A AVALIAÇÃO COMO EIXO ENTRE O PPP, PPC E PTD – O PAPEL DO PEDAGOGO NESTA MEDIAÇÃO
Sponsored Links
This presentation is the property of its rightful owner.
1 / 33

Encontro NRE/ESCOLAS – Junho/2008 COORDENAÇÃO DE GESTÃO ESCOLAR – CGE/NRE PowerPoint PPT Presentation


  • 112 Views
  • Uploaded on
  • Presentation posted in: General

A AVALIAÇÃO COMO EIXO ENTRE O PPP, PPC E PTD – O PAPEL DO PEDAGOGO NESTA MEDIAÇÃO. Encontro NRE/ESCOLAS – Junho/2008 COORDENAÇÃO DE GESTÃO ESCOLAR – CGE/NRE Iria/Vanderlei/Suzana/Cleci/Nelca. UMA QUESTÃO DE CONCEPÇÃO. DE SOCIEDADE DE MUNDO DE HOMEM DE EDUCAÇÃO DE AVALIAÇÃO DE MÉTODO

Download Presentation

Encontro NRE/ESCOLAS – Junho/2008 COORDENAÇÃO DE GESTÃO ESCOLAR – CGE/NRE

An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Presentation Transcript


A AVALIAÇÃO COMO EIXO ENTRE O PPP, PPC E PTD – O PAPEL DO PEDAGOGO NESTA MEDIAÇÃO

Encontro NRE/ESCOLAS – Junho/2008

COORDENAÇÃO DE GESTÃO ESCOLAR – CGE/NRE

Iria/Vanderlei/Suzana/Cleci/Nelca


UMA QUESTÃO DE CONCEPÇÃO

DE SOCIEDADE

DE MUNDO

DE HOMEM

DE EDUCAÇÃO

DE AVALIAÇÃO

DE MÉTODO

DE ENSINO E

APRENDIZAGEM

DE CURRÍCULO

DE PEDAGOGO


Impacto do Taylorismo e do Toyotismo, na avaliação, na concepção e na compreensão do papel do pedagogo

TAYLORISMO

  • Avaliação- sem continuidade / compromisso no processo.

  • Supervisor - supervisiona o processo

  • Orientador – ajusta o aluno ao sistema em que a escola está inserida

    TOYOTISMO

  • Avaliação – auto-controle, sem compromisso / superficialidade

  • Pedagogo – multifuncional, não comprometido profundamente com nada


Impacto do Taylorismo e do Toyotismo, na avaliação, na concepção e na compreensão do papel do pedagogo

Papel do Pedagogo unitário na educação

  • Conseguir compreender e agir na escola e em tudo o que a envolve no processo educativo;

  • Atuar nas contradições para uma mudança possível;

  • Profissional crítico com fundamentação teórica e leitura de mundo para agir e intervir num processo educativo pautado nas contradições, com vistas a um projeto de sociedade.


CONTRADIÇÕES NO ÂMBITO DA HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO:

O QUE FICA DO DISCURSO DO CONVENCIMENTO?

O QUE AVANÇAR EM TERMOS DE COMPREENSÃO?

O QUE JÁ AVANÇAMOS?

(Plano de Ação... Dissociação entre quem produz e quem executa)

## O QUE HÁ DE IDEOLÓGICO NA IDÉIA DE “MUDANÇA DE PARADIGMAS##


NO CONTEXTO DA PÓS MODERNIDADE

ROMPER PARADIGMAS: IMPLICA EM ROMPER COM A IDÉIA DE TRANSMITIR OS CONHECIMENTOS PRONTOS E CRITICADOS COMO VERDADEIROS PRODUZIDOS NA MODERNIDADE. RELATIVIZA-SE O CONHECIMENTO EM NOME DA CRÍTICA À PADRONIZAÇÃO, AOS FATOS E VERDADES.

IDÉIA DO SUBJETIVISMO (que exprime apenas as idéias ou preferências da própria pessoa)


“NOVOS PARADIGMAS”

  • Política – neoliberalismo

  • Cultura – pós modernismo

  • Educação – construtivismo

  • Economia – mundialização

  • Política educacional – reforma de 1990

  • PCN – Relatório Jacques de Lores –DCN


ENTRE O PARADIGMA E A DIALÉTICA

  • QUANDO TUDO VALE, NADA VALE, QUANDO TODOS TÊM A VERDADE ELA NÃO ESTÁ EM LUGAR NENHUM...

  • A QUESTÃO NÃO É TRANSFERIR NEM CONSTRUIR CONHECIMENTOS, NEM “APRENDER A APRENDER”. O CONHECIMENTO É UMA PRODUÇÃO HISTÓRICA E DEVE SER APROPRIADO E SOCIALIZADO INTENCIONALMENTE. DIALETICAMENTE PRODUZIDO, MEDIADO, PORTANTO, ENSINADO SIM!

  • MEDIAR É DEMOCRÁTICO E NÃO INVASIVO!


DEFININDO CONCEITOS EM EDUCAÇÃO

  • CONCEPÇÃO – OPÇÃO POLÍTICA EM RELAÇÃO A UM POSICIONAMENTO DIANTE DA SOCIEDADE – DO HOMEM – DO MUNDO ( NÃO EXPRESSAM APENAS MOMENTOS HISTÓRICOS)

  • TENDÊNCIA – MANIFESTAÇÕES HISTÓRICAS DENTRO DAS CONCEPÇÕES


CONCEPÇÃO

“OS PRINCÍPIOS NORTEADORES DA EDUCAÇÃO NO ESTADO DO PARANÁ APONTAM QUE PRECISAMOS GARANTIR A APRENDIZAGEM DE TODOS OS ALUNOS E QUE ORIENTADOS POR UMA PEDAGOGIA PROGRESSISTA EM QUE O CONHECIMENTO É FATOR IMPRESCINDÍVEL PARA A FORMAÇÃO DO CIDADÃO E CONSEQUENTEMENTE TRANSFORMAÇÃO DA SOCIEDADE QUE AÍ ESTÁ...”


PEDAGOGIA PROGRESSISTA

  • A TENDÊNCIA HISTÓRICO CRÍTICA É UMA DAS MANIFESTAÇÕES

  • DÉCADA DE 80-90

  • REAÇÃO À DITADURA MILITAR

  • CRÍTICA À PEDAGOGIA TECNICISTA, ESCOLANOVISTA E AO CRÍTICO REPRODUTIVISTA

  • PERSPECTIVA DE TRANSFORMAÇÃO SOCIAL

  • NO ÂMBITO DE UMA PEDAGOGIA SOCIALISTA


“A CONCEPÇÃO DE AVALIAÇÃO QUE FUNDAMENTA O NOSSO TRABALHO TEM SUA BASE NO MATERIALISMO HISTÓRICO CRÍTICO, DE MODO QUE A CONCEPÇÃO DE HOMEM É DO SER HISTÓRICO, PRODUTOR DE SUA EXISTÊNCIA ... LIVRE NO SENTIDO DE AGIR INTENCIONALMENTE ...OPTAR POR UMA COISA OU OUTRA ...DESTE MODO EDUCA E EDUCA-SE, AVALIA E AVALIA-SE , TRANSFORMA E SE TRANSFORMA, FAZ-SE HUMANO.”


MATERIALISMO HISTÓRICO DIALÉTICO

TRABALHO COMO PRINCÍPIO (EDUCATIVO)

CULTURA – PRODUÇÃO HUMANA, INTENCIONAL, CONSTRUÍDA, A PARTIR DAS RELAÇOES DE TRABALHO DEFINEM AS FORMAS DE VIDA, COSTUMES, CRENÇAS DE UM GRUPO, UM POVO EM SUA ÉPOCA.


DIALÉTICA COMO CONCEPÇÃO E MÉTODO

  • CONCEPÇÃO DE CURRÍCULO DIALÉTICO EM OPOSIÇÃO AO MECANICISTA – POSITIVISTA E FENOMENOLÓGICO – SUBJETIVISTA

  • EM HEGEL –ANÁLISE – ANTÍTESE E SÍNTESE - VISÃO INTERPRETATIVA - COMPREENSIVA DE MUNDO

  • EM MARX – VISÃO TRANSFORMADORA DA REALIDADE


COMO CONCEPÇÃO DE MUNDO – DE SOCIEDADE

“COMO É POSSÍVEL TÃO POUCOS DOMINAREM TANTOS?

AS CLASSES DOMINANTES LUTAM PARAMANTER O STATUS QUO , PRECISA CONTAR COM O CONSENSO DOS DOMINADOS E A AVALIAÇÃO COLABORA COM A SELEÇÃO SOCIAL E A DISCRIMINAÇÃO, SEPARANDO OS APTOS DOS INAPTOS, OS CAPAZES DOS INCAPAZES, ALÉM DE CUMPRIR A FUNÇÃO DE LEGITIMAR O SISTEMA DOMINANTE”


SOBRE CONCEPÇÃO DE EDUCAÇÃO EM AVALIAÇÃO:

  • “PRECISAMOS ESTAR ATENTOS PARA NÃO CAIR EM DUAS POSTURAS EQUIVOCADAS: DETERMINISMO: NÃO DÁ PARA FAZER NADA, ENQUANTO NÃO MUDAR O SISTEMA, NÃO DÁ.

  • VOLUNTARISMO: ACHAR QUE É QUESTÃO DE BOA VONTADE, CADA UM ASSUMIR O SEU PAPEL. A PRIMEIRA LEVA A ACOMODAÇÃO...A SEGUNDA ...MELHOR COLOCAR A CULPA EM ALGUÉM. O ENFOQUE É DIALÉTICO”: ANÁLISE, TOTALIDADE, POSSIBILIDADES DE MUDANÇA


SOBRE CONCEPÇÃO DE HOMEM

“ A escola reflete as relações na sociedade, portanto os determinantes sociais estão presentes no cotidiano escolar. Muitos deles reforçam a ação excludente presente na educação escolar servindo para justificar o baixo rendimento escolar do aluno. Este determinantes devem ser estudados ... com a finalidade de ampliar a compreensão sobre as relações sociais, pelas quais permeiam o conhecimento científico ...(isso pressupõe compreender que) o homem é produto do meio em que vive construído a partir de suas relações sociais ... o professor tem a função de mediador ...”

(PERSPECTIVA DIALÉTICA)

Portanto: o homem não nasce pronto, é concreto, é condicionado pelas relações sociais.


SOBRE O CONSTRUTIVISMO

  • “OPORTUNIZAR AO SEU ALUNO UMA APRENDIZAGEM CONDIZENTE PARA A CONSTRUÇÃO DO CONHECIMENTO DA TRANSFORMAÇÃO SOCIAL DOS MESMOS”

  • SOBRE A SEDUÇÃO DO CONSTRUTIVISMO: OS CONHECIMENTOS SÃO CONSTRUÍDOS COLETIVAMENTE PELO CONJUNTO DA HUMANIDADE, A ESCOLA É ESPAÇO DE SISTEMATIZAÇÃO, APROPRIAÇÃO DOS MESMOS...NÃO SÃO CONSTRUÍDOS INDIVIDUALMENTE.


DEFININDO CONCEITOS EM AVALIAÇÃO

CRITÉRIOS

PESOS

INSTRUMENTOS

RECUPERAÇÃO DE ESTUDOS

REAVALIAÇÃO

SISTEMA DE AVALIAÇÃO


SOBRE O CONCEITO DE SOMATIVA - “cumulativa”

  • “TEM A FINALIDADE DE VERIFICAR O QUE O ALUNO APRENDEU, VISA A ATRIBUIÇÃO DE NOTAS, INFORMANDO AO EDUCANDO E AO PROFESSOR QUANTO DE AVALIAÇÃO ALCANÇADA”

    ESCLARECENDO:

  • A AVALIAÇÃO SOMATIVA É A SÍNTESE DO PROCESSO DE APRENDIZAGEM, POR ISSO NÃO É SOMATÓRIA, A NOTA É A AFERIÇÃO DE VALOR POSSIVEL, NÃO NECESSARIAMENTE DECORRENTE DA PERSPECTIVA DA AVALIAÇÃO COMO SOMATIVA


O QUE É DEMOCRÁTICO EM AVALIAÇÃO

AVALIAR PARA DIAGNOSTICAR E PROMOVER O ACESSO AO CONHECIMENTO EM SUA TOTALIDADE POSSÍVEL, DIANTE DO RECORTE INTENCIONAMENTE FEITO NO CURRÍCULO. NÃO PROMOVER AUTOMATICAMENTE NO SENTIDO DE COMPENSAR CARÊNCIAS PEDAGÓGICAS INSTITUCIONAIS E PESSOAIS.


CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO

EXPRESSAM A INTENCIONALIDADE DO CONTEÚDO, MANIFESTA NA JUSTIFICATIVA DO PTD (OBJETIVOS) – RECORTE DO QUE SE ESPERA ACOMPANHAR NA APRENDIZAGEM DO ALUNO. PORTANTO, CRITÉRIOS NÃO SÃO OS PESOS, NEM OS INSTRUMENTOS. OS CRITÉRIOS (GERAIS) DECORREM DOS CONTEÚDOS. DEVE RESPONDER À ESPECIFICIDADE DA DISCIPLINA.


SOBRE CRITÉRIOS

“... UM REFERENCIAL QUE GERA PARÂMETROS QUE DEVEM SER PREVIAMENTE ESTABELECIDOS, DESCRITOS E CONHECIDOS PELOS ALUNOS FAVORECENDO A TRANSPARÊNCIA DO PROCESSO, A ORIENTAÇÃO DO TRABALHO DISCENTE E CO-RESPONSABILIDADE DO ALUNO NO PROCESSO DE APRENDIZAGEM”


SOBRE INSTRUMENTOS

“... MEIOS E RECURSOS UTILIZADOS PARA SE ALCANÇAR DETERMINADO FIM, DE ACORDO COM OS ENCAMINHAMENTOS METODOLÓGICOS E EM FUNÇÃO DOS CONTEÚDOS E CRITÉRIOS ESTABELECIDOS PARA TAL... ESTE FIM NÃO É A AQUISIÇÃO PURA E SIMPLES DO CONHECIMENTO ... MAS A PRÁTICA SOCIAL TENDO EM VISTA A PRÓPRIA CONDIÇÃO HUMANA”


PESOS

  • TODOS OS INSTRUMENTOS DE AVALIAÇÃO DEVEM OU PODEM TER O MESMO PESO?

  • QUAL A RELAÇÃO ENTRE OS PESOS E CRITÉRIOS?


RECUPERAÇÃO E REAVALIAÇÃO

  • A RECUPERAÇÃO DE ESTUDOS CONCOMITANTE IMPLICA NA RETOMADA DOS CONTEÚDOS TENDO COMO REFERENCIAL OS CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO

    A PARTIR DOS QUAIS OS INSTRUMENTOS SÃO PENSADOS.

  • SE TEORICAMENTE HOUVE APROPRIAÇÃO DOS CONTEÚDOS A PARTIR DA RETOMADA DOS MESMOS COMO AFERIR VALOR TENDO EM VISTA A CULTURA DE SISTEMA DE AVALIAÇÃO QUE AINDA TEMOS?


O QUE SE RECUPERA, AFINAL?

  • “CONCOMITANTE AO PROCESSO, ATRAVÉS DA RETOMADA DE CONTEÚDOS POR MEIO DE ATIVIDADES DIVERSIFICADAS COMO: TRABALHOS DE PESQUISAS, TAREFAS, GRUPOS DE ESTUDOS, UTILIZAÇÃO DE DIFERENTES RECURSOS...”

  • PORTANTO, O QUE SE RECUPERA É O CONTEÚDO E NÃO O INSTRUMENTO. ESTE É A VIA DE DIAGNÓSTICO


É PRECISO RECUPERAR A PARTIR DE CADA INSTRUMENTO?

  • “A AVALIAÇÃO NÃO PRECISA PRECEDER CADA INSTRUMENTO... NÃO RECUPERA OS INSTRUMENTOS E SIM OS CONTEÚDOS, CUJOS INSTRUMENTOS FORAM UTILIZADOS COMO VIA DE APRENDIZAGEM E DIAGNÓSTICO...”

  • PERSPETIVA DE SE AVALIAR POR BLOCO DE CONTEÚDOS.


  • “SE O PROFESSOR DEFINIU 5 CONTEÚDOS A SEREM TRABALHADOS NO BIMESTRE ELE DEVERÁ A CADA CONTEÚDO ATRIBUIR VALOR, QUE SOMADOS CHEGARÁ A 10, O QUE CORRESPONDE A 100% DA APRENDIZAGEM.”

  • PESO AOS CONTEÚDOS, AOS BLOCOS DE CONTEÚDOS, AOS CRITÉRIOS OU AOS INSTRUMENTOS?

  • ISTO DEVE ESTAR DISCUTIDO E REGIMENTADO EM CONFORMIDADE COM O QUE JÁ SE AVANÇOU NA CULTURA ESCOLAR DIANTE DO SISTEMA DE AVALIAÇÃO


INSTRUÇÃO 07/99

  • RESULTADOS INCORPORADOS ÀS AVALIAÇÕES REALIZADAS DURANTE O PERÍODO LETIVO

  • AVALIAÇÃO SOMATIVA E NÃO SOMATÓRIA

  • FOCO É NA APRENDIZAGEM E NÃO NO RESULTADO, ESTE É CONSEQUÊNCIA.


COMO AS CONCEPÇÕES SE ARTICULAM NO PPP?

MÉTODO DA

PRÁTICA

SOCIAL

(SAVIANI

GASPARIN)

CONCEPÇÃO DE SOCIEDADE

VISÃO DE MUNDO

DE EDUCAÇÃO

PROGRESSISTA

MÉTODO/

CURRÍCULO

DIALÉTICO

VISÃO DE MUNDO DA SINCRÉTICA A SINTÉTICA

CONCEPÇÃO DE ENSINO APRENDIZAGEM

INTERACIONISTA (VYGOSTKY) CHAMADA POR NEWTON DUARTE DE HISTÓRICO CULTURAL

AVALIAÇÃO EMANCIPADORA DE FATO PARTINDO DA CONCRETUDE DA

PRÁTICA SOCIAL


TODO PROJETO DE EDUCAÇÃO EXPRESSA UM PROJETO SOCIAL

  • O CURRÍCULO EXPRESSAR ESSE PROJETO SOCIAL PARTIR DA SELEÇÃO DE CONTEÚDOS, DA INTENCIONALIDADE DOS MESMOS, DO MÉTODO DE PRODUÇÃO DESTE CONTEÚDO, DOS CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO, DA OPÇÃO PELOS INSTRUMENTOS...

  • O PTD É O CURRÍCULO EM AÇÃO QUE NÃO PRESCINDE DO PAPEL DO PEDAGOGO NESSA MEDIAÇÃO


PARA ALÉM DO PROJETO SOCIAL QUE TEMOS


  • Login