Princ pios de comunica es
This presentation is the property of its rightful owner.
Sponsored Links
1 / 37

PRINCÍPIOS DE COMUNICAÇÕES PowerPoint PPT Presentation


  • 63 Views
  • Uploaded on
  • Presentation posted in: General

PRINCÍPIOS DE COMUNICAÇÕES. MODULAÇÃO DE PULSO Evelio M. G. Fernández - 2009. Sistemas de Comunicações Digitais. Sistema “digital” no sentido de utilizar uma seqüência de símbolos pertencentes a um conjunto finito de símbolos para representar a fonte de informação.

Download Presentation

PRINCÍPIOS DE COMUNICAÇÕES

An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Presentation Transcript


Princ pios de comunica es

PRINCÍPIOS DE COMUNICAÇÕES

MODULAÇÃO DE PULSO

Evelio M. G. Fernández - 2009


Sistemas de comunica es digitais

Sistemas de Comunicações Digitais

  • Sistema “digital” no sentido de utilizar uma seqüência de símbolos pertencentes a um conjunto finito de símbolos para representar a fonte de informação.


Sistemas de comunica es digitais1

Sistemas de Comunicações Digitais

  • Redes sem fio (802.11 a/b/g/n)

  • Telefonia Celular (GSM, 3G)

  • Satélite (TV, Rádio, Dados, DVB-S)

  • Redes sem fio fixas (802.16, Wimax)

  • Radiodifusão de TV digital (ATSC, DVB-T, ISDB-T)

  • Ethernet (10M/100M/1G/10G)

  • ADSL, VDSL

  • Fibra óptica


Por qu digital

Por quê Digital?

  • Aumento da demanda por transmissão de dados

  • Grau de integração e confiabilidade dos circuitos eletrônicos para processamento digital de sinais

  • Facilidade de codificação de fonte para compressão de dados

  • Possibilidade de codificação de canal

  • Segurança

  • Facilidade de lidar com o compromisso largura de banda-potência para otimizar o uso destes recursos

  • Padronização


Sistemas de comunica es digitais2

Sistemas de Comunicações Digitais

  • Características desejáveis

    • Baixa taxa de erro de bits (BER)

    • Operar com baixa relação sinal ruído (SNR)

    • Bom desempenho em canais com desvanecimento (fading)

    • Ocupar pouca largura de banda

    • Fácil implementação

    • Baixo custo


Princ pios de comunica es

Sistemas de Comunicações Digitais

  • Parâmetros

    • Taxa de Transmissão

      • Representa a velocidade com que a informação é transmitida

      • A taxa de transmissão em símbolos/s (baud) também é chamada de velocidade do canal

    • Exemplo:

      • Rb = 100 bits/s

      • Rb = 10 símbolos/s (bauds)


Sistemas de comunica es digitais3

Sistemas de Comunicações Digitais

  • Parâmetros de Desempenho

    • Eficiência Espectral

    • Eficiência em Potência


Processo de amostragem

Processo de Amostragem


Pares de transformada de fourier

Pares de Transformada de Fourier


Processo de amostragem1

Processo de Amostragem


Teorema da amostragem

Teorema da Amostragem

  • Um sinal limitado em banda a W Hz, com energia finita, é descrito de maneira completa especificando-se os valores do sinal em instantes de tempo separados por 1/2W segundos.

  • Um sinal limitado em banda a W Hz, com energia finita, pode ser completamente recuperado a partir do conhecimento de suas amostras, tomadas à taxa de 1/2W amostras por segundo.


Aliasing

Aliasing


Filtragem anti aliasing

Filtragemanti-aliasing


Modula o pam sample and hold

Modulação PAM – Sample and Hold


Modula es pdm e ppm

Modulações PDM e PPM


Processo de quantiza o

Processo de Quantização

  • Transformar a amplitude da amostra m(nTs) de um sinal de mensagem m(t) no tempo t = nTs, para uma amplitude discreta v(nTs) tomada de um conjunto finito de amplitudes possíveis


Descri o de um quantizador sem mem ria

Descrição de um Quantizador sem Memória


Quantiza o uniforme

Quantização Uniforme


Ru do de quantiza o

Ruído de Quantização


Sistema pcm

Sistema PCM


Exemplo gera o de um sinal pcm

Exemplo: Geração de um Sinal PCM

  • Considere um sinal de áudio com componentes espectrais limitadas à faixa de freqüências de 300 Hz a 3300 Hz. Suponha que o período de amostragem utilizado para gerar o sinal PCM é 125 µs. Deseja-se que a relação sinal-ruído de quantização seja de, no mínimo, 40 dB.

    • Qual o número de bits por amostra que deve ser utilizado?

    • Qual o número de níveis de quantização (uniformes) a ser utilizado?

    • Qual a taxa de bits do sinal PCM?

    • Que capacidade de memória (em bits) será necessária para armazenar 5 min deste sinal de áudio?


Leis de compress o a lei b lei a

Leis de Compressão (a) Lei µ (b) Lei A


Sistema tdm

Sistema TDM


Problema 3 8 haykin

Problema 3.8 – Haykin

Vinte e quatro sinais de voz são amostrados e depois multiplexados por divisão de tempo. A operação de amostragem usa amostras de topo plano com duração de 1µs. A operação de multiplexação inclui provisão para sincronização adicionando um pulso extra de amplitude suficiente e 1µs de duração. A componente de freqüência mais elevada de cada sinal de voz é 3,4 kHz.

a) Supondo uma taxa de amostragem de 8 kHz, calcule o espaçamento entre pulsos sucessivos do sinal multiplexado.

b) Repita seu cálculo supondo o uso da amostragem pela taxa de Nyquist


Problema 3 9 haykin

Problema 3.9 – Haykin

Doze diferentes sinais de mensagem, cada um com uma largura de banda de 10 kHz, devem ser multiplexados e transmitidos. Determine a mínima largura de banda necessária para cada um dos seguintes métodos de multiplexação/modulação.

a) FDM/SSB.

b) TDM/PAM


C digos de linha

Códigos de Linha

  • Dados de informação discreta (bits ou símbolos) são associados com formas de onda (sinais) em banda base

    • Telefonia digital

    • Redes de computadores

    • Interfaces de comunicação via cabo

  • Características desejadas

    • Ocupar pouca largura de banda

    • Pequeno conteúdo espectral nas baixas freqüências

    • Assegurar suficientes transições (sincronismo)

    • Sinas sem nível DC (acoplamento AC)

    • Detecção de erros


C digos de linha a unipolar nrz b polar nrz c unipolar rz d bipolar rz e bif sico ou manchester

Códigos de Linha(a) Unipolar NRZ(b) Polar NRZ (c) Unipolar RZ(d) Bipolar RZ(e) Bifásico ou Manchester


Espectro de pot ncia de c digos de linha unipolar nrz

Espectro de Potência de Códigos de Linha: Unipolar NRZ


Espectro de pot ncia de c digos de linha polar nrz

Espectro de Potência de Códigos de Linha: Polar NRZ


Espectro de pot ncia de c digos de linha unipolar rz

Espectro de Potência de Códigos de Linha: Unipolar RZ


Espectro de pot ncia de c digos de linha bipolar rz

Espectro de Potência de Códigos de Linha: Bipolar RZ


Espectro de pot ncia de c digos de linha manchester

Espectro de Potência de Códigos de Linha: Manchester


  • Login