Osteoporose
This presentation is the property of its rightful owner.
Sponsored Links
1 / 59

OSTEOPOROSE PowerPoint PPT Presentation


  • 126 Views
  • Uploaded on
  • Presentation posted in: General

Sandrine Dias Sara Gomes Sara Petronilho Sara L.. Fernandes Sara Silva Sara G. Fernandes Sara Anacleto. OSTEOPOROSE. Bioquímica II - SO 21 2009/2010. Definição. Causas. Tipos de OP. Factores de risco. Sintomatologia. Diagnóstico. Terapêutica. OSTEOPOROSE.

Download Presentation

OSTEOPOROSE

An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Presentation Transcript


Osteoporose

Sandrine Dias

Sara Gomes

Sara Petronilho

Sara L.. Fernandes

Sara Silva

Sara G. Fernandes

Sara Anacleto

OSTEOPOROSE

Bioquímica II - SO 21 2009/2010


Osteoporose1

Definição

Causas

Tipos de OP

Factores de risco

Sintomatologia

Diagnóstico

Terapêutica

OSTEOPOROSE


Osteoporose2

 Distúrbio osteometabólico.

Diminuição da densidade mineral óssea (DMO).

Definição

Deterioração da microarquitectura esquelética.

Causas

Redução na resistência do osso que resulta em maior risco de fracturas.

Tipos de OP

Factores de risco

 OMS - Perda de 25% da massa óssea em comparação com um adulto jovem.

Sintomatologia

Diagnóstico

Terapêutica

OSTEOPOROSE


Osteoporose3

Desequilíbrio entre as células que produzem a substância óssea (fase que se designa por formação) e as células que destroem a substância óssea (reabsorção).

Definição

Causas

Tipos de OP

Desequilíbrio do ciclo normal de renovação (remodelação) do osso.

Factores de risco

Sintomatologia

Diagnóstico

Terapêutica

OSTEOPOROSE


Osteoporose4

OSTEOPOROSE PRIMÁRIA

Não há uma patologia subjacente que justifique a sua ocorrência.

Definição

Idiopática

Rara, pode aparecer em crianças e em adultos jovens.

Causas

Tipo I

Instala-se nas mulheres durante os primeiros 5-10 anos a seguir à menopausa, por diminuição dos níveis de estrogénio.

Tipos de OP

principal hormona feminina que ajuda a regular o fornecimento de cálcio aos ossos

Factores de risco

Sintomatologia

Tipo II

Surge nos adultos após os 65/70 anos, sendo o resultado de uma deficiência de cálcio relacionada com a idade, de um desequilíbrio entre as velocidades de degradação e regeneração óssea, deficiências ou resistência à vit. D.

Diagnóstico

Terapêutica

OSTEOPOROSE


Osteoporose5

OSTEOPOROSE SECUNDÁRIA

Hipertiroidismo

Definição

Hiperparatiroidismo

Causas

Excesso de glicocorticóides

Tipos de OP

Outras drogas, quando usadas cronicamente

Doença de Paget

Factores de risco

Doenças malignas

Sintomatologia

Artrite reumatóide

Diagnóstico

Hepatopatias crónicas

Terapêutica

OSTEOPOROSE


Osteoporose6

  • Modificáveis

    • Baixo aporte de cálcio na dieta

    • Tabagismo

    • Consumo excessivo de cafeína

    • Alcoolismo

    • Baixo IMC

    • Sedentarismo

    • Exercício excessivo

    • Fármacos (corticóides)

Definição

Causas

Tipos de OP

Factores de risco

Sintomatologia

Diagnóstico

Terapêutica

OSTEOPOROSE


Osteoporose7

Doença assintomática

Não ocorrem sintomas clínicos de osteoporose antes da ocorrência de uma fractura.

Definição

Causas

Fracturas com pequenos traumatismos

Tipos de OP

Dor nas costas, súbita, intensa.

Factores de risco

Alterações na forma corporal

- Perda de altura superior a 2,5 cm

- Cifose na região dorsal superior

Sintomatologia

Diagnóstico

Terapêutica

OSTEOPOROSE


Osteoporose8

Definição

Causas

Tipos de OP

Factores de risco

Sintomatologia

Diagnóstico

Terapêutica

OSTEOPOROSE


Osteoporose9

História clínica

Exame físico

Definição

Causas

Exames laboratoriais e radiografias convencionais

Tipos de OP

Determinação da Densidade Mineral Óssea (DMO)

Factores de risco

Sintomatologia

  • Absorciometria de raios-X de dupla energia

  • (Dual EnergyX-rayAbsorptiometry - DEXA)

  • Tomografia quantitativa computorizada (TQC)

  • Ultrassonografia quantitativa (USQ)

Diagnóstico

Terapêutica

OSTEOPOROSE


Osteoporose10

Definição

Causas

Tipos de OP

Factores de risco

Sintomatologia

Diagnóstico

DEXA

Terapêutica

OSTEOPOROSE


Osteoporose11

Segundo a OMS

Definição

Causas

Tipos de OP

Factores de risco

Sintomatologia

(sendo o índice T a expressão em desvios-padrão da DMO do indivíduo em estudo por comparação com a DMO de um grupo jovem do mesmo sexo)

Diagnóstico

Terapêutica

OSTEOPOROSE


Osteoporose12

Farmacológica

Bisfosfonatos

Definição

 Moduladores selectivos dos receptores de estrogénios (SERM's)

Causas

 Terapêutica hormonal de substituição (THS)

Tipos de OP

Calcitoninas

Factores de risco

 Suplementos de cálcio e vitamina D

Sintomatologia

Diagnóstico

Terapêutica

OSTEOPOROSE


Osteoporose13

Não Farmacológica

 Aumento da ingestão de alimentos ricos em cálcio e vitamina D

Definição

Causas

 Manutenção de uma vida saudável

Tipos de OP

 Prática regular de exercício físico

Factores de risco

Prevenção de quedas e fracturas (protectores de anca)

Sintomatologia

Diagnóstico

cálcio

vitamina D

Terapêutica

OSTEOPOROSE


Osteoporose14

1

Dados Demográficos.

Queixa Principal.

Antecedentes Pessoais.

Antecedentes Familiares.

ExameObjectivo1

Hipótese de Diagnóstico.

Exames.Complementares

Diagnóstico 1

OSTEOPOROSE

CASO CLÍNICO


Osteoporose15

1

Dados Demográficos.

Sexo

Masculino

Queixa Principal.

58 anos

Idade

Antecedentes Pessoais.

Raça

Caucasiano

Antecedentes Familiares.

Estado Civil

Casado

ExameObjectivo1

Profissão

Pedreiro aposentado

Hipótese de Diagnóstico.

Exames.Complementares

Diagnóstico 1

OSTEOPOROSE

CASO CLÍNICO


Osteoporose16

1

Dados Demográficos.

Dor na região torácica após queda.

Queixa Principal.

Antecedentes Pessoais.

Antecedentes Familiares.

ExameObjectivo1

Hipótese de Diagnóstico.

Exames.Complementares

Diagnóstico 1

OSTEOPOROSE

CASO CLÍNICO


Osteoporose17

1

Dados Demográficos.

Acidente automobilístico com fractura de costela

1992

Queixa Principal.

Doença arterial coronária com

Angioplastia

2001

Antecedentes Pessoais.

Antecedentes Familiares.

Hábitos tabágicosdurante 15 anos

ExameObjectivo1

Hábitos alcooólicosmoderados

Hipótese de Diagnóstico.

Desde

2005

Exames.Complementares

Bronquite, medicada com prednisolona

Diagnóstico 1

OSTEOPOROSE

CASO CLÍNICO


Osteoporose18

1

Fracturas ósseas de repetição

Dados Demográficos.

Fémur esquerdo após queda de 1,5m de altura

2000

Queixa Principal.

Antecedentes Pessoais.

1° e 2° dedos do pé esquerdo após queda de tábua sobre os pés

Antecedentes Familiares.

ExameObjectivo1

Braço esquerdo após queda

2004

Hipótese de Diagnóstico.

Costelas ao receber abraço de um filho

2006

Exames.Complementares

Diagnóstico 1

OSTEOPOROSE

CASO CLÍNICO


Osteoporose19

1

Dados Demográficos.

Queixa Principal.

Antecedentes Pessoais.

Sem Interesse.

Antecedentes Familiares.

ExameObjectivo1

Hipótese de Diagnóstico.

Exames.Complementares

Diagnóstico 1

OSTEOPOROSE

CASO CLÍNICO


Osteoporose20

1

Pele e mucosas hidratadas

Dados Demográficos.

Acianótico e apirético

Queixa Principal.

“Fácies cushingoide”

Antecedentes Pessoais.

Ginecomastia bilateral

Antecedentes Familiares.

Tórax com expansibilidade diminuída, dor à compressão

ExameObjectivo1

Hipótese de Diagnóstico.

Abdómen globoso, distendido e indolor, sem visceromegalia palpável

Exames.Complementares

Diagnóstico 1

OSTEOPOROSE

CASO CLÍNICO


Osteoporose21

1

Dados Demográficos.

AP

Murmúrio vesicular simétrico, diminuído globalmente, sem ruídos adventícios.

Queixa Principal.

Rítmica sem sopros audíveis.

Frequência de 80 bpm.

Antecedentes Pessoais.

AC

Antecedentes Familiares.

TA

130/80 mmHg

ExameObjectivo1

Hipótese de Diagnóstico.

Exames.Complementares

Diagnóstico 1

OSTEOPOROSE

CASO CLÍNICO


Osteoporose22

1

Dados Demográficos.

Queixa Principal.

Antecedentes Pessoais.

Antecedentes Familiares.

ExameObjectivo1

Hipótese de Diagnóstico.

Traumatismo torácico/

Fractura de costelas

Exames.Complementares

Diagnóstico 1

OSTEOPOROSE

CASO CLÍNICO


Osteoporose23

1

Rx da grelha costal

Fractura do arco anterior da 6ª costela direita

Dados Demográficos.

Queixa Principal.

Bioquímica

Proteínas totais e albumina  normais sem proteinúria

Antecedentes Pessoais.

Cálcio séricodiminuído

Antecedentes Familiares.

Fosfato aumentado

ExameObjectivo1

25-hidroxicolecalciferoldiminuído

Hidroxiprolina e Desoxipiridinolina na urina

Hipótese de Diagnóstico.

PTH aumentada

Exames.Complementares

Densitometria mineral óssea reduçãoacentuadada DMO

Diagnóstico 1

fémur (T score = - 4,1) e coluna lombar (T score = - 4,5)

OSTEOPOROSE

CASO CLÍNICO


Osteoporose24

1

Traumatismo torácico/ Fractura de costela

Dados Demográficos.

Osteoporose secundária a corticoterapia

Queixa Principal.

Antecedentes Pessoais.

Antecedentes Familiares.

ExameObjectivo1

Hipótese de Diagnóstico.

Exames.Complementares

Diagnóstico 1

OSTEOPOROSE

CASO CLÍNICO


Quest o 1

Questão 1

Identifique a principal função dos osteoblastos e dos osteoclastosnaformaçãodamatrizóssea.


Composi o do tecido sseo

Composição do tecido ósseo

Osso - tipo de tecidoconjuntivoespecializado, compostopor:

  • Matriz não mineral

    • constituída por fibras de proteo e glicosaminoglicanos

  • Cristais minerias inorgânicos

    • Constituem a fase mineral do osso e encontram-se depositados na matriz

  • Elementos celulares

    • Osteoclastos – reabsorvem a matriz calcificada

    • Osteoblastos– sintetizam nova matriz óssea

    • Osteócitos


Osteoblastos

Osteoblastos

  • Sintetizam a parte orgânica da matriz óssea (proteo e glicosaminoglicanos)

  • Concentram fosfato de cálcio, participando na mineralização da matriz


Osteoblastos1

Osteoblastos

Osteóide: matrizóssearecém-formadapelososteoblastosactivos, aindanãocalcificada

  • Uma vez sintetizada e calcificada a matriz óssea os osteoblastos:

  • diminuem de actividade e transformam-se em células de revestimento achatadas (maioria)

  • ficam rodeados de matriz recém-sintetizada e transformam-se em osteócitos (10%)

  • sofrem apoptose


Osteoclastos

Osteoclastos

  • Células grandes, móveis e multinucleadas.

  • Reabsorvem o tecido ósseo, participando nos processos de renovação óssea.

  • A superficieactiva dos osteoclastosapresentaprolongamentosvilosos.


Osteoporose

Osteoclastos

Os osteoclastossecretamiõesH+, colagenases e outrashidrolasesqueactuamlocalmente, digerindo a matrizorgânica e dissolvendooscristais de sais de cálcio

↑[Ca2+] plasmático


Osteoporose

Remodelaçãoóssea

  • Para manter a competência mecânica da matriz, o tecido ósseo sofre um processo contínuo de renovação que se prolonga durante toda a vida do indivíduo – remodelação óssea

  • Este processo de turnover ósseo é fundamental para manter a integridade do tecido ósseo e a homeostasia do cálcio e fósforo


Osteoporose

Remodelação óssea

  • Fase de activação, que corresponde à diferenciação dos osteoclastos.

  • Fase de reabsorção da matriz extracelular antiga.

  • Fase de reversão, em que os osteoblastos preenchem a cavidade de reabsorção.

  • Fase de formação, em que os osteoblastos produzem uma matriz orgânica composta por fibras de colagénio (o osteóide) que vai ser calcificada por deposição de cristais de fosfato de cálcio.


Quest o 2

Questão 2

Identifique sucintamente a função das hormonas da tiróide e da paratiróide na regulação do metabolismo do cálcio.


Osteoporose

Regulação hormonal do metabolismo ósseo


Osteoporose

Hormona da Paratiróide (PTH)


Osteoporose

Hormona da Paratiróide (PTH)


Osteoporose

Hormonas da Tiróide

Tiroxina (T4 )

Produzida pelas células foliculares da Tiróide, juntamente com a GH

Estimula a actividade dos osteoblastos (inibe os osteoclastos), que contribuem para a formação da matriz óssea

Diminui a concentração sérica do Ca2+

  • Calcitonina (acção oposta à da PTH)

  • É activada quando a [Ca2+]é muito elevada

  • Inibe a excreção de PTH

  • Produzida pelas células parafoliculares da Tiróide (células C)

  • Inibe a reabsorção óssea (aumento da deposição) por inibição dos osteoclastos.

  • Inibe a absorção de Ca2+a nível intestinal (menos transporte)

  • Aumenta a excreção de cálcio e diminui a excreção de fosfato a nível renal

  • Reduz os níveis plasmáticos de Ca2+


Quest o 3

Questão 3

Identifique a relação entre a corticoterapia e o desenvolvimento de osteoporose no doente.


Corticoester ides

Corticoesteróides

  • Corticoestórides são fármacos com propriedades anti-inflamatórias e imuno-supressoras, utilizados no tratamento de diversas patologias entre as quais:

    • doenças reumatológicas

    • auto-imunes

    • respiratórias

    • processos de transplantação

CAUSA SECUNDÁRIA MAIS FREQUENTE DE OSTEOPOROSE!


Corticoester ides1

Corticoesteróides

  • Provocam desequilíbrio no metabolismo da remodelação óssea normal:

    • aumenta a reabsorção

    • diminui a formação

  • Redução do número e função dos osteoblastos

  • Inibição da produção pelo osso de factores de crescimento

  • Reduzem a produção de hormonas sexuais (estrogénios e androgénios)


  • Corticoester ides2

    Corticoesteróides

    • Inibem a secreção da hormona adrenocorticotrófica (ACTH)

    • Responsáveis pela diminuição da absorção intestinal e da reabsorção tubular renal do cálcio

      • por diminuição intestinal do transporte de Cálcio

      • resistência à vitamina D

        Diminuição do cálcio sérico

        secreção da paratormona (PTH)

        pelas glândulas paratiróides

         hiperparatiroidismosecundário


    Corticoester ides3

    Corticoesteróides

    • Aumentam a expressão dos receptores de PTH em osteoblastos e a sua sensibilidade a esta hormona

    • Supressão da síntese de OPG e um aumento de RANKL

      • RANKL: proteína transmembranar produzida nos osteoblastos , que ao ligar-se ao receptor RANK existente nos percursores dos osteoclastos, induz a sua diferenciação  reabsorção óssea

      • OPG:impede a ligação do RANKL ao RANK

  • Produzem debilidade e fadiga muscular


  • Mecanismos patog nicos dos corticoester ides na remodela o ssea

    Mecanismos patogénicos dos corticoesteróides na remodelação óssea

    OPG - osteoprotegerina; RANKL- ligando do receptor activador do factor nuclear kappaB


    Osteoporose

    Questão 4

    Porque razão o doente apresenta aumento da PTH?


    Osteoporose

    PTH

    papel importante na regulação da activação da vitamina D.

    principal regulador de Ca2+ plasmático.


    Osteoporose

    PTH

    papel importante na regulação da activação da vitamina D.

    principal regulador de Ca2+ plasmático.


    Osteoporose

    PTH

    absorção Ca2+ no intestino (uma vez que promove a produção de calcitriol nos rins; este, por sua vez, vai promover a síntese de calbindina*)

    actividade dos osteoclastos, inibindo os osteoblastos (aumenta a reabsorção de Ca2+, no osso)

    reabsorção de Ca2+ e excreção de Pi, nos rins

    *Calbindina: proteína intestinal que liga Ca2+


    Quest o 5

    Questão 5

    Porque motivo se doseou a hidroxiprolina e a desoxipiridinolina na urina do doente?

    Qual o seu significado?


    Osteoporose

    Porque se doseou Hidroxiprolina?

    Aminoácido presente na composição do colagénio da matriz óssea.

    Marcador bioquímico da reabsorção óssea

    Marcador pouco específico pois é influenciado, por exemplo, pela dieta.


    Osteoporose

    Porque se doseou a Desoxipiridinolina?

    Em parte responsável pelas ligações transversais intermoleculares que unem cadeias de colagénio.

    Desoxipiridinolina

    • Piridinolina

    Tecido ósseo

    Cartilagens


    Osteoporose

    Porque se doseou a Desoxipiridinolina?

    Marcador bioquímico da reabsorção óssea

    Não sofre influência pela dieta, não é utilizada para a osteogénese e não sofre metabolização pelo fígado.


    Quest o 6

    Questão 6

    Porque razão se administrou ao doente, além de bifosfonatos, vitamina D?


    Vitamina d

    Vitamina D

    • Formas da vitamina D

    • vitamina D2 (ergocalciferol) – de origem vegetal;

    • vitamina D3 (colecalciferol)

    • – de origem animal e a mais comum no organismo.


    Vitamina d3

    Vitamina D3

    7-dehidrocolesterol(presente na pele)

    Proveniente da dieta

    Vitamina D3

    Calcidiol

    (25-hidroxicolecalciferol)

    Calcitriol

    (1,25-dihidroxicolecalciferol)


    Calcitriol

    Calcitriol

    Calcitriol

    Promove a absorção intestinal de cálcio e fósforo

    Aumenta a reabsorção de cálcio no rim

    Aumento da concentração de cálcio no plasma

    Estimulação dos osteoblastos


    Calcitriol1

    Calcitriol

    Inibe a síntese de PTH

    Diminuição da actividade dos osteoclastos

    Osteoporosenão evolui


    Bibliografia

    Bibliografia

    • “Bioquímica”, LubertStryer, John L. Tymoczko, Jeremy M. Berg, 5ª edição, Editora GuanabaraKoogan

    • “Bioquimica Médica”, John W. Baynes, Marek H. Dominiczak, 2ª edição, Editora MosbyElsevier

    • “The Living Skeleton”, Christian Roux, EditoraWoltersKluwer

    • “Atlas de Osteoporose”, Joan M. Nolla, AntoniRozadilla, Editora Euromedice

    • http://www.osteoporose.com.pt/oquee/index.cfm

    • http://www.apmcg.pt/files/54/documentos/20091217010912843130.pdf

    • http://www.spreumatologia.pt/textos/?id_menu=138&id_menu_filho=134&id_menu_pai=3

    • http://www.scientificpsychic.com/health/vitamins.html

    • http://scienceblogs.com/clock/upload/2006/06/calcium%20regulation.jpg

    • http://endo.endojournals.org/cgi/reprint/145/4/1835.pdf


  • Login