O brasil colonial
Sponsored Links
This presentation is the property of its rightful owner.
1 / 35

O Brasil colonial PowerPoint PPT Presentation


  • 49 Views
  • Uploaded on
  • Presentation posted in: General

O Brasil colonial. CONSEQUENCIAS DA MINERAÇÃO: Penetração definitiva da colonização em direção ao interior Ultrapassando os limites de Tordesilhas, ampliou o território brasileiro Proporcionou um maior volume de capitais na colônia Ampliação do mercado interno. As novas elites.

Download Presentation

O Brasil colonial

An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Presentation Transcript


O Brasil colonial

CONSEQUENCIAS DA MINERAÇÃO:

  • Penetração definitiva da colonização em direção ao interior

  • Ultrapassando os limites de Tordesilhas, ampliou o território brasileiro

  • Proporcionou um maior volume de capitais na colônia

  • Ampliação do mercado interno


As novas elites

  • Foram os filhos das elites mineradoras que,ao voltarem da Europa, trouxeram para a colônia os ideais iluministas

  • Foram a base intelectual da colônia


O renascimento agrícola

  • Termo impreciso (esta atividade nunca deixou de existir. Ex: Açúcar)

  • Na verdade volta-se a dar a importância principal a esta prática e os investimentos passam a vir em primeira mão.

  • A industrialização na Europa incentiva a agricultura no Brasil

  • Independência do EUA

  • Revolta de escravos nas Antilhas (século XVII).


O Nativismo, reações contra a Metrópole

  • Século XVIII- inicio das revoltas

  • O Arrocho colonial é um dos principais fatores

  • Foram revoltas isoladas, com suas particularidades(Movimentos Nativistas)

  • São, na verdade, manifestações de descontentamento de uma classe dominada contra um pólo dominante, que levaram à luta armada.


Revolta dos Beckman (Maranhão- 1684)

  • Economia do estado baseada na mão de obra escrava do indígena

  • Drogas do sertão

  • Pecuária voltada a atender os engenhos de cana do Nordeste


A REVOLTA DOS BECKMAN


Motivos da revolta

  • Companhia de Comercio do Maranhão (Vendia produtos europeus e comprava os produtos da Colônia)

  • Jesuítas proibiam a escravização de novos indígenas


  • A revolta era liderada pelo latifundiário Manoel Beckman

  • A prisão de Thomas Beckman em Portugal

  • Tropas portuguesas massacraram os rebeldes coloniais

  • Os líderes foram enforcados

  • A Companhia de Comercio do Maranhão foi extinta em 1685


Guerra dos Emboabas (MG- 1708-1709)

  • Confronto entre Bandeirantes paulista e portugueses pela disputa de áreas coloniais

  • Jazidas descobertas pelos paulistas (julgavam-se proprietários)

  • Portugueses contavam com o apoio da Metrópole

  • A intervenção da Coroa portuguesa e a descoberta de ouro em GO e MT, contribuíram para o fim dos conflitos


Emboabas


Guerra dos Mascates (Pernambuco-1710-1711)

  • Decadência da aristocracia rural após o domínio holandês

  • Os comerciantes tinham maior poder econômico, mas a aristocracia ainda detinha o poder político (Câmara Municipal de Olinda)

  • Controlavam o porto do Recife

  • A mineração agravou a crise da Aristocracia

  • Os “mascates” conseguiram da Coroa portuguesa a emancipação do Recife para a condição de Vila

  • Os olindenses invadem o Recife, a guerra dura mais de um ano e só termina com a intervenção de Portugal em 1711.

  • Todos são anistiados e o Recife passa a ser sede administrativa da Capitania.


GUERRA DOS MASCATES


A Inconfidência mineira (1789)

  • Aumento da opressão portuguesa

  • Cobrança da Derrama

  • Crise e falta de alimentos

  • Movimento organizado, inicialmente, pelas elites intelectuais e econômicas

  • O Alferes Joaquim José da Silva Xavier (Tiradentes) era o elo entre as elites e as camadas populares, necessárias à revolução


TIRADENTES ESQUARTEJADO


Uma rebelião com objetivos divergentes

  • O caráter elitista da revolta deixa claro que os ideais das elites não iam de encontro aos das camadas populares (livres ou escravizados)

  • A Proclamação de um República nas Gerais era o objetivo norteador do movimento

  • Prometendo livrar ricos mineradores da Derrama, a Coroa conseguiu desarticular o movimento

  • Tiradentes foi esquartejado

  • Outros líderes foram presos ou degredados


Conjuração baiana (1789)

  • Caracteristicamente popular (trabalhadores, desempregados e escravos)


Motivos

  • O empobrecimento da Capitania com a mudança da capital para o Rio de Janeiro

  • Ideais iluministas do período jacobino

  • 1791 Independência do, iniciada pelos escravos

  • O movimento tinha o apoio de elites intelectuais


O resultado

  • Aniquilação completa do movimento devido às traições

  • Morte por enforcamento dos mais pobres, sendo os líderes esquartejados

  • O movimento apesar de derrotado, ajudou a criar um ideal revolucionário nas camadas populares de toda a colônia.


A Revolução Pernambucana(1817)

  • Corte portuguesa já no Rio de Janeiro

  • Aumento de impostos decretado por D. João para custear o luxo da corte

  • Portugal em guerra com a França(maior comprador do açúcar pernambucano) não permitia que este país comercializasse com o Brasil


REVOLUÇÃO PERNAMBUCANA


A revolta

  • Unindo-se as camadas populares com as elites, iniciou-se o movimento que almejava a ruptura total de laços com a Metrópole

  • Contou com o apoio de alguns militares, chegando a derrubar o Governo

  • Estabeleceram contatos com os Governos dos EUA e da Inglaterra buscando apoio

  • Os principais líderes foram mortos pelos portugueses, mas o ideal revolucionário não foi extinto, e ainda ajudou a consolidar a Independência do Brasil, pois acirrou os ódios contra D. João VI.


A INDEPENDÊNCIA DO BRASIL


A CRISE DO SISTEMA COLONIAL

  • Para que possamos entender a crise no sistema colonial, precisamos retroceder no tempo, mais especificamente, aos séculos XVII e XVIII, época em que ocorreram diversas revoluções, tanto na Europa, como na América do Norte, assim como uma série de movimentos nativistas que ocorreram na colônia portuguesa.


Fatores responsáveis

  • A Revolução Industrial ocorreu por volta de 1760, na Inglaterra, modificando totalmente as relações econômicas, de modo que, os industriais desejassem o fim das colônias, para que estas pudessem consumir os seus produtos, além de fornecerem matérias primas baratas, dando início ao capitalismo industrial.


A INDEPENDÊNCIA DOS EUA

  • Com a Revolução Americana no ano de 1770, as Treze Colônias inglesas tornam-se independentes, e após longa guerra contra a Metrópole – Inglaterra –, os colonos ingleses, declaram independência no ano de 1776.


REVOLUÇÃO FRANCESA

  • Outra mudança política ocorrida foi a Revolução Francesa, em 1789, caracterizada pela ascensão da burguesia francesa ao poder, favorecendo definitivamente a quebra do antigo sistema colonial.


A ADMINISTRAÇÃO JOANINA NO BRASIL

28/01/1808-Abertura dos Portos às Nações Amigas: Decreto que pôs fim ao monopólio luso sobre o comércio brasileiro. A principal interessada na medida era a Inglaterra, que procurava ampliar o mercado consumidor de seus produtos manufaturados.28/01/1808-Abertura dos Portos às Nações Amigas: Decreto que pôs fim ao monopólio luso sobre o comércio brasileiro.


O NEOCOLONIALISMO- SEC. XIX

  • Durante o século XIX, principalmente em sua segunda metade, desenvolveu-se um processo de conquistas sobre a África e Ásia, denominado Neocolonial ismo. Praticamente todo o continente africano foi conquistado. Os territórios dominados por Portugal e Espanha eram os mais antigos.


O Neocolonial ismo foi a principal expressão do imperialismo, forma assumida pelo capitalismo a partir da Segunda Revolução Industrial. O domínio das potências européias não foi apenas econômico, mas completo, ou seja, militar, político e social, impondo à força um novo modelo de organização do trabalho, que pudesse garantir, principalmente, a extração de minérios, para as industrias da Europa.


À violência militar e a exploração do trabalho, somam-se as imposições sociais, incluindo a disseminação do cristianismo entre os povos nativos, num processo de aculturação e na maioria dos casos, de destribalização.


TEORIA RACISTA DA MISSÃO CIVILIZATÓRIA

  • Do ponto de vista ideológico, o neocolonial ismo foi justificado por uma teoria racista, que julgava que os povos asiáticos e, principalmente africanos, não poderiam, sozinhos, atingir o progresso e o desenvolvimento, cabendo ao europeu levar-lhes essa possibilidade.


  • Essas características, que compõem o quadro de exploração afro-asiático, refletiam a nova ordem da economia a partir do século XIX, quando a burguesia tornou-se hegemônica em alguns países. Essa classe proprietária, possuía o poder econômico, passou a servir de modelo social e, por último, conquistou o poder político.


  • A hegemonia burguesa e a rápida industrialização deu origem aos grandes conglomerados empresariais e ao capitalismo monopolista, que passou a buscar mercados monopolizados.A Partilha Afro-asiática foi um processo desigual, tendo a Inglaterra formado um verdadeiro Império Colonial, ao passo que, Alemanha e Itália (que se unificaram tardiamente) ficaram com um número menor de territórios, o que contribuiu para...


A SEGUNDA GUERRA MUNDIAL


Obrigado à todos vocês, queridos alunos, pela paciência e pelo carinho dispensados ao longo deste ano letivo.

Estaremos juntos em uma nova caminhada em 2012. Os Maias que nos desculpem , mas o fim do mundo vai ter que esperar! Por que? Porque para nós, o futuro começa agora!

“...E ALÍ LOGO EM FRENTE, A ESPERAR PELA GENTE O FUTURO ESTÁ”

OBRIGADO!!!


  • Login