Ci ncia da reencarna o
This presentation is the property of its rightful owner.
Sponsored Links
1 / 28

Ci ê ncia da Reencarnação PowerPoint PPT Presentation


  • 73 Views
  • Uploaded on
  • Presentation posted in: General

Ci ê ncia da Reencarnação. Origem da Alma/ Espírito. Criacionismo – alma formada com o corpo Traducionismo – alma é heredit á ria Pr é -exist ê ncia. Como se Reencarna.

Download Presentation

Ci ê ncia da Reencarnação

An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Presentation Transcript


Ci ncia da reencarna o

Ciência da Reencarnação


Origem da alma esp rito

Origemda Alma/ Espírito

  • Criacionismo – alma formada com o corpo

  • Traducionismo – alma é hereditária

  • Pré-existência


Como se reencarna

Como se Reencarna

  • “Quando o Espírito (nós) deve se encarnar num corpo humano em via de formação, um laço fluídico, que não é outra coisa senão uma expansão de seu perispírito, liga-o ao germe para a qual se acha atraído por uma força irresistível desde o momento da concepção. À medida que o germe se desenvolve, o laço se aperta; sob a influência do princípio vital material do germe, o perispírito, que possui certas propriedades da matéria, se une, molécula a molécula, com o corpo que se forma: de onde se pode dizer que o Espírito (nós), por intermédio de seu perispírito, lança, de alguma sorte, raiz nesse germe, como uma planta na terra. Quando o germe está inteiramente desenvolvido, a união é completa, e, então, ele nasce para a vida exterior.”

  • (A Gênese, Cap. XI, ítem 18).


Uni o ao corpo f sico

União ao Corpo Físico

  • LE344:

  • P:Em que momento a alma se une ao corpo?

  • R: “A união começa na concepção, mas só é completa por ocasião do nascimento. Desde o instante da concepção, o Espírito designado para habitar certo corpo a este se liga por um laço fluídico, que cada vez mais se vai apertando até ao instante em que a criança vê a luz. O grito, que o recém-nascido solta, anuncia que ela se conta no número dos vivos e dos servos de Deus.”


Uni o ao corpo f sico1

União ao Corpo Físico...

  • LE345: P: É definitiva a união do Espírito com o corpo desde o momento da concepção? Durante esta primeira fase, poderia o Espírito renunciar a habitar o corpo que lhe está destinado?

  • R: “É definitiva a união, no sentido de que outro Espírito não poderia substituir o que está designado para aquele corpo. Mas, como os laços que ao corpo o prendem são ainda muito fracos, facilmente se rompem e podem romper-se por vontade do Espírito, se este recua diante da prova que escolheu. Em tal caso, porém, a criança não vinga.”


Encarna o interrompida

Encarnação Interrompida

  • LE 346.

  • P: Que faz o Espírito se o corpo que ele escolheu morre antes de se verificar o nascimento?

  • R: “Escolhe outro.”

  • P: a) - Qual a utilidade dessas mortes prematuras?

  • R: “São causadas, na maioria das vezes, pelas imperfeições da matéria.”


Reencarna o na hist ria

Reencarnação na História

  • Egito: “Os homens não vivem apenas uma vez e vão-se para sempre, eles vivem muitas vezes em muitos lugares, e não apenas neste mundo.” Papiro de Anana, 1320 A.C.

  • Hinduísmo: Vedas (Sabedoria), 1500-1000 A.C.

  • Grécia: Pitágoras, 570 A.C.

  • Budismo, 500 A.C.

  • Cristianismo, em seu início (Orígenes, Clemente de Alexandria)

  • Judaísmo (Kabala)

  • Esquimós (Tlingits)

  • Drusos (Turquia, Líbano)

  • África (Bagongos, bassongos, igbos)


De volta terra

De Volta à Terra

LE 166:

P: Como a alma, que não alcançou a perfeição durante a vida corporal, pode acabar de se depurar?

R: Submetendo-se à prova de uma nova existência. (..)

P: A alma tem, portanto, que passar por muitas existências

corporais?

R: Sim, todos nós temos muitas existências. Os que dizem o contrário querem vos manter na ignorância em que eles

próprios se encontram.Esse é o desejo deles.


Objetivo da encarna o le132

Objetivo da Encarnação – LE132

  • P: Qual o objetivo da encarnação dos Espíritos?

  • R: Deus lhes impõe a encarnação com o objetivo de fazê-los chegar à perfeição. Para alguns é uma expiação, para outros uma missão. Todavia, para alcançarem essa perfeição, devem suportar todas as vicissitudes da existência corporal; nisto está a expiação. A encarnação tem também outro objetivo que é o de colocar o Espírito em condições de cumprir sua parte na obra da criação. Para realizá-la é que, em cada mundo, ele toma um aparelho em harmonia com a matéria essencial desse mundo, cumprindo aí, daquele ponto de vista, as ordens de Deus, te tal sorte que, concorrendo para a obra geral, ele próprio se adianta.


Reeduca o do esp rito provas expia o miss o

Reeducação do Espírito:Provas, Expiação, Missão


Esquecimento do passado

Esquecimento do Passado

  • LE392

  • P: Por que o Espírito encarnado perde a lembrança do passado?

  • R: O homem não pode nem deve tudo saber; Deus o quer assim em sua sabedoria. Sem o véu que lhe cobre certas coisas, ficaria deslumbrado, como aquele que passa, sem transição, da obscuridade à luz. Pelo esquecimento do passado, ele é mais ele mesmo.


Esquecimento do passado cont

Esquecimento do Passado, cont...

  • LE351...

  • ...Desde o instante da concepção, a perturbação começa a se assenhorear do Espírito, advertindo-o de que é chegado o momento de tomar uma nova existência; essa perturbação vai crescendo até o nascimento. Nesse intervalo, seu estado é pouco próximo ao de um Espírito encarnado durante o sono do corpo. À medida que o momento do nascimento se aproxima, suas idéias se apagam, assim como a lembrança do passado da qual não tem mais consciência, como homem, uma vez entrando na vida; mas essa lembrança lhe volta pouco a pouco à memória, no seu estado de Espírito.


Esquecimento do passado cont1

Esquecimento do Passado, cont...

  • “Crianças que se recordam de vidas passadas tendem a fazer confusão de identidade, e piora ainda mais quando se recordam de sua vida anterior como adulto, mas vêem-se agora em um corpo pequeno; ou quando se recordam de uma vida no sexo oposto. Para exacerbar o tormento vem a questão de a qual família ser leal, a da vida anterior ou da vida atual?”

    (Dr Ian Stevenson)


Co mprovando a reencarna o

Comprovando a Reencarnação

  • Regressão da memória

  • Lembranças espontâneas


Regress o da mem ria pioneiros

Regressãoda Memória - Pioneiros

Príncipe Galitzen (1862)

Albert de Rochas (As vidassucessivas - 1910)

Dr. Alexander Cannon (The Power Within – 1953)

Arnall Bloxham, - investigava a veracidade das informações de

seus pacientes. Mais de 400 fitas gravadas. The Bloxham Tapes

(As Fitas de Bloxham). 1976 doc. BBC de Londres.

Morey Bernstein (The Search for Bridey Murphy – 1956)


Regress o da mem ria

Regressão da Memória

  • 1970/80 EUA popularização da regressão a vidas passadas, tanto para fins terapêuticos como por curiosidade dos pacientes em querer saber quem foram em outras vidas.

  • Dra. Helen Wambach (1978) Revivendo vidas passadas

  • Dr. Morris Netherton (1978) – Terapia de vidas passadas

  • Dr. Roger Woolger (1988) Outras Vidas Outras Identidades

  • Dr. Brian Weiss (1988) Muitas Vidas, Muitos Mestres


Lembran as espont neas

Lembranças Espontâneas

  • Pioneiro – Dr. Ian Stevenson (1918 – 2007)

  • Lembranças de vidas passadas

  • Defeitos congênitos e marcas de nascença


Defeitos cong nitos

Defeitos Congênitos

Existem em torno de 4 mil defeitos congênitos conhecidos

Causas:

Fatores genéticos e ambientais – 30%

Fatores desconhecidos – 70%

EUA: Aprox. 120 mil crianças nascem com defeitos congênitos cada ano

40 mil dos defeitos são cardíacos

Causas específicas dos defeitos cardíacos congênitos?

Desconhecidas!

(Dados: Fundação March of Dimes.)


Phoh thiang san kla

Phoh / Thiang San Kla


Nsude agbo jacinta agbo

Nsude Agbo / Jacinta Agbo


U seing maung ma myint thein

U Seing Maung / Ma Myint Thein


Kalamajyi ma khin htoo

Kalamajyi / Ma Khin Htoo


Marcas de nascen a espiritismo

Marcas de Nascença / Espiritismo

  • Como o Espiritismo explica essas marcas e defeitos congênitos?

  • O Livro dos Médiuns (2ª. Parte, cap. 1, item 53)

    [Os recém-desencarnados] “acham-se em estado de perturbação; tudo se lhe apresenta confuso em torno; vê-se perfeito ou mutilado, conforme o gênero da morte, o corpo que tiveram...”


Ian stevenson

Ian Stevenson

  • “...Marcas de nascença e defeitos congênitos são importantes no sentido que a personalidade que morreu e sobreviveu a morte, pode influenciar a forma física do bebê que vai nascer. Estou ciente da seriedade e importância dessa afirmação, mas devo dizer que as evidências dos casos me levaram a essa conclusão.”


Homem ou mulher

Homem ou Mulher?

“Eles se vestem e gostam das brincadeiras so sexo anterior. Esses interesses diminuem à medida que as crianças crescem, e passam a viver normalmente o sexo atual quando adulto. Porém, há casos que se mantém fixos no sexo anterior, tornando-se homosexuais. (Dr. Ian Stevenson)


Prefer ncia

Preferência

LE 201:

  • P: O Espírito que animou o corpo

    de uma homem, em nova existência, pode animar o de uma mulher, e vice-versa?

  • R: Sim, são os mesmos Espíritos que animam os homens e as mulheres.

  • LE202:

  • P: Quando se é Espírito, prefere-se encarnar no corpo de um homem ou de uma mulher?

  • R: Isso pouco importa ao Espírito; ele escolhe segundo as provas que deve suportar.


Fobias e terror noturno

Fobiase Terror Noturno

  • Antonia Mills – Antropóloga, Pesquisadora

  • Gerald Jardin

  • Cemil Fahrici (Ian Stevenson)


Quanto tempo na erraticidade

Quanto Tempo na Erraticidade?

  • LE 223:

    P: A alma se reencarna imediatamente após ter se separado do corpo?

    R: Algumas vezes reencarna imediatamente, porém, com mais frequência, depois de intevalos mais ou menos longos (..)

    Média nos casos pesquisados pela U.V. – 1 ½ ano


  • Login