68ª SOEAA
Download
1 / 67

EVOLUÇÃO TECNOLÓGICA NO BRASIL (AÇÕES GOVERNAMENTAIS) 29 de setembro de 2011 - PowerPoint PPT Presentation


  • 55 Views
  • Uploaded on

68ª SOEAA 68ª Semana Oficial da Engenharia, da Arquitetura e da Agronomia. EVOLUÇÃO TECNOLÓGICA NO BRASIL (AÇÕES GOVERNAMENTAIS) 29 de setembro de 2011. 1. SUMÁRIO. INTRODUÇÃO AÇÕES ANTES DA SEGUNDA GRANDE GUERRA AÇÕES APÓS A 2ª GRANDE GUERRA DÉCADAS DE 1940 E 1950

loader
I am the owner, or an agent authorized to act on behalf of the owner, of the copyrighted work described.
capcha
Download Presentation

PowerPoint Slideshow about ' EVOLUÇÃO TECNOLÓGICA NO BRASIL (AÇÕES GOVERNAMENTAIS) 29 de setembro de 2011' - kanan


An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript

68ª SOEAA

68ª Semana Oficial da Engenharia, da Arquitetura e da Agronomia

EVOLUÇÃO TECNOLÓGICA

NO BRASIL

(AÇÕES GOVERNAMENTAIS)

29 de setembro de 2011

1


SUMÁRIO

INTRODUÇÃO

AÇÕES ANTES DA SEGUNDA GRANDE GUERRA

AÇÕES APÓS A 2ª GRANDE GUERRA

DÉCADAS DE 1940 E 1950

DÉCADAS DE 1960 E 1970

DÉCADAS DE 1980 E 1990

ANOS 2000

RESULTADOS DECORRENTES

2


AÇÕES ANTES DA 2ª GUERRA MUNDIAL

  • ESCOLA POLITÉCNICA DE SÃO PAULO 1894

  • ESCOLA TÉCNICA DO EXÉRCITO 1933

  • ESCOLA PAULISTA DE MEDICINA (UNIFESP) 1933

  • UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO 1934

  • INSTITUTO DE PESQUISAS TECNOLÓGICAS (IPT SP) 1934

  • UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO 1937

  • ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS 1940

  • COMPANHIA SIDERÚRGICA NACIONAL 1941

  • UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO 1943

3


AÇÕES APÓS A 2ª GUERRA

DÉCADA DE 1940

  • UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO 1946

  • UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA 1946

  • CENTRO TÉCNICO DE AERONÁUTICA 1946

  • UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DE PERNAMBUCO 1947

  • UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DE MINAS GERAIS 1948

  • INSTITUTO MILITAR DE ENGENHARIA 1949

  • UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS 1949

4


AÇÕES APÓS A 2ª GUERRA

DÉCADA DE 1950

  • CTA - INSTITUTO TECNOLÓGICO DE AERONÁUTICA 1950

  • UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL 1950

  • UNIVERSIDADE ESTADUAL DO RIO DE JANEIRO 1950

  • CONSENHO NACIONAL DE PESQUISAS (CNPq) 1951

  • COORD. APERF. DE PESSOAL DE NÍV SUP (CAPES)1951

  • PETROBRÁS 1953

  • UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ 1954

  • UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO 1954

  • CENTRO DE APERF. E PESQ. DO PETRÓLEO 1955

  • COMISSÃO NACIONAL DE ENERGIA NUCLEAR 1956

  • INDÚSTRIA AUTOMOBILÍSTICA 1956

  • UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ 1957

5


AÇÕES APÓS A 2ª GUERRA

DÉCADA DE 1960

  • FAPESP 1960

  • UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA 1960

  • UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE 1960

  • UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA 1960

  • UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE 1960

  • UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA 1960

  • UNIVERSIDADE FEDERAL DO MARANHÃO 1961

  • INSTITUTO NACIONAL DE PESOS E MEDIDAS 1961

  • GRUPO DE ORGANIZAÇÃO DA CNAE 1961

  • CÓDIGO BRASILEIRO DE TELECOMUNICAÇÕES 1962

  • UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA 1962

  • CONTINUA...

6


AÇÕES APÓS A 2ª GUERRA

DÉCADA DE 1960

  • BANCO NAC. DE DESENV. ECONÔMICO E SOCIAL (BNDES) 1964

  • FUNDO DE DESENVOLV. TÉCNICO-CIENTÍFICO (FUNDEP) 1964

  • UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS 1966

  • FINANCIADORA DE ESTUDOS E PROJETOS (FINEP) 1967

  • UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO CARLOS 1968

  • UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO 1969

  • UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA 1969

  • UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ 1969

  • PLANO ESTRATÉGICO DE DESENVOLVIMENTO 1968/70

  • FUNDO NAC. DE DESENV. CIENT. E TECNOLÓGICO (FNDCT) 1969

7


AÇÕES APÓS A 2ª GUERRA

DÉCADA DE 1970

  • COMISSÃO BRASILEIRA DE ATIV. ESPACIAIS (COBAE) 1971

  • INSTITUTO DE PESQUISAS ESPACIAIS (INPE) 1971

  • 1º PND (1º PBDCT) 1972 / 74

  • EMBRAPA 1972

  • TELEBRÁS 1972

  • INMETRO 1973

  • CENTRO DE PESQUISAS DA PETROBRÁS (CENPES) 1973

  • PROGRAMA NUCLEAR AUTÔNOMO 1973

  • 2º PND (2º PBDCT) 1975 / 79

  • PROGRAMA NUCLEAR COM A ALEMANHA 1975

  • CPqD DA TELEBRÁS 1976

8


AÇÕES APÓS A 2ª GUERRA

DÉCADAS DE 1980 E 1990

  • 3º PND (3º PBDCT) 1980/85

  • POLÍTICA NACIONAL DE INFORMÁTICA 1984

  • CENTRO DE TECNOLOGIA PARA INFORMÁTICA 1984

  • MINISTÉRIO DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA 1985

  • PLANO DE CARREIRAS DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA 1993

  • AGÊNCIA ESPACIAL BRASILEIRA 1994

  • LEI DAS FUNDAÇÕES DE APOIO (Lei 8958/1994) 1994

  • CONSELHO NACIONAL DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA 1996

  • LEI DE PROPRIEDADE INDUSTRIAL (Lei 9279/1996) 1996

  • FUNDOS SETORIAIS 1999

9


AÇÕES APÓS A 2ª GUERRA

DÉCADA DE 2000

  • POLÍTICA NACIONAL DE C&T&I 2002

  • LEI DA INOVAÇÃO ( Lei 10.973/2004) 2004

  • POLÍTICA INDUSTRIAL TECNOLÓGICA E

  • DE COMÉRCIO EXTERIOR 2004

  • LEI DO BEM (Lei 11.196/2005) 2005

  • PLANO DE AÇÃO PARA C&T&I 2005/2010

  • POLÍTICA DE DESENVOLVIMENTO PRODUTIVO 2009

10




Dispêndio nacional em C&T, por setor institucional, 2000/2010 (milhões de reais)

Fonte: MCT


Percentual do dispêndio nacional em C&T, por setor institucional 2000/2010

Fonte: MCTI


Fundos setoriais
Fundos Setoriais institucional 2000/2010

AÇÕES TRANSVERSAIS, AERO, AGRO, AMAZÔNIA, AQUAVIÁRIO, BIOTEC, ENERGIA, ESPACIAL, HIDRO, INFO, INFRA, MINERAL, PETRO, SAÚDE, TRASPORTE, FUNTEL, VERDE-AMARELO


RECURSOS HUMANOS institucional 2000/2010

16


Bolsas no país e no exterior: número de bolsas-ano concedidas, por agência federal, 2003-2008

CAPES - país

CAPES - exterior

CNPq - país

CNPq - exterior

17


Bolsas no país: número de bolsas-ano concedidas, por agência federal e modalidade, 2003-2008


PUBLICAÇÕES EM PERÍODICOS CIENTÍFICOS agência federal e modalidade, 2003-2008

19


Número de artigos brasileiros publicados em periódicos científicos indexados pela Thomson/ISI e participação percentual em relação ao mundo, 1981-2009


PATENTES científicos indexados pela Thomson/ISI e participação percentual em relação ao mundo, 1981-2009

21


Pedidos de patentes depositados no Instituto Nacional de Propriedade Industrial (INPI), segundo tipos, 1990-2010


Brasil: Concessão de patentes de invenção, de modelo de utilidade e de registros de desenho industrial pelo INPI, 10090-2006

23


Concessões de patentes de invenção junto ao escritório norte-americano de patentes (USPTO), segundo países de origem selecionados, 1996-2009

24


25 norte-americano de patentes (USPTO), segundo países de origem selecionados, 1996-2009


Distribuição de pesquisadores de países selecionados, em equivalência de tempo integral, por setor institucional, em anos mais recentes disponíveis

Fonte: MCTI

* Os valores mais recentes disponíveis para o governo são de 2002, para as empresas são 2006 e para o setor ensino superior são de 1999

26


F I M equivalência de tempo integral, por setor institucional, em anos mais recentes disponíveis

27


28 equivalência de tempo integral, por setor institucional, em anos mais recentes disponíveis



30 2000/2008


31 2000/2008


Pedidos e concessões de patentes de invenção junto ao escritório norte-americano de patentes (USPTO), segundo países de origem selecionados, 1996-2009

32


33 escritório norte-americano de patentes (USPTO), segundo países de origem selecionados, 1996-2009


34 escritório norte-americano de patentes (USPTO), segundo países de origem selecionados, 1996-2009


35 escritório norte-americano de patentes (USPTO), segundo países de origem selecionados, 1996-2009


36 escritório norte-americano de patentes (USPTO), segundo países de origem selecionados, 1996-2009


37 escritório norte-americano de patentes (USPTO), segundo países de origem selecionados, 1996-2009


38 escritório norte-americano de patentes (USPTO), segundo países de origem selecionados, 1996-2009


39 escritório norte-americano de patentes (USPTO), segundo países de origem selecionados, 1996-2009


40 escritório norte-americano de patentes (USPTO), segundo países de origem selecionados, 1996-2009


41 escritório norte-americano de patentes (USPTO), segundo países de origem selecionados, 1996-2009


42 escritório norte-americano de patentes (USPTO), segundo países de origem selecionados, 1996-2009


43 escritório norte-americano de patentes (USPTO), segundo países de origem selecionados, 1996-2009


44 escritório norte-americano de patentes (USPTO), segundo países de origem selecionados, 1996-2009


2006 escritório norte-americano de patentes (USPTO), segundo países de origem selecionados, 1996-2009

45


46 escritório norte-americano de patentes (USPTO), segundo países de origem selecionados, 1996-2009


47 escritório norte-americano de patentes (USPTO), segundo países de origem selecionados, 1996-2009


48 escritório norte-americano de patentes (USPTO), segundo países de origem selecionados, 1996-2009


49 escritório norte-americano de patentes (USPTO), segundo países de origem selecionados, 1996-2009


51 escritório norte-americano de patentes (USPTO), segundo países de origem selecionados, 1996-2009


52 escritório norte-americano de patentes (USPTO), segundo países de origem selecionados, 1996-2009


53 escritório norte-americano de patentes (USPTO), segundo países de origem selecionados, 1996-2009


CONCEITUAÇÃO escritório norte-americano de patentes (USPTO), segundo países de origem selecionados, 1996-2009

Atividades Científicas e Tecnológicas – correspondem ao esforço sistemático diretamente relacionado com a geração, avanço, disseminação e aplicação do conhecimento científico e técnico em todos os campos da Ciência e Tecnologia (incluem as atividades. de P&D e as ACTC).

Atividades de Pesquisa e Desenvolvimento – compreendem o trabalho criativo, realizado em bases sistemáticas, com a finalidade de ampliar o estoque de conhecimento, inclusive o conhecimento do homem, da cultura e da sociedade, assim como o uso desse estoque de conhecimento na busca de novas aplicações.

Atividades Técnicas e Científicas Correlatas – apóiam diretamente as atividades de P&D e correspondem a coleta e a disseminação de informações científicas e tecnológicas, a transferência de resultados de laboratório para a produção industrial, as ações para o controle de qualidade, a proteção da propriedade intelectual, a promoção industrial, o licenciamento e absorção de tecnologia e outros serviços assemelhados.

54


55 escritório norte-americano de patentes (USPTO), segundo países de origem selecionados, 1996-2009


56 escritório norte-americano de patentes (USPTO), segundo países de origem selecionados, 1996-2009


57 escritório norte-americano de patentes (USPTO), segundo países de origem selecionados, 1996-2009


58 escritório norte-americano de patentes (USPTO), segundo países de origem selecionados, 1996-2009


59 escritório norte-americano de patentes (USPTO), segundo países de origem selecionados, 1996-2009


60 escritório norte-americano de patentes (USPTO), segundo países de origem selecionados, 1996-2009


61 escritório norte-americano de patentes (USPTO), segundo países de origem selecionados, 1996-2009


62 escritório norte-americano de patentes (USPTO), segundo países de origem selecionados, 1996-2009


63 escritório norte-americano de patentes (USPTO), segundo países de origem selecionados, 1996-2009


64 escritório norte-americano de patentes (USPTO), segundo países de origem selecionados, 1996-2009


65 escritório norte-americano de patentes (USPTO), segundo países de origem selecionados, 1996-2009


Brasil: Artigos publicados em periódicos científicos internacionais indexados do Institute for Scientific Information (ISI) e percentual em relação ao mundo, 1981-2004

2006 = 1.96

66


descompasso entre setor acadêmico e setor industrial: o Brasil já aparece como produtor de ciência de qualidade no cenário mundial, mas não aparece enquanto produtor de tecnologia

67


ad