slide1
Download
Skip this Video
Download Presentation
Henrique J. C. de Oliveira Sec. José Estêvão - Aveiro

Loading in 2 Seconds...

play fullscreen
1 / 36

Henrique J. C. de Oliveira Sec. Jos Est v o - Aveiro - PowerPoint PPT Presentation


  • 90 Views
  • Uploaded on

01. Jornal Escolar. Valor pedagógico e cultural. Henrique J. C. de Oliveira Sec. José Estêvão - Aveiro. Jornal Escolar – Valor pedagógico e cultural. 02. ASPECTOS A CONSIDERAR. ● Como nasceu o jornal da noite – “Alternativas”. ● Que recursos humanos deve envolver.

loader
I am the owner, or an agent authorized to act on behalf of the owner, of the copyrighted work described.
capcha
Download Presentation

PowerPoint Slideshow about 'Henrique J. C. de Oliveira Sec. Jos Est v o - Aveiro' - ianna


An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript
slide1

01

Jornal Escolar

Valor pedagógico e cultural

Henrique J. C. de Oliveira

Sec. José Estêvão - Aveiro

slide2

Jornal Escolar – Valor pedagógico e cultural

02

ASPECTOS A CONSIDERAR

● Como nasceu o jornal da noite – “Alternativas”

● Que recursos humanos deve envolver

● Que recursos materiais implica

● Qual o valor pedagógico e cultural

slide3

Jornal Escolar – Valor pedagógico e cultural

03

COMO NASCEU O JORNAL DA NOITE?

● Na origem ▬► o Clube Multimédia

-- Porquê MULTI média?

A própria designação permite deduzir os objectivos:

● Convívio/permuta de experiências entre os participantes.

● Contacto com as actuais tecnologias da comuni- cação, tais como:

slide4

Jornal Escolar – Valor pedagógico e cultural

04

IMAGEM: cinema; vídeo; fotografia; etc.

SOM: sistemas de gravação analógicos e digitais.

MASS MEDIA: formatos e sistemas de produção.

B. INFORMÁTICA: o computador como recurso de comunicação.

● DA IMAGEM

● DO SOM

TECNOLOGIAS

● DOS MASS MEDIA

● DE BASE INFORMÁTICA

slide5

Jornal Escolar – Valor pedagógico e cultural

05

● No Clube Multimédia, os participantes tiveram a oportunidade de passar por várias fases:

- na FASE INICIAL, puderam descobrir as potencialidades de uma câmara de vídeo;

- na FASE FINAL, passaram à criação de um jornal escolar, fazendo como que uma simbiose de todas as experiências anteriormente realizadas.

E nasceu, no 3º período, o jornal escolar “ALTERNATIVAS”.

slide6

Jornal Escolar – Valor pedagógico e cultural

06

● Porquê o nome de “ALTERNATIVAS” dado a um jornal?

O nome, sugerido pelo Coordenador da Noite, o colega João Paulo, está ligado aos próprios objectivos e destinatários do jornal;

O “Alternativas” é um jornal escolar essencialmente do S.E.U.C. (Sistema de Ensino por Unidades Capita-lizáveis), ou seja, tem a ver com um sistema de ensino que constitui uma segunda alternativa para quem não conseguiu tirar um curso no regime normal.

slide7

Jornal Escolar – Valor pedagógico e cultural

07

QUAIS OS RECURSOS HUMANOS?

● Um jornal escolar deve envolver todos os recursos humanos da escola:

- PROFESSORES

- ALUNOS

- PESSOAL ADMINISTRATIVO

- PESSOAL AUXILIAR

● Deve ter como alvo não apenas a escola, mas toda a comunidade escolar, sendo seus elementos basilares:

ALUNOS

PROFESSORES

slide8

Jornal Escolar – Valor pedagógico e cultural

08

● Que PROFESSORES devem estar envolvidos?

Em princípio TODOS devem estar envolvidos, uma vez que não haverá jornal se não houver produção escrita que o alimente.

Mas se todos são indispensáveis, a verdade é que só será viável se houver um GRUPO RESTRITO DE PROFESSORES e ALUNOS que o produzam.

slide9

Jornal Escolar – Valor pedagógico e cultural

09

● Como criar um grupo responsável pela produção do jornal?

- A solução poderá passar pela criação, por exemplo, de

- um CLUBE DE JORNALISMO

- um CLUBE DE COMUNICAÇÃO SOCIAL

dinamizado por um professor interessado (Área de Línguas, p. ex. Português, Animação e Comunicação Social, etc.)

slide10

Jornal Escolar – Valor pedagógico e cultural

10

● Encontrado o PROFESSOR DINAMIZADOR, seguir-se-á a fase de divulgação do clube, para inscrição de alunos interessados.

● Constituído o grupo de trabalho (PROFESSOR e ALUNOS), deverão seguir-se estas fases:

1 – Definição do local de trabalho mais adequado;

2 – Criação de um regulamento e horário de trabalho adequado a todos os elementos;

3 – Definição dos objectivos do jornal;

slide11

Jornal Escolar – Valor pedagógico e cultural

11

4 – Levantamento dos recursos da Escola;

5 – Definição do layout:

formato

estrutura

conteúdos

6 – Pedido de colaboração a todos os sectores da escola;

7 – Recolha e tratamento da informação;

8 – Produção do jornal;

9 – Distribuição.

slide12

Jornal Escolar – Valor pedagógico e cultural

12

QUAIS OS RECURSOS MATERIAIS?

● Antes de se iniciar a produção de um jornal escolar, uma das primeiras perguntas a fazer é:

-- O jornal é para fazer integralmente na escola ou para mandar fazer?

A resposta mais correcta deverá ser «integralmente na escola» ...

... e nunca para mandar fazer numa tipografia.

-- Porquê?

slide13

Jornal Escolar – Valor pedagógico e cultural

13

● Se um jornal é mandado imprimir numa tipografia, a experiência pedagógica ficará “mutilada”, porque limitada quase exclusivamente à produção textual.

● Para que a experiência tenha maior valor, os alunos deverão ter a oportunidade de passar por todas as fases de produção de um jornal já referidas, ou seja:

1 – Obtenção da matéria-prima: o texto a publicar;

2 – Selecção e tratamento dessa mesma matéria-prima; ...

slide14

Jornal Escolar – Valor pedagógico e cultural

14

3 – Paginação: construção do layout, isto é, estruturação do jornal desde a primeira à última página, passando pelas diferentes secções.

4 – Impressão do jornal, com o apoio dos serviços de reprografia.

5 – Distribuição.

6 – Uma fase posterior. Qual????

slide15

Jornal Escolar – Valor pedagógico e cultural

15

● Para que todas as fases indicadas possam concretizar-se, surgirá a segunda pergunta fundamental:

-- Que recursos existem na escola?

A resposta à pergunta condiciona o trabalho final, podendo encontrar-se várias situações com o correspondente resultado.

Façamos uma breve REFLEXÃO DIACRÓNICA.

slide16

Jornal Escolar – Valor pedagógico e cultural

16

Jornal pequeno e

rudimentar

Tiragem irrisória

máquina de escrever antiga +

folhas finas +

papel químico

● DANTES, anos 50, experiência vivida por alguns alunos da escola primária:

● ANOS 60: Folhas de stencil + policopiador artesanal, feito com um tabuleiro rectangular para tartes.

● ANOS 70: Máquina de escrever + stencil + policopiador de tinta preta movido a manivela.

slide17

Jornal Escolar – Valor pedagógico e cultural

17

● ANOS 80: Além dos recursos anteriores, começam a fazer-se os primeiros jornais recorrendo ao computador e a software “primitivo”, como:

- NEWSMASTER

- FIRST PUBLISHER

Duplicação feita usando os fotocopiadores das escolas.

● ACTUALMENTE, séc. XXI, a produção de jornais escolares está altamente facilitada, graças às Novas Tecnologias Informáticas existentes em quase todas as escolas.

slide18

Jornal Escolar – Valor pedagógico e cultural

18

▬► Quais os RECURSOS INFORMÁTICOS que facilitam a criação do jornal escolar?

● Ao nível do hardware:

- Computador com respectivos periféricos

- scanner

- impressora

● Ao nível do software - Indicamos só 3 categorias:

- Editores de texto (vulgo: processadores)

- Editores de DTP (Desktop Publishing)

- Editores gráficos

slide19

Jornal Escolar – Valor pedagógico e cultural

19

EDITORES ou PROCESSADORES DE TEXTO

Word, Worperfect, etc. – Os textos deverão ser, se possível, fornecidos aos elementos do clube já digitados, podendo os professores ajudar na redacção e revisão dos mesmos.

EDITORES GRÁFICOS

Destinam-se à captura e tratamento das imagens.

exs.: - Picture Publisher

- Adobe Photo Shop

- Paint Shop Pro, etc.

slide20

Jornal Escolar – Valor pedagógico e cultural

20

As imagens que ilustrarão o jornal podem ser obtidas a partir de diversas fontes:

- desenhadas na altura;

- fotografias analógicas;

- fotografias digitais;

- ilustrações extraídas de publicações;

- Cliparts (em CD-ROM);

- digitalizadas por meio de scanners.

slide21

Jornal Escolar – Valor pedagógico e cultural

21

EDITORES DE DTP (Desktop Publishing)

São a “ferramenta” ideal para produção de jornais.

O software mais útil e de fácil utilização, que permite dispensar o Pagemaker, é, sem dúvida, o PULISHER 2000 da Microsoft.

É em tudo semelhante ao Pagemaker, mas muito mais intuitivo e menos “pesado” para o computador.

slide22

Jornal Escolar – Valor pedagógico e cultural

22

Composto o jornal no computador, seguem-se estas etapas:

1 – Impressão das matrizes

Na falta de impressora laser, uma impressora de jacto de tinta permitirá obter as matrizes em formato A4.

2 – Montagem das matrizes

Os originais A4 podem ser passados com fita cola para formato A3, se a fotocopiadora da escola o permitir. Caso contrário, o jornal será duplicado em A4 e as folhas agrafadas.

slide23

Jornal Escolar – Valor pedagógico e cultural

23

3 – Dobragem e distribuição

Se o jornal for fotocopiado em formato A3, terão de ser dobradas as páginas e formados os cadernos, seguindo-se a sua distribuição por toda a comunidade escolar.

4 – Fase posterior

Caso a escola possua recursos e alguém com conhecimentos para ajudar os alunos, o jornal escolar poderá ser transformado numa versão electrónica, para inserção na Internet ou na Intranet da escola. ALTERNATIVAS

slide24

Jornal Escolar – Valor pedagógico e cultural

24

QUAL O VALOR PEDAGÓGICO E CULTURAL?

Esta última parte é de todas a mais difícil de abordar. Porquê?

Porque nos vai obrigar a repetir aquilo que todos nós já estamos fartos de saber, em qualquer das duas vertentes indicadas na pergunta.

Todo o jornal, seja escolar, seja regional, seja nacional, todos eles fazem actualmente parte integrante da nossa vida.

slide26

Jornal Escolar – Valor pedagógico e cultural

26

Que relações podem existir entre estas duas imagens?

Todo o documento impresso, por mais rudimentar que seja, é um produto cultural, portador de valor intrínseco.

O primeiro jornal do Homem é constituído pelas pinturas rupestres.

Todo o documento impresso é uma forma de pôr em comum sentimentos, desejos, crenças, ideias e de comunicar à distância, no tempo.

slide27

Jornal Escolar – Valor pedagógico e cultural

27

Que seria de nós, hoje, se não tivéssemos os jornais e outros documentos impressos à nossa disposição?

Como passariam o tempo muitas pessoas reformadas, se não tivessem nos cafés os jornais habituais, cuja leitura efectuam por ordem decrescente de interesse, começando pelas notícias mais importantes até chegarem à necrologia e à publicidade?

slide28

Jornal Escolar – Valor pedagógico e cultural

28

Se consultarmos um manual de didáctica, entre muitas, poderemos destacar as seguintes

VANTAGENS DAS ACTIVIDADES EXTRA-CLASSE:

● Desenvolvimento das atitudes de cooperação, lealdade, solidariedade, amizade, ...

● Livre comunicação das ideias e pensamentos e preservação do equilíbrio emocional do jovem.

● Descoberta do prazer do trabalho em equipa.

slide29

Jornal Escolar – Valor pedagógico e cultural

29

● Descoberta de aptidões, gostos e até possíveis vocações.

● Consecução de objectivos intelectuais pela oferta de oportunidades reais de aprendizagem.

etc., etc., etc.

▬► Sendo o CLUBE DE JORNALISMO uma actividade extra-classe, os benefícios para os elementos envolvidos são evidentes.

slide30

Jornal Escolar – Valor pedagógico e cultural

30

Considera-se como vantajosa no ensino, mas muitas vezes difícil de conseguir, a INTERDISCIPLINARIDADE.

Num CLUBE DE JORNALISMO ela tem forçosamente de existir, porque para o jornal escolar devem concorrer todas as disciplinas.

Os professores queixam-se, frequentemente, do desin-teresse e da dificuldade dos alunos no desenvolvimento da expressão escrita.

Poderá haver melhor motivação para os alunos do que o facto de saberem que os seus textos vão ser lidos por toda a escola e comunidade onde vivem?

slide31

Jornal Escolar – Valor pedagógico e cultural

31

E se os alunos têm vontade de exprimir as suas ideias, mas sentem realmente dificuldades na sua exposição?

Não estará aqui uma excelente oportunidade para o professor os ajudar:

- a reflectir sobre os problemas das estruturas das línguas,

- a desenvolver as capacidades de reflexão,

- a estruturar e articular a exposição das ideias?

slide32

Jornal Escolar – Valor pedagógico e cultural

32

Dissemos, intencionalmente, «as estruturas das línguas».

Um jornal escolar não deve ficar confinado à língua materna.

Poderá e deverá conter espaços para as outras línguas, tal como deverá contemplar todas as disciplinas e actividades desenvolvidas na escola e, eventualmente, na comunidade escolar.

slide33

Jornal Escolar – Valor pedagógico e cultural

33

Na comunidade ocorre um evento importante, de âmbito europeu, em que a escola deve participar.

Os alunos são convidados a sair das salas de aula para as ruas da cidade, na companhia dos professores.

Vejamos um caso concreto, ocorrido em Aveiro, em 22 de Setembro de 2000.

slide35

Jornal Escolar – Valor pedagógico e cultural

35

Os alunos poderão exprimir as suas opiniões sobre a experiência, produzindo textos que deverão ser corrigidos e melhorados, numa reflexão conjunta, por exemplo, numa aula de Português.

E se o facto ocorre na altura em que o jornal está para sair, não dando tempo a que os alunos produzam o texto? Pelo menos um dos professores participantes deverá ter a preocupação de redigir o artigo e entregá-lo a um dos responsáveis pelo Clube de Jornalismo, para que o evento fique devidamente registado.

Alternativas

ad