Eletr nica anal gica
Download
1 / 42

Eletrônica Analógica - PowerPoint PPT Presentation


  • 103 Views
  • Uploaded on

Eletrônica Analógica. Prof. Arnaldo I. T. Consultant I. I. A. Consultant. DIODOS Retificadores de Sinais. Fontes Alimentação Linear. Fornecimento de Energia Elétrica Tensões Elétricas Secundárias Fornecidas pela Concessionária de Energia Elétrica

loader
I am the owner, or an agent authorized to act on behalf of the owner, of the copyrighted work described.
capcha
Download Presentation

PowerPoint Slideshow about ' Eletrônica Analógica ' - idola


An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript
Eletr nica anal gica

EletrônicaAnalógica

Prof. ArnaldoI. T. ConsultantI. I. A. Consultant


DIODOS

Retificadores

de Sinais


Fontes

Alimentação

Linear


Fornecimento de Energia Elétrica

Tensões Elétricas SecundáriasFornecidas

pela Concessionária de Energia Elétrica

CPFL PaulistaemBarretos–SPEntregues

a Pontos Consumidores Finaisno Formato

Técnicode C. A. Senoidal& Fop = 60 Hz,

nas Tensões OperacionaisLinha/Fase:

Tensão Nominal1380 / 220 V

Tensão Nominal2230/ 115 V

Tensão Nominal3220 / 127 V

( http://www.aneel.gov.br/area.cfm?idArea=732&idPerfil=2 )


Vários Tipos de Tecnologiasde Instalações,

Máquinas, Equipamentos&/ouDispositivos

Operama partir deTensões Eficazes C. C.

≤ ±60 Vrms( 48 V ;24 V;12 V;9 V;6 V;... ) ;

Assim Sendo, Deve-seAdaptar Tecnicamente

o próprio Formato da Energia Elétricaa Ser

Entregue, bem como seus Valores Nominais

de Consumo, o que Pode SerProvidenciado

através deCircuitos E. E.taiscomo Fontes de

Alimentação Linear,capazes deRealizarem

ConversõesdeGrandezas C. A.emC. C. ;


Fontes de Alimentação LinearSão um dos

Circuitos Conversores Op. de Sinais E. E.

queTransformamEnergia Elétrica C. A.

Fornecida pelos vários Pontos de Trabalho

da Redede Alimentação Elétrica C. A. de

uma Instalação Consumidorana Energia

Elétrica de Sinalização C. C.cujos seus

Formatos de Onda & Valores Nominais

SãoMuito Mais Adequados Tecnicamente

para SupriremCargas que Operam Bem

Melhor com esse Tipo de Energia;


Fontes de Alimentação LinearSão

Compostas por 4 Estágios Funcionais

que Podem Ser Representados pelos

seguintes Componentes E. E. :

Transformador de Energia

Circuito Retificador

Filtragem Capacitiva / Indutiva

Regulador de Tensão

Aterramento*


TRAFOS

Conversores

de Energia


Transformadores ( Trafos) são Constituídos de, ao menos, 2 Enrolamentos de Fios Metálicos

( 1ário & 2ário ), com a Energia ElétricaSendo

Transferida entre tais Bobinas por intermédio de

Fluxo E. M.Provocado por Indução E. M.;

1ário

1ário

Trafo

Vertical

2ário

2ário

Trafo Coluna


Enrolamentos

Núcleo

Trafos -- Aspectos Construtivos

Núcleo

Enrolamentos

Núcleo

Enrolamentos

cleo

Enrola

mentos


Considerando 1Trafo com

2 Enrolamentos, sendo o

1ário com N1Espiras & o

2ário com N2 Espiras;

Em Condições Op. Ideais:

# R(Ω) dos Enrolamentos

são Desconsideradas;

# Principais Perdas E. M.

são Desconsideradas;

#Permeabilidade Mag.

do Núcleo do TrafoÉ∞

& a Relutância Mag.= 0;


Fechando-se o Interruptor do Circuito E. E., caso o TrafoSeja de Boa Qualidade, as Perdas ElétricasSerãoBaixas & a PotênciaFornecida pela Fonte C. A.Será RepassadaQuase Totalmente à Carga ZL, com a Energia ElétricaTransmitida pelo Acoplamento E. M.Provocado pela Indução E. M. entre os 2Enrolamentos Op. do Trafo:

S1 = S2(P Aparente)

V1 . I1 = V2 . I2

Z1 = V1 / I1

Z2 = V2 / I2

KT= I2 / I1

KT = V1 / V2 = N1 / N2

KTRelação Trafo


Tensões em Fase

Tensões Fora de Fase

Normalmente, asPolaridadesdosEnrolamentosdo

TrafosãoIndicadaspor intermédio dePontos


Basicamente, oRendimento Operacional Básicopara1Trafopode ser calculadocomo :

η( % )=( Psaída/ Pentrada).100

Psaídaé aPotência Ativado2áriodoTrafo

Pentradaé aPotência Ativado1áriodoTrafo

ARegulação Elétricade1Trafoé expressa por :

Reg ( % )= ( Vs0 – Vsc / Vs0 ) .100

Vs0é aTensãodo2árioaVazio ( Sem Carga )

Vscé aTensãodo2árioàPlena Carga

QuantoMAIORaRegulação %,PIORé oTrafo


Nas Menores Escalas Ôhmicas, MedirTerminais aos Pares:Trafos RedutoresR1ário( Ω) Muito Maiorque R2ário( Ω) ;


ATENÇÃO REDOBRADA

IDENTIFICAR CORRETAMENTE OS

FECHAMENTOS DOS TERMINAIS


Isolar a Emenda

Proposta

Na Escala VacMais Próxima & Acima da Tensão Nominal que se espera Medir, Observando-seFechamento127 V / 220 V nos Terminais do 1ário do Trafo :

MedirVac na Tomada da Rede & Também no 2ário do Trafo ;


Circuitos

Retificadores

de Sinais


Pontes

Retificadoras

Diversos Modelos

& seus Variados

Encapsulamentos

Alternativas

Técnicas

para

Substituição

das

Montagens

com

Diodos

Singelos


ExistemVários Tipos Op.deCircuitos

Retificadores MonofásicosBaseadosem

Diodos Semicondutores&queSãomuito

UtilizadosnasAplicaçõesdosCircuitos

Eletroeletrônicosatuais,Destacando-se :

I –Retificador de 1/2 Onda ;

II –Retificador de Onda Completa com

Transformador de Derivação Central ;

III –Retificador em Ponte Graetz com

Transformador Convencional de 2 Pólos ;


I –Circuito Retificador de 1/2 Onda :

  • DiodosPossuemCaracterísticas Op.paraConduziremCorrente ElétricaSOMENTE em 1 Sentido& por issoSão UtilizadosnaConversãodeC. A.paraC.C. ;

  • DiodosPolarizados DiretamenteIrãoseComportar FuncionalmentecomoChave Interruptora Fechada& comPolarização ReversaOperamcomoChave Aberta ;

  • DiodosPossuemR(Ω)Direta EstruturalMuito Baixa&R(Ω)ReversaMuito Alta,por issoConduzemApenas em 1 Sentido ;


Diodo

Direto

Circuito Retificador 1/2 Onda

Diodo

Reverso


ID = IL = VCC / RL

Circuito Retificador de 1/2 Onda

Diodo Polarizado Diretamente

PIV = - VP


II –Retificador de Onda Completa com

Transformador de Derivação Central

Quando Semi-Ciclo C. A. for Positivo em A (em BSeráNegativo), CorrenteCirculará a partir de A, Passando por D1 & RL, Chegando até o Ponto C;

Se Semi-Ciclo C. A. for Negativo em A (em BSeráPositivo), CorrenteSairá de B, Passará por D2 & RL, Chegando até ao mesmo Ponto C ;

SOMENTEdurante Semi-Ciclos C. A. PositivosÉ que HaveráC. C. Onda

CompletanaSaídado Circuito,Circulando numÚNICO SENTIDOemRL;


III –Retificador em Ponte Graetz com

Transformador Convencional de 2 Pólos

Nos Semi-Ciclos C. A. Positivos, a Corrente do CircuitoSai de A, Passa por D1, RL, D3 & Chega até o Ponto B;

Nos Semi-Ciclos C. A. Negativos, a Corrente do CircuitoSai de B, Passa por

D2, RL, D4 & Chega até o Ponto A;

A CadaSemi-Ciclo C. A.de EntradaConduzirãoSOMENTE1 Par de DiodosPolarizados Iguais & APENASSemi-Ciclos PositivosPassam para Saída;


Retificador 3Ø Não Controlado 6 Pulsos

Esquema de Conexão Y-∆

A

B


Retificadores

de Sinais

FILTRAGEM




Fonte de Alimentação 1Ø C. C. Saída Regulada


1 A

Fonte de Alimentação 1Ø C. C.

Saída Regulada Fixa


Fonte de Alimentação

1Ø C. C. Regulada

Saída Op. Ajustável


Fonte de Alimentação 1Ø C. C.

Saída Simétrica Regulada Fixa

Vcc = Vp - Vond


Fonte de Alimentação Linear 1Ø C. C.

Saída Regulada Ajustável/Filtragem Classe B

C. I. LT10831.2 Va 25 Vpor7.5 A


Fonte Alimentação Linear

1Ø C. C.

Saída Regulada Ajustável

Filtragem Classe B


ad