LICENCIATURA EM EDUCAÇÃO FÍSICA
Download
1 / 14

DISCIPLINA: - PowerPoint PPT Presentation


  • 122 Views
  • Uploaded on

LICENCIATURA EM EDUCAÇÃO FÍSICA. DISCIPLINA:. VOLEIBOL. Prof.º Armando Alves Júnior. CAPACIDADES FÍSICAS EMPREGADAS NO VOLEIBOL. Capacidades Motoras – Força ( força relativa, força de explosão, força máxima, força de resistência) – processos energéticos – Resistência .

loader
I am the owner, or an agent authorized to act on behalf of the owner, of the copyrighted work described.
capcha
Download Presentation

PowerPoint Slideshow about ' DISCIPLINA:' - jenis


An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript

LICENCIATURA EM EDUCAÇÃO FÍSICA

DISCIPLINA:

VOLEIBOL

Prof.º Armando Alves Júnior


Capacidades f sicas empregadas no voleibol
CAPACIDADES FÍSICAS EMPREGADAS NO VOLEIBOL

  • Capacidades Motoras – Força ( força relativa, força de explosão, força máxima, força de resistência) – processos energéticos – Resistência.

  • Capacidades Coordenativas – Acoplamento (unir um movimento ao outro sem quebra) – Reação (capacidade de antecipação, concentração, percepção e atenção) – Diferenciação – Ritmo – Equilíbrio – Orientação – Variação – Associação – Aprendizagem Motora – Direção do movimento.

  • Outras Capacidades – Velocidade - Flexibilidade


Conceitos de for a
CONCEITOS DE FORÇA

  • Força é a capacidade do sistema neuromuscular de vencer resistências(oposições), como por exemplo o peso do próprio corpo, um peso, um objeto, etc.(BARBANTI, 1979)

  • É a habilidade de um músculo ou grupo muscular de vencer uma resistência produzindo tensão na ação de empurrar, tracionar ou elevar.(GOMES TUBINO,1979)

  • É a capacidade de vencer resistências externas ou contrariá-las por meio de uma ação muscular.(ZACIORSKI,1974)


Tipos de for a
TIPOS DE FORÇA

  • Segundo BARBANTI, 1979, a força pode se manifestar de duas formas básicas: Dinâmica e Estática.

  • FORÇA DINÂMICA – É quando existe um encurtamento das fibras musculares, provocando uma aproximação ou afastamento dos seguimentos ou partes musculares próximas, portanto há movimento. Ela pode ser Negativa ou Positiva.

  • POSITIVA (concêntrica) – a força muscular oferecida é maior do que a resistência oferecida.

  • Negativa (excêntrica) – é quando a resistência é maor do que a força muscular provocando, então um movimento de recuo.


Conceitos de resist ncia
CONCEITOS DE RESISTÊNCIA

  • DE RESISTÊNCIA – É a qualidade física que permite um contínuo esforço, proveniente de exercícios prolongados, durante um determinado tempo.(GOMES TUBINO,1979). Tubino classifica resistência em 03 tipos:

  • Resistência muscular localizada – é a capacidade individual de realizar durante um período longo a repetição de um determinado movimento, num mesmo ritmo e com a mesma eficiência.

  • Resistência anaeróbica – qualidade física que permite manter um esforço por determinado período, em que as necessidades de consumo são superiores a absorção do mesmo, provocando débito de oxigênio.


Conceitos
CONCEITOS

3. Resistência aeróbica – é a qualidade física em que permite um esforço por determinado período em que há um equilíbrio entre o consumo e a absorção do mesmo (steady – state).

4. Resistência psíquica – é a capacidade do esportista de resistir por longo tempo a um estímulo. (CONSOANTE FREY, 1977)

DE FLEXIBILIDADE – É a capacidade e qualidade do indivíduo de executar movimentos de grande amplitude angular por si mesmo ou sobre a influência de forças externas.( HARRE,1976, FREY, 1977)


Conceitos1
CONCEITOS

  • É a qualidade física do homem que condiciona a capacidade funcional das articulações de movimentarem-se dentro dos limites ideais de determinadas ações. (GOMES TUBINO,1977)

    DE AGILIDADE – É a capacidade que se tem de mover o corpo no espaço no mais rápido tempo possível. (GOMES TUBINO,1977)

    DE VELOCIDADE – É a qualidade particular do músculo e das coordenações neuromusculares que permite a execução de uma sucessão rápida de gestos que, em seu encadeamento, constituem uma só e mesma ação, de uma intensidade máxima e de uma duração breve ou muito breve. (GOMES TUBINO,1977)


Conceitos2
CONCEITOS

  • CLASSIFICAÇÃO DE VELOCIDADE

  • Velocidade de reação – é o tempo requerido para ser iniciada uma resposta ao estímulo. (GOMES TUBINO,1977)

  • Velocidade de deslocamento – é a capacidade máxima de um indivíduo deslocar-se de um ponto para outro. (GOMES TUBINO,1977)

  • Velocidade de movimento dos membros inferiores e/ou superiores – é a habilidade de mover braços e pernas o tão rápido possível.(GOMES TUBINO,1977)


Utiliza o das capacidades f sicas nos gestos motores do voleibol
UTILIZAÇÃO DAS CAPACIDADES FÍSICAS NOS GESTOS MOTORES DO VOLEIBOL

  • SAQUE TIPO TÊNIS(VIAGEM)

  • Velocidade de deslocamento – por ocasião das passadas que precedem a impulsão.

  • Força explosiva da musculatura dos membros inferiores para obter boa impulsão.

  • Força explosiva da musculatura dos membros superiores, tendo em vista golpear a bola.

  • Velocidade dos movimentos do tronco e membros superiores, para golpear a bola.

  • Flexibilidade de movimento da coluna vertebral e do ombro, proporcionando amplitude dos movimentos.


Utiliza o das capacidades f sicas nos gestos motores do voleibol1
UTILIZAÇÃO DAS CAPACIDADES FÍSICAS NOS GESTOS MOTORES DO VOLEIBOL

  • TOQUE

  • Velocidade de deslocamento – de todas as maneiras e em diferentes direções.

  • Força explosiva da musculatura dos membros inferiores, para obter maior impulsão.

  • Força nos músculos das mãos e dos dedos, a fim de suportar o impacto da bola.

  • MANCHETE

  • Velocidade de deslocamento – idem ao toque

  • Força em diferentes angulações de flexão de pernas, sem perder o equilíbrio.

  • Flexão de movimento das articulações, joelhos etc...


  • BLOQUEIO VOLEIBOL

  • Força explosiva dos músculos inferiores – tendo em vista maior impulsão e obtenção do maior alcance possível.

  • Força na musculatura abdominal e dorso-lombar, para obtenção do equilíbrio.

  • Velocidade dos movimentos da flexão e extensão das pernas, da elevação e extensão dos braços.


  • CORTADA VOLEIBOL

  • Velocidade de deslocamento por ocasião da aproximação para o ataque.

  • Força explosiva nos músculos dos membros inferiores, obtenção do melhor salto possível.

  • Força explosiva nos músculos dos membros superiores, para golpear a bola com a maior potência possível.

  • Força na musculatura abdominal e dorso – lombar, para obtenção do equilíbrio na execução do movimento.


Sistema energ tico predominante no voleibol
SISTEMA ENERGÉTICO PREDOMINANTE NO VOLEIBOL. VOLEIBOL

  • A definição do sistema energético do voleibol é motivo de grande discussão. A comunidade científica se vê dividida. Fisiologistas e preparadores físicos afirmam que é uma atividade física predominantemente anaeróbica. Outros profissionais se opõem a essa tese justificando que se for levado em consideração o jogo de uma forma total teremos então uma atividade física aeróbica.


ad