Provas escritas quest es objetivas e dissertativas
This presentation is the property of its rightful owner.
Sponsored Links
1 / 28

PROVAS ESCRITAS: QUESTÕES OBJETIVAS E DISSERTATIVAS PowerPoint PPT Presentation


  • 80 Views
  • Uploaded on
  • Presentation posted in: General

PROVAS ESCRITAS: QUESTÕES OBJETIVAS E DISSERTATIVAS. Didática no Ensino Superior Escola Paulista de Negócios / Universidade de Mogi das Cruzes Prof. Ms. Regilson Borges. INTRODUÇÃO. A palavra “prova” tem sua origem no latim probo ( honesto, correto).

Download Presentation

PROVAS ESCRITAS: QUESTÕES OBJETIVAS E DISSERTATIVAS

An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Presentation Transcript


Provas escritas quest es objetivas e dissertativas

PROVAS ESCRITAS:QUESTÕES OBJETIVAS E DISSERTATIVAS

Didática no Ensino Superior

Escola Paulista de Negócios / Universidade de Mogi das Cruzes

Prof. Ms. Regilson Borges


Introdu o

INTRODUÇÃO

  • A palavra “prova” tem sua origem no latim probo (honesto, correto).

  • O verbo probare implica julgar com honestidade.

  • De acordo com o contexto pode vir a assumir diferentes conotações:

    • No direito, a prova é evidência factual

    • Na culinária, refere-se ao ato de degustar

    • No esporte, é competição esportiva

  • Ainda no sentido metafórico, a prova pode ser entendida como momento de sofrimento, angústia, resignação. Algo difícil pelo qual se está passando (DEPRESBITERIS; TAVARES, 2009, p.75).


Introdu o1

INTRODUÇÃO

  • Em avaliação, a prova é instrumento que permite coletar informações sobre os conhecimentos, as habilidades de um aluno.

  • É, pois, importante que os itens, ou questões, meçam conteúdos e habilidades desenvolvidos.

  • De acordo com Medeiros (apud Depresbiteris e Tavares, 2009, p.76) as provas podem ser: Escritas, orais e práticas.

  • A elaboração de uma prova escrita

    pressupões os seguintes passos:


Montagem de tabela e especifica o da prova

MONTAGEM DE TABELA E ESPECIFICAÇÃO DA PROVA

  • Selecionar amostra significativa de itens que ofereçam algumas inferências sobre os resultados alcançados.

  • Para Vianna (1978 apud Depresbiteris e Tavares, 2009, p.77) a tabela apresenta as habilidades, áreas de conteúdo e respectivos tópicos possíveis alterações a ser ajustada durante o processo.

  • A tabela permite ao professor um referencial daquilo que será avaliado, a visão global do que a prova vai medir.


Montagem de tabela e especifica o da prova1

MONTAGEM DE TABELA E ESPECIFICAÇÃO DA PROVA

  • Conteúdos que devem ser considerados;

  • Habilidades desenvolvidas;

  • Quantidade de itens/questões a serem elaborados para verificar o domínio sobre o qual foi definido.

  • Existem várias concepções de habilidades e o professor deve refletir qual delas norteará o projeto da escola e seu trabalho específico de promover a aprendizagem do aluno.

  • A seguir é apresentado exemplo de Tabela para uma prova de língua portuguesa:


  • Montagem de tabela e especifica o da prova2

    MONTAGEM DE TABELA E ESPECIFICAÇÃO DA PROVA

    • Algumas tabelas de especificação mostram a utilização de três habilidades básicas: conhecimento, compreensão e aplicação.

      • O conhecimento: refere-se ao nível no qual o aluno deve recordar ideias, fatos, fenômenos, métodos, processos, padrões e estruturas.

      • Compreensão: é o nível pelo qual o educando demonstra que conseguiu estabelecer relações, e apresentar, com as próprias palavras, enfim, o entendimento do que está aprendendo.

      • Aplicação: requer que o aluno use o que compreendeu em situações novas, em situação não familiar, na qual os diversos elementos para resolvê-la devem ser reestruturado.

    • A seguir apresenta-se Tabela de especificação de prova de metodologia científica sobre a

      unidade de conhecimento e senso comum:


    Defini o de quantidade de itens da prova

    DEFINIÇÃO DE QUANTIDADE DE ITENS DA PROVA

    • Elaborada a tabela de especificações e identificando os níveis de habilidades para cada conteúdo a ser avaliado, o próximo passo é fixar a quantidade total e itens que comporão a prova.

    • É importante dar oportunidade para que o educando demonstre ter domínio sobre o que está sendo avaliado.

    • É recomendável que se elabore mas de um item por habilidade.


    Sele o e elabora o de itens da prova

    SELEÇÃO E ELABORAÇÃO DE ITENS DA PROVA

    • As classificações sobre os tipos de itens de uma prova variam de autor para autor.

    • A classificação mais tradicional defende as categorias de itens:

      • Objetivos: com respostas que permitem uma resposta esperada, precisa, que não dúvidas de interpretação.

      • Dissertativos: permitem, ao aluno, expressar opiniões a respeito de um tema.

    • Com base em Vianna, Medeiros e Grounlund (Apud Depresbiteris e Tavares, 2009, p.80) apresenta-se a seguinte classificação:


    1 itens de lacuna ou completamento

    1. Itens de lacuna ou completamento

    • Como o nome indica, esse item solicita do aluno resposta que complete, que preencha a lacuna em uma afirmativa:


    1 cuidados na elabora o de itens de lacuna ou complemento

    1.Cuidados na elaboração de itens de lacuna ou complemento:

    • A afirmativa, a ser completada, dever ser escrita de modo que o espaço não apareça no início da afirmativa, mas mais próximo ao fim.

    • A afirmativa deve possibilitar apenas uma resposta para se tornar completa e verdadeira.

    • Se houver mais de um espaço para completar, devem ser do mesmo tamanho, para evitar dicas do comprimento da palavra.

    • Evitar linhas tracejadas que podem induzir a ideia de sílabas a preencher.

    • Evitar omissões demasiadas de palavras, o que torna difícil a compreensão do significado da sentença.

    • Evitar que a estrutura gramatical e sintática da frase sugira, ao aluno, a resposta correta ou o conduza a eliminar alguma resposta errada.

    • Não reproduzir texto de livros ou outros para serem completados, por que isso pode incentivar a memorização.


    2 itens de associa o ou correspond ncia

    2. Itens de associação ou correspondência

    • Solicita ao aluno que estabeleça relações entre duas colunas de palavras ou frases:

      Na coluna 1 encontra-se as finalidades de instrumentos de medida e na coluna 2 nomes de instrumentos. Escreva na coluna 1 os números que relacionam instrumento e sua função.


    2 cuidados na elabora o de itens de correspond ncia

    2. Cuidados na elaboração de itens de correspondência

    • Orientar o aluno sobre que tipo de relações deverá estabelecer entre as duas colunas.

    • Elaborar as alternativas de cada coluna de forma homogênea com relação as conteúdos.

    • Verificar se cada resposta refere-se à questão correspondente.

    • Usar mais respostas do que questões.

    • Colocar as colunas lado a lado, de modo a favorecer a visão do aluno.


    3 itens do tipo verdadeiro falso certo errado

    3. Itens do tipo verdadeiro-falso (certo/errado)

    • Exigem do aluno que escolha uma dessas duas opções com relação a determinadas afirmativas.

    • Assim como os itens de resposta curta, esses itens são mais adequadas para a avaliação de conhecimento de informações factuais.


    3 cuidados na elabora o dos itens verdadeiro falso

    3. Cuidados na elaboração dos itens verdadeiro-falso

    • Evitar declarações parcialmente certas, para que o item não seja ambíguo. É recomendável elaborar cada item de forma que inclua apenas uma ideia e apresente uma proposição inteiramente certa ou inteiramente errada.

    • Evitar o uso de negativas, principalmente dupla negação.

    • Evitar expressões como “todos”, “somente”, “nenhuma” e “nunca”.

    • Evitar frases longas e confusas.

    • Desdobrar ou decompor os enunciados longos em itens separados.

    • Não usar frases que pareçam corretas à primeira vista, mas que podem ser vistas como incorretas por causa de pequenos detalhes.

    • Expressar as proposições corretas e incorretas com a mesma extensão.

      Usar número aproximado de enunciados verdadeiros e falsos.


    4 itens de m ltipla escolha

    4. Itens de múltipla escolha

    • Composta por um enunciado, expresso em forma de pergunta ou proposição incompleta.

    • Esse enunciado é seguido de alternativas, de preferência 3 ou 5, em que uma é a correta para o que solicita o enunciado e as demais são incorretas. As últimas são chamadas distratores.

    • Devem ser de resposta única, isto é, uma única alternativa é a correta, não admitindo controvérsias.


    4 itens de m ltipla escolha1

    4. Itens de múltipla escolha

    • O item de múltipla escolha também pode se apresentar de forma mais complexa.


    4 itens de m ltipla escolha2

    4. Itens de múltipla escolha


    4 cuidados na elabora o de itens de m ltipla escolha

    4. Cuidados na elaboração de itens de múltipla escolha

    • O enunciado do item deve ser formulado de maneira clara e distinta.

    • Deve-se evitar a colocação de alternativas com as palavras “nenhuma acima”, “todos acima”. Devem evitar, igualmente, termos muito inclusivos, como “sempre”, “todos”, “nunca”, “jamais”, etc.

    • Devem-se escolher alternativas de modo que apenas uma delas seja a verdadeira: as demais devem ser plausíveis e atraentes, nunca totalmente absurdas.

    • As alternativas devem estar gramaticalmente coerentes com o enunciado.

    • Assegurar-se de que não haja substantivos ou pistas gramaticais que servem para indicar a resposta correta.

    • Sempre que possível, evitar a formulação dos enunciados na negativa.

    • Colocar, de preferência, as alternativas que expressam respostas verbais em ordem alfabética, e as que contêm números em ordem semelhante.

    • Formular todas as alternativas com comprimento semelhantes.

    • Elaborar alternativas breves, eliminando tudo aquilo que não for essencial.

    • Colocar, sempre que possível, cinco alternativas.

    • Colocar, no enunciado, a parte da redação que seria repetitiva nas alternativas.


    5 itens de resposta curta

    5. Itens de resposta curta

    • São apresentados, em geral, com uma pergunta a ser respondida com uma afirmativa.


    5 cuidados na elabora o de itens de resposta curta

    5. Cuidados na elaboração de itens de resposta curta

    • Formular a pergunta em ordem direta.

    • Não apresentar perguntas cuja resposta seja somente sim ou não.

    • Apresentar perguntas cujas respostas tenham número limitado de elementos componentes.

    • Esclarecer ao aluno qual a extensão da resposta desejada.


    6 itens dissertativos

    6. Itens dissertativos

    • Exigem do aluno que apresente um texto de cunho próprio. Este tipo de item favorece respostas mais extensas.

    • O educando deve demonstrar conhecimento sobre o tema proposto, explicando-o, relacionando fatos e interpretando-os.


    6 cuidados na elabora o de itens dissertativos

    6. Cuidados na elaboração de itens dissertativos

    • Elaborar a questão de forma a definir claramente o tema a ser dissertado.

    • Dosar a amplitude da pergunta. Uma pergunta muito ampla pode dar margem à mais variadas respostas. Enunciados amplos, contendo expressões como “fale sobre...”, “diga o que pensa de...”, permitem digressões.

    • Empregar termos como “descreva”, “exemplifique”, “explique”, “compare”, “sintetize”, que dão mais orientação.

    • Sugerir uma extensão para a resposta.

    • Preparar, para a análise e interpretação, uma resposta desejada. Isso faz com que a resposta seja comparada a critérios de alcance baseados em objetivos ou habilidades desejadas.

    • Analisar as respostas sem olhar, de início, o nome do aluno, de modo que evite opiniões preconcebidas.

      Não empregar questões optativas, em que cada aluno escolhe os itens a ser respondido.


    Elabora o de itens

    ELABORAÇÃO DE ITENS

    • Planejada a prova, parte-se para a construção dos itens. Nesse processo, deve-se zelar pela qualidade de cada item.

    • Alguns procedimentos gerais e específicos para cada tipo de item devem ser seguidos.

    • A seguir são apresentados cuidados para sua elaboração:


    Estabelecimento do gabarito da prova

    ESTABELECIMENTO DO GABARITO DA PROVA

    • Levar em conta não só a apreciação geral da prova, mas de cada item que a compõe.

    • No caso de única resposta, o indicador é o acerto ou não da resposta esperada.

    • No caso de provas dissertativas, é imprescindível que o professor prepare uma espécie de resposta que espere obter, de acordo com o conteúdo e habilidades medidos.


    Defini o do tempo para aplica o da prova

    DEFINIÇÃO DO TEMPO PARA APLICAÇÃO DA PROVA

    • A determinação do tempo de uma prova deve levar em conta:

      • Idade – crianças têm menos resistência a provas longas.

      • Nível de escolaridade – a dificuldade de leitura leva o aluno à fadiga e à baixa compreensão do que se pede.

      • Complexidade do conteúdo e da resposta ao item – questões que solicitem desenvolvimento de raciocínio longo e respostas dissertativas tornam a prova exaustiva, caso seja muito extensa.

  • Para estimar o tempo, recomenda-se que após a sua elaboração o professor pense qual o tempo que ele levaria para ler e responder às questões.


  • Login