protoplasma
Download
Skip this Video
Download Presentation
PROTOPLASMA

Loading in 2 Seconds...

play fullscreen
1 / 58

PROTOPLASMA - PowerPoint PPT Presentation


  • 186 Views
  • Uploaded on

PROTOPLASMA. UNIC SINOP AEROPORTO FACISAS: Faculdade de Ciências Sociais de Aplicadas de Sinop . Disciplina: Farmacognosia I. Prof. Esp. Andréa Carla Tavares Romani. Definição. É o nome dado ao citoplasma e ao núcleo da célula vegetal.

loader
I am the owner, or an agent authorized to act on behalf of the owner, of the copyrighted work described.
capcha
Download Presentation

PowerPoint Slideshow about ' PROTOPLASMA' - honorato-pearson


An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript
protoplasma

PROTOPLASMA

UNIC SINOP AEROPORTO

FACISAS: Faculdade de Ciências Sociais de Aplicadas de Sinop.

Disciplina: Farmacognosia I.

Prof. Esp. Andréa Carla Tavares Romani

defini o
Definição
  • É o nome dado ao citoplasma e ao núcleo da célula vegetal
slide4

O núcleo geralmente de forma globosa é a sede dos fenômenos responsáveis pela transmissão dos caracteres hereditários, permanecendo envolto pelo citoplasma.

  • O citoplasma material de aspecto hialino e viscoso, possuidor de consistência que varia entre a clara de um ovo e a de um corpo semi-sólido, engloba em seu interior uma série de formações tais como: vacúolos,plastos, condrioma, ribossomos.
vac olos
Vacúolos

São bolsas citoplasmáticas contendo substâncias minerais e orgânicas em solução, constituindo o chamado suco vacuolar.

Entre as substâncias minerais aí existentes ocorre, principalmente, o cloreto de sódio e entre as substâncias orgânicas, há carboidratos, proteínas, gorduras e certos tipos de pigmentos.

plastos
Plastos
  • Plastos, plastídios o cromatóforos são corpúsculos encontrados nas células vegetais.
  • Em sua grande maioria, são portadores de pigmentos, o que justifica o nome cromatóforos.
  • Costumam ser classificados de acordo com a presença de substâncias coloridas ou não.
assim s o divididos em dois grupos
Assim, são divididos em dois grupos:
  • Os Cromoplastos e
  • Os Leucoplastos, também conhecidos por acromoplastos.
cromoplastos
Cromoplastos
  • Podem ser divididos em três tipos:
  • Cloroplastos (verde)
  • Eritoplastos (vermelha), e
  • Xantoplastos (amarela)
slide14

Os cloroplastos acham-se presentes em todos os vegetais verdes.

  • Cada cloroplasto de forma lenticular possui no seu interior uma série de formações de contorno circular, que se dispõe como uma pilha de moedas.
  • Cada uma destas pilhas recebe o nome de grana.
  • A clorofila, substância indispensável à fotossíntese, acha-se distribuída nos cloroplastos.
slide16

Os leucoplastos são totalmente desprovidos de pigmentos.

  • Os leucoplastos sintetizam e armazenam materiais ergásticos, amido entre outros
  • É no interior destas organelas que os grãos de amido ou fécula têm origem.
slide18

O condrioma é constituído por um conjunto de corpúsculos granulosos ou em bastonetes.

  • Quando possuem forma de grânulos são chamados de mitocôndrios.
  • Quando possuem forma de bastonetes são chamados de condriocontes.
  • Apresenta tamanho diminuto e estão relacionados com fenômenos respiratórios
slide20
Grânulos

Bastonetes

slide21

Os ribossomos, os dictiossomos e o retículo endoplasmático são de grande importância no desempenho de funções celulares

slide22
Célula vegetal

Retículo endoplasmático e ribossomos

inclus es celulares
Inclusões celulares
  • São substâncias resultantes de atividades químicas do protoplasma.
  • Elas podem ser inclusões químicas orgânicas ou inorgânicas.
inclus es org nicas
Inclusões Orgânicas
  • Amido e féculas: O amilo ou amido é um polímero de condensação da glicose formada na planta durante a fotossíntese.
  • São sempre pós finos de coloração brancacenta, constituídos por grânulos de tamanhos, formas e estratificações variáveis.
  • Substância de Reserva: alimentação humana.
  • Amido: partes aéreas (frutos e sementes).
  • Ex: amido de milho, amido de arroz e amido de trigo.
  • Fécula: partes subterrâneos.
  • Ex: fécula de mandioca, fécula de batata.
import ncia farmac utica
IMPORTÂNCIA FARMACÊUTICA
  • Os amilos são muito utilizados no preparo de comprimidos e pomadas.
  • A farmacopéia brasileira apresenta cinco tipos de amilos: milho, arroz, mandioca, batata e trigo.
amido de centeio
Amido de centeio
  • Os grãos são lenticulares, de contorno irregular.
  • As estrias concêntricas são distintamente visíveis.
  • O hilo é estrelado.
amido da cevada
Amido da cevada
  • O grão é discóide, lenticular, semelhante ao do trigo.
  • Contorno regular.
amido de arroz
Amido de arroz
  • Grãos semelhantes aos da aveia, menores.
  • Não apresentam estrias e são poligonais.
amido de feij o
Amido de feijão
  • Grãos grandes, ovóides irregularmente cilíndricos ou quase esféricos.
  • O hilo é bem marcado, ocupando quase todo o comprimento do grão, emitindo de lado a lado pequenos prolongamentos.
amido de milho
Amido de milho
  • Sensivelmente poliédricos.
  • O hilo é pontuado, emitindo prolongamentos em forma de estrela.
f cula de araruta
Fécula de araruta
  • Os grãos são ovóides e obtusos-triangulares, raramente esféricos, apresentando protuberâncias laterais.
f cula de batata doce
Fécula de batata-doce
  • Grãos semelhantes aos da mandioca
  • Alguns são esféricos, irregulares.
  • Outros são quase poliédricos, redondos, truncados, apresentando maior numero de formas.
f cula da mandioca
Fécula da mandioca
  • Grãos esféricos, irregularmente arredondados, em forma de dedal.
f cula da batata
Fécula da batata
  • Grãos ovais, piriformes, arredondados.
  • O hilo é pontuado na parte mais estreita do grão.
  • Os grãos arredondados são menores e os ovais são maiores.
gr os de aleurona
GRÃOS DE ALEURONA
  • Do grego, Aleuron = farinha.
  • A reserva protéica de muitas sementes é constituída pelos grãos de aleurona, corpúsculos formados no interior de vacúolos, em função do enriquecimento do suco vacuolar em protídeos.
slide38

1. Vacúolos protéicos

  • (grãos de aleurona); 2. Parede celular; 3. Tonoplasto; 4. Substância fundamental; 5. Cristalóide; 6. Globóide;
  • 7. Pormenor de um grão de aleurona.
slide39

Inúmeras drogas da farmacopéia brasileira constituídas de sementes e de frutos-sementes possuem grãos de aleurona.

  • Os frutos do funcho e erva-doce, as sementes de abóbora, de linho, de mostarda são alguns exemplos.
slide40

Os globóides, corpúsculos arredondados, são constituídos pela fitina.

  • Fitina é uma substância encontrada em quantidades nos cereais, foi utilizada como fonte de fósforo em medicamentos.
  • Diminui a calciúria, sendo por isso receitada nas hipercalciúrias e na litíase renal.
inulina
INULINA
  • É um polissacarídeo resultante da polimerização da frutose e encontra-se dissolvida no suco vacuolar, para ser observada necessita ser cristalizada pela desidratação.
  • A inulina inibe a reabsorção ativa do sódio no túbulo proximal dos rins, sendo considerada como diurética por aumentar a excreção de água e de sódio.
slide45
ÓLEOS
  • Os óleos fixos e os óleos essenciais freqüentemente são observados no interior de células, sob a forma de gotículas. Os óleos fixos são considerados produtos de reserva, mas quanto à composição química são ésteres de ácidos graxos e glicerol.
leos fixos
Óleos fixos
  • São produtos de reserva.
  • Exemplos importantes de óleos fixos são:
  • Óleo de amendoim,
  • De algodão,
  • Milho,
  • Girassol,
  • Soja,
  • Oliva,
  • Amêndoas doces e
  • Rícino.
  • Alguns óleos fixos são usados na alimentação humana, outros são empregados na fabricação de cosméticos.
leos essenciais
Óleos essenciais
  • Também chamados de essências, relacionam-se com grande número de funções orgânicas.
  • Podem ocorrer tanto no interior das células, como no interior de estruturas especializadas, como glândulas e canais excretores.
inclus es inorg nicas
Inclusões inorgânicas
  • Entre as inclusões citoplasmáticas inorgânicas, a inclusão do oxalato de cálcio é a mais comum.
  • Provém da combinação do ácido oxálico resultante do metabolismo da planta com sais de cálcio extraídos do solo pela planta.
  • As inclusões de oxalato de cálcio são de grande importância na diagnose de drogas.
  • O oxalato pode assumir diferentes formas tais como:
raf deos
Rafídeos
  • Rafídeos: cristais em forma de agulhas, geralmente formando feixes.
  • São encontrados geralmente nas monocotiledôneas.
  • O “comigo-ninguém-pode”, DieffenbachiapictaS., planta ornamental, freqüentemente envolvida em casos de intoxicação. Possui nas folhas e nos caules idioblastos repletos de rafídios, os quais são geralmente culpados pelos sintomas da intoxicação.
drusas
Drusas
  • São cristais em roseta, sendo formados por agregações de cristais menores, de forma piramidal. São os cristais de oxalato de cálcio mais comuns nas dicotiledôneas.
  • As folhas de maracujá, malva e jaborandi, são exemplos de órgãos vegetais providos de drusas.
  • Os botões florais do cravo-da-índia, a região do endosperma do anis e de funcho constituem exemplos de locais onde ocorre esse tipo de inclusão.
slide56

Areias cristalinas: são aglomerados de microcristais, geralmente de forma piramidal, encontrados no interior de células especiais, principalmente em plantas das famílias Solanaceae e Rubiaceae .

  • Cristais prismáticos: outro tipo freqüente de cristais de oxalato de cálcio
carbonato de c lcio
CARBONATO DE CÁLCIO
  • As inclusões de carbonato de cálcio ocorrem geralmente em formações especiais chamadas de cistólitos .
ad