A an lise do discurso da pr tica explorat ria um continuum de entendimento
This presentation is the property of its rightful owner.
Sponsored Links
1 / 11

A análise do discurso da Prática Exploratória: um continuum de entendimento? PowerPoint PPT Presentation


  • 54 Views
  • Uploaded on
  • Presentation posted in: General

A análise do discurso da Prática Exploratória: um continuum de entendimento?. Sabine Mendes Lima Moura, Dn. Universidade Veiga de Almeida (UVA) Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio). Historicizando uma questão exploratória. UMA QUESTÃO/PUZZLE

Download Presentation

A análise do discurso da Prática Exploratória: um continuum de entendimento?

An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Presentation Transcript


A an lise do discurso da pr tica explorat ria um continuum de entendimento

A análise do discurso da Prática Exploratória:um continuum de entendimento?

Sabine Mendes Lima Moura, Dn.

Universidade Veiga de Almeida (UVA)

Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio)


Historicizando uma quest o explorat ria

Historicizando uma questão exploratória...

  • UMA QUESTÃO/PUZZLE

    - Prática de Sala de Aula de Língua Inglesa (2011/1):

    “É impossível dar uma aula inteiramente divertida”.

    - Um projeto de Doutorado (- impossíveis do dia a dia)

  • PLANEJAMENTO PARA ENTENDER

  • Prática de Sala de Aula de Língua Inglesa (2012/1):

  • APPE – “O que é impossível acomodar em sala de aula?” (cf. accommodations, Brown, 1994)


Planejando para entender quadro p ster appe m e

Planejando para entender –Quadro-pôster/APPE-mãe (???)


Appe 1 maria por que os estudantes de l ngua inglesa n o gostam de falar ingl s em sala

APPE 1 - Maria – Por que os estudantes de Língua Inglesa não gostam de falar inglês em sala?

– realizada com alunos particulares da pesquisadora-praticante.


Appe 2 quando os alunos usam as aulas de apoio

APPE 2 - Quando os alunos usam as aulas de apoio?

– realizada com alunos da pesquisadora-praticante que atua como monitora desse tipo de aula em curso livre de idiomas.


Appe 3 por que os professores normalmente n o corrigem a produ o oral

APPE 3 – Por que os professores normalmente não corrigem a produção oral?

– realizada pela pesquisadora-praticante com estudantes de Letras e de inglês, de maneira geral.


Appe 4 joyce voc acredita que uma prova pode realmente testar conhecimentos por qu letras

APPE 4 – Joyce - Você acredita que uma prova pode realmente testar conhecimentos? Por quê? Letras.

– realizada pela pesquisadora-praticante com colegas do curso de Letras.


Appe 5 por que importante estudar ingl s

APPE 5 – Por que é importante estudar inglês?

– realizada pela pesquisadora-praticante com seus alunos adultos em curso livre de idiomas.idiomas.


Appe 6 viviane por que temos que aprender tanta gram tica se nosso foco falar

APPE 6 – Viviane Por que temos que aprender tanta gramática se nosso foco é falar?

– realizada com alunos da pesquisadora-praticante em curso livre de idiomas.


Discurso como pr tica social fairclough 2001

Discurso como prática social (Fairclough, 2001)

O puzzle como recorte (foco no processo e não no produto).

Os pôsteres como narrativas multimidiáticas

As APPES como prática sociais de resistência (híbridas, transgressoras, LA processual).


A an lise do discurso da pr tica explorat ria um continuum de entendimento

REFÊRENCIAS

ALLWRIGHT & HANKS, J. The developing language learner – an introduction to exploratory practice.Palgrave Macmillan, 2009.

CHOULIARAKI, L & FAIRCLOUGH, N. Discourse in Late Modernity. Rethinking Critical Discourse Analysis. Edinburgh University Press, 1999.

FABRÍCIO, B. F. Linguística Aplicada como espaço de desaprendizagem: redescrições em curso". In: MOITA LOPES, L.P.(Org) Por uma linguística aplicada indisciplinar. Editora Parábola, 2008.

FAIRCLOUGH, N. Discurso e Mudança Social. Brasília: UNB, 2001.

GIDDENS, A. As consequências da modernidade. Editora UNESP, 1991.

_____________. Modernidade e Identidade. Jorge ZaharEditora, 2002.

MILLER, I.K. A prática exploratória na educação continuada de professores de línguas: inserções acadêmicas e teorizações híbridas. (no prelo). 2011. 

MOITA LOPES, L.P. Introdução – Uma linguistica aplicada mestiça e ideológica: interrogando o campo como linguista aplicado. In: MOITA LOPES, L.P.(Org) Por uma linguística aplicada indisciplinar. Editora Parábola, 2008.

MOITA LOPES, L.P. & BASTOS, L. C. Introdução – A Experiência Identitária na Lógica dos Fluxos: uma lente para se compreender a vida social. In: MOITA LOPES, L.P. & BASTOS, L. C.(Orgs) Para além da identidade – fluxos, movimentos e trânsitos. Editora Humanitas/UFMG, 2010.

MOURA, S.M.L. Cinema e Ensino : Perspectivas Interdisciplinares em um curso de inglês comunitário. 2005. 84 f. Monografia (Especialização em Língua Inglesa). Universidade Veiga de Almeida, Rio de Janeiro, 2005.

_______________. Aprendizados na tarefa de orientar: ativistas pela não-violência trabalhando para entender identidades no Movimento Humanista. 2007. 200 f. Dissertação (Mestrado em Letras) – Departamento de Letras, Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro.

_______________. Construção Vocabular em uma Comunidade de Ativistas pela Não-Violência: uma análise de relatos no Movimento Humanista. 2008. 73 fl. Monografia (Licenciatura em Letras). Universidade Veiga de Almeida, Rio de Janeiro, 2008.

_______________& RODRIGUES, A. P. Não-violência no discurso: alunos trabalhando para entender identidades na Licenciatura em Letras. Projeto de Iniciação Científica – PIC-UVA, 2011.

RESENDE, VM e RAMALHO, VCVS. Análise de Discurso Crítica, do modelo tridimensional à articulação entre práticas: implicações teórico-metodológicas. Linguagem em Discurso. Vol. 5, n. 1, UNISUL, 2004.


  • Login