Sou do cear
This presentation is the property of its rightful owner.
Sponsored Links
1 / 17

Sou do Ceará PowerPoint PPT Presentation


  • 83 Views
  • Uploaded on
  • Presentation posted in: General

Sou do Ceará. Ricardo Gondim. 'Ser do Ceará é mais do que nascer no Ceará, é conseguir reconhecer, à distância, uma cabecinha redonda, um sotaque cantado, uma orelha de abano, um jeito maroto de encarar a vida.

Download Presentation

Sou do Ceará

An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Presentation Transcript


Sou do cear

Sou do Ceará

Ricardo Gondim.

'Ser do Ceará é mais do que nascer no Ceará, é conseguir reconhecer, à distância, uma cabecinha redonda, um sotaque cantado, uma orelha de abano, um jeito maroto de encarar a vida.


Sou do cear

Ser do Ceará é saber a estação certa de colher um sapoti, conhecer os vários tipos de manga e nunca comprar ata verde demais; é dar sabor a um baião de dois com queijo coalho.


Sou do cear

Ser do Ceará é gostar de cocada, de suco de tamarindo, de sirigüela vermelha, de água de coco docinha.


Sou do cear

Ser do Ceará é engolir o final dos diminutivos - cafezinho vira cafezim; Antônio vira Toim; bonzinho vira bonzim.

Lá se fala aperreio na hora do sufoco; o apressado é avexado; o triste fica de lundu; quem cria problemas, bota boneco.


Sou do cear

Ser do Ceará é morar onde os muros são baixos; quer dizer, lá todo mundo sabe dos outros. A melhor conversa entre cearense é fofocar sobre a vida alheia. Aparecer em coluna social é o máximo; os que pertencem a uma família com pedigree, fazem parte dos eleitos. Os Studarts, os Frotas, os Távoras, os Jeiressatis são considerados o supra-sumo.


Sou do cear

No Ceará não se compra casa do lado do sol; isto é, ninguém valoriza uma propriedade com a frente voltada para o poente.

O sol não perdoa; é inclemente, ardido, feroz, cansativo.

Lá quem não souber lidar com o astro rei, não dura muito tempo. Entre dez da manhã e cinco da tarde, o sol deixa todo mundo melado; não existem peles secas no Ceará, todas são oleosas.


Sou do cear

Ser do Ceará é aprender a dormir de rede, a gostar do cheiro de lençol limpo, a tomar banho frio, a valorizar a brisa do mar.

Lá o perfume de sabonete tem outro valor.

No Ceará as mulheres não usam meias finas, os homens não toleram gravatas e as crianças não sabem o que é uma blusa de lã.


Sou do cear

Ser do Ceará é ter orgulho de afirmar que pertence à terra de José de Alencar, Patativa do Assaré, Fagner, Eleazar de Carvalho, Clóvis Bevilácqua.

Lá amam-se as artes; cria-se repente com facilidade, conversa-se com rima.


Sou do cear

Ser do Ceará é lidar com umidade, com camisas molhadas de suor, com mofo, com muriçocas impertinentes, com baratas avantajadas, com viroses, com desidratações súbitas. Lá os fracos morrem rapidamente; o darwinismo com sua teoria da sobrevivência dos mais fortes se prova com facilidade. No Ceará nuvens negras são prenúncio de bom tempo e relâmpago, uma bênção. Em dia chuvoso ninguém gosta de sair de casa


Sou do cear

Ser do Ceará é rir por tudo. E tudo vira piada; lá sobra humor até para vaiar o sol quando interrompe a chuva.


Sou do cear

Os cearenses são antes de tudo uns fortes; ao mesmo tempo deliciosamente bons e perversamente maus.

Lá é terra de pistoleiro e de santo; de revolucionário e

de coronel caudilho; de guerreiro e de preguiçoso.


Sou do cear

Sou cearense.

E por mais que tenha tentado, não consegui apagar o meu amor por esse chão que me acolheu no mundo.

Lá nasci, casei e tive filhos.


Sou do cear

No Ceará despertei para o mundo e infelizmente, sepultei o restim de esperança que nutria pela humanidade.

O Ceará foi o meu ninho e é o meu túmulo;

maior alegria e pior desgraça.


Sou do cear

Contudo, apesar de tudo,

continuo enamorado do meu berço.

Não consigo desvencilhar-me de ti,

loira desposada do sol'


Sou do cear

OH NEGRADA, PASSEM PROS CEARENSES QUE VOCES CONHECEM ...


Sou do cear

Texto: Ricardo Gondim – Sou do Ceará

Música: Raymundo Fagner – No Ceará é assim...

Colaboração: Simone Furtado

Formatação: J.C. Suman


Sou do cear

Som: Isto aqui o que é ! - Caetano Veloso

FIM

Criação: Thy Exclusiv


  • Login