Escola de Ensino Fundamental Lions Clube Companheiro Oscar
This presentation is the property of its rightful owner.
Sponsored Links
1 / 20

Acadêmicas Bolsistas: Daiane Zimmermann Jéssica Monique Buss Mayara Riffel PowerPoint PPT Presentation


  • 58 Views
  • Uploaded on
  • Presentation posted in: General

Escola de Ensino Fundamental Lions Clube Companheiro Oscar Maluche. Acadêmicas Bolsistas: Daiane Zimmermann Jéssica Monique Buss Mayara Riffel Coord. Institucional: Clarice Pirez Supervisora: Fátima. P. Bastiani. OBSERVAÇÕES REFERENTES AO MÊS DE MAIO. SUMÁRIO:. Introdução;

Download Presentation

Acadêmicas Bolsistas: Daiane Zimmermann Jéssica Monique Buss Mayara Riffel

An Image/Link below is provided (as is) to download presentation

Download Policy: Content on the Website is provided to you AS IS for your information and personal use and may not be sold / licensed / shared on other websites without getting consent from its author.While downloading, if for some reason you are not able to download a presentation, the publisher may have deleted the file from their server.


- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - E N D - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Presentation Transcript


Acad micas bolsistas daiane zimmermann j ssica monique buss mayara riffel

Escola de Ensino Fundamental Lions Clube Companheiro Oscar Maluche.

Acadêmicas Bolsistas:

Daiane Zimmermann

Jéssica Monique Buss

Mayara Riffel

Coord. Institucional: Clarice Pirez

Supervisora: Fátima. P. Bastiani


Acad micas bolsistas daiane zimmermann j ssica monique buss mayara riffel

OBSERVAÇÕES REFERENTES AO MÊS DE MAIO


Sum rio

SUMÁRIO:

  • Introdução;

  • Dados cadastrais dos alunos do 1º, 2º e 3º anos, de acordo com a ficha de matrícula;

  • Contextualização sobre a escola, de acordo com o P.P.P;

  • Elaboração e Aplicação do questionário com as professoras destas turmas;

  • Reflexão e Análise


Introdu o

INTRODUÇÃO

A temática que será desenvolvida nas séries iniciais (1°, 2° e 3° anos) tem como tema: cultura em movimento que terá como objetivo principal apresentar ás crianças diferentes culturas das quais seus amigos estão inseridos. Afim de verificar algum tipo de “preconceito” existente no seu âmbito escolar.

A área de investigação será constituída a partir dos questionários feito para as professoras e a tabulação de dados referentes a nacionalidade de cada criança.


Processo de investiga o registro interven o

Processo de Investigação: Registro/intervenção

  • Levantamento dos dados cadastrais:

    Primeiramente, consultamos todas as fichas de matrículas dos alunos do 1º, 2º e 3º anos; observando a naturalidade de cada um.

    Deste modo obtemos os seguintes resultados:


Acad micas bolsistas daiane zimmermann j ssica monique buss mayara riffel

  • Observações referentes ao P.P.P

    Ao analisarmos o PPP da escola, datado no ano de 2010, observa-se pontos relevantes com relação a questões culturais, históricas e definições. O P.P.P apresenta uma visão ampla dos objetivos e características da escola.

    Essa leitura forneceu subsídios contribuindo de forma significativa, fundamentando o projeto.


Acad micas bolsistas daiane zimmermann j ssica monique buss mayara riffel

A escola tem como objetivo geral: “Encaminhar uma proposta pedagógica que esteja de acordo com a realidade da comunidade escolar, ou seja, que o trabalho pedagógico realizado tenha como ponto de partida o pressuposto de que o aluno que frequenta nossas salas de aula é um sujeito histórico, que se constrói a partir das relações com o meio em que vive[...]”.

Deste modo, podemos perceber que a escola tem a preocupação de olhar oaluno de forma individual, levando em consideração suas vivências e culturas.


Acad micas bolsistas daiane zimmermann j ssica monique buss mayara riffel

Outra questão relevante encontrada no PPP, refere-se aos dados de uma pesquisa realizada pelos alunos da 8ª série A e B, que apontam questões de imigração no Bairro. No ano de 2010, 43% da população vinda de outros municípios, abrangendo um total de 952 famílias. Este aspecto retrata o índice de imigração que em 2010 já era considerável. Com relação à questão cultural, a escola cita que “O homem é um ser que possui raízes, espaços temporais é um ser situado no mundo e com o mundo”.


Acad micas bolsistas daiane zimmermann j ssica monique buss mayara riffel

A escola apresenta como objetivos do ensino fundamental, dentro da proposta curricular, habilidades, competências e capacidades que o educando deverá desenvolver. Dentre elas destacamos os objetivos que referem-se a cultura:

  • - conhecer características sociais do Brasil nas dimensões sociais, materiais e culturais como meio para construir, progressivamente, a noção de identidade nacional e pessoal e o sentido de pertinência ao país;

  • - conhecer e valorizar a pluralidade do patrimônio sociocultural brasileiro, bem como, aspectos socioculturais de outros povos e nações, posicionando-se contra qualquer discriminação baseada em diferenças culturais, de classe social, de crenças, de sexo, de etnia ou outras características individuais e sociais.


Acad micas bolsistas daiane zimmermann j ssica monique buss mayara riffel

  • Questionário aplicado com as professoras

    Neste mês elaboramos um questionário que foi entregue as professoras regentes das turmas: 1º, 2º e 3º ano.

    Questões apresentadas:

  • Quais as maiores dificuldades encontradas em seu grupo de alunos?

  • Como você percebe a diversidade cultural no grupo?

  • A diversidade cultural interfere na sua prática pedagógica? Justifique?

  • Você percebe alguma influência cultural na socialização entre os alunos?

  • No processo de alfabetização, em quais aspectos o grupo do PIBID poderia contribuir com sua prática?


Acad micas bolsistas daiane zimmermann j ssica monique buss mayara riffel

Respostas

Professora do 1º ano:

1) Respeito com os colegas (apelidos, empurrões na fila, formar grupos para desenvolver atividades).

2) Nas rodas de conversa apresentam diferentes costumes em determinados assuntos e também através dos dialetos, esses sim a turma toda percebe.

3) Na prática pedagógica é tranquilo, as crianças costumam se adaptar com facilidade, e isso faz com que a aprendizagem aconteça no ritmo normal.


Acad micas bolsistas daiane zimmermann j ssica monique buss mayara riffel

4) Não, eles estão juntos desde o pré-escola, isso ajuda na socialização.

5) Atividades sobre respeito, motivação e alfabetização ( escrita e leitura de palavras chaves. Ex.: amigos, escola, estudo...)

Professora do 2º ano:

1) Agitação por parte das crianças, falta de interesse de alguns alunos, pouca participação de alguns pais no estudo dos filhos (tarefas de casa principalmente).

2) o grupo está com as crianças de várias regiões do Brasil, principalmente da Bahia, ode a cultura é bem diferente da “nossa”.


Acad micas bolsistas daiane zimmermann j ssica monique buss mayara riffel

3) Um pouco pela questão cultural, principalmente quando as crianças chegam após o inicio do ano letivo, pois parece que eles não tem por hábito o estudo em casa (tarefas) .

4)A socialização ocorre de forma tranquila.

5) ajudar na motivação, respeito e tentar resgatar nos pais o comprometimento com o estudos dos filhos.

Professora do 3º ano:

1) 3º ano A: Produção de textos, interpretação, resoluções de problemas, organização da escrita.

3º ano B: Turma bastante agitada. O trabalho em grupo dificulta e muito. Mas, a maioria tem uma boa produção de texto e interpretação.


Acad micas bolsistas daiane zimmermann j ssica monique buss mayara riffel

2) Cor, costumes e fala.

3) Não. Apesar da diversidade cultural em sala de aula, todos são iguais e aprendem por igual de acordo com sua capacidade.

4)Não. Os alunos tem ótima interação entre os colegas.

5) Pesquisas na sala informatizada, produção de textos (sinais de pontuação, paragrafo) e interpretação.


Reflex o e an lise

REFLEXÃO E ANÁLISE

Ao elaborar os questionários para as professoras percebemos que as mesmas tem dificuldades em lidar com alguns casos de alunos com diferentes comportamentos. Neste caso é imprescindível que os alunos conheçam outros modos de convivência, levando em consideração sempre os aspectos sociais e culturais de si mesmo e do outro.

A tabulação de dados nos mostrou que a maioria das crianças são de Brusque, e uma boa parte delas correspondem ao estado da Bahia.

Como vimos no PPP a escola tem a preocupação de olhar o aluno de forma individual, levando em consideração suas vivências e culturas. Deste modo é importante apresentar as crianças métodos que oportunizem o contato com diferentes culturas e costumes.


Acad micas bolsistas daiane zimmermann j ssica monique buss mayara riffel

  • “A escola é, sem dúvida, uma instituição cultural. Portanto, as relações entre escola e cultura não podem ser concebidas como entre dois polos independentes, mas sim como universos entrelaçados, como uma teia tecida no cotidiano e com fios e nós profundamente articulados. Se partimos dessas afirmações, se aceitarmos a íntima associação entre escola e cultura, se vermos suas relações como intrinsecamente constitutivas do universo educacional, cabe indagar por que hoje essa constatação parece se revestir de novidade, sendo mesmo vista por vários autores como especialmente desafiadora para as práticas educativas.” ( MOREIRA; CANDAU. 2003)


Refer ncia

REFERÊNCIA

MOREIRA, Antonio Barbosa Moreira; CANDAU, Vera Maria.

Educação escolar e cultura(s): construindo caminhos. 2003


  • Login