Ass dio moral
This presentation is the property of its rightful owner.
Sponsored Links
1 / 17

ASSÉDIO MORAL PowerPoint PPT Presentation


  • 64 Views
  • Uploaded on
  • Presentation posted in: General

ASSÉDIO MORAL. Fernando Halmann. O que é assédio Moral?. Exposição. Do Superior. Trabalhador. Trabalhadora. Situação Humilhante e Constrangedora durante exercício de sua função. O Subordinado. Na relação de trabalho. Caracterização. Prejuízos práticos/emocionais

Download Presentation

ASSÉDIO MORAL

An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Presentation Transcript


Ass dio moral

ASSÉDIO MORAL

Fernando Halmann


O que ass dio moral

O que é assédio Moral?

Exposição

Do Superior

Trabalhador

Trabalhadora

Situação Humilhante

e Constrangedora durante

exercício de sua função

O Subordinado

Na relação de trabalho


Caracteriza o

Caracterização

Prejuízos práticos/emocionais

Ao trabalhador e organização

Isolamento do

assediado

do restante

do grupo

Atitudes/Condutas

Negativas

Assédio

Moral

Pacto da tolerância

e do silêncio


Fases da humilha o

Fases da Humilhação

Relação Autoritária

Manipulação e Medo

Fenômeno

Horizontal

Relação Autoritária

Relação Aética

Humilhação

Fortalecimento da Tirania

Submissão

Fenômeno

Vertical

Medo de perder o emprego

Pressão para maior produção


Estrat gias do agressor

Estratégias do agressor

Escolher a vítima e isolar do grupo

Impedir de se expressar e não explicar o porquê.

Fragilizar, ridicularizar, inferiorizar,

menosprezar em frente aos pares.

Culpar/responsabilizar publicamente,

podendo os comentários de sua incapacidade invadir,

inclusive, o espaço familiar

Desestabilizar emocional e profissionalmente.

A vítima gradativamente vai perdendo simultaneamente

sua autoconfiança e o interesse pelo trabalho.


Estrat gias do agressor1

Estratégias do agressor

Destruir a vítima (desencadeamento ou

agravamento de doenças pré-existentes)

A destruição da vítima engloba vigilância

acentuada e constante. A vítima se isola da

família e amigos, passando muitas vezes a usar

drogas, principalmente o álcool.

Impor ao coletivo sua autoridade

para aumentar a produtividade.

Livrar-se da vítima que são forçados/as

Apedir demissão ou são demitidos/as,

freqüentemente, por insubordinação


A explicita o do ass dio moral

A explicitação doassédio moral

Gestos, condutas abusivas e constrangedoras

Humilhar repetidamente, inferiorizar, amedrontar,

menosprezar ou desprezar

Ironizar, difamar, ridicularizar, risinhos, suspiros

Piadas jocosas relacionadas ao sexo

Ser indiferente à presença do/a outro/a

Estigmatizar os/as adoecidos/as pelo e para o

trabalho, colocá-los/as em situações vexatórias

Falar baixinho acerca da pessoa, olhar e não ver ou

ignorar sua presença, rir daquele/a que apresenta dificuldades


A explicita o do ass dio moral1

A explicitação doassédio moral

Não cumprimentar, sugerir que peçam demissão

Dar tarefas sem sentido ou que jamais serão

utilizadas ou mesmo irão para o lixo

Dar tarefas através de terceiros ou

colocar em sua mesa sem avisar

Controlar o tempo de idas ao banheiro, tornar público

algo íntimo do/a subordinado/a, não explicar a

causa da perseguição, difamar, ridicularizar


As manifesta es do ass dio segundo o sexo

As manifestações do assédiosegundo o sexo

Atingem a virilidade

(preferencialmente)

HOMENS

Manifestação

Os controles são diversificados

Proibir a fala, interditar a fisiologia

MULHERES

Visam intimidar, submeter, proibir a fala

Controlando tempo e

freqüência de permanência nos banheiros

Relaciona atestados médicos

e faltas a suspensão de cestas básicas ou promoções


Frases discriminat rias freq entemente utilizadas

Frases discriminatórias freqüentemente utilizadas

Se você não quer trabalhar... por que não dá o lugar pra outro?

Pessoas como você... Está cheio aí fora!

A empresa não precisa de incompetente igual a você!

Não existe lugar aqui pra quem não quer trabalhar!

Ela faz confusão com tudo... É muito encrenqueira! É histérica! É mal

casada! Não dormiu bem... é falta de ferro!

Para que você foi a médico? Que frescura é essa? Tá com frescura? Se

quiser ir pra casa de dia... tem de trabalhar à noite!


Danos da humilha o sa de

Danos da humilhaçãoà saúde

HOMENS

Revoltados

Vontade de Vingança

Raiva

Demonstração variada

de sentimentos

Risco Invisível

Desonrado

Choro

Tristeza

MULHERES

Ressentimento

Mágoas


Sintomas do ass dio moral na sa de

Sintomas do assédiomoral na saúde


Estabelecimento do nexo causal

Estabelecimentodo Nexo Causal

A história clínica e ocupacional, decisiva

em qualquer diagnóstico e/ou

investigação de nexo causal

O estudo do local de trabalho

O estudo da organização do trabalho

Resolução 1488/98 do

Conselho Federal

de Medicina

Os dados epidemiológicos

A literatura atualizada

A ocorrência de quadro clínico ou

Subclínico em trabalhador exposto

a condições agressivas


Estabelecimento do nexo causal1

Estabelecimentodo Nexo Causal

A identificação de riscos físicos,

químicos, biológicos, mecânicos,

estressantes, e outros

O depoimento e a experiência dos

trabalhadores;

Os conhecimentos e as práticas de outras

disciplinas e de seus profissionais, sejam

ou não da área de saúde." (Artigo 2o da

Resolução CFM 1488/98)

Resolução 1488/98 do

Conselho Federal

de Medicina

Duração e repetitividade da exposição dos

trabalhadores a situações de humilhação.


O que a v tima deve fazer

O que a vítima deve fazer?

Evitar conversar com o agressor, sem testemunhas. Ir sempre com colega de trabalho ou representante sindical.

Dar visibilidade, procurando a ajuda dos colegas, principalmente

daqueles que testemunharam o fato ou que já sofreram humilhações

do agressor

Resistir: anotar com detalhes toda as humilhações

sofrida (dia, mês, ano, hora, local ou setor, nome do

agressor, colegas que testemunharam, conteúdo da conversa e o que

mais você achar necessário)

Recorrer ao Centro de Referencia em Saúde dos Trabalhadores e contar a humilhação sofrida ao médico, assistente social ou psicólogo


Refer ncias

Referências

  • Sites:

    • www.google.com.br

    • www.assediomoral.org.br


  • Login