Curso de especializa o em assist ncia e aten o farmac utica

Avaliao do Processo Teraputico

AVALIAO INICIAL

Assegurar que a farmacoterapia

est indicada, efetiva

e segura,

e que o paciente pode

seguir as instrues.

Identificar PRM

PLANO DE ATENO

Resolver PRM

Assumir metas teraputicas

Prevenir PRM

AVALIAES SUCESSIVAS

Recopilar resultados atuais.

Avaliar status e progresso

das metas teraputicas

Avaliar novos problemas

Seguimento continuado ao longo do tempo.

M. MACHUCA, 08

www.farmacoterapiasocial.es


Curso de especializa o em assist ncia e aten o farmac utica

O programa DADER de SEGUIMENTO FARMACOTERAPUTICO (SFT)

Resultados Negativos Associados a Farmacoterapia (Medicacion)

Tercer Consenso de Granada sobre PRM y RNM. 2007


Curso de especializa o em assist ncia e aten o farmac utica

O programa DADER de SEGUIMENTO FARMACOTERAPUTICO (SFT) Resultados Negativos Associados a Farmacoterapia (Medicacion)

2 Consenso de Granada: PRM so resultados (clnicos) negativos, no devendo serem confundidos com aquelas falhas ou problemas que podem aparecer durante o processo de uso dos medicamentos, que poderiam ser causas de PRM.

Ex. um paciente que recebe uma dose excessiva de um medicamento.

A sobredose pode ser a causa do aparecimento de um PRM, mas nunca um PRM como tal, uma vez que um elemento do processo de uso dos medicamentos e no um resultado deste processo.

Tercer Consenso de Granada sobre PRM y RNM. 2007


Curso de especializa o em assist ncia e aten o farmac utica

O programa DADER de SEGUIMENTO FARMACOTERAPUTICO (SFT) Resultados Negativos Associados a Farmacoterapia (Medicacion)

Os RNM so problemas de saude, mudanas no desejadas no estado de saude do paciente, atribuidas ao uso (no uso) dos medicamentos.

Para medi-los se utiliza uma variavel clinica (sintoma, sinal, evento clinico, medio metabolica ou fisiologica, morte), que no cumpre com os objetivos teraputicos estabelecidos para o paciente.

Tercer Consenso de Granada sobre PRM y RNM. 2007


Curso de especializa o em assist ncia e aten o farmac utica

O programa DADER de SEGUIMENTO FARMACOTERAPUTICO (SFT) Resultados Negativos Associados a Farmacoterapia (Medicacion)

Como consequencia, passam a se denominar PRM, aquelas circunstncias que causam ou podem causar o aparecimento de um resultado negativo associado ao uso dos medicamentos.

Assim, os PRM passam a ser todas aquelas circunstncias que predispem o usurio de medicamento um maior risco de sofrer um RNM.

Tercer Consenso de Granada sobre PRM y RNM. 2007


Curso de especializa o em assist ncia e aten o farmac utica

O programa DADER de SEGUIMENTO FARMACOTERAPUTICO (SFT) Resultados Negativos Associados a Farmacoterapia (Medicacion)

Elementos do processo de uso dos medicamentos

Resultados do uso dos medicamentos

Interveno

Dose do medicamento

Considerao das precaues e contra-indicaes

Presena de interaes

Necessria e correta precr./indicao do medic

Cumprimento das normas de uso e adm

Aderncia ao tratamento

Duplicidade

Etc ...

Sintomas

Sinais

Eventos clnicos

Medies fisiolgicas e metablicas

morte

medicamento

Positivos

Negativos

RNM

Tercer Consenso de Granada sobre PRM y RNM. 2007


Curso de especializa o em assist ncia e aten o farmac utica

Proposio de uma lista (no excludente ou exaustiva) de PRM que podem ser assinalados como possveis causas de RNM:

  • Adm errnea do medicamento

  • Caractersticas pessoais

  • Conservao inadequada

  • Contra-indicao

  • Duplicidade

  • Erros de dispensao

  • Erros de prescrio

  • Falta de adeso

  • Interaes

  • Dose, posologia e/ou durao inadequada

  • Outros problemas de sade que afetam o tratamento

  • Probabilidade de eventos adversos

  • Problema de sade insuficientemente tratado

  • etc ...

Tercer Consenso de Granada sobre PRM y RNM. 2007


Curso de especializa o em assist ncia e aten o farmac utica

CIPOLLE, STRAND & MORLEY, 99

As atividades profissionais somente so recompensadas quando satisfazem uma necessidade social especifica, mediante a aplicao de conhecimentos e habilidades para prestar um servio que permita abordar os problemas dos indivduos.


Curso de especializa o em assist ncia e aten o farmac utica1

Curso de Especializao em Assistncia e Ateno Farmacutica

Profa. Msc. Edyane Cardoso Lopes

[email protected]

Santa Maria, agosto de 2008


  • Login