slide1
Download
Skip this Video
Download Presentation
Palestra: O mercado Consumidor de Eucalipto no Distrito Federal e Entorno

Loading in 2 Seconds...

play fullscreen
1 / 36

Palestra: O mercado Consumidor de Eucalipto no Distrito Federal e Entorno - PowerPoint PPT Presentation


  • 63 Views
  • Uploaded on

Palestra: O mercado Consumidor de Eucalipto no Distrito Federal e Entorno GETAF - Gestão de Ativos Florestais. MERCADO DE EUCALIPTO - O QUE DIZEM!.

loader
I am the owner, or an agent authorized to act on behalf of the owner, of the copyrighted work described.
capcha
Download Presentation

PowerPoint Slideshow about ' Palestra: O mercado Consumidor de Eucalipto no Distrito Federal e Entorno' - kermit


An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript
slide1

Palestra: O mercado Consumidor de Eucalipto no Distrito Federal e Entorno

GETAF - Gestão de Ativos Florestais

mercado de eucalipto o que dizem
MERCADO DE EUCALIPTO - O QUE DIZEM!
  • O setor florestal pode vir a ser uma atividade estratégica para o desenvolvimento do Brasil. (Grupo de Trabalho Interministerial para a formulação da Política Nacional de Floresta Plantada)
    • A produção anual de madeira para usos diversos no Estado do Goiás é insuficiente. No Brasil são necessários 350 milhões de metros cúbicos e a produção de toras das florestas plantadas é de 230 milhões de metros cúbicos - Embrapa Florestas
  • O PROPFLORA (Programa de Plantio Comercial e Recuperação de Florestas) e o PRODUSA (Programa de Estimulo a Produção Agropecuária Sustentável)foram consolidados no Programa ABC (Programa para Redução da Emissão de Gases de Efeito Estufa na Agricultura – Agricultura de Baixo Carbono), em 2011. Esta fusão objetivou simplificar o processo de concessão de credito ao produtor rural e tornar as taxas de juros mais atrativas
  • Da produção florestal, 26,3% é destinada a produção de lenha, o que é o principal produto florestal comercializado no DF
segmentos florestais
SEGMENTOS FLORESTAIS
  • energético, incluindo lenha, carvão vegetal, cavacos, pelletse resíduos.
  • toras industriais, madeira serrada e outros produtos de madeira sólida (móveis etc.);
  • painéis de madeira;
  • papel e celulose
porque tanta expectativa
PORQUE TANTA EXPECTATIVA?

45

40

35

  • A produtividade brasileira de Eucalipto e Pinus, árvores mais utilizadas em florestas plantadas, é a maior do mundo. Entretanto, sua área plantada é apenas a 7ª maior.
  • Apenas 0,7% (6,5 milhões de ha) do solo brasileiro é de florestas plantadas de Eucalipto ePinus. Há grande disponibilidade de terras em condições propícias para a atividade (regime pluvial, luminosidade e solo).

30

25

m3/ha/ano

20

Produtividade da Terra

15

10

5

0

Chile

Brasil

Uruguai

Sul EUA

Austrália

Argentina

N. Zelândia

África do Sul

Pinus

Eucalipto

Fonte: CAUFIELD 1998, IBGE, ABRAF e CONSUFOR

porque tanta expectativa1
Porque tanta expectativa?
  • Desincentivo a comercialização de madeira proveniente de florestas nativas;
  • Na perspectiva brasileira, até 2030, a tendência é que restem ainda 30 milhões de ha passíveis de ocupação com outras culturas, como, por exemplo, as florestas plantadas. (Grupo de Trabalho Interministerial para a formulação da Política Nacional de Floresta Plantada);
  • Mão-de-obra qualificada para o setor, tecnologia de ponta e mercado de consumo desses produtos já amplamente estabelecido;
  • Em síntese, o Brasil pode ampliar sua área de florestas plantadas dos atuais 7 milhões de ha (eucalipto, pinus e outras espécies plantadas) para cerca de 15 a 16 milhões, em 10 anos, o que demandaria investimentos da ordem de R$ 40 bilhões (ou aproximadamente US$ 20 bilhões) e geraria cerca de 200 mil empregos no meio rural;
  • Incentivo do governo com novas linhas de financiamentos com taxas reduzidas e maior limite por beneficiários.
distribui o de florestas e setores a ela relacionada
DISTRIBUIÇÃO DE FLORESTAS E SETORES A ELA RELACIONADA
  • O Estado de GO ainda possui baixa concentração de florestas plantada e estas são destinadas principalmente para “Lenhas”
  • Os estados com maior concentração de florestas plantadas são: MG, SP, BA, PR, SC e RS
mercado e tend ncias de produ o cen rio para o df
Mercado e tendências de produçãoCENÁRIO PARA O DF
  • Embora o consumo de lenha para geração de energia doméstica seja tradicionalmente um indicador do nível de subdesenvolvimento econômico da região, no caso brasileiro este aumento e decorrente, principalmente do crescimento industrial (siderurgia a carvão vegetal, agroindústria, industria cerâmica e de alimentos). “florestas energéticas” (ABRAF 2012).
  • No Brasil existem aproximadamente 300 usinas de preservação de madeira, distribuídas.

- predominantemente nas Regiões Sudeste e Sul

- capacidade instalada para produção de 2,0 milhões de m³,

- cerca de 25% da capacidade instalada esta ociosa.

O mercado consumidor nacional de madeira tratada pode ser dividido em segmento rural, elétrico, ferroviário e construção civil. O consumo desses segmentos representa um faturamento de BRL 750 milhões/ano.

  • Em escalas menores temos a produção de cavacos
mercado e tend ncias de produ o cen rio para o df1
Mercado e tendências de produção CENÁRIO PARA O DF
  • Brasil dispõe de 20 plantas industriais de pellets em funcionamento, além de novos projetos anunciados. Entre os fatores que levam a consolidação do mercado de pellets no cenário nacional, destacam‑se;

- redução da dependência dos combustíveis fosseis;

- disponibilidade de resíduos gerados pelo setor madeireiro;

- e a crescente demanda estimulada por mecanismos de incentivo governamentais.

A produção, o consumo, a exportação e a importação brasileira de pellets ainda são ínfimas, mas a tendência e que, a longo e médio prazos, a demanda cresça estimulando a produção, o consumo interno e as exportações.

  • Cabe mencionar que as 15 mil empresas que fabricam móveis de madeira declaram produzir 350 milhões de peças de mobiliário por ano, das quais o equivalente a US$ 1 bilhão é exportado.
slide11

Resumo de Mercado

  • Lógica do Mercado: Produtores – Usinas de Tratamento de Eucalipto – Mercado Consumidor
  • Tratamento do Eucalipto com objetivo de aumentar durabilidade, protegendo de ataque de fungos e insetos.
  • Ciclo: A partir de 4 anos
  • Consumidor Final:
    • Construção Civil (escoras tratadas,paisagismo, parques infantis, vigas)
    • Atividade Rural (mourões para cerca, curral, galpão, cancela, cabanas,piquetes)
    • Urbanismo (postes de eletrificação, cruzetas)
dados e perspectivas
DADOS E PERSPECTIVAS
  • Demanda anual de uma UTM:
  • Aproximadamente 48 hectares. (Dados da região)
  • Produtividade:
  • Estacas de 2,2 m de altura e diâmetro de 12 a 15cm de ponta.
  • Até 3 estacas por árvore
  • Perspectiva do setor:
    • Ex: Programa Luz para Todos.(Governo Federal)
    • Redução de espécies nativas para cercas e construções
utiliza es
Utilizações
  • Curral de madeira tratada
  • Galpão de madeira tratada

Postes e Cruzetas

utiliza es1
Utilizações
  • Parques infantis construídos com madeira tratada
  • Estacas para cercas
slide16

Resumo de Mercado

  • Lógica do Mercado: Produtores – Madeireiras – Construtoras
  • Mercado positivamente correlacionado com o crescimento do setor de construção civil
  • Ciclo: 2 anos
  • Consumidor Final:
    • Construção Civil
dados e perspectivas1
DADOS E PERSPECTIVAS
  • Demanda anual de uma madeireira:
  • 19200 escoras ano ou 3,8 hectares ano.
  • Existem aproximadamente 150 madeireiras em um raio de 100 Km de Brasília
  • Demanda estimada: 570 hectares
  • Retorno financeiro para o produtor:
  • Até 3 escoras por árvore
  • Preço: R$2,20 cada escora
perspectivas do setor no df e entorno
Perspectivas do setor no DF e Entorno

Mercado imobiliário crescente no DF e Entorno

Demanda concentrada na construção de casas (Entorno e GO)

Porém... enfrenta atualmente competitividade com mercado de escoras metálicas

slide21

Resumo de Mercado

  • Lógica do Mercado: Produtores – Consumidores
  • Possibilidade de venda do produto direto ao Consumidor final, porém com grandes dificuldades devido falta de estrutura de exploração e transporte.
  • Ciclo: A partir de 4 anos
  • Consumidor Final:
    • Indústrias Alimentícias
    • Secadoras de grãos
    • Padarias, Pizzarias e Olarias
dados
DADOS
  • Demanda anual de uma Indústria e retorno financeiro para o produtor
  • Média de uma unidade industrial de médio/grande porte:
    • 48.000 m³/ano/indústria
    • 343 hectares/ano/indústria
    • O metro de lenha (m/st) está sendo vendido em pé, sem custos para o produtor, de R$30,00 a R$40,00.
  • Segmento das indústrias analisadas:
    • Alimentícias
    • Secadoras de grãos
    • Produto de Limpeza
getaf
GETAF
  • Missão: Integrar o processo produtivo florestal e gerir com segurança os ativos ambientais e florestais, trabalhando em busca de retorno aliado à sustentabilidade.
  • Valores: Empreendedorismo, Sustentabilidade, Meritocracia e Resultado.
o que fazemos
O QUE FAZEMOS
  • Elaboração de Projetos Florestais;
  • Captação de Recursos;
  • Assistência Técnica Florestal;
  • Gestão de Florestas – Implantação e Acompanhamento;
  • Agente de Integração Produtor/Consumidor – Parcerias com empresas especializadas na exploração e transporte de madeira.
diferenciais
DIFERENCIAIS
  • Comprometimento com o retorno do Produtor;
  • Equipe Multidisciplinar;
  • Acompanhamento personalizado.
getaf1
GETAF

Marcos Guimarães

  • Formação:
    • Engenheiro Florestal – UnB
  • Experiência Profissional:
    • Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento– Departamento de Sistemas de Produção e Sustentabilidade.

Vitor Muller

  • Formação:
    • Engenheiro Florestal– UnB
    • Msc. – Manejo Florestal - UnB
    • Experiência Profissional:
    • FAL - UnB
experi ncia getaf
experiência GETAF
  • Falta de madeira para lenha em várias unidades alimentícias, incentivam às empresas a criarem planos de fomento florestal como incentivo à produção florestal;

Porém...

  • Falta planejamento e logística florestal do plantio a colheita, o que afeta o preço final do produto e consequentemente a rentabilidade.
plantios de eucalipto na regi o
Plantios de eucalipto na região

Mau Planejamento

Plantio em cascalheira

plantios de eucalipto na regi o1
Plantios de eucalipto na região

Plantio bem conduzido

(mudas certificadas)

Plantio de 1,5 anos

experi ncia getaf1
experiência GETAF

Principais compradores na região do DF e entorno:

  • Granjas;
  • Secadoras de grãos;
  • Frigoríficos;
  • Fábrica de farinha de osso;
  • Industrias alimentícias.
experi ncia getaf2
experiência GETAF

Métodos de exploração:

  • Na região a floresta é vendida “em pé” a empresas especializadas em exploração e transporte.
  • O preço oscila de R$30,00 a R$40,00 reais o metro de madeira empilhada (m/st). Este valor é de acordo com o padrão de exigência do consumidor ou qualidade da floresta, facilidade de exploração e transporte, assim como, a distância da entrega da madeira (frete).
  • Procura de madeira para abastecimento da região a 330Km de distância.
experi ncia getaf3
experiência GETAF

PERSPECTIVAS

  • Redução do ICMS a lenha oriunda de GO a deixa mais competitiva;
  • Atração de mais indústrias alimentícias para a região estimula a demanda de eucalipto;
  • Crédito disponível via FCO e Programa ABC;
  • Vantagem do Brasil na produção de alimentos;
  • Novas unidades de UTM’s para se instalar na região.
    • Quantidade de indústrias catalogadas GO e DF:
    • Aproximadamente 40 unidades
    • Demanda exigida de lenha:
      • 1,9 milhões de m³
      • 13.500 hectares
desafios da regi o
DESAFIOS DA REGIÃO
  • Organização do mercado via Associações de Produtores de eucalipto;
  • Redução do ICMS do DF para transporte de madeiras;
  • Trabalhos de capacitação de técnicos agrícolas e florestais;
ad