Inform tica e comunica o no ensino fundamental
Download
1 / 21

INFORMÁTICA E COMUNICAÇÃO NO ENSINO FUNDAMENTAL - PowerPoint PPT Presentation


  • 90 Views
  • Uploaded on

INFORMÁTICA E COMUNICAÇÃO NO ENSINO FUNDAMENTAL. 2013. José Luis Machado Margarete Rossoni Rejane Tesch Barreto Noal. “A renúncia ao melhor dos mundos não é, de maneira alguma, a renúncia a um mundo melhor.” MORIN (2000, pág. 92)

loader
I am the owner, or an agent authorized to act on behalf of the owner, of the copyrighted work described.
capcha
Download Presentation

PowerPoint Slideshow about ' INFORMÁTICA E COMUNICAÇÃO NO ENSINO FUNDAMENTAL' - goldy


An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Presentation Transcript
Inform tica e comunica o no ensino fundamental

INFORMÁTICA E COMUNICAÇÃO NO ENSINO FUNDAMENTAL

2013

José Luis Machado

Margarete Rossoni

Rejane Tesch Barreto Noal


“A renúncia ao melhor dos mundos não é, de maneira alguma, a renúncia a um mundo melhor.” MORIN (2000, pág. 92)

“O problema da compreensão tornou-se crucial para os humanos. E, por este motivo, deve ser uma das finalidades da educação do futuro.” MORIN (2000, pág. 93)


“...sabendo que as novas tecnologias da informação e da comunicação são uma realidade no mundo atual, que elas são carregadas de interesses diversos e que a escola é a principal agência de alfabetismo em nossa sociedade, o seu uso em ambientes escolares deve estar pautado em uma visão crítica e emancipadora do ser humano. Somente assim a qualidade e a pertinência das aprendizagens que a escola promove irão constituir, de fato, fator essencial na promoção de uma melhor inserção dos grupos populares no âmbito profissional, nas organizações sociais e na produção cultural.” COELHO (2008, pág. 4)


PARCERIA UFRGS / PMPA comunicação são uma realidade no mundo atual, que elas são carregadas de interesses diversos e que a escola é a principal agência de alfabetismo em nossa sociedade, o seu uso em ambientes escolares deve estar pautado em uma visão crítica e emancipadora do ser humano. Somente assim a qualidade e a pertinência das aprendizagens que a escola promove irão constituir, de fato, fator essencial na promoção de uma melhor inserção dos grupos populares no âmbito profissional, nas organizações sociais e na produção cultural.” COELHO (2008, pág. 4)

  • Este projeto é uma parceria Ufrgs (mais especificamente a PROREXT) e a PMPA (mais diretamente a Escola Martim Aranha) visando a criação de ferramentas de comunicação social, consolidando conhecimentos pedagógicos e fortalecendo a construção da cidadania no sentido de despertar, nos alunos partícipes deste projeto, uma consciência coletiva e fortemente inserida na melhoria da qualidade da informação circulante nas redes sociais.


Objeto de Estu comunicação são uma realidade no mundo atual, que elas são carregadas de interesses diversos e que a escola é a principal agência de alfabetismo em nossa sociedade, o seu uso em ambientes escolares deve estar pautado em uma visão crítica e emancipadora do ser humano. Somente assim a qualidade e a pertinência das aprendizagens que a escola promove irão constituir, de fato, fator essencial na promoção de uma melhor inserção dos grupos populares no âmbito profissional, nas organizações sociais e na produção cultural.” COELHO (2008, pág. 4)do

  • Utilizando os recursos da informática, serão trabalhados, com alunos voluntários das turmas de C30 do Ensino Fundamental, os diferentes formatos de informação, gerenciando espaços na web (facebook, blog e site), bem como montando jornal impresso e mural.


Espa o de investiga o
Espaço de Investigação comunicação são uma realidade no mundo atual, que elas são carregadas de interesses diversos e que a escola é a principal agência de alfabetismo em nossa sociedade, o seu uso em ambientes escolares deve estar pautado em uma visão crítica e emancipadora do ser humano. Somente assim a qualidade e a pertinência das aprendizagens que a escola promove irão constituir, de fato, fator essencial na promoção de uma melhor inserção dos grupos populares no âmbito profissional, nas organizações sociais e na produção cultural.” COELHO (2008, pág. 4)

  • E. M. E. F. Ver. Martim Aranha, localizada no bairro Santa Tereza, POA;

  • 2013 - com alunos de C30 do Ensino Fundamental.


Objetivo geral
Objetivo Geral comunicação são uma realidade no mundo atual, que elas são carregadas de interesses diversos e que a escola é a principal agência de alfabetismo em nossa sociedade, o seu uso em ambientes escolares deve estar pautado em uma visão crítica e emancipadora do ser humano. Somente assim a qualidade e a pertinência das aprendizagens que a escola promove irão constituir, de fato, fator essencial na promoção de uma melhor inserção dos grupos populares no âmbito profissional, nas organizações sociais e na produção cultural.” COELHO (2008, pág. 4)

Aproveitar os recursos da informática na produção de diferentes portadores de comunicação, agregando conhecimentos tecnológicos à análise crítica da realidade, fortalecendo a multidisciplinaridade.


Objetivos espec ficos
Objetivos Específicos comunicação são uma realidade no mundo atual, que elas são carregadas de interesses diversos e que a escola é a principal agência de alfabetismo em nossa sociedade, o seu uso em ambientes escolares deve estar pautado em uma visão crítica e emancipadora do ser humano. Somente assim a qualidade e a pertinência das aprendizagens que a escola promove irão constituir, de fato, fator essencial na promoção de uma melhor inserção dos grupos populares no âmbito profissional, nas organizações sociais e na produção cultural.” COELHO (2008, pág. 4)

  • Conhecer os recursos tecnológicos;

  • Aprimorar o conhecimento da língua portuguesa;

  • Conhecer as diferentes formas de comunicação;

  • Estimular a produção cultural e artística;

  • Reforçar as linguagens de uso cultural e uso coloquial;

  • Desenvolver a escrita e a leitura  através da autoria e análise das reportagens;

  • Discutir a realidade e os problemas locais, fazendo uma análise crítica e elaborando as reportagens.


Justificativa relev ncia
Justificativa / Relevância comunicação são uma realidade no mundo atual, que elas são carregadas de interesses diversos e que a escola é a principal agência de alfabetismo em nossa sociedade, o seu uso em ambientes escolares deve estar pautado em uma visão crítica e emancipadora do ser humano. Somente assim a qualidade e a pertinência das aprendizagens que a escola promove irão constituir, de fato, fator essencial na promoção de uma melhor inserção dos grupos populares no âmbito profissional, nas organizações sociais e na produção cultural.” COELHO (2008, pág. 4)

  • A informática, hoje em dia, tornou-se uma ferramenta de uso social no seu sentido mais amplo da palavra. Ela é elemento fundamental no processo de trabalho e, para tanto, o conhecimento de editores de textos, planilhas eletrônicas e aplicativos web tornaram-se pré-requisitos para quem esta se habilitando a entrar no mercado de trabalho.

  • Aliado a isto, o conhecimento da língua portuguesa e suas diferentes formas de expressão e comunicação também são fortes componentes para uma perfeita inserção, não só no mercado de trabalho, mas também nos diferentes círculos sociais, bem como na consolidação de um capital cultural.

  • O objetivo deste projeto é aliar estas duas questões, a informática e as formas de comunicação, construindo materiais informativos de cunho prático e social bastante relevantes, não só para os alunos, mas também para a Escola e a comunidade onde ela está inserida.


Materiais a serem produzidos
Materiais a serem produzidos comunicação são uma realidade no mundo atual, que elas são carregadas de interesses diversos e que a escola é a principal agência de alfabetismo em nossa sociedade, o seu uso em ambientes escolares deve estar pautado em uma visão crítica e emancipadora do ser humano. Somente assim a qualidade e a pertinência das aprendizagens que a escola promove irão constituir, de fato, fator essencial na promoção de uma melhor inserção dos grupos populares no âmbito profissional, nas organizações sociais e na produção cultural.” COELHO (2008, pág. 4)

  • Jornal Impresso;

  • Mural;

  • Blog;

  • Facebook;

  • Site;

  • Publicação de TCs.


Jornal impresso
JORNAL IMPRESSO comunicação são uma realidade no mundo atual, que elas são carregadas de interesses diversos e que a escola é a principal agência de alfabetismo em nossa sociedade, o seu uso em ambientes escolares deve estar pautado em uma visão crítica e emancipadora do ser humano. Somente assim a qualidade e a pertinência das aprendizagens que a escola promove irão constituir, de fato, fator essencial na promoção de uma melhor inserção dos grupos populares no âmbito profissional, nas organizações sociais e na produção cultural.” COELHO (2008, pág. 4)

  • Textos de caráter informativo mais permanente, contendo entrevistas, produções culturais e atividades realizadas;

  • Continuidade do Correio Martim, projeto iniciado em 2012;

  • Produção bi-mensal;

  • Agosto/setembro – 4 páginas;

  • Outubro / Novembro – 8 páginas


"Nesse sentido, a cultura visual contribui para que os indivíduos fixem as representações sobre si mesmo e sobre o mundo e sobre seus modos de pensar-se." HERNÁNDEZ (2000, p 52 )


Mural da Escola indivíduos fixem as representações sobre si mesmo e sobre o mundo e sobre seus modos de pensar-se." 

O MURAL MARTIM é um veículo de comunicação para a comunidade escolar e seu sucesso depende do planejamento visual e das relações informativas que colocamos.

As relações começam na montagem do letreiro, que o identifica, com letras de grafiti, no espaço do aluno com o desenho do Rafael, da divulgação cultural e o JORNAL MARTIM. 

O MURAL MARTIM tem relevância também como um objeto visual que precisa ser atrativo e mutável no dia a dia da escola.

A visibilidade do mural depende dos estímulos visuais e os significados presentes nas informações construídas pelos alunos e professores.

Queremos atingir diversos públicos e faixas etárias que circulam no pátio da escola.


Mural da Escola indivíduos fixem as representações sobre si mesmo e sobre o mundo e sobre seus modos de pensar-se." 

  • Produção de informações atualizadas aos alunos da Escola;

  • - Produção semanal;

  • - Design concebido nas aulas de artes.


“Eu afirmo que a internet fornece a plataforma de comunicação organiza-cional para traduzir a cultura da liberdade na prática da autonomia. Isso porque a tecnologia da internet incorpora a cultura da liberdade, como mostra o registro histórico do seu desenvolvimento.” CASTELLS (2013, p. 168)


Informa es virtuais
Informações Virtuais comunicação organiza-cional para traduzir a cultura da liberdade na prática da autonomia. Isso porque a tecnologia da internet incorpora a cultura da liberdade, como mostra o registro histórico do seu desenvolvimento.” CASTELLS (2013, p. 168)

  • Facebook – informativo da Escola para a comunidade com ênfase em circulação de informações;

  • Blog – informativo da Escola para a comunidade com ênfase em repositório de informações;

  • Site – informativo da Escola de caráter institucional.


Indicadores para avalia o dos futuros resultados
Indicadores para Avaliação dos futuros resultados comunicação organiza-cional para traduzir a cultura da liberdade na prática da autonomia. Isso porque a tecnologia da internet incorpora a cultura da liberdade, como mostra o registro histórico do seu desenvolvimento.” CASTELLS (2013, p. 168)

  • Materiais Produzidos;

  • Avaliação dos alunos;

  • Avaliação dos professores quanto ao impacto pedagógico nas turmas participantes.


Bibliografia
Bibliografia comunicação organiza-cional para traduzir a cultura da liberdade na prática da autonomia. Isso porque a tecnologia da internet incorpora a cultura da liberdade, como mostra o registro histórico do seu desenvolvimento.” CASTELLS (2013, p. 168)

  • Castells, Manuel. Redes de Indignação e Esperança. Rio de Janeiro: Zahar, 2013;

  • COELHO, Suzana Lanna Burnier; CRUZ, Regina Mara Ribeiro. Limites e possibilidades das tecnologias digitais na educação de jovens e adultos. In: REUNIÃO ANUAL DA ANPED, 31., 2008, Caxambu. Constituição brasileira, direitos humanos e educação. Caxambu: ANPED, 2008. Disponível em: http://www.anped.org.br/reunioes/31ra/1trabalho/GT18-5049--Int.pdf Acesso em: 24 set 2009;

  • Hérnandez, Fernando. Cultura visual, mudança educativa e projeto de trabalho. Porto Alegre: Artmed, 2000;

  • Machado, José Luis. Informática e Comunicação no Ensino Fundamental. Projeto de Extensão/UFRGS, 2013;

  • MORIN, Edgar. Os sete saberes necessários à educação do futuro. 2. ed. São Paulo: Cortez; Brasília: UNESCO, 2000. 118 p.


Professores
PROFESSORES comunicação organiza-cional para traduzir a cultura da liberdade na prática da autonomia. Isso porque a tecnologia da internet incorpora a cultura da liberdade, como mostra o registro histórico do seu desenvolvimento.” CASTELLS (2013, p. 168)

José Luis Machado – professor de Sócio-Histórica desde 2000, formação em Ciências Sociais e especialização em Administração Universitária e PROEJA. Atua no Laboratório de Informática com projetos.

Margarete Rossoni - professora de Artes com formação em Educação Artística I e II Graus e habilitação em Artes Plásticas. Especialização em Educação Estética e Arte

Rejane Tesch Barreto Noal – professora Generalista com formação em Pedagogia Séries Iniciais e especialização em Educação Especial e Processos Inclusivos . Atua desde 2008 no Projeto da Docência Compartilhada do 3º Ciclo


Participantes
PARTICIPANTES comunicação organiza-cional para traduzir a cultura da liberdade na prática da autonomia. Isso porque a tecnologia da internet incorpora a cultura da liberdade, como mostra o registro histórico do seu desenvolvimento.” CASTELLS (2013, p. 168)

DANIELA MELLO FAGUNDES ESTER MOTTA MOREIRA

GABRIEL MESSA DOS PASSOS JESSICA TAINARA DOS SANTOS TEIXEIRA JULIO DANIEL MORAES DE OLIVEIRA

MATHEUS MOREIRA DE ANDRADE

NATIELE FERNANDA PIRES FELISBERTO

PAOLA NEVES MONTEIRO

RÚBIA GAVIÃO MARTINS


FIM comunicação organiza-cional para traduzir a cultura da liberdade na prática da autonomia. Isso porque a tecnologia da internet incorpora a cultura da liberdade, como mostra o registro histórico do seu desenvolvimento.” CASTELLS (2013, p. 168)


ad