Funda o getulio vargas aiesec s o paulo
This presentation is the property of its rightful owner.
Sponsored Links
1 / 95

Fundação Getulio Vargas / AIESEC – São Paulo PowerPoint PPT Presentation


  • 47 Views
  • Uploaded on
  • Presentation posted in: General

mises.org.br. Fundação Getulio Vargas / AIESEC – São Paulo. As origens da crise do crédito. Como o Fed e os bancos criam dinheiro do nada?. Banco Solidus *– Balanço Patrimonial. *Exemplo de um único banco na economia – mais à frente será generalizado para n bancos. Dinheiro do nada! Eba!.

Download Presentation

Fundação Getulio Vargas / AIESEC – São Paulo

An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Presentation Transcript


Funda o getulio vargas aiesec s o paulo

mises.org.br

Fundação Getulio Vargas / AIESEC – São Paulo

Instituto Mises Brasil


As origens da crise do cr dito

As origens da crise do crédito

Instituto Mises Brasil


Como o fed e os bancos criam dinheiro do nada

Como o Fed e os bancos criam dinheiro do nada?

Banco Solidus *– Balanço Patrimonial

*Exemplo de um único banco na economia – mais à frente será generalizado para n bancos.

Instituto Mises Brasil


Dinheiro do nada eba

Dinheiro do nada! Eba!

Banco Solidus – Balanço Patrimonial

Instituto Mises Brasil


Dinheiro do nada eba1

Dinheiro do nada! Eba!

Banco Solidus – Balanço Patrimonial

Instituto Mises Brasil


Dinheiro do nada eba2

Dinheiro do nada! Eba!

Banco Solidus – Balanço Patrimonial

Instituto Mises Brasil


Dinheiro do nada eba3

Dinheiro do nada! Eba!

Banco Solidus – Balanço Patrimonial

Instituto Mises Brasil


Dinheiro do nada

Dinheiro do nada

  • O exemplo de um único banco na economia (ex Banco Solidus), permanece válido para n bancos.

  • Se alguns tomadores de empréstimo optarem por depositar no Banco Facilitas, por exemplo, este último terá dinheiro sobrando, que voltará via empréstimo de 1 dia para o Banco Solidus (que ficou com “furo” de caixa) .

Instituto Mises Brasil


O sistema baseado em

O sistema é baseado em...

Instituto Mises Brasil


A bolha da internet nasdaq

A bolha da internet (Nasdaq)

(1994-presente)

Instituto Mises Brasil


A taxa b sica de juros fed funds

A taxa básica de juros - Fed funds

(1994-presente)

Estouro da bolha da internet

Instituto Mises Brasil


A base monet ria 1994 presente

A base monetária (1994-presente)

Instituto Mises Brasil


A quantidade de moeda m1 1994 presente

A quantidade de moeda M1 (1994-presente)

Instituto Mises Brasil


A base monet ria 2005 presente

A base monetária (2005-presente)

Instituto Mises Brasil


As reservas internacionais mundiais 2003 presente

As reservas internacionais mundiais (2003-presente)

Instituto Mises Brasil


A bolha do cr dito

A bolha do crédito

  • A bolha tem como causa principal: o dinheiro injetado pelo Fed (também via bancos) para aliviar o estouro da bolha de internet.

Instituto Mises Brasil


A bolha do cr dito1

A bolha do crédito

  • Outra causa importante foi (e continua sendo) a promessa do Fed de salvar bancos e evitar que investidores tenham perdas com as bolhas.

  • Essa doutrina foi implementada em duas ocasiões relevantes:

    • a) quando o Fed arquitetou o salvamento do LTCM – fundo repleto de prêmios Nobel em 1998,

    • b) ao injetar maciça quantidade de dinheiro após o estouro da bolha da internet.

Instituto Mises Brasil


A bolha do cr dito2

A bolha do crédito

  • E como terceira causa não podemos deixar de ressaltar as regras determinadas pelo obscuro Secretariat do Comitê da Basiléia, que incentiva alavancagens irresponsáveis dos bancos do mundo todo ao determinar capital muito aquém do necessário segundo a prudência.

  • Atualmente são considerados aceitáveis níveis da capital da ordem de apenas 6% dos ativos ajustados a risco. Em apenas um dia de variação de preços como temos tido nesse mês, o capital de um banco pode evaporar.

Instituto Mises Brasil


A bolha do cr dito3

A bolha do crédito

Instituto Mises Brasil

Instituto Mises Brasil

  • O dinheiro injetado poderia ter causado inflação ao consumidor, mas isso não aconteceu.

  • Por que não houve inflação?

    • As empresas chinesas têm tido uma espantosa produtividade nos últimos 15 anos, fazendo com que os preços de computadores, eletrônicos, e outros produtos de exportação tivessem contínua queda de preços. Esse efeito deflacionário da China mascarou a inflação de ativos criada pelo Fed.

6 de setembro de 2014

19


A bolha imobili ria

A bolha imobiliária

Instituto Mises Brasil

Instituto Mises Brasil

  • Por que o setor imobiliário foi o preferido dos bancos para o repasse do dinheiro injetado pelo Fed e bancos?

    • A existência de agências como a Fannie Mae e Freddie Mac, que contavam com o aval implícito (agora confirmado) do governo americano. Estas têm como missão prover crédito para expandir a propriedade de casas pelos americanos. É um mercado de $13 trilhões, do tamanho do PIB americano.

    • Outro contribuidor para a bolha foi o Community Reinvestment Act (CRA), que obriga os bancos a emprestarem para indivíduos de baixa capacidade de pagamento, mesmo que não apresentem documentação comprobatória de renda.

6 de setembro de 2014

20


A tal da alavancagem

A tal da alavancagem

  • Os dólares criados pelo Fed e pelo sistema bancário americano são enviados aos montes para o resto do mundo ao ritmo do déficit em conta-corrente (US$3 bilhões/dia útil!).

  • Esse é o genial sistema de troca de “fotos do George Washington” por DVDs, carros, etc.

Instituto Mises Brasil


A tal da alavancagem1

A tal da alavancagem

  • Boa parte de tais dólares “exportados” são multiplicados por 10-20x no mercado de dólares offshore – mais conhecido como eurodollars – cujo centro nervoso é a City londrina. Lá forma-se o preço mais importante do planeta – a taxa Libor.

  • Com a brutal abundância de dólares desde 2000*, todas as classes de ativos subiram de preço.

Instituto Mises Brasil

*também conhecida como “liquidez internacional”


Case shiller home price index

Case-Shiller Home Price Index

(2000-presente)

Instituto Mises Brasil


Mortgage finance index

Mortgage Finance Index

(2000-presente)

Instituto Mises Brasil


Crb index commodities

CRB Index (Commodities)

(1994-presente)

Instituto Mises Brasil


Msci emerging markets index

MSCI emerging markets index

(1994-presente)

Instituto Mises Brasil


Treasury bonds 10 year

Treasury Bonds 10 year

(1994-presente)

Instituto Mises Brasil


A libor vs fed funds 2004 presente

A Libor vs Fed Funds (2004-presente)

Instituto Mises Brasil


Funda o getulio vargas aiesec s o paulo

A Libor vs Treasury Bills 3 meses (2004-presente)

Instituto Mises Brasil

Instituto Mises Brasil

6 de setembro de 2014

29


A alavancagem inflando ativos

A alavancagem inflando ativos

  • Com o dinheiro fácil desde 2001, esgotaram-se os bons pagadores a quem os bancos preferem emprestar. Os bancos, portanto, passaram a conceder empréstimos mais arriscados.

  • O empréstimo típico foi o chamado NINJA* – para pessoas com “No Income, No Job, or Assets”.

* também conhecido como subprimes e Alt-A.

Instituto Mises Brasil


O empacotamento

O empacotamento...

  • Os empacotamentos de mortgages – os mortgage-backed securities do tipo CDO e CMOs – já existiam desde a década de 80, porém os volumes atingiram níveis estratosféricos nos últimos anos.

  • Devido à falta de transparência dos empacotamentos, os bancos vislumbraram uma forma de vender lixo pelo preço de ouro.

Instituto Mises Brasil


O empacotamento1

O empacotamento...

  • O santo graal do mercado financeiro são os títulos considerados AAA pelas agências de rating (S&P, Moodys, e Fitch)

  • Os “gênios” estatísticos do MIT & Cia – contratados a peso de ouro por Wall Street – bolaram modelos sofisticados que “comprovariam” a ínfima chance de inadimplência de pacotes com pequena porcentagem de hipotecas NINJA.

Instituto Mises Brasil


O lixo t xico embaladinho

O lixo tóxico embaladinho...

AAA

99% de água

1% de lixo tóxico

100% garantido

E rendendo 1% ao ano a

mais que os outros AAA!

Instituto Mises Brasil


Funda o getulio vargas aiesec s o paulo

Instituto Mises Brasil


O marketing do lixo

O marketing do lixo...

  • Os bancos de Wall Street mostraram às agências de rating (usando o boom entre 2000 e 2006 como histórico), que os pacotes eram de alta qualidade.

  • As agências, ganhando fees cada vez maiores, fecharam os olhos e concordaram.

  • As seguradoras de títulos (os monolines MBIA e Ambac & cia), que não reclamaram ao entrar na onda de coletar fees garantindo os pacotes.

Instituto Mises Brasil


As seguradoras e os subscritores de cds s

As seguradoras e os subscritores de CDS’s

  • Se comportaram como o sujeito que cata moedinhas na linha do trem...um dia o trem passa...

Instituto Mises Brasil


A distribui o do lixo t xico

A distribuição do lixo tóxico...

  • Wall Street distribuiu os pacotes para investidores institucionais e outros do mundo todo.

  • Todos se surpreenderam quando a cidade de Narvik na Noruega anunciou perdas gigantescas em setembro de 2007.

  • Mas os próprios bancos de Wall Street passaram a encantar-se com sua criação, e compraram os CDOs para seus fundos, para si próprios, e para clientes.

Instituto Mises Brasil


A cria o de wall street

A criação de Wall Street...

Instituto Mises Brasil


A probabilidade improv vel

A probabilidade improvável

  • David Viniar, o CFO da Goldman Sachs, declarou em agosto de 2007 depois que seus fundos* perderam mais de 30% , que: “Estamos sofrendo eventos de 25 desvios-padrão, em vários dias seguidos”.

  • Um evento de 25 desvios-padrão acontece a cada 100.000 anos! Será que o Viniar estava coletando dados do mercado de tacapes na bolsa da Idade da Pedra?

*entre os principais, Global Equity Opportunities Fund e Global Alpha

Instituto Mises Brasil


Trader da goldman

Trader da Goldman

Instituto Mises Brasil


A crise chega em 2007

A crise chega em 2007

  • As perdas NINJA começaram a se espalhar no início de 2007.

  • Em junho de 2007, dois fundos do Bear Stearns, com os nomes mais elegantes do mercado - High-Grade Structured Credit Fund e o High-Grade Structured Credit Enhanced Leveraged Fund, perderam quase todo seu patrimônio.

  • No dia 5 de agosto de 2007, quebrou a segunda maior companhia de mortgage americana – a AHMIC, mas houve 70 outras que quebraram nos meses anteriores.

  • No dia 9 de agosto de 2007, o Banco Central Europeu injetou US$130 bilhões, como resposta às perdas dos fundos do BNP-Paribas.

Instituto Mises Brasil


A quebradeira mostrou a cara j em 2007

A quebradeira mostrou a cara já em 2007

Instituto Mises Brasil


Mas os investidores n o acreditaram na dimens o do problema

Mas os investidores não acreditaram na dimensão do problema.

  • Em outubro de 2007 as bolsas bateram seu all-time high.

Instituto Mises Brasil


O exemplo da lehman brothers

O exemplo da Lehman Brothers

  • Na semana em que quebrou (setembro de 2008) a Lehman Brothers publicou balanço em que mostrava cerca de US$650 bi de ativos para US$20 bi de patrimônio – uma alavancagem de 32x (típica dos bancos de investimento).

  • Alguns dias depois do pedido de falência os bonds (US$630 bi de valor de face) estavam sendo negociados a 30%.

Instituto Mises Brasil


Pergunta

Pergunta...

  • Quanto valiam nesta data os ativos da Lehman?

Instituto Mises Brasil


Resposta final

Resposta final...

Instituto Mises Brasil

Instituto Mises Brasil

Mas na semana passada os ativos foram liquidados por apenas 8.625% do valor de face!

Onde foram parar os outros $600 bilhões?!?!

6 de setembro de 2014

46


Funda o getulio vargas aiesec s o paulo

Instituto Mises Brasil


O que vem por a nos u s a 700 bilh es n o s o suficientes

O que vem por aí? Nos U.S.A. – $700 bilhões não são suficientes!

  • O sistema bancário americano carrega cerca de US$18 trilhões de ativos (valor de face) para US$1.2 trilhões de patrimônio.

  • Estimo que os ativos necessitam de um ajuste para cerca de 70% do valor de face (de acordo com os últimos balanços), ou seja, um ajuste de US$5.4 trilhões.

Instituto Mises Brasil


Nos u s a 700 bilh es n o s o suficientes

Nos U.S.A. – $700 bilhões não são suficientes!

  • Fazendo a conta de outra forma, só de ativos de mortgage nos U.S. há $13 trilhões, dos quais $10tri são prime, $1.5tri Alt-A, e $1.2 subprimes.

  • Estimamos perdas de 10% em primes, 20% em Alt-A, e 30% em subprimes, para um total de $1.6 trilhão somente em mortgages.

Instituto Mises Brasil


Nos u s a 700 bilh es n o s o suficientes1

Nos U.S.A. – $700 bilhões não são suficientes!

  • Além disso, o governo americano já estatizou US$8 trilhões de ativos e dívidas (Fannie, Freddie, Lehman, Bear Stearns, AIG, Wamu, IndyMac e CountryWide). Estimamos que tais ativos valham apenas metade desse valor, ou seja, uma perda de US$4 trilhões.

  • Esse valor será agregado à dívida pública americana, que hoje está em 43% do PIB ($6tri) e deve passar em três anos para cerca 80% do PIB ($11tri).

Instituto Mises Brasil


Nos u s a 700 bilh es n o s o suficientes2

Nos U.S.A. – $700 bilhões não são suficientes!

  • Adicionalmente, a dívida das empresas é cerca de US$8trilhões. Segundo o S&P, os defaults devem ser de 23% até 2010, ou seja, $1.8trilhões.

  • Além disso os bancos estenderam linhas de crédito – ainda não sacadas – de cerca de US$6 trilhões. Os bancos não terão esse dinheiro.

  • A crise do crédito ainda vai revelar perdas nos empréstimos: a) de cartão de crédito, b) de imóveis comerciais, c) a estudantes, d) automóveis, e) empréstimos pessoais gerais.

Instituto Mises Brasil


O que vem por a no mundo

O que vem por aí? No mundo...

  • Segundo estimativas de especialistas, a quantidade de crédito no mundo é de 4x o PIB mundial. Nos parece razoável que nos próximos doia anos tal alavancagem diminua para cerca de 2x*.

  • Ou seja, se os números estiverem corretos, cerca de $100 TRILHÕES devem desaparecer do sistema financeiro.

    *De 1930 a 1950 o total de crédito nos U.S. caiu de 2.6x para 1.3x do PIB.

Instituto Mises Brasil


O que o secretariat da basil ia tem a dizer sobre isso

O que o Secretariat da Basiléia tem a dizer sobre isso?

(1)Em US$ bilhões. (2) O patrimônio é o tangível, excluindo ágio de aquisições. Exclui

arranjos off-balance-sheet

Instituto Mises Brasil


As pr ximas v timas

As próximas vítimas?

  • Os hedge funds possuem cerca de US$3 trilhões de ativos, e têm em média uma alavancagem estimada de 15 a 20x.

  • Uma queda de apenas 5% nos seus ativos pode aniquilar o patrimônio dos quotistas.

  • Segundo a Hedge Fund Research, o valor do patrimônio declarado dos hedge funds do mundo caiu 17% neste ano (até setembro).

Instituto Mises Brasil


Empurrando a sujeira para debaixo do tapete

Empurrando a sujeira para debaixo do tapete

  • Não é à toa que as autoridades defendem a eliminação ou flexibilização das regras de “marcação a mercado”, bem como regras que limitem as vendas a descoberto (apostas nos mercados em baixa).

Instituto Mises Brasil


O resto hist ria

O resto é história...

Instituto Mises Brasil


Em suma

Em suma...

  • Estamos vivendo a maior crise deflacionária de ativos de todos os tempos.

  • Não acreditamos que a economia real escapará das consequências da derrubada deste castelo de cartas da alavancagem.

Instituto Mises Brasil


O efeito riqueza ser devastador

O efeito riqueza será devastador

Valor de mercado das bolsas mundiais (2003-presente)

Instituto Mises Brasil


Que dura o ter a recess o

Que duração terá a recessão?

  • Qualquer estimativa é no máximo um chute, ainda que seja fundamentado.

  • Nossa estimativa é de que a recessão será forte nos US e na Europa, e uma forte desaceleração no resto do mundo, e levará:

    • cerca de 2 anos , caso haja poucas intervenções adicionais pelos governos e bancos centrais, ou

    • de 3 a 5 anos, caso as intervenções continuem.

Instituto Mises Brasil


Obrigado

Obrigado!

mises.org.br

Instituto Mises Brasil


Anexo i a economia austr aca

Anexo I A Economia “Austríaca”

Instituto Mises Brasil


Perguntas e respostas

Perguntas e respostas

  • Você não acha que há algo de errado:

    • na prescrição keynesiana de o governo mandar cavar buracos e em seguida tapá-los caso a economia entre em recessão?

    • que todos os governos do mundo façam questão de ter o monopólio da moeda, mas divirjam sobre outros monopólios (correios, estradas, siderurgia)?

    • que tenhamos bolhas , crises e depressões sem que haja uma explicação satisfatória sobre as causas?

Instituto Mises Brasil


Perguntas e respostas1

Perguntas e respostas

  • Você não acha que há algo de errado:

    • que a queda de preços de produtos seja excelente para seu bolso, mas considerada inaceitável para os economistas mainstream?

    • que nos livros e na teoria os economistas defendam o livre comércio, mas na prática sempre defendem um amplo leque de “exceções” e “salvaguardas”?

    • que o aumento de salário mínimo seja defendido como benéfico para a “economia” ou para os assalariados de baixa renda?

Instituto Mises Brasil


Perguntas e respostas2

Perguntas e respostas

  • Você não acha que há algo de errado:

    • que “monopólios” privados sejam considerados nefastos e inaceitáveis, mas que monopólios governamentais sejam aceitos sem questionamento (da moeda, do tráfego aéreo, da justiça, do espectro eletromagnético, do subsolo, das jazidas minerais , dos rios, estradas e ruas, da segurança pública) ?

    • que seja um crime em quase todos os países alguém espalhar um rumor sobre um banco em dificuldades, mas não sobre empresas?

Instituto Mises Brasil


Perguntas e respostas3

Perguntas e respostas

  • Você não acha que há algo de errado:

    • que o ouro seja considerado uma “relíquia bárbara”, mas seja o ativo financeiro preferido em momentos de crise?

    • que o valor do dólar em 1900 (pouco antes da criação do Fed) era o mesmo que em 1800, mas que o valor do dólar hoje é apenas 4% daquele de 1900?*

    • que a roda tenha sido inventada mesmo sem a proteção da lei de patentes?

Instituto Mises Brasil

* De acordo com o Consumer Price Index calculado pelo BLS.


Perguntas e respostas4

Perguntas e respostas

  • Não há algo errado quando se tenta obter uma visão coerente e integrada do funcionamento da economia, porém tal visão (não obstante os anos de estudo) parece uma tela do Jackson Pollock?

Instituto Mises Brasil


Funda o getulio vargas aiesec s o paulo

Instituto Mises Brasil


Perguntas e respostas5

Perguntas e respostas

  • Não há algo errado no comportamento dos economistas de plantão, que se portam como “arquitetos” do mundo ideal?

Instituto Mises Brasil


Economista do governo

Economista do governo

Instituto Mises Brasil

*Mural de Diego Rivera - Palacio de Bellas Artes (Mexico)


E que a pol tica seja assim

E que a política seja assim...

Instituto Mises Brasil


O governo por fr deric bastiat

O Governo, por Fréderic Bastiat

  • “Aposto 10 para 1 que nos últimos 6 meses o leitor vislumbrou utopias, e imaginou que o governo seria o canal de realizá-las.”

  • “O governo é a grande ficção pela qual todos tentam viver às custas de todos os outros.”

Instituto Mises Brasil


Sugest o

Sugestão

  • Há uma maneira de sair desse mundo estranho e incoerente...

Instituto Mises Brasil


Tome a p lula vermelha

Tome a pílula vermelha!

Instituto Mises Brasil


O que a economia austr aca

O que é a “EconomiaAustríaca”?

  • É a economia de livre-mercado.

  • Baseia-se na propriedade privada e na liberdade individual e de trocas (comércio).

Instituto Mises Brasil


Liberdade

Liberdade

“Liberdade de fazer o que quiser com si próprio e com o fruto do seu trabalho.”

OU

“Liberdade de fazer o que quiser com os outros e com o fruto do trabalho deles.”

Instituto Mises Brasil


Liberdade1

Liberdade

  • São definições opostas!

  • Uma melhor definição é: “Condição humana na qual há total ausência de coerção”

  • Ver “Filosofia da liberdade” no Youtube.

Instituto Mises Brasil


Escola austr aca

EscolaAustríaca

  • As “leis” econômicas são universais:

    • Toda O indíviduo procura melhorar seu bem-estar e diminuir sua inquietude através da ação. (ver Praxeologia – Mises)

    • Mas a escala de valores de cada um é diferente, e não pode ser traduzida em números, apenas colocada em ordem de preferência. Isso explica a “revolução marginal” (escolhas na margem). Ex: Homem trocar ouro por água no deserto, pagar 10 euros por um café na Piazza San Marco - Veneza.

Instituto Mises Brasil


Escola austr aca1

EscolaAustríaca

  • As “leis” econômicas são universais:

    • Todaação consciente de um indivíduo tem por objetivo melhorar seu “bem-estar” ou “satisfação”. (ver Praxeologia – Mises)

    • Mas a escala de valores de cada um é diferente, e não pode ser traduzida em números, apenas colocada em ordem de preferência. Isso explica a “revolução marginal” (escolhas na margem). Ex: Homem trocar ouro por água no deserto, pagar 10 euros por um café na Piazza San Marco - Veneza.

Instituto Mises Brasil


Escola austr aca2

EscolaAustríaca

  • Só há troca quando cada uma das partes tem um “ganho” – você só aceita abrir mão de um bem caso obtenha um outro bem de “valor” (a seu critério) maior.

  • As trocas são situações ganha-ganha.

Instituto Mises Brasil


A fal cia da vitrine quebrada

A faláciadavitrinequebrada

  • “O que se vê, e o que não se vê” (Frédéric Bastiat)

Instituto Mises Brasil


A fal cia da vitrine quebrada1

A faláciadavitrinequebrada

  • Um meninoquebra a vitrine de um lojista com umapedra. Isso é bompara a “economia”? O meninopodeterfeitouma boa ação?

  • A pessoastendem a versomente o queestávisívelaosolhos.

  • “A arte daeconomiaconsisteemobservarnãosomenteosefeitosimediatos, masprincipalmenteosefeitosposteriores de qualqueratooupolítica; consisteemtraçar as conseqüências de talpolíticanãosomentepara um grupo, masparatodososgrupos.” (Henry Hazlitt)

Instituto Mises Brasil


Como acontece o crescimento econ mico

Como acontece o crescimentoeconômico?

Instituto Mises Brasil


Crescimento econ mico

Crescimentoeconômico

  • Os “Losties” nãotinhamnenhum “capital” quandochegaram à ilha.

  • Pornãopossuir capital, elesconsumiam bens – ex: água de coco e frutas – queestavamdisponíveisprontamente.

  • Para melhorarseupadrão de vidaelesprecisavam de capital – bens quepermitemobtermaiságua e frutasemmenos tempo, ouquepermitem o consumo de bens nãodisponíveis antes.

Instituto Mises Brasil


Crescimento econ mico1

Crescimentoeconômico

  • Os Lostiespodemterdecididofazer um pedaço de pauparaapanharmais coco e frutas.

  • Para issoelestiveramqueabrirmão de seu tempo de lazer, ou de tempo de apanharfrutas à mãoparafazer o aparato.

Instituto Mises Brasil


Crescimento econ mico2

Crescimentoeconômico

  • Os Lostiesprecisaraminvestir tempo e trabalhoemalgoquenãoteriabenefícioimediatoparaeles.

  • E paraissoprecisarampoupar comida, paraquetivessemsuficientedurante a produção do aparato.

  • O preço do capital é a “taxa natural de juros” -- aquelaqueequilibra o desejo de alguns de investir e a poupançaacumuladaporoutros (reflete a preferência temporal).

  • Após o aparatoestar pronto, osLostiespassaram a terumaprodutividademaior, resultandoemmaior tempo livre.

Instituto Mises Brasil


Crescimento individual

Crescimento individual?

Instituto Mises Brasil


Lei das conseq ncias n o previstas

Lei das conseqüênciasnão-previstas

  • A economia de mercado é uma teia bem estruturada de interações; uma intervenção em qualquer ponto da teia irá provocar problemas em algum outro ponto.

Instituto Mises Brasil


Lei das conseq ncias n o previstas1

Lei das conseqüências não-previstas

  • Com o “problema” surgindo, o governo tem um dilema: a) intervir mais para “resolver” o problema, ou b) repelir toda a estrutura de intervenções.

  • Com a atual crise de crédito, o governo americano escolheu a opção a) – um clássico.

Instituto Mises Brasil


O dinheiro

O dinheiro

  • Injeções de dinheiro não aumentam a quantidade de poupança real da economia!

  • Na forma clássica de inflação os reis tiravam pedaços das moedas de ouro e prata (ou as raspavam) para fazer mais moedas, e com isso roubar seus súditos.

  • Hoje há formas mais modernas de roubo.

Instituto Mises Brasil


Tecnologia avan ada

Tecnologia avançada...

Instituto Mises Brasil


Ciclos econ micos mises

Ciclos econômicos (Mises)

  • Quando o governo injeta dinheiro na economia (via mesa de open market do BC), artificialmente a taxa de juros cai abaixo da taxa natural de juros.

  • Por sua vez os empreendedores entendem que há mais poupança do que realmente há, e a demanda por investimento de longo prazo será maior do que deveria (“boom”).

  • Os investimentos em excesso se revelerão perdedores, e a conseqüente recessão e desalavancagem “purificará” e “liquidará” tais excessos (o “bum” onomatopéico)

Instituto Mises Brasil


Funda o getulio vargas aiesec s o paulo

Bum!

Instituto Mises Brasil


Economia austr aca

EconomiaAustríaca

Instituto Mises Brasil


Anexo ii balan o do banco central

Anexo IIBalanço do Banco Central

Instituto Mises Brasil


Balan o do banco central do brasil

Balanço do Banco Central do Brasil

  • Os bancos funcionam como “agências” do Banco Central, que é o criador master de dinheiro.

Em milhões de Reais – julho de 2008

Instituto Mises Brasil


  • Login