Psicopedagogia instintucional
Sponsored Links
This presentation is the property of its rightful owner.
1 / 18

PSICOPEDAGOGIA INSTINTUCIONAL PowerPoint PPT Presentation


  • 114 Views
  • Uploaded on
  • Presentation posted in: General

PSICOPEDAGOGIA INSTINTUCIONAL. Professora: Jucinete Feitosa Dias. O que é PsicopedagogiA ?. Psicopedagogia Clínica Psicopedagogia Instintucional

Download Presentation

PSICOPEDAGOGIA INSTINTUCIONAL

An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Presentation Transcript


PSICOPEDAGOGIA INSTINTUCIONAL

Professora: Jucinete Feitosa Dias


O que é PsicopedagogiA?

  • Psicopedagogia Clínica

  • PsicopedagogiaInstintucional

  • Atua na construção do conhecimento do sujeito no espaço institucional procurando entender a sua filosofia, os valores circundantes e a ideologia que perpassa no cotidiano.

  • O seu foco principal é o grupo fazendo um diálogo com o individual


QUAL A DEMANDA DA INSTITUIÇÃO

  • SUJEITO INSTITUCIONAL

FAMÍLIA

ESCOLA

EMPRESA

HOSPITAL

CRECHE

ORGANIZAÇÃO ASSISTENCIAL


  • Do ponto de vista preventivo a psicopedagogia se preocupa com a escola na:

  • reconstrução de processos e definição de papéis

  • Valorização de novos conhecimentos, novas formas de aprender, avaliar o conhecimento, pessoas, papéis, produtos, processos e objetivos

  • Analisar os processos metodológicos, relacionais e sócios culturais, englobando o ponto de vista de quem ensina e de quem aprende


Grupo e Aprendizagem

  • Grupo: conjunto restrito de pessoas ligadas entre si por constante de tempo e espaço e articuladas por sua mútua representação interna ,que se propõe de forma implícita ou explícita a realizar uma tarefa que constitui sua finalidade

  • No trabalho grupal é fundamental analisar o interjogo de papéis, segundo o qual o emergente do grupo, porta voz de suas ansiedades, depositário de suas tensões, adoece,devido a essa depositação maciça das situações de inseguranças do ambiente.


  • É importante detectar os diferentes papeis no grupo:

  • Líder de Mudança

  • Líder de Resistência

  • o bode expiatório e o porta voz

  • O porta voz de um grupo é aquele que faz o sintoma, enunciando um acontecimento como porta voz de si mesmo e das fantasias inconscientes do grupo


  • O objetivo do Trabalho grupal é reduzir os medos através da reaprendizagem da realidade, diminuindo os medos,básicos, estereótipos que mantém o poder,e a enfrentar o futuro que emerge .

  • A situação de aprendizagem no grupo gera nos sujeitos dois medos básicos:

  • do equilíbrio obtido anteriormente

  • Do ataque a nova situação ao qual o sujeito

  • Não se sente seguro


  • A aprendizagem deve partir de um modelo didático interdisciplinar e heterogêneo, onde cada membro trás para o grupo sua bagagem de experiências e conhecimentos.

  • Se caracteriza como apropriação instrumental da realidade para modificá-la.

  • Aprender é realizar uma leitura da realidade, leitura coerente, e não aceitação acrítica das normas e valores.

.

.


  • Aprender constitui uma unidade, que deve acontecer como processo unitário, como experiência contínua e dialética de aprendizagem na qual o papel do docente e o papel do discente são funcionais e complementares

  • Princípios básicos que regem a estrutura de todo grupo;

  • Pertença

  • Cooperação

  • Pertinência


Processo de diagnóstico e intervenção psicopedagógica

  • Diagnóstico psicopedagógico institucional deve estar relacionado a proposta político pedagógica da instituição e sua fundamentação teórica da realidade

  • Observação da realidade e análise do contexto e

  • Identificar as causas históricas a ahistóricas

  • Analisar o distanciamento entre a proposta político pedagógica e o fenômeno

  • Quais os valores de normalidade e os valores veiculados pela instituição


Visão sistêmica da realidade

  • Abandonar a visão mecanicista da realidade onde mesma é percebida a partir de uma visão linear de causa e efeito

  • Trabalhar com uma visão sistêmica da realidade onde o sintoma vai ser visto dentro de um contexto ressaltando seu significado de comunicação no marco do sistema relacional


Visão sistêmica da realidade

  • Vai tratar os problemas nos contextos nos quais ocorrem, compreendendo o sistema em sua totalidade, sua complexidade e sua dinâmica próprias;

  • Permite fixar a atenção as interações entre os diferentes elementos de um sistema;

  • Concebe a realidade como circulaar, que os fenômenos que agem na realidade estão em contínua interação com os outros e que as condutas de uns influenciam nas dos outros de forma recíprocra


Propriedades dos sistemas abertos

  • Totalidade: os sistemas comportam-se como um todo e os estímulos provocados em um das suas partes provocam mudanças em seu todo.

  • Equifinalidade: O estado atual em que o sistema encontra-se é fruto de processos históricos e não das dos elementos dos quais se partiu

  • Auto regulação: os sistemas abertos sofrem influências do exterior e do interior e tendem a modificação em sua estabilidade gerando uma homeostase para manter o equilíbrio


Homeostase a mudança

  • Em todos os sistemas abertos existem sempre tendências contrapostas a manter a estabilidade e a mudança

  • Geralmente os sistemas tentam manter um equilíbrio entre as tendências que produzem uma transformação e aquelas que tendem a manutenção da estabilidade


Estrutura- processo- contexto

  • Para Minunchin(1977) a estruturs representa a organização da qual um sistema é dotado para seu funcionamento;

  • É necessário que exista uma certa divisões das funções que os diferentes sistemas precisam para realizar;

  • Que se estabeleçam as regras de fubcionamento para decidir sobre as diferentes questões que vão sendo colocadas


Conceitos que formam as organizações dos sistemas

  • Os limites ou fronteiras e as hierarquias ;

  • As características dos limites podem ser rígidos ou flexíveis e respondem as diferentes formas de funcionamento de cada sistema;

  • Todo sistema baseia-se em hierarquias que marcam o seu funcionamento e ao mesmo tempo delimitam a atuação dos diferentes sistemas e esclarece as funções que cada elemento pode assumir


Análise da estrutural que nos permite entender melhor a instituição

  • Processo : regras que impedem o funcionamento do sistema e ao seu momento evolutivo em que se encontra ;

  • na interação pessoal ocorrem constantemente comunicação(verbais e não verbais) nas quais são transmitidas mensagens que influem tanto no emissor como no receptor;

  • Como são criadas as regras que regulam o seu funcionamento; quais as ditas, como e qual é o seu processo de negociação;


  • Contexto:o que irá marcar as regras de funcionamento da instituição são as crenças que marcam o seu funcionamento do ponto de vista externo e interno caracterizada pela própria história da instituição, pala ideologia definida e experiências vividas.

  • [email protected]


  • Login