Carga global de doen a o papel de fatores de risco como o tabagismo e o excesso de peso
Download
1 / 32

Carga Global de Doença: O papel de fatores de risco como o tabagismo e o excesso de peso - PowerPoint PPT Presentation


  • 95 Views
  • Uploaded on

Carga Global de Doença: O papel de fatores de risco como o tabagismo e o excesso de peso. Orientador: Joaquim Gonçalves Valente Co-orientador: Iuri da Costa Leite Aluna: Andreia Ferreira de Oliveira Agosto 2011. Histórico dos Estudos de Carga Global de Doença.

loader
I am the owner, or an agent authorized to act on behalf of the owner, of the copyrighted work described.
capcha
Download Presentation

PowerPoint Slideshow about ' Carga Global de Doença: O papel de fatores de risco como o tabagismo e o excesso de peso' - janna


An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript
Carga global de doen a o papel de fatores de risco como o tabagismo e o excesso de peso

Carga Global de Doença: O papel de fatores de risco como o tabagismo e o excesso de peso

Orientador: Joaquim Gonçalves Valente

Co-orientador: Iuri da Costa Leite

Aluna: Andreia Ferreira de Oliveira

Agosto 2011


Hist rico dos estudos de carga global de doen a
Histórico dos Estudos de Carga Global de Doença tabagismo e o excesso de peso

Iniciaram em 1992 (OMS x Banco Mundial)

Com os seguintes objetivos:

Colocar os agravos a saúde “não fatais” no debate das políticas de saúde internacionais, que normalmente focam a mortalidade;

Avaliar os dados epidemiológicos existentes quanto a morbidade e mortalidade;

Quantificar a carga global de doença através de uma medida que também pudesse ser usada em análise de custo efetividade;


Indicador – DALY tabagismo e o excesso de peso

YLL (Anos de vida perdidos por morte prematura)

YLD (Anos vividos com incapacidade)

DALY= YLL + YLD

Histórico dos Estudos de Carga Global de Doença


Alguns pressupostos na constru o do indicador

Histórico dos Estudos de Carga Global de Doença tabagismo e o excesso de peso

Alguns pressupostos na construção do indicador

Utilização da expectativa de vida japonesa como padrão: 82,5 anos nas mulheres e 80,0 em homens

Pesos das Incapacidades – Tempo vivido com incapacidade precisar ser relativizado segundo diferentes estados mórbidos


Pesos das incapacidades

Histórico dos Estudos de Carga Global de Doença tabagismo e o excesso de peso

Pesos das Incapacidades

Na mortalidade, todos os óbitos recebem peso igual a 1. Na morbidade, os vários estados de saúde não podem ter todos o mesmo peso.

Daí o tempo vivido com uma determinada doença ser ponderada pelo peso da incapacidade em questão.


Alguns pressupostos na constru o do indicador1

Histórico dos Estudos de Carga Global de Doença tabagismo e o excesso de peso

Alguns pressupostos na construção do indicador

FPI- Maiores pesos são atribuídos a anos de vida perdidos na faixa etária entre 20-40 anos

TxD – Anos de vida perdidos no futuro “valem menos” comparados aos perdidos em idades atuais (3%)


Críticas as suposições metodológicas tabagismo e o excesso de peso

- DALY não pode ser usado para medir carga de doença ou definir prioridades (questionamentos éticos);

Na priorização de estados de saúde não se discute questões éticas (justiça/equidade)

Respondentes são indivíduos saudáveis/especialistas

Não se discute no processo as implicações políticas das valorações


Utilidade do indicador

Utilidade do indicador tabagismo e o excesso de peso

Ferramenta importante para o debate sobre alocação de recursos escassos para pesquisa e intervenções de saúde


Fr nos estudos gbd
FR nos Estudos GBD tabagismo e o excesso de peso

Mensura-se o efeito dos FR sobre as doenças, permitindo quantificar o número de anos de vida saudáveis que poderiam ser ganhos ao se reduzir a exposição a esses fatores.

Pequeno número de FR responsáveis por grande fração da Carga Global de Doença: Fumo, Elevado colesterol, Excesso de peso, Álcool, Hipertensão Arterial e Inatividade Física


Histórico dos FR nos Estudos de GBD tabagismo e o excesso de peso

Carga Atribuível aos FR calculada no GBD 1990 foi reformulada pela OMS por problemas comparabilidade das estimativas e métodos utilizados.

Nova forma de quantificação: Comparação carga atual x exposição alternativa (análise contra-factual)

OMS cria o Projeto de Avaliação de Riscos comparativos

Forma sistemática para estimar e comparar a carga global de doença devido a diferentes FR

Relação contínua entre FR x Dç

Oferece estimativa mais acurada comparada aos métodos tradicionais (mais unificada e padronizada)

Leva em consideração os diversos estágios e efeitos dos múltiplos FR no processo causal (intermediários/interação)


Objetivo geral

Objetivo Geral tabagismo e o excesso de peso

1) Analisar o impacto do excesso de peso/obesidade e do tabagismo na Carga Global de Doença estimada pelos estudos realizados no Brasil e no Estado do Rio de Janeiro, nos anos 2000 e 2002-2003.


Objetivos espec ficos

Objetivos específicos tabagismo e o excesso de peso

1) Estimar o impacto do tabagismo na Carga Global de Doença do Estado do Rio de Janeiro em 2000.

2) Estimar a carga do diabetes mellitus para o período 2002-2003 e calcular, para o mesmo período, a fração do diabetes mellitus atribuível ao excesso de

peso/obesidade para o Brasil e Grandes Regiões.


Métodos tabagismo e o excesso de peso

PARTE I –

Carga de Doença associada ao tabagismo no Estado do Rio de Janeiro, 2000.


Métodos tabagismo e o excesso de peso

Cálculo do DALY no ERJ 2000

Revisão das principais doenças associadas ao fumo com base em revisão de literatura

- YLL – SIM/DATASUS (média 1998-2002)

- YLD – Razão YLL/YLD GBD-Brasil 1998 (SE)

Algumas doenças tabaco relacionadas não foram trabalhadas no GBD-BR 1998


Métodos tabagismo e o excesso de peso

Fração Populacional Atribuível

Prevalência do tabagismo - Inquérito Nacional de Morbidade Referida do Instituto Nacional do Câncer (INCA) (2002-2003)

RR de mortalidade para as doenças tabaco relacionadas obtidos do CPS II.

FPA * DALY = Número de anos de vida perdidos ajustados por incapacidade para cada uma das doenças tabaco-relacionadas.


Métodos tabagismo e o excesso de peso

PARTE II –

Carga Global do diabetes mellitus atribuível ao excesso de peso e a obesidade


Métodos tabagismo e o excesso de peso

Cálculo do DALY para DM 2002-2003:

YLL

SIM/DATASUS – 2002-2003

Redistribuição das informações: sexo, faixa etária e municípios ignorados, além das causas mal definidas.

Divisão dos GG doenças - I, II (Diabetes, Demais do Grande Grupo II) e III

YLD

Taxas de YLD/1.000hab de cada Grande Região, segundo Grandes Grupos de Doenças (GG), sexo e faixa etária – 1998 aplicadas na média população 2002-2003 - número absoluto de YLD desagregado segundo GG, sexo e faixa etária.

Cálculo da FAP:

Prevalências de excesso de peso e obesidade - POF 2002-2003

RR para DM de estudos realizados nos EUA e Coréia

FA brutas e padronizadas


Carga de doen a associada ao tabagismo no estado do rio de janeiro erj 2000

Resultados tabagismo e o excesso de peso

Carga de Doença associada ao tabagismo no Estado do Rio de Janeiro (ERJ), 2000.


Resultados tabagismo e o excesso de peso

Número de DALY e Fração Atribuível ao Tabagismo, segundo sexo e causa de doença estimada. ERJ, 2000.


Resultados
Resultados tabagismo e o excesso de peso

Fração atribuível ao tabagismo, segundo sexo para o grupo de doenças tabaco relacionadas selecionadas nos indivíduos de 30 anos e mais. ERJ, 2000.


Resultados tabagismo e o excesso de peso

Fração atribuível ao tabagismo, segundo sexo para o grupo de doenças tabaco relacionadas selecionadas nos indivíduos de 30 anos e mais. ERJ, 2000.


Resultados tabagismo e o excesso de peso

Fração atribuível ao tabagismo, segundo sexo para o grupo de doenças tabaco relacionadas selecionadas nos indivíduos de 30 anos e mais. ERJ, 2000.


Limita es
Limitações tabagismo e o excesso de peso

Utilização de prevalências de exposição atuais, não levando em consideração o período de latência entre a exposição ao tabaco e o aparecimento das doenças.

Riscos Relativos provenientes do CPS II. Amostra não representativa da população, pois incluíram indivíduos casados, de cor branca, com nível de escolaridade e renda mais elevadas.


DPOC; DIC; DCV; Câncer traquéia/ brônquios/pulmão foram as quatro principais doenças responsáveis por 72,2% do total de DALY atribuíveis ao tabagismo no ERJ em indivíduos de 30 anos e mais.

Tabaco como causa importante de perda de anos de vida por morte prematura e incapacidade em nossa população

Medidas de prevenção e controle do hábito tabágico efetivamente implementadas enquanto política de saúde pública.

Discussão


Resultados as quatro principais doenças responsáveis por 72,2% do total de DALY atribuíveis ao tabagismo no ERJ em indivíduos de 30 anos e mais.

  • Carga Global do diabetes mellitus atribuível ao excesso de peso e obesidade


Resultados as quatro principais doenças responsáveis por 72,2% do total de DALY atribuíveis ao tabagismo no ERJ em indivíduos de 30 anos e mais.

  • 78,2% do total de DALY para BR (2002-2003), na população acima de 20 anos, estão no GG II

  • DM, no BR e acima de 20 anos, representa aproximadamente 10% do total DALY no GG II

  • BR - As maiores frações atribuíveis para o excesso de peso e obesidade, em ambos os sexos, são encontradas nas faixas etárias de 35-44 anos. A partir desta idade, os valores tendem a apresentar queda.


Frações Atribuíveis Padronizadas do Excesso de Peso e Obesidade associados ao Diabetes Mellitus para Brasil, Grandes Regiões e UF segundo sexo. 2002-2003.


Frações Atribuíveis (%) e Intervalos de Confiança (IC) para o EXCESSO DE PESO e OBESIDADE no Brasil, segundo sexo e faixa etária

Excesso de peso

Obesidade


Limita es1
Limitações para o EXCESSO DE PESO e OBESIDADE no Brasil, segundo sexo e faixa etária

As estimativas de RR utilizadas provenientes de outros estudos: EUA e Coréia.

Assumiu-se que o padrão do risco de desenvolvimento do diabetes mellitus na população brasileira seja semelhante ao da população coreana e que a população brasileira seja parecida com a população dos EUA (em termos genéticos e de hábitos de vida).


Discuss o
Discussão para o EXCESSO DE PESO e OBESIDADE no Brasil, segundo sexo e faixa etária

  • Peso importante das DCNT no total de DALYs estimado para Brasil e Grandes Regiões.

  • Participação do DM no total de DALYs BR (2002-2003): 7,6%, chegando a 8,5% na Região Sul do país.

  • Prevenção do excesso de peso como problema relevante na agenda de saúde pública brasileira;

    • Ambientes físicos, econômicos e sócio-culturais que permitam escolhas saudáveis com relação à dieta e à prática diária de atividades físicas:

  • PORTARIA INTERMINISTERIAL – MEC/MS- 2006:

  • Institui as diretrizes para a Promoção da Alimentação Saudável nas Escolas de educação infantil, fundamental e nível médio das redes pública e privada, em âmbito nacional.

  • - Iniciativas de municípios e estados

  • Melhoria no acesso de todas as classes sociais a informações confiáveis sobre os determinantes e conseqüências do excesso de peso;


Considera es finais
Considerações Finais para o EXCESSO DE PESO e OBESIDADE no Brasil, segundo sexo e faixa etária

  • Tabagismo

    • Prevenção do hábito tabágico na população, principalmente em idades jovens

    • Prioritária a ampliação de unidades de saúde livres do tabaco, assim como expansão do número de unidades de saúde/profissionais capacitados que realizam tratamento de fumantes

  • Excesso de peso/obesidade – DIABETES MELLITUS

    • Efetiva implementação de medidas de prevenção e promoção a saúde em nosso país, principalmente nos estratos sociais mais desfavorecidos

  • (Inclusão na agenda de prioridades da saúde pública, ações inter-setoriais no âmbito do Estado e da sociedade civil, fortalecendo o compromisso e a efetividade de projetos e programas voltados à promoção da alimentação saudável)


Obrigada andreiaf@ensp fiocruz br
OBRIGADA!!! para o EXCESSO DE PESO e OBESIDADE no Brasil, segundo sexo e faixa [email protected]


ad