Monitora sara s almeida gurupi setembro de 2012
This presentation is the property of its rightful owner.
Sponsored Links
1 / 29

MONITORA: Sara S. Almeida Gurupi, setembro de 2012 PowerPoint PPT Presentation


  • 37 Views
  • Uploaded on
  • Presentation posted in: General

LITERATURA. MONITORA: Sara S. Almeida Gurupi, setembro de 2012. Brasil! M ostra tua cara. Considerações iniciais. A Literatura no Brasil está dividida em duas grandes eras:. Era Colonial. Era Nacional. Que parâmetros foram utilizados para estabelecer tais era?. Evolução Política.

Download Presentation

MONITORA: Sara S. Almeida Gurupi, setembro de 2012

An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Presentation Transcript


Monitora sara s almeida gurupi setembro de 2012

LITERATURA

MONITORA: Sara S. Almeida

Gurupi, setembro de 2012


Monitora sara s almeida gurupi setembro de 2012

Brasil! Mostra tua cara...


Monitora sara s almeida gurupi setembro de 2012

Considerações iniciais

A Literatura no Brasil está dividida em duas grandes eras:

Era Colonial

Era Nacional

Que parâmetros foram utilizados para estabelecer tais era?

Evolução Política

Evolução Econômica

Essas eras apresentam subdivisões que são chamadas de “escolas literárias”.


Monitora sara s almeida gurupi setembro de 2012

Considerações iniciais

Cada uma dessas escolas é estudada separadamente para efeitos didáticos porém , cada uma delas pode antecipar ou retomar características de uma ou outra.

Escolas pertencentes a Era Colonial da Literatura brasileira.

Evolução Política

Evolução Econômica

Obs.: A Literatura deve ser vista como algo dinâmico que vai e volta, sempre viva e preparada para despertar a inquietação, a reflexão!!!


Monitora sara s almeida gurupi setembro de 2012

A Literatura de informação no Brasil – LIB - Quinhentismo

Definição:

É a denominação genérica de todas as manifestações literárias ocorridas no Brasil durante o século XVI (1500-1601), correspondendo à introdução da cultura européia em terras brasileiras. Não se pode falar em uma literatura "do" Brasil, como característica do país naquele período, mas sim em literatura "no" Brasil - uma literatura ligada ao Brasil, mas que denota as ambições e as intenções do homem europeu.


Monitora sara s almeida gurupi setembro de 2012

A Literatura de informação no Brasil – LIB - Quinhentismo

Contexto Histórico-Cultural

  • Descoberta do Brasil (1500):

  • Necessidade de relatar à metrópole sobre as novas terras;

  • Tais textos constituem a chamada literatura de informação sobre o Brasil;

  • Escrita em estilos variados, dependendo do autor.

  • Não possui cunho estético, ou seja, não foram feitos como obras de arte.

O desembarque


Monitora sara s almeida gurupi setembro de 2012

A Literatura de informação no Brasil – LIB - Quinhentismo

Contexto Histórico-Cultural

  • Qual a importância desses textos?

  • Trazem conhecimento da vida no Brasil, da presença dos índios e de como se deu a colonização.

  • Esse tipo de Literatura pode ser considerada brasileira?

  • Não, pois foi feita num sentido de pensamento estrangeiro.

  • Esses textos dos cronistas servem como referencial para que possamos saber como era a terra, a gente, os costumes, a aparência, a língua, a flora, a fauna do Brasil e dos índios que aqui habitavam.


Monitora sara s almeida gurupi setembro de 2012

A Literatura de informação no Brasil – LIB - Quinhentismo

Contexto Histórico-Cultural

Literatura Informativa

Quinhentismo

Representava o momento histórico vivido na península Ibérica

Literatura Informativa


Monitora sara s almeida gurupi setembro de 2012

A Literatura de informação no Brasil – LIB - Quinhentismo

Literatura Informativa (dos cronistas ou viajantes)

  • Reflete sobre as grandes navegações;

  • Quem produzia literatura naquele período estava com os olhos voltados para as riquezas materiais (ouro, prata, ferro, madeira, etc.);

  • Exaltava a terra;

  • Uso exagerado de adjetivos, para ampliar a visão sobre a nova terra.

  • De grande importância histórica.


Monitora sara s almeida gurupi setembro de 2012

A Literatura de informação no Brasil – LIB - Quinhentismo

Literatura Informativa (dos cronistas ou viajantes)

  • Principais autores e obras do período:

  • Pero Vaz de Caminha – “Carta do Achamento do Brasil” (1500)

  • Pero Lopes de Sousa – “Diário de Navegação” (entre 1530 e 1532)

  • Hans Staden – “Viagem ao Brasil” (1557)

  • Pero de Magalhães Gândavo – “”História da Província de Santa Cruz (1576)

  • Gabriel Soares de Sousa – “Tratado Descritivo do Brasil” (1587)

  • Padre Fernão Gardin – “Tratados da terra e gente do Brasil” (sem data)


Monitora sara s almeida gurupi setembro de 2012

A Literatura de informação no Brasil – LIB - Quinhentismo

Literatura Informativa (dos cronistas ou viajantes)

Trecho da carta de Caminha“A Carta do Achamento do Brasil”

“...Ali andavam entre eles três ou quatro moças bem novinhas e gentis, com cabelos mui pretos e compridos pelas costas e suas vergonhas tão saradinhas e tão limpas das cabeleiras que de as nós muito bem olharmos não tínhamos nenhuma vergonha.”

Com exceção da carta de Pero Vaz de Caminha, considerada o primeiro documento da literatura no Brasil, as principais crônicas da literatura informativa datam da segunda metade do século XVI, fato compreensível, já que a colonização só pode ser contada a partir de 1530.


Monitora sara s almeida gurupi setembro de 2012

A Literatura de informação no Brasil – LIB - Quinhentismo


Monitora sara s almeida gurupi setembro de 2012

A Literatura de informação no Brasil – LIB - Quinhentismo

Literatura dos Jesuítas

  • Procurava relatar o trabalho de catequese dos índios;

  • Tinha a intenção pedagógica do teatro e, o caráter moral do ensinamento religioso através do processo de catequização dos índios por meio da obra lírica;

  • Caracteriza o fim do Quinhentismo, tendo esses religiosos pisado o solo brasileiro somente em 1549.


Monitora sara s almeida gurupi setembro de 2012

A Literatura de informação no Brasil – LIB - Quinhentismo

Literatura dos Jesuítas

  • Do ponto de vista estético, foi a melhor produção literária do Quinhentismo brasileiro. Além da poesia de devoção, os jesuítas cultivaram o teatro de caráter pedagógico, baseado em trechos bíblicos, e as cartas que informavam aos superiores na Europa sobre o andamento dos trabalhos na colônia.

  • Principais autores:

  • Pe. Manoel de Nobrega

  • Fernão Cardim

  • Pe. José de Anchieta


Monitora sara s almeida gurupi setembro de 2012

Barroco

Definição:

Foi um período estilístico e filosófico da História da sociedade ocidental, ocorrido no período entre os séculos XVI e XVII.

O termo "barroco" deriva da palavra portuguesa homônima que significa "pérola imperfeita" ou joia falsa. Possui divertas denominações, tais como: Marinismo (Itália), Gongorismo (Espanha), Preciosismo (França) e Seiscentismo (na literatura bras.).


Monitora sara s almeida gurupi setembro de 2012

Barroco

Contexto Histórico-Cultural

  • 1517: acontece a Reforma, que divide a Igreja entre católicos e protestantes;

  • 1540: fundação da Companhia de Jesus;

  • 1563: a Igreja dá início ao movimento da Contra-Reforma;

  • Marco inicial no Brasil: Publicação do poema épico “Prosopopéia”, de Bento Teixeira.

O Barroco é fruto de uma contexto conflituoso, é a expressão da profunda crise ideológica e da multiplicidade de espírito do homem seiscentista, perdido entre a mentalidade em expansão e os valores medievais defendidos pelo clero e pela nobreza.


Monitora sara s almeida gurupi setembro de 2012

Barroco

Características da linguagem barroca – Quanto ao conteúdo

  • Conflito entre visão antropocêntrica e teocêntrica;

  • Oposição entre mundo material e mundo espiritual;

  • Conflito entre fé e razão;

  • Cristianismo;

  • Morbidez;

  • Idealização amorosa;

  • Sensualismo e sentimentalismo de culpa cristão;

  • Consciência da efemeridade do tempo;

  • Gosto por raciocínios complexos, desenvolvidos em parábolas e narrativas bíblicas;

  • Carpe diem.

Características da linguagem barroca – Quanto à forma

  • Poemas preferencialmente escritos na forma de SONETO (poema de 4 estrofes, sendo 2 quartetos e 2 tercetos, totalizando 14 versos);

  • Gosto pelas inversões e por construções complexas e raras.


Monitora sara s almeida gurupi setembro de 2012

Barroco

  • Características dos textos Barrocos

  • Jogos de palavras

  • Jogo de imagens

  • Jogo de construções


Monitora sara s almeida gurupi setembro de 2012

Barroco

  • Características dos textos Barrocos

  • Jogos de palavras

    Os autores barrocos usam frequentemente os trocadilhos e duplos sentidos na construção do poema.

    As repetições, as anáforas (ex. via-a… via-a) e as paronímias (ex. cores… coros) são, também, muitas vezes usados.

    Ex.:

    “(…)

    Lume dos meus olhos,

    Olhos da minha alma,

    Alma do meu corpo.

    Via-a, e logo amor,

    Via-a, e Febos logo

    (…)”


Monitora sara s almeida gurupi setembro de 2012

Barroco

  • Características dos textos Barrocos

  • Jogo de imagens

    Uso de metáforas para dar uma imagem sobre determinado assunto, geralmente como adjectivos.

    [Ex. Descrevendo as características da sua amada o poeta usa expressões como ouro (para o cabelo), safiras (para os olhos), etc.]

    Ex.:

“ A minha bela ingrata

Cabelo de ouro tem, fronte de prata,

De bronze o coração, de aço o peito;

(…)”


Monitora sara s almeida gurupi setembro de 2012

Barroco

  • Características dos textos Barrocos

  • Jogo de construções

  • O poeta abusa das construções frásicas complexas - paralelismos, antíteses, entrelaçamento de versos e, muitas vezes, disposição das palavras em forma de pirâmide e de cruzes.

  • Ex.:

“ Mais dura, mais cruel, mais rigorosa

(…)

Mais rigoroso, mais cruel, mais duro”


Monitora sara s almeida gurupi setembro de 2012

Barroco

Que estimula o apetite: prato apetecível

A imagem da mulher no Barroco

Os poetas barrocos exaltavam a figura da mulher, a mulher passou a ser descrita como um ser apetecível cujos atributos superavam tudo o que havia na natureza de belo.

Todavia, tornou-se também satirizada por inúmeros poetas que satirizavam a sua ambição e a vaidade pelo corpo.

Ex.:

“Na febre do amor-próprio estou ardendo, No frio da tibieza tiritando, No fastio ao bem desfalecendo, Na sezão do meu mal delirando, Na fraqueza do ser, vou falecendo, Na inchação da soberba arrebentado

(…)”


Monitora sara s almeida gurupi setembro de 2012

Barroco

  • Os escritores que mais se destacaram foram: Na poesia: - Gregório de Matos - Bento Teixeira - Botelho de Oliveira - Frei Itaparica Na prosa: - Pe. Antônio Vieira - Sebastião da Rocha Pita - Nuno Marques Pereira.

Pe. Antônio Vieira

Gregório de Matos


Monitora sara s almeida gurupi setembro de 2012

Arcadismo/Neoclassicismo

Definição:

É um movimento literário que surge na Europa na transição entre os séculos XVII e XVIII. Por ocorrer ao longo do ano de 1700, o período também é chamado de Setecentismo ou Neoclasicismo. Apresenta características do Classicismo português, dando novas tonalidades à arte burguesa.

Principais características do Classicismo:

  • Imitação dos autores clássicos gregos e romanos da antigüidade;

  • Uso de uma linguagem sóbria, simples, sem excesso de figuras literárias;

  • Busca da universalidade e impessoalidade.

  • Predomínio da razão sobre os sentimentos;

  • “O doce estilo novo;

  • Uso da mitologia;

  • Idealismo;

  • Amor Platônico;


Monitora sara s almeida gurupi setembro de 2012

Arcadismo/Neoclassicismo

  • Contexto Histórico-Cultural

  • Vivia-se o “século das luzes”;

  • O iluminismo burguês preparava as condições para a realização da Revolução Francesa;

  • Rompe com a solenidade do Barroco, seus exageros e excessos, tingindo as artes de uma nova tonalidade burguesa.

O nome dessa escola é uma referência à Arcádia, região bucólica do Peloponeso, na Grécia, tida como ideal de inspiração poética. Segundo a mitologia, teria sido o berço de Zeus e dominada pelo deus Pãamante das fontes, das sombras dos bosques e da companhia das Ninfas, e habitada por pastores, que viviam de modo simples e espontâneo e se divertiam cantando, fazendo disputas poéticas e celebrando o amor e o prazer.


Monitora sara s almeida gurupi setembro de 2012

Arcadismo/Neoclassicismo

  • Contexto Histórico-Cultural

  • No Brasil, o Arcadismo encontrou expressão num grupo de poetas que viviam em Minas Gerais, mais precisamente em Vila Rica (hoje Ouro Preto), o principal centro econômico do país, no século XVIII, em razão da descoberta de ouro e diamante.


Monitora sara s almeida gurupi setembro de 2012

Arcadismo/Neoclassicismo

  • Características:

  • Inspiram-se nos moldes da cultura greco-romana;

  • idealização da VIDA NATURAL, em oposição à vida urbana;

  • a HUMILDADE, em oposição aos gastos exorbitantes da nobreza;

  • o RACIONALISMO, em oposição a fé;

  • a LINGUAGEM SIMPLES E DIRETA, em oposição à linguagem complexa e elitista do Barroco.


Monitora sara s almeida gurupi setembro de 2012

Arcadismo/Neoclassicismo

Produção Literária

Poesia Lírica

Arcadismo

Estilos poéticos

Poesia Épica


Monitora sara s almeida gurupi setembro de 2012

Bons estudos!!!


  • Login