Prontu rio eletr nico hist rico conquistas e tend ncias
This presentation is the property of its rightful owner.
Sponsored Links
1 / 38

Prontuário Eletrônico Histórico, Conquistas e Tendências PowerPoint PPT Presentation


  • 73 Views
  • Uploaded on
  • Presentation posted in: General

Prontuário Eletrônico Histórico, Conquistas e Tendências. Renato M.E. Sabbatini, PhD Núcleo de Informática Biomédica UNICAMP. Tópicos. Definições História Aplicações Vantagens e desvantagens Legislação e ética Perspectivas Como saber mais. Prontuário Médico: O Que É.

Download Presentation

Prontuário Eletrônico Histórico, Conquistas e Tendências

An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Presentation Transcript


Prontu rio eletr nico hist rico conquistas e tend ncias

Prontuário Eletrônico Histórico, Conquistas e Tendências

Renato M.E. Sabbatini, PhD

Núcleo de Informática BiomédicaUNICAMP


T picos

Tópicos

  • Definições

  • História

  • Aplicações

  • Vantagens e desvantagens

  • Legislação e ética

  • Perspectivas

  • Como saber mais


Prontu rio m dico o que

Prontuário Médico: O Que É

  • um conjunto de documentos padronizados e informações coletadas pelos profissionais de saúde que cuidaram de um paciente;

  • um registro de saúde do indivíduo, contendo toda a informação referente à sua saúde, desde o nascimento até a morte;

  • um acompanhamento do bem-estar do indivíduo: assistência, fatores de risco, exercícios e perfil psicológico.


Evolu o hist rica

Evolução Histórica

  • Até o século 20: ausência de registro, memória do médico ou anotações em diários seqüenciais;

  • 1920s: Prontuário médico individual;

  • 1940s: Prontuário médico centralizado;

  • 1960s: Prontuário orientado ao problema;

  • 1980s: Prontuário computadorizado;

  • 1990s: Prontuário baseado em redes;


Finalidades de um prontu rio

Finalidades de um Prontuário

  • suporte à assistência ao paciente: para avaliação e tomada de decisão e como fonte de informação a ser compartilhada entre os profissionais de saúde;

  • como documento legal dos atos médicos;

  • apoio à pesquisa: pesquisa clínica, estudos epidemiológicos, avaliação da qualidade do atendimento e ensaios clínicos;

  • apoio ao ensino dos profissionais de saúde;

  • gerenciamento de serviços: faturamento, autorização de procedimentos, administração, custos, etc.

Shortliffe, 1999


Desvantagens do prontu rio em papel

O prontuário pode estar somente num único lugar ao mesmo tempo

Ilegibilidade

Ambigüidade dos dados

Perda freqüente da informação

Multiplicidade de pastas

Dificuldade de recuperação e pesquisa coletiva

Falta de padronização

Dificuldade e lentidão de acesso

Fragilidade do papel

Desvantagens do Prontuário em Papel

Shortliffe, 1999


O prontu rio eletr nico do paciente

O Prontuário Eletrônico do Paciente

"Um registro eletrônico de saúde contém informações sobre o passado, presente ou futuro da saúde e condições físicas e mentais de um indivíduo, residindo em um sistema eletrônico usado para capturar, transmitir, receber, armazenar, disponibilizar, interligar e manipular dados multimídia, para os objetivos primários de um serviço de saúde."

Murphy, Hanken e Waters, 1999


Como funciona um pep

Como Funciona um PEP

  • Centralizado em uma única base de dados sobre os pacientes;

  • Contém dados de identificação, demográficos, médicos, sociais, financeiros e operacionais coletados ao nivel do paciente individual;

  • Estrutura complexa e interrelacionada de variáveis (campos), formulários de entrada, relatórios de saída, funções de acesso e manipulação, etc.

  • Permite a recuperação individual e coletiva de informações;

  • Padronização de nomenclatura, codificação, intercomunicação, etc.


Estrutura do banco de dados

Estrutura do Banco de Dados


Como funciona um pep 2

Como Funciona um PEP (2)

  • Utilizado nos pontos de assistência, pelos profissionais de saúde, através de LAN;

  • Integração com outros subsistemas corporativos e clínicos (gestão de leitos, enfermarias, ambulatórios, laboratórios e centros diagnósticos, etc.)

  • Arquitetura de preservação da segurança e confidencialidade;

  • Funções de suporte a decisão médica e administrativa e epidemiológica.


Vantagens do pep

Vantagens do PEP

  • Acesso remoto e simultâneo

  • Rapidez de acesso

  • Dados estão sempre atualizados

  • Maior segurança e confidencialidade

  • Flexibilidade dos formulários de entrada e saída dos dados

  • Captura automática de dados

  • Processamento em tempo real e em linha

  • Captura e fornece dados para outros sistemas de informação

  • Recuperação e análise de grupos de dados


Representa o da informa o cl nica no pep

Representação da Informação Clínica no PEP

  • Prontuário orientado à fonte (SOMR)

  • Prontuário orientado ao tempo (TOMR)

  • Prontuário orientado aos problemas (POMR)


Breve hist ria do pep

Breve História do PEP

  • 1960s: Primeiros sistemas de informação hospitalar (HIS)

  • 1970s: PROMIS (Problem Oriented Medical Information System), COSTAR, RMRS (Regenstrief), TMR

  • 1980s: TMIS, HELP (Utah), CCC

  • 1990s: Surgimento dos padrões, WBMRS, etc. Organização do setor


Registro m dico orientado ao problema

Registro Médico Orientado ao Problema

Weed, 1969


Requisitos de um pep

Requisitos de um PEP

  • Escopo das informações: todas as informações sobre os pacientes devem estar armazenadas;

  • Tempo de armazenamento: os dados devem ser armazenados continuamente, estando as informações dos últimos anos disponíveis;

  • Representação dos dados: devem ser armazenados de forma estruturada e codificados num vocabulário comum;

  • Pontos de acesso: terminais devem estar disponíveis em todos os pontos onde os dados são alimentados e utilizados.


Pep vital para novas tecnologias

PEP É Vital para Novas Tecnologias

  • Telemedicina

  • Medicina Molecular

  • Redes Comunitáriasde Saúde (CHIN)

  • Gestão da Doença

  • Medicina Baseadaem Evidências


Cart o m dico inteligente

Cartão Médico Inteligente


Padroniza o do pep

Padronização do PEP

  • Identificação: para pacientes e prestadores;

  • Comunicação: padrão para mensagens entre sistemas (HL7, X12, EDIFACT, XML, etc.)

  • Conteúdo e Estrutura: Padronização do Registro Clínico do DATASUS, ABRAMGE, etc.

  • Representação de Dados Clínicos: CID, SNOMED, LOINC, AMB, etc.

  • Confidencialidade, segurança e autenticidade


Problemas do pep

Problemas do PEP

  • Investimentos altos em hardware, software e treinamento;

  • Resistências e ineficiências por parte dos usuários profissionais de saúde;

  • Problemas de confiabilidade, disponibilidade e segurança;

  • Dificuldades para a coleta completa de dados;

  • Resultados a longo prazo; benefícios demoram para serem percebidos.


Riscos e barreiras

Riscos e Barreiras

  • Dificuldade para se definir o conteúdo

  • Falta de padronização

  • Interface com o usuário inadequada

  • Falta de infraestrutura material e humana

  • Aspectos legais não definidos

  • Falta de integração com o contexto e fluxo operacional assistencial


Fatores de sucesso

Fatores de Sucesso

“O sucesso na implementação de um PEP depende em 80% das pessoas e somente em 20% da tecnologia”

Dr. Reed GardnerLDS Hospital em Salt Lake City


Marcos conceituais do pep

Marcos Conceituais do PEP

  • É um conceito, não um sistema

  • É um processo e não um software

  • Não é somente a digitalização do prontuário em papel

  • Deve focalizar a organização e não somente o paciente

  • Deve ser implementado em etapas

  • Deve dar retorno para o investimento

  • Envolve extensas modificações comportamentais


O pep baseado na web

O PEP Baseado na Web

  • É uma variante tecnológica de implementação do PEP em uma rede de área ampla (intranet, extranet ou internet)

  • Utiliza o paradigma da internet (TCP/IP) e WWW (hipermídia, execução distribuída, etc.)

  • Necessita apenas de uma conexão à Internet e de um software de navegação (“browser”) para acessar e utilizar.


Alguns projetos de pep na web

Alguns Projetos de PEP na Web

  • W3EMRS - Beth Israel Hospital, Massachusetts General Hospital e Children's Hospital;

  • CareWeb - Beth Israel e Deaconess Hospital;

  • PCASSO - University of California em San Diego;

  • WebCIS - Department of Medical Informatics da Columbia University;

  • Incor/USP – Primeiro exemplo brasileiro na área.

  • PEPWeb – Núcleo de Informática Biomédica da UNICAMP


Exemplo sistema pepweb

Exemplo: Sistema PEPWeb


Exemplo sistema pepweb 2

Exemplo: Sistema PEPWeb (2)

http://leishmann.nib.unicamp.br/pepweb/


Vantagens do pep na web

Vantagens do PEP na Web

  • Multimídia (gráficos, imagens, vídeo e som);

  • Flexibilidade para integração com outros sistemas e sistemas legados;

  • Uso de hipertexto: links para fontes de conhecimento médico;

  • Uso de browsers (baixo custo);

  • Mecanismos de visualização e navegação usualmente mais adaptáveis e mais fáceis de usar;

  • Acessibilidade global, instantânea, interativa, permanente

  • Suporte à multiplataformas;


Vantagens do pep na web1

Vantagens do PEP na Web

  • Facilidade de integração de dados dinâmicos com documentos estáticos;

  • Facilidade de integração com palmtops, cartões de pacientes, etc.

  • Manutenção centralizada, distribuição imediata;

  • Pode ser implementado em servidores terceirizados (ASP)

  • Redução do Custo Total da Propriedade (Total Cost of Ownership, TCO);


Prontu rio pessoal eletr nico ppe

Prontuário Pessoal Eletrônico (PPE)

  • Variante do PEP baseado na Web, no qual as informações são gerenciadas pelo próprio paciente.

  • Oferecido na forma de serviço ao paciente, prestadores e pagadores;


Usu rios do ppe

Usuários do PPE

  • Pessoas físicas:

    • Indivíduos

    • Familias

    • Viajantes

    • Idosos

  • Pessoas jurídicas:

    • Médicos

    • Clínicas e hospitais

    • Centros de medicina diagnóstica

    • Planos de saúde

    • Empresas de emergência pessoal

    • Empresas de monitoração médica doméstica

    • Serviços públicos e redes comunitárias


Legisla o e tica brasileira

Legislação e Ética Brasileira

  • Resolução 1639/2002 do CFM:Normas Técnicas para o Uso de Sistemas Informatizados para a Guarda e Manuseio do Prontuário Médico, dispõe sobre tempo de guarda dos prontuários, estabelece critérios para certificação dos sistemas de informação e dá outras providências.http://www.cfm.org.br


Novas tecnologias para o pep

Novas Tecnologias para o PEP

  • Objetos Distribuídos (CORBAMed: Common Request Broker Architecture)

  • eXtensible Markup Language (XML)

  • Reconhecimento e Síntese de Voz

  • Inteligência Artificial (AI)


O futuro do pep

O Futuro do PEP

  • De sistema inicialmente adotado voluntáriamente, para aumento da eficiência e redução dos custos, passará a ser exigido por processos de certificação de qualidade e, finalmente, de adoção obrigatória por lei.

  • Quem se antecipar a esta tendência, assumirá um diferencial no mercado, cavalgando primeiro a curva do aprendizado e antecipando-se às novas ondas tecnológicas.


Para saber mais

Para Saber Mais

  • The Medical Record Institute (USA)www.medrecinst.com/

  • Congressos:

    • TEHRE: www.medrecinst.com/conferences/tehre/

    • TEPR: www.medrecinst.com/conferences/tepr

  • Common EPR Project (NHS, UK)www.commonepr.nhs.uk/

  • The Computer Based Patient Recordwww.nap.edu/html/computer/

  • Sociedade Brasileira de Informática em Saúdewww.sbis.org.br


Curso de aperfei oamento em pep

Curso de Aperfeiçoamento em PEP

  • Curso intensivo semipresencial e interdisciplinar, voltado para profissionais do setor saúde que querem se diferenciar quanto ao conhecimento teórico, prático e operacional sobre o PEP

  • Ministrado e certificado pelo Instituto Edumed, em colaboração com várias universidades e com a TrakHealth

  • Carga didática de 60 horas, laboratório presencial prático com utilização intensiva do MedTrak


Pr inscri es

Pré-Inscrições

  • Primeira realização: abril de 2002

  • Professores: Renato M.E. Sabbatini, Jamil Mattar, Cláudio Giulliano.

  • Inscrição on-line sem compromisso, com aula-exemplo disponível no site de suporte:

    http://www.edumed.net/cursos/pep


Contato

Contato:

  • Prof. Renato M.E. SabbatiniNúcleo de Informática Biomédicahttp:[email protected] (19) 3788-5102Instituto Edumedhttp://www.edumed.netTel. (19) 3295-8191


  • Login