CENTRO DE ADESTRAMENTO ALMIRANTE MARQUES DE LEÃO
This presentation is the property of its rightful owner.
Sponsored Links
1 / 39

C- Ap -Sup- Maq 2010 PowerPoint PPT Presentation


  • 39 Views
  • Uploaded on
  • Presentation posted in: General

CENTRO DE ADESTRAMENTO ALMIRANTE MARQUES DE LEÃO. C- Ap -Sup- Maq 2010. DISCIPLINA: GE-OF UE 4.0 – AÇÕES DE GUERRA ELETRÔNICA AULA 4.1 – COMUNICAÇÕES NA GE INSTRUTOR – CC VINICIUS. COMUNICAÇÕES NA GE. Referências: COMOPNAV 521 (2003) – Manual de GE; COMOPNAV 516 – COA; e

Download Presentation

C- Ap -Sup- Maq 2010

An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Presentation Transcript


C ap sup maq 2010

CENTRO DE ADESTRAMENTO ALMIRANTE MARQUES DE LEÃO

C-Ap-Sup-Maq 2010

CONFIDENCIAL


Disciplina ge of ue 4 0 a es de guerra eletr nica aula 4 1 comunica es na ge instrutor cc vinicius

DISCIPLINA: GE-OFUE 4.0 – AÇÕES DE GUERRA ELETRÔNICAAULA 4.1 – COMUNICAÇÕES NA GEINSTRUTOR – CC VINICIUS

CONFIDENCIAL


C ap sup maq 2010

COMUNICAÇÕES NA GE

  • Referências:

  • COMOPNAV 521 (2003) – Manual de GE;

  • COMOPNAV 516 – COA; e

  • GE-C-006 – Comunicações na Guerra Eletrônica.

CONFIDENCIAL


Objetivos

OBJETIVOS

  • Definir as redes e procedimentos empregados na Guerra Eletrônica; e

  • Empregar os procedimentos de comunicação na Guerra Eletrônica.

CONFIDENCIAL


Sum rio

SUMÁRIO

  • Redes empregadas na Guerra Eletrônica;

  • Classificação das marcações MAGE;

  • Grau de confiança;

  • Atribuição de freqüência;

  • Tipos de varreduras; e

  • Mensagens típicas.

  • Designação de Contatos MAGE

  • Links de dados

CONFIDENCIAL


Introdu o

INTRODUÇÃO

As comunicações no âmbito de GE devem atender, principalmente, ao requisito de RAPIDEZ pois, nos dias atuais, com o emprego de armas modernas, o tempo de reação que nos restará para fazer face à ameaça será muito curto.

Por este motivo, são utilizadas mensagens padronizadas, de modo que o destinatário não tenha dúvidas sobre o seu conteúdo, evitando repetições que viriam a congestionar a rede e atrasar uma avaliação tática, podendo levar à perda da unidade.

Daí concluímos a necessidade de sermos concisos e precisos nas nossas comunicações de GE para que possamos garantir a RAPIDEZ e diminuir a probabilidade de DÚVIDAS.

CONFIDENCIAL


Redes empregadas na ge

REDES EMPREGADAS NA GE

  • Rede própria;

  • Combinada (CI/GAA-GE);

  • Fora do alcance UHF (CI/GE-SEC ou CI/GAA-GE/SEC)

  • TAT-SEC

CONFIDENCIAL


Rede de coordena o e informa o de gaa ge ci gaa ge

REDE DE COORDENAÇÃO E INFORMAÇÃO DE GAA-GE (CI/GAA-GE)

  • Indicativos Fonia:

    • Coletivo – W (WHISKEY);

    • Navio COGE – AE;

    • Demais navios – “D” a “S”;

  • Coordenação da GE e atribuição de tarefas;

  • Pode (!) operar combinada com a CI/GAA;

  • Guarnecida por unidades com equipamentos de GE;

  • Mensagens importantes devem ser disseminadas por outras linhas;

  • Rede Livre. ECR – COGE.

CONFIDENCIAL


Abreviatura de msg

ABREVIATURA DE MSG

  • Devido ao rápido fluxo de informações que fluem na rede CI/GAA-GE e desde que haja confiança nas comunicações, as MSG que nela tramitam poderão ser abreviadas em sua padrão;

  • Poderão ser omitidos, se ordenado, os endereçados.

  • EXEMPLOS:

    • Como ficaria a MSG: “ALFA ECHO aqui HOTEL ruído 4732 dois sete meia É SÓ” ?

    • RESPOSTA: “Aqui HOTEL ruído 4732 dois sete meia É SÓ”

    • Normalmente, como será o fecho de MSG que tramitam na CI/GAA-GE?

    • Será empregada a expressão “É SÓ”, em vez de “CÂMBIO”.

CONFIDENCIAL


Designa o de contatos mage

DESIGNAÇÃO DE CONTATOS MAGE

  • É realizado pelo navio que detectou o sinal pela primeira vez.

  • EXEMPLOS:

    • O que acontecerá quando um ruído for interceptado e posteriormente correlacionado com um contato (ou vice-versa) ou se ocorrer a interceptação de dois ruídos provenientes de um mesmo contato radar?

    • RESPOSTA: Prevalecerá a designação do primeiro, evitando, dessa forma, que um mesmo alvo possua dois números de acompanhamento.

CONFIDENCIAL


Links de dados

LINKS DE DADOS

Apenas o Link Yb troca informações MAGE, mostrando-os diretamente nos displays.

PPI com a apresentação de informações de GE

CONFIDENCIAL


Classifica o do ru do

CLASSIFICAÇÃO DO RUÍDO

  • Cada contato MAGE poderá ser classificado de acordo com as suas características, condições em que foi detectado e analisado e a imprecisão do equipamento que o detectou.

  • Essas informações serão disseminadas de acordo com Mensagens Padronizadas.

CONFIDENCIAL


Classifica o qto imprecis o de marca o

CLASSIFICAÇÃO QTO À IMPRECISÃO DE MARCAÇÃO

  • A ausência da informação de imprecisão poderá levar a erros de determinação da plataforma emissora.

    CLASSIFICAÇÃO LIMITES DE MARCAÇÃO

    A+ / - 2º

    B+ / - 5º

    C+ / - 10º

    D Maior que 10º

    Q Marc. obtida rapidamente de um sinal de curta duração

  • EXEMPLO: O que significa a MSG: “AE aqui LIMA, uno cinco quatro QUEBEC. É só.” ?

  • RESPOSTA: Significa que a unidade LIMA detectou uma emissão eletromagnética, obtida rapidamente de um sinal de curta duração, na marcação 154º

CONFIDENCIAL


Class do ru do qto ao tipo de varredura

CLASS. DO RUÍDO QTO AO TIPO DE VARREDURA

Os sinais detectados poderão ser classificados por códigos alfabéticos que utilizam-se de todas as letras, EXCETO as letras:

I, M, P, W, X e Y

CÓDIGO TIPO DE VARREDURA

A Circular ou Rotativa

BEm Setor (Horizontal/Bi-Direcional)

C Em Setor (Vertical/Bi-Direcional)

D Fixa no Alvo

E Irregular, instável ou manual

F Cônica

G Chaveamento de lóbulos

H Outras Varreduras de Acompanhamento Automático

CONFIDENCIAL


C ap sup maq 2010

CÓDIGO TIPO DE VARREDURA

J Raster

K Espiral

LHelicoidal

N Circular e cônica (Palmer Circular)

O Em setor e cônica (Palmer Setor)

QHelicoidal e cônica (Palmer Helicoidal)

R Outras combinações

S Em Setor (Vertical Unidirecional)

TEm Setor (Horizontal Unidirecional)

U Em Setor Unidirecional (Plano Indeterminado)

V Em Setor Bidirecional (Plano Indeterminado)

Z Indeterminada

CONFIDENCIAL


Atribui es de frequ ncia para busca

ATRIBUIÇÕES DE FREQUÊNCIA PARA BUSCA

  • Podem ser atribuídas de dois modos:

    O primeiro modo é quando o OCT (ou COGE) conhece perfeitamente quais emissões são esperadas.

    O simples estabelecimento de frequências alvo e ameaça é suficiente.

    Grande Vantagem: eleva a probabilidade de detecção ao máximo.

CONFIDENCIAL


Quando a frequ ncia da amea a conhecida utilizam se os valores abaixo

Quando a frequência da ameaça é conhecida, utilizam-se os valores abaixo:

E 0 : freqüência de ....... KHz

H 1 : freqüência de ........ MHz

H 2 : freqüência de ........ GHz

EXEMPLOS:

  • MIKE aqui AE: Guardar H1 8340. Câmbio.

  • LIMA aqui AE: Guardar H2 3950. Câmbio.

  • DELTA aqui AE: Guardar E0 3900. Câmbio.

CONFIDENCIAL


Atribui es de freq ncia para busca

ATRIBUIÇÕES DE FREQÜÊNCIA PARA BUSCA

O segundo modo é o de alocar a cada unidade envolvida algumas faixas de frequências ou partes dessas faixas.

Será utilizada a tabela e item 33.3 do COMOPNAV 516.

O navio que recebe uma faixa para busca dará o “CIENTE” e iniciará o serviço. Caso não possa executar o serviço, deverá informar a causa e o tempo estimado para sanar a irregularidade.

CONFIDENCIAL


C ap sup maq 2010

FAIXA FREQUÊNCIA (MHz)

D8 250 a 500 (BANDA B)

D9 500 a 1000 (BANDA C)

D0 1000 a 2000 (BANDA D)

E1 2000 a 3000 (BANDA E)

E2 3000 a 4000 (BANDA F)

E3 4000 a 5000 (BANDA G)

E4 6000 a 8000 (BANDA H)

E5 8000 a 10000 (BANDA I)

E610000 a 20000 (BANDA J)

E720000 a 40000 (BANDA K)

E840000 a 60000 (BANDA L)

E960000 a 100000 (BANDA M)

CONFIDENCIAL


C ap sup maq 2010

EXEMPLO:

Qual a interpretação da MSG:

“PAPA aqui ALFA ECHO: Guardar E6 e E7. CÂMBIO”

RESPOSTA:

O COGE determinou à Unidade PAPA efetuar busca nas faixas E6 e E7, ou seja, nas faixas de 10000 a 40000 MHz, Bandas ÍNDIA e JULIET.

CONFIDENCIAL


Navio monitor

NAVIO MONITOR

O COGE deverá indicar uma nidade para atuar como

NAVIO MONITOR.

Navio Monitor é aquele designado para verificar o cumprimento da condição de Silêncio Eletrônico (CONSET) daqueles navios que não foram chamados para obter marcações.

CONFIDENCIAL


Mensagens padronizadas

MENSAGENS PADRONIZADAS

  • Rapidez: requisito primário das MSG trocadas entre unidades envolvidas em GE;

  • Omissão da hora; e

  • Mensagens Padronizadas.

CONFIDENCIAL


Designa o do nacoge

DESIGNAÇÃO DO NACOGE

Caso não conste da OPGEN, O OCT designará o Navio COGE =>

NAVIO aqui AB: TA54-50D / Câmbio

CONFIDENCIAL


Informa o padr o de mage

INFORMAÇÃO PADRÃO DE MAGE

Uma unidade, ao detectar uma emissão em seu receptor MAGE, a dissemina para o COGE, iniciando os procedimentos de GE.

OBS: A MSG inicial de disseminação de ruídos possui apenas 3 DADOS: Número de Acompanhamento, Frequência e Marcação.

EXEMPLO:

ALFA ECHO aqui DELTA: novo ruído 4301 – 4850 – 315 / Câmbio.

CONFIDENCIAL


Designa o de navios g nio e obten o de marca es

DESIGNAÇÃO DE NAVIOS-GÔNIO E OBTENÇÃO DE MARCAÇÕES

O COGE designa os navios-gônio (#) e ordena a obtenção das marcações da fonte emissora.

(#) Navios designados para sintonizar um sinal e informar suas marcações, a fim de que seja determinada a posição da fonte emissora

O navio que detectou o sinal será, automaticamente, um dos navios-gônio designados.

EXEMPLO: DELTA, MIKE, PAPA aqui ALFA ECHO: sintonizar ruído 4401. Atenção para PESCAR. É só.

CONFIDENCIAL


C ap sup maq 2010

ENVIO DAS MARCAÇÕES:

O COGE ordena aos navios-gônio o envio das marcações.

EXEMPLO: “DELTA, MIKE, PAPA aqui ALFA ECHO: PESCAR ruído 4401/ câmbio.”

CONFIDENCIAL


Cruzamento de marca es de um sinal

CRUZAMENTO DE MARCAÇÕES DE UM SINAL

  • Os navios-gônio informam, o mais rápido possível, as marcações do ruído na sequência alfabética dos indicativos de chamada.

    EXEMPLO: “DELTA, MIKE, PAPA aqui ALFA ECHO: PESCAR ruído 4301 / Câmbio.” “Aqui DELTA, 315 ALFA. É só.” “Aqui MIKE, 135. É só.” “Aqui PAPA, 223 BRAVO. É só.”

  • Caso um navio-gônio não consiga obter a marcação do ruído, deverá informar como abaixo.

    EXEMPLO:

    “Aqui PAPA: NEGA PEIXE. É só.”

  • Caso um navio-gônio não consiga detectar ou sintonizar o ruído, deverá informar como abaixo.

    EXEMPLO:

    “Aqui MIKE: NEGA INFO. É só.”

CONFIDENCIAL


Posi o da fonte emissora

POSIÇÃO DA FONTE EMISSORA

O navio coordenador de GE informa a posição da fonte emissora, após o cruzamento das marcações enviadas pelos navios-gônio, em coordenadas de grade, acrescentando, se necessário, a classificação do erro do fixo MAGE.

“WHISKEY aqui ALFA ECHO: ruído 4301 fixo VERDE 050-030, classe XRAY, (minuto 15). É só.”

CLASSIFICAÇÃO DO ERRO DO FIXO

X – ATÉ 2 MN

Y – ATÉ 10 MN

Z – MAIS DE 10MN

CONFIDENCIAL


An lise do ru do

ANÁLISE DO RUÍDO

O navio coordenador de GE solicita, caso a situação tática permita, a análise do sinal.

EXEMPLO: “DELTA aqui ALFA ECHO: análise ruído 4401 / Câmbio.”

O navio solicitado informa a análise do sinal seguindo a sequência de dados: FREQÜÊNCIA / FRP/ LP / VELOC ROTAÇÃO DA ANTENA

A análise do sinal somente será disseminada quando solicitada pelo COGE e deverá ser realizada pelo navio que obteve a primeira informação do sinal.

EXEMPLO: “Aqui DELTA, ruído 4401, análise 4850 – 1200 – 0,4 – 4. É só.”

OBS: Quando alguma informação não for conhecida, deverá ser usado o termo DESCONHECIDO no seu lugar, ao disseminar o sinal.

CONFIDENCIAL


Informa es de mage correlacionadas

INFORMAÇÕES DE MAGE CORRELACIONADAS

Os ruídos deverão ser correlacionados com as demais informações disponíveis, a fim de melhorar a compilação do quadro tático. A correlação será feita por intermédio de qualquer linha inter-comandos.

EXEMPLO:

“WHISKEY aqui ALFA ECHO: ruído 4401 correlacionado FANTASMA 4311. É só.”

CONFIDENCIAL


C ap sup maq 2010

Quando um ruído for correlacionado a uma ameaça, o número de acompanhamento deverá ser indicado.EXEMPLO: “ALFA ECHO aqui LIMA: ruído 4505 correlacionado ponto 201. É só.”A expressão “PONTO” é utilizada para indicar radares amigos, neutros, ameaças ou alvos, usado em conjunção com números pré-estabelecidos de um código para traduzir frequências específicas.Quando o número começar por “1” são radares AMIGOS eNEUTROS, e quando começar por “2“ são radares AMEAÇA.(DPCOMEMCH).

RUÍDO ASSOCIADO A UMA AMEAÇA ESPERADA

CONFIDENCIAL


C ap sup maq 2010

  • RUÍDO CESSOU OU INTERROMPEU SUA EMISSÃO: neste caso, a unidade que primeiro detectou o ruído, passa a ser responsável pelo seu acompanhamento. Caso o ruído cesse, deverá disseminar a MSG, como segue: “ALFA ECHO aqui LIMA: ruído 3001 cessou (minuto 10). É só.”

  • RUÍDO VOLTOU A SER INTERCEPTADO: caso volte a ser detectado e identificado um ruído que havia cessado, a unidade responsável pelo ruído disseminará: “ALFA ECHO aqui LIMA: ruído 4501 RETOMADO (minuto 15). É só.”

CONFIDENCIAL


C ap sup maq 2010

  • RUÍDO RETOMADO: após isso, o coordenador de GE ordena aos navios-gônio que reiniciem a busca de interceptação e decide que o ruído, embora não seja uma ameaça imediata, deva continuar a ser observado, da seguinte forma: “ LIMA, MIKE, PAPA aqui ALFA ECHO: retornar / LIMA observar ruído 4501/ LIMA. Câmbio.”

  • ESQUECER RUÍDO: O COGE ordena esquecer o ruído ou o navio que obteve o ruído deve mandar esquecê-lo, caso tenha cessado por um período maior que 5 minutos, desde que o COGE não o tenha feito. O COGE deverá avaliar se alguma unidade deve ou não continuar observando o ruído.

  • EXEMPLO: “WHISKEY aqui ALFA ECHO: esquecer ruído 4501. É só.”

CONFIDENCIAL


Condi es de opera o de equipamento ou sensores

CONDIÇÕES DE OPERAÇÃO DE EQUIPAMENTO OU SENSORES

  • O COGE determina a unidade GOLF que efetue Condição de Silêncio Eletrônico “S” (SILÊNCIO) para o ponto 106:

    “GOLF aqui ALFA ECHO: FLORA ponto 106. É só.”

  • O COGE determina a unidade HOTEL que emita com o sensor ponto 108:

    “HOTEL aqui ALFA ECHO: ATIVAR ponto 108. É só.”

CONFIDENCIAL


Uso de mae pelo inimigo

USO DE MAE PELO INIMIGO

  • Uma unidade que percebe, no seu equipamento ou radar, o uso do MAE inimigo, deve enviar a seguinte MSG:

    “Aqui PAPA: radar ponto 103 VERMELHO. É só.”

    VERMELHO – Setor TOTALMENTE bloqueado;

    ÂMBAR – Setor PARCIALMENTE bloqueado;

    VERDE – AUSÊNCIA de bloqueio;

    AZUL – TOTALMENTE bloqueado;

    BRANCO – bloqueio com RUÍDO;

    PRETO – bloqueio com CW; e

    ROSA – PARCIALMENTE bloqueado.

CONFIDENCIAL


C ap sup maq 2010

  • EMERGÊNCIA DE UM RUÍDO: Uma informação de emergência é transmitida quando a emissão for avaliada como uma ameaça imediata para a força indicando ataque iminente.

    “WHISKEY aqui DELTA: EMERG ruído 6101 – 8750-320/ AE. Câmbio.”

  • EXECUÇÃO DE UM PLANO DE DESPISTAMENTO INDICADO OU DE ACORDO COM AS ORDENS PRÉVIAS:

    “PAPA aqui ALFA ECHO: GAMBITO ALFA. É só.”

    OBS.: GAMBITO/ BAY – ACD COMOPNAV-516, executar o plano de despistamento indicado ou de acordo com as ordens prévias.

CONFIDENCIAL


C ap sup maq 2010

  • CANCELAMENTO DE MENSAGENS DE SINTONIZAR OU DE INFORMAR: O COGE cancelará uma ordem de sintonizar ou de informar, disseminando MSG como:

  • “DELTA aqui ALFA ECHO: BRUMA. É só.”

  • UNIDADE COM EQUIPAMENTO DE INTERCEPTAÇÃO INCAPAZ DE EFETUAR MARCAÇÃO RADIOGONIOMÉTRICA:

  • “ ALFA ECHO aqui SIERRA: DETETIVE. É SÓ.”

CONFIDENCIAL


C ap sup maq 2010

CC VINICIUSCAAMLDivisão de Comunicações e Guerra EletrônicaTEL.: 2189-1347/2193 SISTELMA: 8116-1347/2193EMAIL: vinicius@ caaml.mar.mil.brLOTUS NOTES: [email protected]

CONFIDENCIAL


C ap sup maq 2010

“EM TERRA E NO MAR NOSSO LEMA É ADESTRAR”

CONFIDENCIAL


  • Login