Caracter sticas de sistemas bacharelado em sistemas de informa o 1 a fase 4 cr ditos parte 3 de 8
This presentation is the property of its rightful owner.
Sponsored Links
1 / 42

Prof. João Bosco da Mota Alves INE/CTC/UFSC Outubro de 2002 PowerPoint PPT Presentation


  • 41 Views
  • Uploaded on
  • Presentation posted in: General

Características de Sistemas Bacharelado em Sistemas de Informação ( 1 a fase - 4 créditos ) Parte 3 de 8. Prof. João Bosco da Mota Alves INE/CTC/UFSC Outubro de 2002. O todo e as partes. Trabalha-se com o coletivo Conjunto de elementos e interrelações Emerge comportamento

Download Presentation

Prof. João Bosco da Mota Alves INE/CTC/UFSC Outubro de 2002

An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Presentation Transcript


Caracter sticas de sistemas bacharelado em sistemas de informa o 1 a fase 4 cr ditos parte 3 de 8

Características de SistemasBacharelado em Sistemas de Informação(1a fase - 4 créditos) Parte 3 de 8

Prof. João Bosco da Mota Alves

INE/CTC/UFSC

Outubro de 2002

INE/CTC/UFSC - Teoria Geral de Sistemas


O todo e as partes

O todo e as partes

  • Trabalha-se com o coletivo

  • Conjunto de elementos e interrelações

  • Emerge comportamento

    • Quando visto no todo

    • Não necessariamente visto nos elementos

  • Esse fenômeno é conhecido como

Emergência

INE/CTC/UFSC - Teoria Geral de Sistemas


Exemplo

Exemplo

  • Molécula de água, H2O: 2 átomos de hidrogênio e 1 átomo de oxigênio

  • Hidrogênio e oxigênio são inflamáveis

  • A água apaga o fogo

  • O todo pode ter propriedades que as partes não possuem e vice-versa

INE/CTC/UFSC - Teoria Geral de Sistemas


Porisso

Porisso ...

  • Precisa-se de novo paradígma

  • Para lidar-se com essas especificidades

  • Candidata natural é a

Teoria Geral de Sistemas

INE/CTC/UFSC - Teoria Geral de Sistemas


Teoria geral de sistemas

Teoria Geral de Sistemas

  • Paradígma de sistemas abertos

    • Aplicação em todas as linhas de pensamento humano

  • Idéia emergiu no pós segunda guerra

  • Compartimentalização da ciência intrigou Bertalanffy

INE/CTC/UFSC - Teoria Geral de Sistemas


Bertalanffy

Bertalanffy

  • Físicos, biólogos, psicólogos e cientistas sociais encapsulados em universo privado

    • Dificil comunicação entre esses casulos

  • Certas idéias gerais teriam relevância para amplo espectro de disciplinas

INE/CTC/UFSC - Teoria Geral de Sistemas


Sistemas abertos

Sistemas Abertos

  • Partículas, átomos, ...

  • Moléculas, substâncias, ...

  • Células, órgãos, organismos, ...

  • Comunidades ecológicas, grupos, ...

  • Organizações, sociedades, ...

  • Sistemas solares, galáxias, ...

INE/CTC/UFSC - Teoria Geral de Sistemas


Sistemas abertos1

Sistemas Abertos

  • Partículas, átomos, moléculas, substâncias, células, órgãos, organismos, comunidades ecológicas, grupos, organizações, sociedades, sistemas solares, galáxias, ...

    São vistos sob a rubrica sistema

INE/CTC/UFSC - Teoria Geral de Sistemas


James miller

James Miller

  • Teoria geral de sistemas vivos, ou GLS – General Living System theory

    Miller, J. Living Systems. N. York, McGraw-Hill, 1978.

  • Todo os sistemas vivos

    • Moléculas orgânicas de complexidade crescente

  • De uma ameba às Nações Unidas: oito níveis hierárquicos concretos e reais

INE/CTC/UFSC - Teoria Geral de Sistemas


Hieraquia de sistemas

Hieraquia de Sistemas

  • Células

  • Órgãos

  • Organismos

  • Grupos

  • Organizações

  • Comunidades

  • Sociedades

  • Sistemas supranacionais

INE/CTC/UFSC - Teoria Geral de Sistemas


Prof jo o bosco da mota alves ine ctc ufsc outubro de 2002

  • Hierarquia de Sistemas: exemplo de 3 níveis

Nível de super-sistema: organismos

Nível de sistema: órgãos

Nível de sub-sistema: células

INE/CTC/UFSC - Teoria Geral de Sistemas


Para bertalanffy

Para Bertalanffy

  • Como dito, um sistema é um conjunto de elementos interrelacionados

  • O comportamento de um elemento em uma relação é diferente de seu comportamento em outra relação

INE/CTC/UFSC - Teoria Geral de Sistemas


Um todo organizado

Um todo organizado

  • O todo é maior que a soma das partes

  • Partes possuem organização hierárquica

    • De sub-sistemas e, simultaneamente,

    • São partes de super-sistemas

INE/CTC/UFSC - Teoria Geral de Sistemas


Prof jo o bosco da mota alves ine ctc ufsc outubro de 2002

INE/CTC/UFSC - Teoria Geral de Sistemas


Um todo organizado1

Um todo organizado

  • Uso da abordagem sistêmica requer definição de fronteira

    • Quantos níveis hierárquicos considerar para incluir todos os fatores relevantes

  • Níveis hierárquicos podem

    • Crescer indefinidamente

    • Decrescer ídem

  • Urge a delimitação do estudo

INE/CTC/UFSC - Teoria Geral de Sistemas


Prof jo o bosco da mota alves ine ctc ufsc outubro de 2002

INE/CTC/UFSC - Teoria Geral de Sistemas


Interdepend ncia

Interdependência

  • Todo sistema é caracterizado por combinação de partes com relações entre as mesmas

  • Essa caracterização torna as partes inter-dependentes

INE/CTC/UFSC - Teoria Geral de Sistemas


As partes de um sistema

Simples

Complexo

As partes de um sistema

  • A estrutura das partes varia de muito simples a muito complexa

INE/CTC/UFSC - Teoria Geral de Sistemas


A estabilidade das partes

Estável

Instável

A estabilidade das partes

  • As partes variam de altamente estável a altamente instável

INE/CTC/UFSC - Teoria Geral de Sistemas


A reatividade das partes

Indiferente

Reativo

A reatividade das partes

  • Variam de relativamente indiferentes a altamente reativas às atividades do sistema ao qual pertencem

INE/CTC/UFSC - Teoria Geral de Sistemas


Complexidade e estabilidade

Complexidade e estabilidade

  • As partes desses sistemas são, em geral e nessa ordem, mais complexas e instáveis

    • Sistemas mecânicos

    • Sistemas orgânicos

    • Sistemas sociais

  • Norbert Wiener (pai da Cibernética): interdependência tem graduação

INE/CTC/UFSC - Teoria Geral de Sistemas


Grau de interdepend ncia

Grau de interdependência

  • Em sistemas sociais, interdependência é relativamente fraca

  • Menos restrições são colocadas no comportamento de uma parte pelas condições ou comportamento de outra

  • Organizações sociais, então, são sistemas fracamente acoplados

INE/CTC/UFSC - Teoria Geral de Sistemas


Classifica o de sistemas

Classificação de sistemas

  • Frameworks

  • Clockworks

  • Sistemas Cibernéticos

  • Sistemas Abertos

  • Blueprinted Growth Systems

  • Sistemas com Imagem Interna

  • Sistemas com Processamento Simbólico

  • Sistemas Sociais

  • Sistemas Transcendentais

INE/CTC/UFSC - Teoria Geral de Sistemas


Frameworks

Frameworks

  • São sistemas compreendidos de estruturas estáticas, como a anatomia de um animal, seja porco ou carneiro

INE/CTC/UFSC - Teoria Geral de Sistemas


Prof jo o bosco da mota alves ine ctc ufsc outubro de 2002

Frameworks

  • Ou o arranjo de átomos em um cristal

INE/CTC/UFSC - Teoria Geral de Sistemas


Clockworks

Clockworks

  • São sistemas dinâmicos simples com movimentos pré-determinados, como um relógio e o sistema solar (Encarta)

INE/CTC/UFSC - Teoria Geral de Sistemas


Sistemas cibern ticos

Sistemas cibernéticos

  • São sistemas capazes de auto-regulação em termos de algum alvo ou objetivo externamente especificado, como um termostato de uma geladeira, que mantém uma temperatura desejada

INE/CTC/UFSC - Teoria Geral de Sistemas


Sistemas abertos2

Sistemas abertos

  • São sistemas capazes de automanter-se

  • Retirando (throughput) recursos do ambiente no qual está inserido, como uma célula viva

  • A rigor, qualquer ser vivo é um sistema aberto

INE/CTC/UFSC - Teoria Geral de Sistemas


Blueprinted growth systems

Blueprinted Growth Systems

  • Sistemas que se reproduzem não por duplicação, mas por projeto, ou seja, produzindo sementes ou ovos

  • Desenvolvimento por projeto: instruções programadas, como árvores e pássaros (código genético)

INE/CTC/UFSC - Teoria Geral de Sistemas


Sistemas com imagem interna

Sistemas com Imagem Interna

  • Sistemas capazes de terem seu ambiente representado internamente

  • Informação é recebida/organizada em imagem ou estrutura de conhecimento do ambiente como um todo

  • Nível que os animais funcionam

INE/CTC/UFSC - Teoria Geral de Sistemas


Sistemas com processamento simb lico

Sistemas com Processamento Simbólico

  • Sistemas que possuem auto-consciência e, assim, capazes de usar linguagem

  • É o nível de funcionamento humano

INE/CTC/UFSC - Teoria Geral de Sistemas


Sistemas sociais

Sistemas Sociais

  • Sistemas multi-céfalos

    • Atores no nível 7 (com processamento simbólico), que compartilham uma ordem social e uma cultura comuns

  • Organizações sociais operam nesse nível

OAB

MST

CBF

INE/CTC/UFSC - Teoria Geral de Sistemas


Sistemas transcendentais

Sistemas transcendentais

  • Sistemas compreendidos de incógnitas absolutas e inevitáveis

  • Nesse nível, você escolhe exemplos

INE/CTC/UFSC - Teoria Geral de Sistemas


Multi classifica o

Multi-classificação

  • É perfeitamente aceitável que alguns artefatos se enquadrem em mais de uma categoria

  • Por exemplo, o ser humano é um sistema aberto e de processamento simbólico

  • Depende do uso que se queira fazer

INE/CTC/UFSC - Teoria Geral de Sistemas


Exemplo mec nico

Exemplo Mecânico

  • Seja o termostato relacionado a uma fonte de calor; contém 3 partes

    • Mecanismo que converte entradas em saídas (aquecedor: converte combustível em calor)

    • Um mecanismo de controle (compara saída atual – feedback - com a desejada, e atua)

    • Mecanismo para setpoint (temp. desej.)

INE/CTC/UFSC - Teoria Geral de Sistemas


Exemplo mec nico1

Exemplo Mecânico

INE/CTC/UFSC - Teoria Geral de Sistemas


Exemplo mec nico2

Nível de sistema

Termostato

Aquecedor

Controle

Feedback

Nível de sub-sistema

Exemplo Mecânico

INE/CTC/UFSC - Teoria Geral de Sistemas


Exemplo mec nico3

Nível de super-sistema

Forno Elétrico

Gabinete

Termostato

Câmara

Nível de sistema

Exemplo Mecânico

INE/CTC/UFSC - Teoria Geral de Sistemas


Prof jo o bosco da mota alves ine ctc ufsc outubro de 2002

INE/CTC/UFSC - Teoria Geral de Sistemas


Ent o

Então ...

  • Disso trata a Teoria Geral de Sistemas

  • Descreva, agora, exemplos sob a abordagem sistêmica, destacando

    • Hierarquia

    • Partes

    • Interrelações

INE/CTC/UFSC - Teoria Geral de Sistemas


Lembre se que

Lembre-se que ...

  • No nível de sub-sistemas

    • As partes se relacionam

    • Isso pode fazer emergir um sistema, como um pássaro

  • No nível de sistemas

    • Se os sistemas se relacionarem

    • Podem fazer emergir um supra-sistema, como a revoada de pássaros

INE/CTC/UFSC - Teoria Geral de Sistemas


Por exemplo

Por exemplo ...

INE/CTC/UFSC - Teoria Geral de Sistemas


  • Login