ECOLOGIA INDUSTRIAL
This presentation is the property of its rightful owner.
Sponsored Links
1 / 15

ECOLOGIA INDUSTRIAL PowerPoint PPT Presentation


  • 44 Views
  • Uploaded on
  • Presentation posted in: General

ECOLOGIA INDUSTRIAL. O triângulo da sustentabilidade. Economia. Sociedade. Participação. Ambiente. Poderemos resolver os nossos problemas equacionando-os da mesma forma como os criámos ? Albert Einstein. Mudança de Paradigma e Práticas Correntes. Consciência Frustração ? Ansiedade ?.

Download Presentation

ECOLOGIA INDUSTRIAL

An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Presentation Transcript


Ecologia industrial

ECOLOGIA INDUSTRIAL


O tri ngulo da sustentabilidade

O triângulo da sustentabilidade

Economia

Sociedade

Participação

Ambiente

Poderemos resolver os nossos problemas equacionando-os da mesma forma como os criámos ?

Albert Einstein


Mudan a de paradigma e pr ticas correntes

Mudança de Paradigma e Práticas Correntes

Consciência

Frustração ?

Ansiedade ?

Metáforas

São importantes

Nova Visão

Estágio de

Mudança de Paradigma

Novos Conceitos

Novas condutas

Redução do nível de ansiedade

Objectivos

Estágio de

Práticas Correntes

Práticas

Métrica

É importante

Medição

Decisão

Novos objectivos


Ecologia industrial uma li o da natureza

Copiar o desenvolvimento de ecosistemas sustentáveis

Fechar os ciclos dos materiais

Promover a utilização da energia em cascata

Aproximar os sistemas do “equilibrio termodinâmico”

Minimizar a entropia

Sistemas interdependentes e altamente organizados

Equílibrio entre os Humanos e a Natureza.

Balizar o crescimento (com respeito pela capacidade natural de regeneração)

Promover níveis sustentáveis de actividade humana

Ecologia Industrial:Uma lição da Natureza


Novos conceitos sobre extens o da responsabilidade do produtor

Take-backcomo instrumentoprioritário

Sistemas de indicadores e modelos da economia/ambiente

Responsabilidade económica vs. Responsabilidade física

Mudança para serviços e funcionalidade

Novosconceitos sobreExtensão da responsabilidade do produtor

  • Exemplos:

  • Ponto Verde

  • Comboios

  • Fotocopiadoras


Acv ciclo de vida

ACV - Ciclo de vida

Fronteira do sistema

Extracçãode

matérias primas

Produção

Transporte

Outrossistemas

Produtos

Utilização

Outrossistemas

Produtos

Fornecimentode energia

Reciclagem /

Reutilização

Fluxos elementares

Fluxos elementares

Processamento

deresíduos


Acv avalia o

CAMADA DE OZONO

AUMENTO

MARGINAL DE

MORTALIDADE

CFC

Pb

Cd

PAH

DUST

VOS

DDT

CO2

SO2

NOX

P

METAIS PESADOS

CARCINOGENIA

SMOG DE VERÃO

ECO-

INDICADOR

SAÚDE

VALORIZAÇÃO

SUBJECTIVA

SMOG DE INVERNO

PESTICIDAS

DEGRADAÇÃO DO ECOSSISTEMA

EFEITO DE ESTUFA

ACIDIFICAÇÃO

EUTROFIZAÇÃO

Parâmetro deavaliação

Intervençãoambiental

Cat. Impacte

INDICADOR

ACV - AVALIAÇÃO


Ecologia industrial

Desmaterialização das actividades económicas – Tecnologias ambientais, DMI/PIB

Criação de eco-sistemas industriais: Bolsas de resíduos, Ecoparques industriais

Modelação ambiental de sistemas económicos, Análise Input-Output Económica

Modelação de sistemas de energéticos a nível macro-económico - Impacte económico e ambiental das energias renováveis em Portugal

Ecologia Industrial

Tecnologias críticas e infraestruturas


Ecologia industrial

Consumo de materiais (DMI) vs PIB nos Estados Membros da União Europeia (1988-1995)

Fonte : EEA, 2000, Environmental Signals 2000


Caso de estudo o autom vel acv autom vel

X

X

X

Caso de estudo:O automóvel ACV Automóvel

VW Sharan - IST


Eco design autom vel

Eco-design Automóvel


Ecologia industrial

Optimização da infraestrutura de

processamento de VFV em Portugal

Produtos de outras indústrias

Reciclador

Matéria Prima

Produção do Veículo

baterias

,pneus,

Uso do veículo

Loja de peças reutilizadas

vidros,

plasticos

VFV

Peças reutilizadas

Idade<10anos

Idade>10 anos

Fragmentadora espanhola

VFV novo

VFV velho

Desmantelador

Carcaças compactadas

?

Carcaças desmanteladas

Óleos

Processadores de materiais

ferro, aço

Óleos

Carcaças cortadas por guilhtona

Carcaças compactadas

Instalações de tratamento

Fragmentadora

Sucata não ferrosa

Pneus

Sucata ferrosa fragmentada (aço, ferro)

Separador de Metais

Valorização energética

Inertes

Al, Cu

Aterro

Siderurgia

Fundições

espanholas

Infraestrutura para o processamento dos VFV em Portugal (fluxos de massa fluxos económicos )


Namea national accounting matrix including environmental accounts

NAMEA-National Accounting Matrix including Environmental Accounts

Contas Nacionais

Dados físicos

Sectores de Actividade Económica

MATRIZ

INPUT-OUTPUT

Emissões

Sectores de Actividade Económica

Emprego e energia

Eurostat, NAMEA 2000 for air emissions - Manual


Economia portuguesa matriz i o de 1995

Economia PortuguesaMatriz I-O de 1995

Primary

Inputs

Constr.

Electr.

Petrol.


Ecologia industrial

Portugal e Protocolo de QuiotoSustentabilidade dos sectores de actividade económica (aumento do PIB (1990-1995) versus aumento do PIB)

  • 1. Textile & clothing industry

  • 2. Construction

  • 3. Transport vehicles and equipment

  • 4. Agriculture & hunting

  • 5. Chemical products

  • 6. Financial services

  • 7. Services rendered for companies

  • Petroleum

  • 9. Restaurants & Hotels


  • Login